História Castelobruxo: a História mais perto da gente. - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Arthur Weasley, Dominique Weasley, Draco Malfoy, Fabian Prewett, Gideon Prewett, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lílian L. Potter, Molly Weasley, Personagens Originais, Rose Weasley
Tags Castelobruxo, Harry Potter, Nova Geração, Romance, Scorose
Visualizações 28
Palavras 1.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii pessoal!!
Desculpe por não ter postado ontem, a chuva fez o sinal da minha internet cair, sinto muito.
Esse capítulo é um dos meus favoritos e espero que seja pra vcs também.
Obrigado a todos que visualizaram, agora a história começa a entrar em um ponto mais movimentado, estava doida que chegasse nesse ponto.
Enfim, boa leitura!

Capítulo 20 - 20 - Beijo


 

POV Anália

 

- E aí, Lia? Como foram suas férias? – Mel perguntou enquanto andávamos em direção ao trem para começar nosso terceiro ano no Castelobruxo.

- Foram incríveis! Eu fui pra praia, te contei? – comentei dando pulinhos, mamãe, eu, meus amigos e seus familiares fomos à praia nas férias, maravilhoso passar um tempo tão bom com os meninos.

- Ah é mesmo! E aí como foi? – ela perguntou animada, por incrível que pareça Melissa nunca tinha ido à praia.

- Tinha...

- Vamos meninas! Se demorarmos não acharemos uma cabine vazia – Saulo chamava impaciente alguns passos a frente – Estão parecendo duas velhas fofocando, até parece que não passaram um mês juntas – ele disse com um sorriso brincalhão balançando a cabeça.

- Não estamos fofocando, seu idiota, estamos apenas conversando sobre nossas férias, como quaisquer amigas normais fazem. E você está com ciúmes porque Anália não foi te visitar nem uma vez e preferiu passar as férias com Bruno ao invés de com você – Mel respondeu irritada, acho que Saulo esgotou a paciência dela no último ano, principalmente depois de ter ganhado o Campeonato de Quadribol em cima da Serpennáta.

- Estão fofocando sim senhora – ele continuou para irrita-la mais ainda – Não sei como vocês, mulheres, conseguem viver com segredinhos pra cá e pra lá!?

- Até parece que você e Thiago não ficam de segredinhos e sempre andam pra todo lados juntos aos sussurros. Não sei como Anália não fica com ciúmes, parece até que você namora ele e não ela – Mel disse com um sorriso zombeteiro deixando nós dois vermelhos.

- Nós não temos segredos só elaboramos planos para pegadinhas, para conseguir garotas e para ganhar no Quadribol, coisa que você não entende já que perdeu ano passado e prefere ficar fofocando sobre garotos com Lia – ele respondeu deixando Mel vermelha de raiva – E Lia e eu não namoramos, diferente de você e Diaz – ele lhe lançou um olhar de quem descobriu um país quando viu que ela ficou com vergonha.

- Melissa Mendes, por que não me contou? – perguntei, mas fui ignorada.

- Idiota! Eu não tenho nada com Gastón – ela disse claramente se fazendo de desentendida – Agora... pode perguntar a qualquer pessoa que eles vão falar que vocês dois são um casal.

- Você queria o atingir com isso? Se esqueceu que usou meu nome? Ou não se lembra mais de mim? – coloquei as mãos na cintura – Não sei como aguento vocês dois?! Um ano inteiro aguentando as discussões de vocês, o que eu fiz para merecer isso? – perguntei olhando pro céu procurando uma resposta divina e saí andando na frente, irritada, procurando uma cabine e ouvindo a risada dos dois, não me levando a sério.

Eles brigavam o tempo todo, não só os dois, mas Saulo implicava com todos os meus amigos e até com Thiago quando ele estava “perto demais” – seja lá o que isso quer dizer.

Preciso de tempo pra poder colocar os pensamentos no lugar e raciocinar tudo o que aconteceu nas férias. Procurei uma cabine vazia e fechei a porta, Saulo e Mel pararam à porta, prontos para abri-la, mas apontei para o fim do corredor com meu melhor olhar raivoso. Que se matassem sem testemunhas.

Peguei um livro na mochila que eu carregava e me sentei com a cabeça encostada na janela, meia hora se passou e nada de briga, era o recorde desde que o segundo ano começou e pelo visto esse ano seria tão agitado quanto.

Um tempo depois um barulho desviou minha atenção do que estava acontecendo com Shade no livro, Saulo batia na porta com um sorriso no rosto e uma das mãos na nuca, o que ele sempre fazia quando estava envergonhado ou não sabia o que falar. Me levantei revirando os olhos, fui ingênua em achar que eles me deixariam em paz – apesar de que estava começando a sentir falta de suas brincadeiras -, e abri uma frestinha na porta esperando.

- É... Lia, me desculpe por sempre irritar seus amigos e até mesmo você. É só que eu acho engraçado ver você toda vermelhinha tentando defender eles – ele disse sorrindo com uma cara de anjinho, por mais que eu tentasse não conseguia resistir a aquele olhar.

- Tá bom – abri a porta – mas se fizer isso de novo eu te azaro e depois bato em você.

- Ui, que brava – ele disse pondo a mão no coração e logo depois me abraçando – Tô morrendo de medo – lancei-lhe um olhar mortal, mas ele apenas se abaixou e me deu um beijo na bochecha me fazendo sorrir.

- Idiota – dei-lhe um tapa no braço.

- E aí? Conseguiu? – Mel colocou a cabeça pra dentro da cabine.

- Sim, depois de tudo e de enfrentar olhares furiosos, cavaleiros e dragões... ela disse sim – ele subiu no banco encenando uma luta com espadas com a varinha erguida.

- Ele perdeu no palitinho e bateu a cabeça na janela com medo de ter que vir aqui, acho que afetou o cérebro – Mel explicou – Ah é! Me esqueci – ela bateu a mão na testa com se se lembrasse de algo muito importante – Ele não tem cérebro.

- Podem parar! – gritei antes que discutissem mais uma vez – Se querem dividir a cabine comigo não quero ouvir um xingamento entre vocês! Estamos entendidos? – perguntei e eles assentiram – Certo! Saulo, busque os malões de vocês que eu tenho que contar uma coisa para a Mel.

- Por que eu sempre fico de fora das partes mais legais?! – ele saiu resmungando.

- E aí? O que aconteceu? – ela perguntou curiosa.

 

                        Flashback ON

“- Ei, Lia?! Quer ir naquela sorveteria perto da biblioteca? – Bruno me perguntou enquanto estávamos sentados no chão do saguão de entrada do hotel onde estávamos hospedados. Desde que começara a chover estávamos entediados, sem nada pra fazer. Os adultos e Arthur resolveram que dormiriam mais um pouco depois do almoço e Bruno e eu ficamos fazendo nada, já que mamãe me proibiu de trazer um livro se quer para a viagem.

- Hum... acho que é uma boa ideia. Vou deixar um bilhete para mamãe no quarto e pegar uma sombrinha... já volto.

                                               *****

- Eu quero de chocolate e... Lia, de qual você quer? – Bruno me perguntou quando estávamos sentados na mesa vendo os pingos de chuva baterem na vitrine e a moça esperava nossos pedidos.

- Menta com gostas de chocolate – respondi sem olhar para Bruno enquanto olhava a paisagem lá fora.

- Você deve ser a única pessoa no que gosta desse sabor. Eca! – ele fez uma careta me fazendo rir.

- Vou azarar você – ameacei com uma cara irritada, mesmo sabendo que não podia usar magia fora da escola.

- Você não pode – ele respondeu com um sorriso de quem descobre a cura pra uma doença muito grave.

- Tenho uma lista do que devo fazer quando tiver dezessete anos e azarar você está no topo dessa lista agora – levantei uma sobrancelha e ele fez uma cara de medo muito engraçada. A moça voltou com nossos sorvetes e seguiu para a bancada onde ela ficou lixando suas unhas enquanto cantarolava alguma música.

- Como estão as coisas na sua escola? – Bruno perguntou, depois de um tempo ele começou a aceitar bem melhor todo esse negócio de magia e ficou até curioso com tudo de diferente que tinha lá.

- Bem, minha casa perdeu o Campeonato de Quadribol deste ano, a Jaguar ganhou e meu amigo, Saulo – ele fez uma careta, acho que ainda não superou o que aconteceu aquele dia na plataforma no começo do último ano letivo -, está se gabando por ter sido o melhor artilheiro e ter marcado o maior número de pontos. Ele está insuportável, não aguento mais escutar ele e as meninas brigando. Merlin! Eles vão me deixar louca.

- Olha só, você até começou a falar como eles – ele comentou, mas não percebi nenhum tipo de entonação diferente em sua voz – Fico feliz que você goste tanto de lá!

- A maioria dos meus amigos são castos, quer dizer que eles tem a família todo bruxa, eles tem costumes diferentes e eu acabei pegando alguns – expliquei – Eu realmente gosto de lá, mas sinto tanta falta de vocês – comentei triste, eu via eles tão pouco durante o ano.

- Não fique assim, nós trocamos cartas todas as semanas! – ele tentou me animar – E seus amigos são quase tão bons como Arthur e eu! Vem! – ele me abraçou e deu um beijinho nos meus cabelos – Nada vai fazer com que fiquemos separados, princesa – ele se separou de mim e olhou nos meus olhos, era uma promessa que não se quebraria, uma ideia passou por minha cabeça e eu sorri.

- Jura de dedinho?

- Juro – ele juntou seu mindinho com o meu, desde pequenos nossas promessas são assim, nunca foram quebradas – Lia, eu... – ele se afastou um pouco, mas seus braços continuavam ao meu redor – Eu tenho que te-te falar uma coisa muito importante – ele me olhou sério, me assustando – Na verdade eu sei disso a um bom tempo, mas estava com medo de falar antes. Fui um idiota quando me afastei de você quando você mudou de escola e depois quando me disse que era uma bruxa, mas a um bom tempo estamos bem de novo – ele suspirou e abaixou o olhar – Eu... eu... Argh, eu não sei como falar isso, você é minha melhor amiga, desde sempre, e os sentimentos mudam... eu-eu te amo – ele disse por fim e eu franzi o cenho.

- Bruno, eu também te amo – levei as mão ao seu rosto e o levantei para que olhasse pra mim, o que deu nele.

- Não é isso... eu não te amo como um irmão, eu gosto de você, eu te amo – ele disse rápido me deixando com os olhos arregalados e a boca aberta, ai meu Deus! Então ele se aproximou pouco a pouco e... ME BEIJOU!”

 

                                                Flashback OFF


Notas Finais


Espero que gostem, pra quem shippa a Lia com o Saulo... não me matem.
Obrigada por lerem, até a próxima, deixem comentários, quero saber se gostaram.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...