História Cassette tape - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Relacionamento Abusivo, Violencia, Yoonmin
Visualizações 46
Palavras 705
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Poesias, Slash, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - You went away...


Fanfic / Fanfiction Cassette tape - Capítulo 1 - You went away...

—  y o u  w e n t  a w a y . . .  —

monday morning, 6:27p.m, rainy and cold day.

A melancolia se espalhava por aquele quarto frio e escuro, as pequenas faixas de luz são apenas presentes da cortina mal fechada, e do celular apitando a cada mensagem recebidada.

A manhã mal havia se estabilizado quando você foi embora, deixando para trás seu cheiro forte de bebida barata nos meus edredons e seus maços de cigarros comprados no mercado aqui perto.

Minhas mãos sobre a cabeça prevendo o sentimento de que lágrimas iriam a qualquer segundo se explodir em meus olhos e escorrer pela minha pele.

E elas explodiram.

Caindo fortemente pelo meu peito que aguentou a cada dia que você chegava tarde em casa, a cada palavra que você falava e eu sabia que se referia a mim, eu era sempre o culpado.

Quando saia pela porta de casa, os vizinhos me questionavam o porquê dos gritos em plena madrugada, eles estavam cansados de ouvir sempre a sua voz contra mim ecoar no bairro silencioso.

Eu aguentei tanto por você, eu aguentei seu cheiro maldito, eu dormi ao seu lado enquanto queria ter fugido, eu sabia que você dormia comigo por não ter outro lugar para ficar, porque do seu lado estava eu e no seu pensamento estava outro alguém.

Quem deveria ter ido embora, te abandonado na incompleta manhã de segunda-feira poderia ter sido eu.

Mas não.

Eu fiquei aqui, eu me manti acordado todas as noites esperando por você, e quando você chegava, o culpado de você estar fodido e sem dinheiro era eu.

Sempre fui eu.

Eu não deixei que nada abalasse nossa relação, nossos amigos achavam que éramos felizes e que nosso relacionamento não tinha brigas ou discussões aleatórias, mas quando chegávamos em casa, sua voz contra mim era novamente ouvida pelos vizinhos.

Quando íamos dormir, você reclamava do porquê de eu chegar tão tarde do trabalho, de sair tão cedo de casa, e eu, nunca reclamei o porquê de você chegar às quatro da madrugada em casa, o cheiro de outro alguém se espalhando pela cama, o seu nervosismo constante quando eu dizia que não poderia jantar em casa à noite. 

E que na verdade, era eu quem esperava você chegar em casa, e acabava por jantar sozinho, pois depois daquele dia você não voltou mais.

Os vizinhos não reclamaram mais dos gritos, os nossos amigos não me ligavam mais, a casa estava silenciosa demais quando você se foi, e eu agradeço por isso.

A sua raiva contra mim me sufocava, me prendia, me amarrava juntamente as minhas lágrimas insistindo para saírem mas as cordas eram mais fortes para que elas pudessem se soltar.

Ter liberdade, uma das coisas que depois que conheci você eu nunca tive.

Ao recolher todos os edredons e seus maços de cigarros espalhados pela casa, eu encontrei aquela fita cassete que você me deu quando tínhamos 16 anos, naquela época você me amava. 

Guardada dentro de uma caixa e sobre o guarda-roupa, eu resolvi tira-la da caixa. A poeira excessiva cobria o anunciado escrito de caneta preta.

"Os nossos melhores momentos."

A sua caligrafia mal feita ainda estava presente, aguentando o pó e os anos passageiros que voavam feito pássaros no verão.

E felizmente, os nossos melhores momentos ainda funcionavam naquele vídeo, gravado em 1994, quando nem dinheiro tínhamos para manter um relacionamento à distância.

Caminhávamos de mãos dadas no quintal da sua casa, bebiamos escondidos dos seus pais. Foi naquela época que você fez me viciar nos seus malditos cigarros baratos.

Hoje eu parei de fuma-los, a fumaça esbranquiçada me lembra você, e minha mente já não aguenta mais sua imagem batendo contra ela.

O seu isqueiro deixado em cima da cabeceira agora serviu para alguma coisa.

Queimar aquela velha fita cassete foi uma bela ideia para me esquecer aos poucos de você, uma pequena metade que pensava somente em você se foi junto com o fogo estabelecido no meu jardim.

A tinta da minha casa descascando porque você dizia que não tinha dinheiro para comprar outra, as flores mal regadas, o piso sujo com seus sapatos, o seu cheiro nojento de fumaça não se estabelecia mais ali.

E felizmente, você não estava mais ali, foi embora do meu coração, assim como eu sempre pedia para você parar de gritar comigo nas frias madrugadas de domingo. 



Notas Finais


espero que tenha gostado! 💛

https://youtu.be/IDgR3FNlsUM


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...