História Cassandra - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Boris, Castiel, Chani, Charlotte, ChiNoMimi, Dajan, Dakota, Debrah, Hyun, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Morgan, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rayan Zaidi, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Viktor Chavalier, Violette, Yeleen Eleanor Amy Charlene Naifeh
Tags Amor Doce, Armin, Castiel, Lysandre, Nathaniel, Sandrael
Visualizações 41
Palavras 2.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AAAAAAAaaaAAAAA, o resultado das provas é amanhã, seu não postar mais, foi a recuperação!😖💔
Boa leitura 🍔

Capítulo 6 - Monet's


Fanfic / Fanfiction Cassandra - Capítulo 6 - Monet's

Capítulo 6 — "Monet's"


RELÓGIO: Terça-feira — 03/02 — Seis e vinte e seis da tarde (17:26pm)


Enquanto passava o creme no cabelo e o enrolava com os dedos, Cassandra ouvia — Make up sex - SoMo — um de seus cantores favoritos. Suas músicas a excita, as letras, são extremamente pesadas, mas não humilham a mulher. 

"Esforce-se, para cima para baixo"

"Suar, fazendo sexo"

"Rebolar, para cima para baixo"

"Suar, fazendo sexo"

Cassandra cantarolava com a garganta a música que ouvia, deixou seu celular no modo repetitivo, para depois que a música acabar, a mesma ser tocada mais uma vez, e assim por diante. Cassandra foi até o box e adentrou. Ligou o chuveiro no modo frio e ficou debaixo do mesmo para que os produtos saíssem de seus cabelos. Olhou para o lado e percebeu que havia uma banheira. "Desde quando eu tenho uma banheira?" Se perguntou mentalmente. Riu com a lerdeza e disse em voz baixa algo como: "Com a minha lerdeza, iria morrer sem perceber."


Você conseguiu falar com a Cassandra? — Perguntou Lysandre se sentando na cama do amigo

— Achei que fosse Sandra. — Falou ríspido

— Conseguiu ou não, Castiel? — Perguntou revirando os olhos

— Um pouco. — Disse

— Um pouco? O que ela disse? — Perguntou

— Que foi minha "namorada"! — Respondeu com indiferença e seu amigo começou a rir sem parar

— Namorada? Isso é coisa da Ambre, não é? — Perguntou ainda rindo

— A própria! — Confirmou Castiel

— Mas eu ainda não entendo o por quê de você ter ficado tão irritado com alguém te ignorando. — Comentou Lysandre

— Não é qualquer pessoa, é a Cassandra! — Explicou

— Faz diferença? — Perguntou

— Eu...bem... — O ruivo ficou sem resposta

— Não me diga que está gostando da Cassandra, Castiel? — Perguntou e o ruivo arregalou os olhos

— O quê?! Claro que não Lysandre! Não viaja! — Reclamou

— Então o que é? — Perguntou sorrindo maliciosamente

— Ela é... interessante... — Disse

— Interessante, interessante como? — Franziu o cenho

— Ela não mente, é sincera. Não sabe mentir, pode perguntar qualquer coisa a ela que ela responderá com sinceridade e ela gosta de rock! — Disse

— A Íris também. — Citou o platinado

— A Íris? Ah, cara, sei lá! É algo diferente! Eu gosto de infernizar a Cassandra. — Comentou

— Hum, entendi. — Lysandre balançou a cabeça positivamente

A atenção dos dois amigos foi voltada para o celular de Castiel; que vibrava em cima da cômoda de madeira escura. Castiel arqueou uma das sobrancelhas, desconfiado. Pegou o aparelho, o acendeu e viu a notificação que dizia: "Instagram — Você recebeu um Direct de @Cassandra_Oficial!" Castiel apertou na notificação e bufou quando o aparelho pediu para que o mesmo colocasse a senha para desbloquear. Desbloqueou o celular com a digital e após ser desbloqueado, foi diretamente para o Direct enviado a 1min atrás. 

"Oi, Castiel, eu, bom, eu quero, meio que explicar o que aconteceu e, enfim, quero saber se não podemos nos encontrar em algum lugar."

Castiel não percebeu mas sorriu de canto. Começou a pensar em diversos e aleatórios lugares para levar a garota, e então, surgiu a melhor lanchonete de Los Angeles que ele conhece — "Conheço um lugar, vou te passar a localização." — Respondeu

"Está bem, nos vemos lá, ás seis e quarenta?"

Castiel enviou apenas um - "Até lá, então." - e se virou para o amigo 

— Quem era? — Perguntou

— A Cassandra, ela quer, explicar umas coisas, vamos nos encontrar no Monet's. — Falou pegando sua jaqueta em cima da cama

— Vai mesmo me deixar aqui? — Lysandre ficou surpreso com o ato do amigo

— Você sabe a saída e tem a chave, até depois Lysandre! — Pegou seu celular, capacete, chaves, falou e saiu pela porta do quarto


Castiel jogava o joguinho "City of words" que havia baixado em seu celular para se destrair. Não percebeu quando Cassandra se aproximou e sorriu ao vê-lo ali

— Oi! — Disse sorrindo

Castiel ergueu a cabeça para ver a garota, e mesmo negando por dentro, apenas não queria admitir que ela estava linda; Cassandra usava um short jeans preto de cintura alta, um cropped branco e por cima dele, uma blusa de manga média solta; a blusa era extremamente transparente, para que assim pudesse ver o cropped. Não usava maquiagem algumas, seus cabelos cacheados que iam até abaixo do ombro estavam soltos, suas sobrancelhas penteadas, alguns anéis, uma gargantilha e um Vans preto. Nada muito chamativo, porém, bastante estiloso

— Oi. — Respondeu após a garota se sentar

Castiel podia sentir o cheiro forte e doce que vinha de Cassandra quando a mesma se movimentou

— Enfim, o trio das putas... — A garota foi interrompida por Castiel

— Trio das putas? — Perguntou

— Putinha, puta e putona. — Disse

— O quê? — Arqueou as sobrancelhas

— Japonesa que come batom, cara de piriga e Barbie de Chernobyl! — Explicou

— Ah, sim, Li, Charlotte e Ambre. — Falou

— Isso aí. Enfim, elas foram no banheiro na hora em que eu tava e a Barbie de Chernobyl disse que vocês eram namorados e estavam brigados e blá blá blá. Eu apenas não queria ser reconhecida na escola como "A estraga relações"! — Falou e o ruivo riu — Ei! Do que está rindo? — Perguntou fazendo bico

— Eu não tenho namorada! — Falou rindo

— Não? — Perguntou

— Não, aquela garota é louca. É assim desde nossos dez anos, ela tem um amor platônico por mim! — Explicou

— Oh, entendi. — Disse — Na maioria das vezes que te vejo você está se pegando com alguma garota, sério que não namora? Nenhuma? — Perguntou

— Sério. Faz um bom tempo que eu não namoro mais! — Disse

— Traição? — Perguntou

— Não, ela foi embora. — Falou

Castiel não gostava de falar sobre aquilo com ninguém, mas de alguma forma, se sentia extremamente a vontade de falar disso com Cassandra

— No meu caso, foi, triste. — Comentou

— O que te fizeram? — Perguntou interessado

— Me humilhou, na frente de toda a escola! — Disse

— Caralho, um brinde aos corações partidos! — O ruivo disse sorrindo

Cassandra começou a rir e logo depois Castiel percebeu que não tinham nada para brindar, e começou a rir também. Chamou o garçom

— Você bebe? — Perguntou e Cassandra negou com a cabeça. Castiel pegou sim identidade e mostrou para o garçom — Uma cerveja e um refrigerante, por favor. — Pediu

— Que sabor o refrigerante? — Perguntou o garçom

Castiel olhou para Cassandra

— Pepsi, por favor. — Pediu

— Logo volto com seus pedidos. — Saiu após falar

— Voltando a nossa conversa, namorar é ruim para caralho. Dá errado e o efeito ainda é permanente! — Disse Castiel

— Concordo, não é à toa que agora tenho postura de bandida safada! — Falou

— Bandida safada? — Perguntou rindo

— Não ria! É coisa séria! Nada de me apaixonar mais! — Explicou

— Claro, claro, entendi. — Falou

— Aqui, suas bebidas. — O garçom voltou com a cerveja, a Pepsi e dois copos de vidro colocando-os na mesa

— Obrigado. — Agradeceu Cassandra

Castiel abriu as latas e derramou cada líquido em um copo. Colocou a Pepsi para Cassandra e a cerveja para si mesmo

— Você não é como o Nathaniel diz ser... — Citou

— O quê? — Perguntou

— Nathaniel, ele disse que não era para eu me aproxima de você, pois, na cabeça dele, você é uma má influência. — Disse

— E você fez mesmo assim, por quê? — Perguntou

— Porque ninguém manda em mim. Eu ainda mandei ele ir tomar no cu! — Falou fazendo Castiel rir

— Ah... — Suspirou — Um brinde aos solteiros! — Brindaram as bebidas e tomaram

— Aqui é um lugar muito bonito e aconchegante! — Disse olhando em volta

A lanchonete parecia mais um restaurante, tinha poltronas cor de vinho, ar-condicionados, estantes com livros, sofás, era realmente lindo

— É o meu escritório! — Falou

— Seu "escritório"? — Perguntou sorrindo

— Sim, eu sempre venho para cá, quando estou estressado ou por qualquer outro motivo! — Comentou fazendo a garota rir. Acabou que rindo também

— Gosto do seu sorriso! — Elogiou sorrindo também

— Gosta? — Perguntou

— Sim! Principalmente pelos piercings combinando. — Disse se referindo aos Piercings no septo e no smile do ruivo — Eu queria fazer também, iguais aos seus. Dói?

— Um pouco, mas você aguenta. — Falou e sorriu

Castiel realmente havia gostado do elogio de Cassandra. Ninguém nunca havia o elogiado, apenas o criticado

— É uma pena que meu pai não deixa, eu vou fazer de qualquer jeito! — Deu de ombros e deu mais um gole em sua Pepsi

— Você é mesmo uma diabinha, não é? — Perguntou rindo

Cassandra, com os dois dedos indicadores, os ergueu de cada lado da cabeça como se fossem chifres

— Sou mesmo, anjinho! — Disse sorrindo

— Anjinho? — Perguntou agora sério

— Sim, eu gosto de dar apelidos para meus amigos, seu nome é de um Anjo, então, por que não? — Falou — Você não gostou? — Perguntou

— Não é bem isso, acontece que eu não sou um "anjinho". — Falou e riu

— Que bom que gostou, eu iria continuar te chamando mesmo que não gostasse! — Comentou

— Isso seria Bullying! — Riu

— Na verdade, isso se chama "pagar com a mesma moeda," você me chama de baixinha tábua e eu não gosto. — Sorriu

— Então agora irei lhe chamar de Diabinha! — Falou

— Fique a vontade! — Disse

— Está bem então, Diabinha. — Ambos riram


Já eram cinco e vinte da manhã (05:20am), Cassandra havia acabado de tomar banho, estava vestindo uma meia-calça arrastão preta  que ia até sua barriga; uma saia de tecido preto de cintura alta que não escondia a meia-calça arrastão que ia até sua barriga, uma blusa branca de manga curta amarrada na barriga; na blusa, estava escrito "When i die i'll be dead" que traduzindo significa "Quando eu morrer, estarei morta". Coturnos feminks sem salto, pulseiras de couro, anéis negros e uma gargantilha com argolas presas a ela, sempre os mesmos assessórios. Cassandra passou um batom preto, colocou brincos formato redondo e pretos, penteou suas sobrancelhas e fez um coque firme no topo da cabeça com as duas mechas tingidas de branco soltas e cacheadas

Cassandra saiu de seu quarto com a mochila em um de seus ombros. Com seu fone em volta de seu pescoço e seu celular em suas mãos, desceu as escadas e jogou a mochila no sofá branco de couro, logo em seguida, sentou-se colocando os pés em cima do sofá

— Crescem tão rápido! — Disse Sole se aproximando

— Mami! — Animada bloqueando o celular

— Lembro de quando você era pequeninita! — Riu

— Eu era um capeta! — Sorriu

— Todas as crianças são assim, e veja agora, já é uma linda jovem! — Falou

Cassandra soltou um beijo para Sole

— Quem era aquele rapaz que você saiu ontem Sandra? — Perguntou

— Rapaz? Ei! Eu não disse que saí com um rapaz! — Reclamou

— Cassandra Nicholas Fray Laurentt! Eu te conheci desde pequeninita! — Citou

— Tá, foi um amigo. — Deu de ombros

— Amigo ou namorado? — Sorriu maliciosamente

— Só amigo Mami! — Riu

— Claro, sei, sei... — Disse rindo

— Bom, vou indo! — Disse

— Já? Não vai esperar sua irmã e seu pai? — Perguntou

— A Melody não é a minha irmã, Sole... — Disse ríspida

— Ah, sim, eu esqueci... — Falou cabisbaixa

— Tudo bem, enfim, vou sim. — Pegou sua mochila e se levantou

— Quer que eu os avise que você já foi? — Perguntou

— Não, deixe que eles fiquem desesperados! — Piscou um olho para Sole e ambas sorriram


— A Sandrinha já chegou? — Perguntou Rosa

— Ainda não, por quê? — Lysandre arqueou as sobrancelhas

— Hoje a Educação física é de ambos! — Exclamou Alexy

— Vocês vão? — Perguntou Íris

— Vamos. — Lysandre sorriu

— Que bom! Ficarão no nosso time! — Virgínia sorriu agradecida

— Hum. — Castiel murmurou

— Alguém viu a Sandrinha? — Armin chegou perguntando

Castiel não sabia de onde vinha tanta intimidade se apenas se conheciam a dois dias. Rosalya e Alexy? Tudo bem, são extremamente extrovertidos, mas Armin? Isso de alguma forma o incomodou

— Ela ainda não chegou! — Íris disse

— Filha da puta! Aquela desgraçad.... — Armin foi Interrompido

— Quem é filha da puta Stendell? — Cassandra perguntou

— Sandrinha do meu coração que eu adoro mais do que tudo na minha vida! Minha paixão! Meu amor! Meu tudo! — Armin abraçou a garota

— Já estão namorando? — Perguntou Rosa exaltada

— Não, acontece que ele sabe que se ela se estressar, vai bater nele. — Vick explicou

— Essa baixinha? Duvido doer tanto assim! — Castiel comentou e riu

Virgínia arregalou os olhos para o ruivo

— Isso é um desafio? — Perguntou Cassandra cerrando os olhos

— Se fodeu! Tomou no cu! Vai pro inferno! — Disse Armin

— A Sandra é tão agressiva assim? — Perguntou Íris

— Muito! — Alexy, Virgínia, Armin e Rosa falaram em uníssono

— Dúvido. — Castiel duvidou

Cassandra mostrou o tamanho de suas unhas para Castiel e o mesmo arregalou os olhos

— Caralho, as unhas da garota é maior do que ela! — Debochou

Cassandra irritada agarrou o braço de Castiel, o esticou, subiu a manga da jaqueta de couro e arranhou seu braço deixando uma marca vermelha. Soltou seu braço e olhou para ele

— E aí Cast? — Perguntou Íris

Íris aparentemente, além de Ambre, era a única a chamará Castiel dessa forma

— Está ardendo. — Disse e deu de ombros

— Ardendo? O meu está formigando! — Armin exclamou levantando um pouco sua blusa e virando de costas mostrando a marca de uma mão, pequena, mas era uma mão

— Cassandra! — Virgínia a repreendeu com os olhos arregalados

— Ele estava me irritando! — Justificou

— Isso não é nada Vitoriano... — Se manifestou Lysandre

— Bom, aprendemos algo muito valioso, e é para vida toda! — Íris citou

— O quê? — Perguntou Rosa

— Nunca irrite a Sandrinha se não você ficará marcado por toda a sua vida? — Sugeriu Alexy

— Isso mesmo! — Íris confirmou

— Mas eu gosto tanto de infernizar ela! — Castiel reclamou

— Sério? — Perguntou Lysandre para Cassandra e ela assentiu; Lysandre se virou para o amigo e ergueu a mão, Castiel a apertou sem entender — Prazer, melhor amigo saco de pancadas! — Sorriu fazendo todos rirem, menos Castiel

— Não achei graça, não gostei da brincadeira. — Comentou Castiel

— Estou livre! — Admin ergueu as mãos para o alto

— Nós vamos ou não para a Educação física? — Perguntou Rosa

— Vamos! — Íris disse animada — Violette, Bia e Kim estão lá!

— Eu não posso... — Disse Cassandra

— Está menstruada? — Perguntou Alexy

— Não. — Negou

— Cólica? 

— Não.

— Dor de barriga?

— Não.

— Dor de cabeça?

— Não.

— Então vamos! — Alexy disse agarrando o pulso da garota e a puxando



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...