História Castells of Vkook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Castle
Visualizações 22
Palavras 1.183
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, LGBT, Mistério, Poesias, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores, mais um capítulo para vocês

Capítulo 2 - Floresta de Bétulas pt.2


Mais um assassinato havia ocorrido, o local da cena do crime era um prédio de luxo, chegando lá Taehyung e Jeon se deparam com mais um assassinato idêntico a um assassinato dos livros de Taehyung. Eles são chamados para analisar o cadáver mas logo Jeon ordena a Taehyung:

-Fique aqui.

Fala em tom seco e autoritário

-Mas que graça tem?

Respondeu Taehyung seguindo o garoto até a cena do crime

-O que temos?

Pergunta Jeon em tom ríspido para um de seus companheiros de trabalho

-Causa da morte ainda não definida

Jeon se aproxima do cadaver para analisar tudo o que pudesse. O cadáver estava em uma piscina vestido de um lindo vestido amarelo e com uma faca fincada nas costas. Jeon observa cada detalhe a busca de pistas e logo seus pensamentos são interrompidos por Taehyung...

-Não há sangue em volta da ferida da faca o que prova que não foi esfaqueada, não há espuma na boca o que também prova que não foi afogada...

-Achei que havia dito para não sair de lá

Diz Jeon interrompendo a fala de Taehyung

-Me sentiria solitário

Como sempre responde Taehyung em tom sarcástico e com um sorriso no rosto

-Jeon...

Um dos policiais havia encontrado algo que pudesse resolver o caso.

-Veja isso

O policial mostra a Jeon uma série de desenhos dos assinatos dos livros de Taehyung que levavam até uma das pessoas que a assistente social ajudva e logo descobrem que a vítima da vez trabalhava no mesmo local do dono dos desenhos. Jeon aciona todas as viaturas da área e segue para o endereço do homem.

-Uuh, isso vai ser divertido

Diz Taehyung correndo na ponta dos pés de alegria.

-Hunf

Suspira Jeon revirando os olhos.

As viaturas saem do local direito para o apartamento do dono dos desenhos e mais provável culpado pelos assassinatos. Chegando ao apartamento a polícia arromba a porta e encontram o suspeito trancado no armário de produtos de limpeza, o algemam e o levam para a delegacia. Por excesso de provas contra o homem ele logo é preso, mas Taehyung parecia não aceitar aquilo, ele não entendia como um homem deficiente mental havia tido capacidade para fazer tudo aquilo. Com suas suspeitas Taehyung resolve chamar Jeon para uma conversa:

-Diga o que quer comigo

Diz Jeon entrando na sala do delegado onde se encontrava Taehyung andando de um lado para o outro por não aceitar o que estava acontecendo

-Não é possível que esse homem seja o culpado Jeon

-Porque não? As provas incriminam ele.

-Como alguém que se tranca no armário para fugir da polícia faria tudo aquilo

Responde em tom de zombação

-Faz sentido Taehyung

-Isso foi uma armação para ele, mas o verdadeiro assassino nos deu uma grande pista de como encontrar ele, pense comigo, se foi para um dos queridinhos da assistente social que foi direcionada a armação, logo, o assassinato principal é o dela

Jeon se aproxima de Taehyung se apoiando sobre a mesa do delegado

-O que quer dizer com isso?

Indagou Jeon

-Que alguém, por algum motivo, queria ela morta!

Jeon resolve escutar a teoria de Taehyung

-Ela é filha do senhor Hoseok não é?

Pergunta Taehyung.

-Sim, eu soube que ele está com uma doença terminal

Taehyung olha com uma cara um tanto quanto segura para Jeon, como se tivesse descobrido algo

-Mas é claro! Achamos o assassino.

Jeon olha para Taehyung com uma cara de dúvida sem entender a afirmação do mesmo, mas ele logo se lembra que a garota tinha um irmão e na mesma hora olha para Taehyung

-O irmão

-O irmão

É impressionante como os dois haviam dito a mesma coisa no mesmo instante, e por um momento eles se encaram assustados

-Vamos prendelo agora

Disse Taehyung

-Não podemos, não temos provas contra ele

-Temos sim

Taehyung sorri de forma confiante confortando a Jeon que resolve confiar no rapaz. Jeon novamente convoca as viaturas e os dois partem para o apartamento do irmão da assistente social assinada, chegando ao local Jeon para o carro e encara Taehyung

-Isso pode ser perigoso, fique aqui

-Que chato, tudo bem

Logo Jeon sai do carro mas como sempre Taehyung não obedece as suas ordens e vai atrás do mesmo. Vendo que Taehyung havia o desobedecido Jeon revira os olhos mas aceita que o mesmo o acompanhe. A polícia entra no apartamento do irmão da assistente social o impressionando.

-O que está acontecendo aqui?

Perguntou assustado

-Somos da polícia e temos um mandado de busca e apreensão...

-Esta com medo senhor?

Pergunta Taehyung ao homem interrompendo a fala de Jeon

-TAEHYUNG, QUIETO

Ordena Jeon em tom firme

-Vamos pessoal, vasculhem tudo

Taehyung parecia ter todo o plano do assino traçado em sua mente e vai direto para a mesa de trabalho do homem posicionada no canto da sala. Ele procura, com sucesso, por um fundo falso, asssim, em uma gaveta ele encontra uma arma de mesmo calibre da usada para matar a assistente social. O crime parecia solucionado, mas, Taehyung queria tirar suas próprias conclusões. Logo ele se aproxima do homem sentando-se ao lado dele no sofá e colocando a arma por cima de uma mesa de centro que havia na casa, o homem engole seco, Jeon, sem entender decide deixar aquilo por conta de Taehyung

-Então, qual foi o motivo? Seria apenas por uma simples herança? Não, é muito mais do que isso. Você está afogado em dívidas, e eu sei disso pois nós olhamos cada vestígio seu. Se fosse só pelo dinheiro você poderia apenas ter pedido dinheiro para o seu Pai e estaria tudo bem, mas eu digo porque não pediu, ele concerteza diria não, e me atrevo a mais, ele nunca te deu muita atenção, sua irmã sempre foi a queridinha...

Nessa hora um grande silêncio toma conta do apartamento, as lágrimas rolavam pelo rosto do homem, Jeon se encontrava plerpexo.

-Seu pai está morrendo, sem sua irmã pelo caminho a herança ficaria toda para você, mas, se ela estivesse viva seu pai não lhe deixaria um tostão, estou errado?

Pergunta Taehyung ao homem em tom de zombação. Ele não o responde, apenas vira o rosto e enxuga suas lágrimas

-Então, você a matou, era útil pra você e você se agradaria da morte dela por virgança apenas por não receber atenção de seu pai, fora que incriminar o queridinho dela parecia muito fácil usando outros dois homicídios para ofuscarem o da sua irmã, e fora que ninguém duvidaria do louco, mas você falhou ridiculamente em implantar aquelas provas, você está preso.

Jeon se levanta e agelma o homem logo o levando preso para a delegacia.

Já na delegacia com o caso encerrado Taehyung se encontra triste por querer continuar trabalhando com a polícia

-Ei, o que foi?

Pergunta Jeon a Taehyung enquanto ele estava apoiado sobre uma janela interrompendo seus pensamentos

-Não é nada

Responde cabisbaixo Taehyung

-Você pode ficar se quiser, você vai ser de grande ajuda aqui

Taehyung se vira para o garoto o provocando

-Então, que tal um jantar para comemorar, seria maravilhoso

Jeon suspira e se aproxima de Taehyung indo em direção ao seu ouvido

-Você não tem ideia de como 


Notas Finais


juro que vou me esforçar para fazer capítulos maiores, os dois primeiros foram menores por estarem dividos em duas partes espero que gostem ❤️😇


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...