História Cassandra - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Boris, Castiel, Chani, Charlotte, ChiNoMimi, Dajan, Dakota, Debrah, Hyun, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Morgan, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rayan Zaidi, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Viktor Chavalier, Violette, Yeleen Eleanor Amy Charlene Naifeh
Tags Amor Doce, Armin, Castiel, Lysandre, Nathaniel, Sandrael
Visualizações 43
Palavras 2.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Debrah já tá chegando porra!😶🤗
Boa leitura 🍽️

Capítulo 7 - Garota nova problemática


Fanfic / Fanfiction Cassandra - Capítulo 7 - Garota nova problemática

Capítulo 7 — "Garota nova problemática"


— O que foi? Você está muito pensativa. — Lysandre perguntou tocando o ombro de Cassandra

— Não houve nada, eu estou bem. — Sorriu e recebi outro sorriso de volta

Na verdade, houve sim! Não que ela estivesse mentindo, mas não houve nada, e sim haverá algo. Em sua mente, Cassandra tentava formular um plano maligno para evitar a Educação física e ficar sentada na arquibancada, a todo custo. Viu Zack passando e logo surgiu uma idéia em sua cabecinha sapeca. Correu até o garoto e chutou sua perna.

— Droga Cassandra! — Reclamou Zack

— Eu não achei que iria doer tanto! — Falou massageando o pé

— Foi proposital?! — Perguntou indignado, Zack

— Mas é óbvio que sim, Deus me livre fazer educação física, e ficar toda suada, sem poder tomar banho depois! — Explicou

— O que você tem na cabeça garota? — Perguntou

— Cérebro, agora com licença, irei me fingir de coitada! — Disse

— Não era mais fácil mentir?

— Desculpa, mas essa palavra não existe em meu vocabulário! — Falou

Cassandra caminhou mancando até o professor Boris, de Educação física.

— Professor, meu pé está doendo! — Disse

Boris averiguou o pé da garota e chegou a conclusão que ela não estava mentindo.

 — Fique na arquibancada mocinha. — Disse

Cassandra, sorrindo e mancando, caminhou até a arquibancada, e sentou-se ao lado de Castiel que também estava lá. O ruivo não gostava muito de Educação física, Boris sempre dava a opção de fazer a aula ou ir para a diretoria, mas parou quando percebeu que o ruivo escolhia a diretoria sem hesitar.

— Você e o Zack? De papinho? — Perguntou arqueando uma das sobrancelhas

— Somos, conhecidos. — Falou

— Ele é um otário! — Disse

— Ele é seu irmão. — Citou

— Adotado. — Corrigiu

— Não é muito diferente. — Murmurou

— Então a Melody é sua irmã? — Perguntou

— Ela não é minha irmã. — Negou

— Não é o que ela está falando por aí. — Disse

— O quê? — Perguntou arregalando os olhos

— Melody está dizendo por aí que vocês duas são irmãs e que agora ela é super rica e blá blá blá! — Veriou os olhos

— Filha da puta! — Resmungou

Cassandra, sem se importar com seu pé machucado, andou até o prédio dois a procura de Melody. Sabia que a garota provavelmente estava no Grêmio, já que a mesma é ajudante do representante de turma. Como uma vice. Cassandra abriu a porta violentamente, avistou Melody e Nathaniel no local e voou para cima da garota sem nenhuma calma. Começou a puxar seus cabelos e a dar tapas em seu rosto.

— Nath! Nathaniel! Socorro! — Gritou por ajuda

— Cassandra, pare! — Gritou o representante


— Esse comportamento é inadmissível! — Reclamou a diretora — Como uma aluna da Sweet Amoris pode se comportar desta forma? Ainda por cima, sendo sua filha! 

— Realmente, não sabemos o que aconteceu. — Disse Phillipe

— Cassandra nunca foi assim, nós realmente estamos pensando em colégio interno... — Comentou Giselle

— O quê?! — Perguntou indignada

— Você está evidentemente agressiva e violenta! Cassandra, olha o estado em que você deixou sua irmã! — Apontou para Melody que estava descabelada e com o rosto extremamente roxo

— Pela milésima vez! — Disse — Ela. Não. É. Minha. Irmã! — Falou pausadamente

— Pare com isso Cassandra! — Reclamou Phillipe

— Cassandra, não fale assim de sua ir... — Giselle foi interrompida

— Para! Para! Porra! Vai para puta que pariu! Todos vocês! Melody não é minha irmã, nunca foi e nunca será! — Gritou — E você! — Apontou para Giselle que arregalou os olhos — Você é uma puta, desgraçada, vadia que não sei o que diabos fez para fazer o meu pai ficar assim, mas saiba que você nunca substituirá a minha mãe! — Gritou novamente

Cassandra saiu da diretoria o mais rápido que pôde, correu cabisbaixa e acabou trombando com alguém. Levantou a cabeça e era Lysandre.

— Ei, Sandra? O que houve? — Perguntou

Cassandra sem responder, apenas abraçou forte o platinado. O mesmo a apertou fortemente a deixando confortável. Lysandre não sabia o que estava sentindo exatamente, mas tinha, a mais concreta e absoluta certeza que não queria que Cassandra saísse de seus braços. Depois de alguns minutos daquele jeito, se afastaram.

— Você quer me dizer o que houve? — Perguntou calmamente e delicadamente

— Não... — Negou

— Está bem, não irei insistir, nem te obrigar. Mas quando quiser falar, saiba que eu estou aqui, combinado? — Perguntou sorrindo

— Combinado. — Disse

— Bom, Sandra, eu realmente preciso ir agora. — Alertou

— Pode ir... — Permitiu

— Bom, está bem! — Disse e saiu

Cassandra foi até a escadaria e se sentou em um dos degraus. Colocou a cabeça entre as mãos.

— Para o anuário! — Ouviu uma voz masculina

— Qual é Tyler. — Outra feminina

Levantou a cabeça e avistou um garoto de pele clara, cabelos castanhos claros e enrolados com uma câmera nas mãos.

— É só uma! — Insistiu

— Não! — A garota disse e saiu

Tyler fez uma cara arrasada ao perceber que não conseguiria a foto. Cassandra se levantou, tocou o ombro de Tyler o que fez ele se virar assustado.

— Pode tirar uma foto minha. — Sorriu

— Sério? — Perguntou desacreditado

— Sim. — Riu

Tyler posicionou a câmera a frente de seu rosto e, por trás da lente, viu que a garota não fazia pode alguma, apenas sorria minimamente, mas um sorriso sincero que transmitia verdades. Tyler apertou o botão e a foto foi tirada.

— Obrigada, sou Tyler, Tyler Down! — Agradeceu e ergueu a mão para a garota

Cassandra, olhando em seus olhos castanhos escuros respondeu sorrindo.

— Cassandra, eu nunca te vi por aqui, Tyler. — Disse apertando a mão de Tyler

— Eu, bem, estava suspenso. — Explicou e riram

— O quê você fez? — Perguntou

— Algumas pessoas não gostam de tirar fotos... — Disse

— Tipo...? — Perguntou

— Tipo o Castiel! — Falou 

— Você não tira fotos de seus amigos? — Arqueou a sobrancelha

— Eu não tenho amigos. — Disse

— Pois então, acabou de ganhar uma! — Falou animada

— Senhor Down? — Faraize o chamou

— Acho que tenho que ir. — Apontou k óbvio

— É, acho que sim. — Debochou

— Então tchau. — Se despediu

— Tchau. — Fez a mesma coisa

— Até nos esbarrarmos por aí! — Disse

— Até. — Sorriu — Tyler! — Cassandra desviou o olhar para sua mão que ainda estava sendo apertada pela de Tyler

— Oh, me desculpe! — Soltou a mão da garota rapidamente sem jeito — Bem, tchau então! — Cassandra acenou para ele

Após Tyler desaparecer de seu campo de visão, juntamente com o professor Faraize, Cassanda riu do acontecimento recente. Saiu do prédio dois e começou a perambular pelos prédio três onde encontrou uma porta, uma porta que obtia passagens, passagens para a cidade das esmeraldas, passagens para Nárnia, contos de fadas, reinos, séculos passados, fundo do mar e muitos outros lugares. A porta da biblioteca, o lugar mais mágico que alguém poderia estar, na cabeça de Cassandra. A garota entrou e se separou com diversas estantes com inúmeros livros, e uma escada que levava até pisos onde haviam mais e mais estantes com mais e mais livros.

Cassandra passava pelas estantes olhando para cima, maravilhada com todos aqueles livros ali. Se tinha uma coisa que Cassandra amava, que não fosse seu cabelo, suas unhas, suas sobrancelhas, seu peixe, comer, dormir, sentar sobre as mesas, olhos e seus sapatos, eram os livros. Gostava de muitos autores, mas seus favoritos sempre foram Stephen King, William P. Young, Lewis Carroll, Jojo Moyes, Clive Staples Lewis, Becca Fitzpatrick, Ana Todd e Victoria Aveyard, tendo como seus livros favoritos "O cemitério" de Stephen King, "A Cabana" de William P. Young, "Alice no país das maravilhas" de Lewis Carroll, "Como eu era antes de você" de Jojo Moyes, a saga de Nárnia de Clive Staples Lewis, "Hush, Hush" de Becca Fitzpatrick a saga de "After" de Ana Todd e a saga de "A Rainha Vermelha" de Victoria Aveyard.

Apesar de não parecer, Cassandra, em um momento de sua vida, quando morava na França, teve tempo de sobra para ler inúmeros livros, gosta bastante de livros de terror, romance, romance policial, Ficção científica, fantasia e principalmente os livros que contém palavras obcenas, linguagem imprópria e Insinuação de sexo. Enquanto olhava para o teto, tomou um grande susto quando tropeçou e caiu no chão. Se virou, sentando no chão duro e viu que tropeçou em seu amigo

— Armin?! — Perguntou indignada

— Eu? — Olhou para Cassandra

— Você lê? — Perguntou

— Ei! Eu posso até ter cara de analfabeto, mas eu não sou! — Disse rindo fazendo Cassandra rir também

— Eu não quis dizer isso, só fiquei surpresa de te ver aqui! — Explicou

— Não, você até que está certa. Só estou aqui para jogar sem que diga algo como "Que viciado você é, Armin. Larga o vício e vai se socializar!" — Imitou a voz de Alexy divertidamente fazendo a garota gargalharar, em seguida, fazer a mesma coisa


— Você está mesmo chateada comigo só porque eu disse que foi idiotice bater na Melody? — Perguntou Castiel

Cassandra não respondeu.

— É sério isso, Cassandra? — Perguntou desacreditado — Quer saber? Vai se foder! Que se dane! Vai se ferrar! — Disse se levantando e dando as costas para Cassandra indo embora

— Relaxa, Castiel é um cabeça dura mesmo. — Disse Lysandre

Viu sua amiga platinada, sua amiga ruiva, sua amiga Smurfette e seu amigo Smurf correrem desesperados até sua direção. Ambos chegaram até eles ofegantes.

— O que houve gente? — Perguntou

— Isso! Lê! — Virgínia pediu desesperada entregando o aparentemente, jornal da escola para Cassandra

Garota nova problemática

"Cassandra Nicholas Laurentt, filha do grande investidor da escola, e irmã de Melody Merjal é extremamente agressiva! Hoje, recebemos a notícia de que Cassandra, agrediu a própria irmã, por um motivo desconhecido e que nenhum de nós sabemos, bem, ainda não sabemos, mas isso é só por enquanto"

— Peggy Delacruz

— Que. Merda. É. Essa? — Perguntou pausadamente após ler a folha do jornal

Íris, Rosa, Vick e Alexy se entre-olharam e voltaram seus olhares para Cassandra

— Peggy Delacruz! — Disseram em uníssono

— O que vai fazer? — Perguntou Íris

— Vai bater nela? — Perguntou Alexy

— Não, ela vai matar, com certeza! — Disse Rosa convicta de que estava certa

— Não. Olha os olhos dela, com certeza vai bater, aposto! — Disse Vick

— O que vai fazer Sandra? — Perguntou Lysandre

— Vocês verão. — Disse se levantando

Estava quase saindo da da quadra mas se lembrou de algo essencial, voltou até onde seus amigos estavam.

— Não sabe quem é Peggy? — Perguntou Vick com os braços cruzados

— Não sei quem é Peggy. — Confirmou a pergunta da garota fazendo todos rirem

— Vem comigo. — Pediu Rosa a puxando

Rosalya puxou Cassandra até o corredor do prédio dois.

— Ela é Peggy? — Perguntou Cassandra apontando para uma garota desconhecida

— Não. — Negou Alexy

— Ela é Peggy? — Apontou para outra garota

— Não. — Negou Íris

— Ele é Peggy? — Apontou agora para um garoto

— Nao. — Negou Vick

— Peggy é uma garota! — Apontou Rosa

— Ela é Pe... — Lysandre, delicadamente interrompeu Cassandra. Segurou seu braço carinhosamente apontando para uma garota de cabelos roxos desbotados, olhos azuis,  usando um vestido verde e com material de jornal em suas mãos — Oh! — Disse surpresa — Ela é Peggy? — Perguntou acabando com a paciência de todos, menos com a de Lysandre que se mantinha calmo e sereno

— Sim, ela é Peggy. — Afirmou

Cassandra, irritada, caminhou até a garota, sozinha.

— Escuta aqui garota, ninguém fala mal de mim e sai ileso, entendeu? — Disse

— O que vai fazer? Me bater? — Perguntou debochada

— Não. — Negou sorrindo — Mas saiba que, quando eu perco a paciência que já não tenho, a coisa fica feia. — Ameaçou

— Isso foi uma ameaça? — Perguntou indignada

— Entenda como quiser, estou apenas te alertando de, que, se você, Peggyzinha, me irritar, só mais uma vez, o bicho vai pegar para o seu lado... — Falou malignosamente

— Sabe que eu posso te dedurar para a diretora, não sabe? — Ameaçou

— Com quais provas? — Perguntou

— Eu sou testemunha! — Apontou o Óbvio

— Oh, Peggy, é a sua palavra contra a minha. Semprivas, você não tem, exatamente, nada! — Falou sorrindo e ss retirou indo de encontro com seus amigos

— Puta merda, caralho Sandrinha, você é má! — Disse Rosa

— Ela é uma diaba! — Lysandre falou sorrindo e recebeu outro sorriso de Cassandra. Um sorriso que ficaria guardado em sua memória, mesmo ela sendo, ruim? Assim por dizer, de alguma forma



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...