História Castelos de Areia - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 379
Palavras 2.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiiii meninas e meninos do meu ❤ voltei!

Ontem era pra eu ter postado o capitulo, mas tive algumas situações para resolver que acabaram me atrapalhando um pouco 😥, mas em fim... Vamos ao que interessa.

Gente eu gostei muito de escrever esse capitulo e espero de ❤ que vocês gostem.. Rsrsrs

Agradeço os comentários do último capítulo, a cada um dos favoritos e a todos os leitores da fic. Vocês me deixam muito feliz, de verdade. Obrigada!!!

E vamo que vamos...

Boa leitura a todos!

Capítulo 14 - Meu coração se encontra fechado...


 

Ela estava machucada? Sim de fato ela estava! Mas chorar não resolveria seus problemas. E Sakura sabia muito bem disso. 

Erguendo a cabeça como sempre fez depois de suas quedas, ela limpou o rosto molhado com o dorso das mãos, todos a olhavam atentos.  Afastando-se um pouco do corpo de Sasuke logo em seguida indo em direção a Hidan. 

Sasuke seguiu seus passos parando um pouco atrás como se estivesse pronto para protegê-la a qualquer momento, ou como se negasse a ficar longe dela. 

Os olhos verdes que outrora haviam ficado tristes e perdidos pareciam ter-se firmado novamente. Hidan suspirou já imaginando o que viria. 

Ele conhecia muito bem Sakura e sabendo disso aguardou o impacto que logo veio sobre sua face.

Sasuke soltou um pequeno sorriso ao ver a atitude dela. Ele estava satisfeito, não teve como negar isso.

O estalo se fez ouvir na sala, Mikoto novamente pôs a mão na boca, era a segunda vez que alguém batia naquele rapaz e ela não entendia o porquê, afinal ele havia salvo a vida de Sakura até onde sabia, e não conseguia compreender o porque estava apanhando daquele jeito. 

O que ele havia feito? Questionou-se a rainha por não compreender nada.

– Foi por ela Sakura, pela vida dela – Ele murmurou ainda com o rosto voltado para o lado direito por conta do impacto da pequena mão dela sobre sua face. De repente Sakura lembra-se da mãe dele e da situação que ela se encontrava pouco tempo antes de sair da vila. A visão da velha senhora debilitada tomou sua mente. Seus olhos verdes se abriram surpresos por apenas um pequeno instante para logo depois voltarem a ficar sérios. 

– Eu te admirava... – Ela falou no momento que ele voltou a fita-la, Hidan pode ver o quanto ela estava decepcionada com ele. – Tem noção de tudo que eu tive que abrir mão? – Um vinco surgiu em sua face ao questioná-lo, Hidan consequentemente ao ouvi-la desviou seu olhar para Sasuke. – Espero que esteja arrependido mesmo. – Ela concluiu ao soltar um suspiro resignado. Desejando poder sumir dali e que aquilo tudo acabasse de uma vez por todas. 

 Sakura era racional de mais ela não o crucificaria para o resto da vida, porque lá no fundo ela sentia-se aliviada de ter descoberto que tudo não passou de uma mentira.

 Não que ela fosse perdoá-lo de imediato, mas também não podia ser ingrata, pois ele havia salvo sua vida. 

– Eu nunca quis te prejudicar, mas tive que ir,  caso contrário minha mãe morreria e você sabe que eu só tinha ela, não sabe? – Ele suspirou ao tentar por a mão sobre o ombro de Sakura, mas foi impedido por Sasuke que a puxou levemente para trás. 

– Não toque nela, ou eu não respondo por mim. – Sakura o olhava admirada, aquela era a segunda vez que ela agia de forma protetora com ela, sem dar a mínima para quem estivesse presenciando a cena. Hidan apenas meneou a cabeça ao levantar as mãos mantendo-se afastado dela. 

– Eu não quero me justificar, e foi por isso que eu voltei. Para te livrar de tudo isso. De toda mentira eu você teve que conviver esse tempo todo. – Ele concluiu.

O silêncio tomou o lugar por um breve momento até que Mebuke se pronuncia. 

– Será que alguém pode me dizer o que está acontecendo aqui – Mebuke se aproxima da filha ao chamar a atenção de todos – O que você fez a minha filha rapaz? – Ela encara Hidan.

As indagações começavam a surgir por conta de todo o ocorrido quando Sasuke decidiu tirá-la do ambiente. Pegando a mão dela que estavam ainda um pouco fria ele simplesmente virou-se em direção a porta e saiu.

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

 

Ela não o questionou para onde a levava,  Sakura apenas o seguiu, perdida talvez em seus próprios pensamentos. Tudo o que desejava era respirar um pouco e tentar processar o que havia acabado de acontecer. Novamente sua vida havia virado de cabeça para baixo. 

Quando deu por si só se deu conta que estava em outro ambiente ao ver Sasuke parar a sua frente. 

Sakura sabia o que ele esperava, porem ela não pôde  olha-lo nos olhos. Sentia-se  envergonhada  por tudo, por ter mentido para ele e por ele ter descoberto a historia que envolvia seu passado. 

Não era nada honrado para uma mulher se envolver com um homem que não mantinha compromisso firmado, e mesmo tendo acabado de descobrir a verdade sobre sua própria condição, algo que lhe trouxe muito alivio, diga-se de passagem, aquilo ainda assim, aos olhos dela, era algo vergonhoso. 

– Olhe para mim – Ouviu ele sussurrar ao tocar sua bochecha levemente, elevando seu rosto lentamente na altura de seus olhos.  E o que ela viu a deixou sem palavras. 

Ele sorria. Sorria abertamente para ela. 

– Não precisava tudo isso... – Ele concluiu ao abrandar a feição, como se quisesse que ela compreendesse que ele não se importava com nada daquilo. 

Sakura tentou desviar o olhar, mas Sasuke não permitiu, segurando agora o rosto dela com suas duas mãos. O moreno podia notar que  seus olhos ainda estavam marejados e sua feição era triste. – Já passou, não fique assim. – Ele fala baixinho rente ao rosto dela.  Sakura sentia a respiração dele em sua face. 

Em um gesto de carinho ele a abraçou, aos poucos ela pôde sentir o calor do corpo dele a envolver. 

– Me perdoe. – Ela sussurrou ao encostar a lateral do rosto sobre o largo peito dele. Sakura pôde  ouvir perfeitamente os batimentos do moreno aumentarem ao ouvir ela pronunciar aquilo. 

 Ela melhor do que ninguém sabia que tinha que pedir perdão a ele, por tê-lo machucado com o que havia dito na noite passada. 

– Eu...

– Não há necessidade disso – Ele pontua ao afastar um pouco seus corpos, mas não o suficiente para se separarem, só o necessário para fita-la no rosto. Olhando para os olhos verdes agora um pouco mais vivos. 

 Parecia que ele estava tomando coragem para dizer algo. 

– Sakura...eu – Ele sussurra, mas não consegue concluir sua fala, parando rente ao rosto dela Sasuke se vê admirando a face alva por um momento, alternando seu olhar vez ou outra dos olhos verdes para os lábios.

– O que? – Ela questiona ainda presa nos olhos dele, tão enigmáticos e profundos que tinha a sensação que eles podiam ler sua alma. 

Em seu olhar não havia desejo, porém certa admiração,  Sakura notou isso enquanto ele acariciava sua face com o polegar. 

Ele de fato passou a  admira-la por ser tão forte. Por ter perdido anos de sua vida achando que não teria um futuro e mesmo assim não ter desistido. Por não ter se permitido sucumbir, mesmo diante dos assédios que sofreu.

Ela lutou por ela, mesmo que negando o tempo todo, ela lutou. Não só por si, mas pela vida das pessoas ao seu redor, por mais que não tivesse condições para isso. Sasuke melhor do que ninguém tinha ciência daquilo. 

E ele não poderia ser mais grato por isso, por ela ter se tornado aquela guerreira que agora estava diante de seus olhos.  Por que lá no fundo sabia que ele havia sido o mais beneficiado depois de tudo aquilo, porque seria ele a tê-la em sua vida. 

No final ele a teria em seus braços, e não uma vez apenas, mas para todo sempre como agora ele desejava. Isso porque ele já havia decidido... 

– Case-se comigo...– Ele em fim falou aquilo que desejava,  ao pegar a mão dela depositando ali um beijo casto. 

Sua voz sumiu, e só o que restou foi uma expressão de surpresa na face dela. Ela esperava algo dele, um beijo talvez, mas não um pedido de casamento. Não ali... 

Se pegou por um momento, enquanto tentava processar o que acabara de ouvir, pensando em tudo o que aconteceu entre eles em tão pouco tempo. Ela imaginava como seria se tudo não houvesse acontecido daquela forma. Talvez se aquele medo bobo por ela ter cometido um erro em seu passado não existisse ela poderia ter dado o seu melhor naquela seleção. Ter se empenhando como as outras moças por um sonho de se tornar uma rainha, um sentimento que ela intitulava muitas das vezes de fútil, só para se proteger, mas que quando notava, as vezes, imagina-se vivendo e sentindo aquele desejo,  tão belo e puro que fazia certas moças pularem de alegria com seus gritinhos histéricos, o que por diversas ocasiões a fazia sorrir delas. 

Sakura tinha que admitir... agora ela entendia perfeitamente que sentimento era aquele, porque afinal naquele momento não havia nada que a impedisse de viver aquele sonho. 

Negar para que? 

Fugir?  Para onde?

 Porque? 

Ah, não havia a necessidade disso. Não mas... 

Fora que ter Sasuke como marido seria uma bela de uma recompensa. Pois qualquer mulher, mesmo que não fosse ela, teria a capacidade e amar um homem como ele... Ah se teria. Ele era um homem admirável, que foi capaz de mudar seu conceito sobre tudo o que ela pensava sobre príncipes. 

E pensando bem, se tudo tivesse acontecido de forma normal, talvez ela não  tivesse despertado  nele aquele inquietante sentimento que tinha a capacidade de deixa-lo tenso quando estava perto dela... Porque naquele momento era exatamente assim que ele estava. Aguardando ansiosamente por uma resposta. 

Depois de um momento observando a face dele ela em fim se pronunciou. 

– Qual o problema de vocês príncipes? – Ela lhe sorriu de lado ao olha-lo de forma terna – Não sabem a hora de desistir de algo?

– Isso é um sim? – Ele sorrir ao vê-la voltar a sua personalidade de quando a conheceu. Aquela sensação instigante de quando estava perto dela começava a envolve-lo novamente. 

Ela deu de ombros antes de responde-lo – Talvez... – No momento seguinte ele tomou seus lábios a impedindo de falar...um beijo roubado como da primeira vez. 

A sensação foi como perder-se, mesmo tendo acabado de se encontrar de fato. Perdida ela estava nos lábios dele que se recusavam a largar os seus. 

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

 

A portas fechadas o rei solicitou explicações sobre tudo que havia acontecido naquela sala. E logo Hidan, bem como os pais de Sakura foram para outro ambiente. 

– Eu não acredito – Mebuke levou a mão ao peito ao terminar de ouvir todo o relato de Hidan. Seus olhos transmitiam fúria. – Como você foi capaz de fazer isso com ela? – A mãe tentava se controlar ao imaginar tudo o que acontecia com sua filha e ela nem se quer imaginava. – Seu... 

– Acalme-se Mebuke – Kizashi interviu ao segurar a esposa que estava prestes a avançar sobre o Hidan.

– Mesmo diante dos motivos que vocês nos expôs – O rei tomou a palavra – Isso não é algo que possa ser relevado.

– Eu não quero perdão pelo que fiz, sei que errei com Sakura quando a enganei. E por mas que o tempo tivesse passado eu não conseguia me ver em paz, eu sempre soube que deveria voltar para esclarecer as coisas com ela, mas não pude fazer isso antes por questões financeiras, tenho uma família para sustentar e só consegui fazer isso agora. – Ele se explicou. 

Kizashi como pai e homem também podia ver que Hidan estava sendo sincero em suas palavras. 

– Nós agradecemos pelo que fez por nossa filha, digo, por ter salvo a vida dela, mas, não o queremos perto dela novamente. – O pai toma a palavra expondo sua decisão.

– Eu só queria ter a chance de conversar com ela direito... 

– Isso não vai acontecer... – Nesse momento Sasuke toma o lugar atraindo a atenção de todos. Hidan apenas o fita de soslaio imaginando que de fato ele não conseguira o que queria. Explicar-se melhor. – Sakura não tem mais nada para tratar com você. – O moreno se põe em frente a ele. Mebuke fica admirada pela forma que o príncipe se porta quando o assunto é Sakura. Tão protetor. Um pequeno sorriso escapa dos lábios da mãe ao trocar olhares com Mikoto que também sorrir.

– O que há de engraçado mulher?– Fugaku cochicha no pé do ouvido da esposa ao vê-la sorrir.

– Acho que Sasuke já escolheu sua rainha. – Ela comenta risonha sem se preocupar em esconder sua felicidade. 

– Hump – Fugaku apenas murmura. Ele de fato concordava com a esposa, não tinha como não perceber o envolvimento do seu filho com a filha do governador.

 Em pensar que o filho havia escolhido logo aquela que o afrontou desde o primeiro momento que o conheceu. Foi engraçado para Fugaku ver aquilo, parecia que estava vendo a historia de amor dele e de Mikoto se repetir diante de seus olhos. Ele lembra perfeitamente quando se apaixonou pela moça de longos cabelos negros que se quer participava da seleção para a escolha de sua esposa. E que tinha o costume de dar patadas nele todas as vezes que se trombavam pelos corredores do palácio que ela trabalhava como ajudante de sua mãe que era maquiadora da rainha daquela época. – Eu jamais me casaria com um homem como você, príncipe metido. – O pensamento o faz lembra-se da frase que Mikoto costumava dizer a ele toda vez que ele a afrontava dizendo que um dia ela seria a esposa dele. Sua rainha. 

Aquela seleção era um ato milenar, todas as gerações de reis faziam,  mas não que fosse uma regra geral, pois se o próximo rei decidisse que desposaria qualquer outra moça o desejo do mesmo era levado em consideração. E Fugaku já fazia idéia do que Sasuke iria dizer quando entrou naquela sala.

– Você perguntou isso à ela? Ou já decidiu por sí só? – Hidan o indaga ao fechar o semblante. 

O morenos retrai a mandíbula ao ouvi-lo. 

  – Eu já disse...ela não tem nada para tratar com voc... 

  – Você será um péssimo rei se acha que pode controlar as pessoas  – Hidan interrompi a fala dele ao se pronunciar. – Quem você pensa que é para decidir por algo por...  

– Eu sou o homem que fará dela a rainha desse país, e eu já disse e torno a repetir, ela não tem nada para tratar com você, não depois do que fez a ela. Agora faça o favor de se retirar do meu reino imediatamente. – O Uchiha falou categórico sem se dar conta que havia dito aquilo na frente dos pais dela. 

– Como rei faço as palavras do meu filho às minhas. – Fugaku se aproxima de ambos assim como Kizashi que já percebia a tensão entre eles aumentar. – Veja rapaz, somos gratos por tudo que fez, mas não poderá continuar aqui. – Concluiu o rei. 

Hidan sabia que não podia ir contra Sasuke ou o rei. Quem era ele afinal? Apesar de só querer conversar com ela ele compreendia a atitude de Sasuke em tentar defende-la mesmo tendo ciência que Sakura não era nem de longe uma mulher que precisasse se defendida. Se ele estivesse no lugar de Sasuke provavelmente agiria da mesma forma, concluiu em pensamento. 

Ele apenas meneou a cabeça antes de se retirar o local, afinal não havia nada que ele pudesse fazer ali naquele momento.  Sasuke o acompanhou com os olhos até que ele saísse do ambiente. 

– Pai, mãe  – Ele chamou pelos pais ao notar que agora podia falar o que desejava  – Senhor Kizashi Haruno e dona Mebuke Haruno  – Ele os cumprimentou. 

Os pais se aproximaram dele no momento em que o viram tomar a posição tão conhecida pela família real  e por todos daquele reino. Mebuke se viu encantada com aquilo e Kizashi admirado por Sasuke ser um homem de comportamento tão correto e íntegro, que não se importava em demonstrar o que estava sentindo. 

Com um dos joelhos no chão e o braço esquerdo voltado para cima do peito mantendo a mão fechada acima do coração ele se inclinou para frente em uma profunda reverência aos pais, rei e rainha daquelas terras. 

– Meu coração se encontra fechado, não há mais espaço para outra. – Ele começa a pronunciar a frase que teria que falar no momento em que aquela seleção acabasse e sua esposa fosse escolhida. – Peço que me permitam desposar a jovem moça cujo o nome é Sakura Haruno, para torna-la minha esposa, aquela que governara esse país ao meu lado, aquela que se tornara  a rainha dessa nação.... 


Notas Finais


❤❤❤❤ Ai meu coração..... Rsrsrsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...