História Castle - Malec - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Isabelle Lightwood, Magnus Bane, Personagens Originais, Ragnor Fell, Tessa Gray
Tags Alec Lightwood, Magnus Bane, Malec, Malec Vampiros
Visualizações 414
Palavras 1.378
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - The Past


 Quando Alec acordaras, seu corpo não mais doía, era como se nada tivesses acontecido. Ele abriu os olhos e percebeu que – assim da forma como dormiras – estavas nos braços de Magnus, que estavas com a cabeça apoiada na cabeceira, e seus olhos estavam fechados.

Alec se mexer o mínimo possível, porém com a primeira tentativa de se virar, Magnus abriu os olhos.

- Desculpe - Alec murmurou o olhando - não querias acordar-te.

- Eu não estavas dormindo de fato - Magnus respondeu com a voz calma, e a expressão séria.

- Estás tudo bem? - Alec afastou-se do abraço de Magnus e o encarou.

- Não, não estás - Magnus disse sério e se levantou da cama.

Alec engoliu seco. Olhou para si mesmo, ainda havias sangue em suas roupas, e provavelmente em seu rosto também. Ele voltou a olhar Magnus, antes de ele pegar no sono, tudo estavas bem, na medida do possível, é claro. Mas Magnus não estavas assim, ele pedira perdão, e Alec o concedeu, mesmo que ele não tivesses culpa alguma do acontecido. Agora vendo ele daquela forma, tão sério, tão reservado, tão distante, não parecias o homem o qual correu com ele em suas costas até o topo de uma montanha, ou o homem que o beijaras naquele mesmo quarto.

- Fiz algo que não o agradaras? - Alec perguntou colando os joelhos no próprio peito.

Magnus virou-se subitamente. Como ele poderias pensar algo desta forma? Alec havias rolado a escada, e quase sido morto por três vampiros famintos, e ele ainda pensavas que era ele que havias feito algo errado? Como poderias?

- É claro que não - Magnus respondeu por fim, com os braços cruzados. - eu fiz. Eu prometi que não se machucarias aqui, e quase morreras ontem, Alexander.

- Magnus - Alec arregalou os olhos, incrédulo com o que acabaras de ouvir. - não tens culpa! Se não fosses por ti eu estarias, de fato, morto.

- Eu tenho medo, Alexander - Magnus abaixou a cabeça, e foi ali que Alec viu a postura de Conde ruindo - medo de perder o controle também, e acabar machucando-o eu não suportarias machuca-lo!

- Não vais - Alec continuou na cama, por mais que desejaste levantar-se e abraçar Magnus.

Magnus negou com a cabeça, e continuou abraçando o próprio corpo. Ele andou para os lados, e depois de alguns segundos voltou a encarar Alec.

- Não tens como ter certeza disso, Alexander.

Alec finalmente levantou-se e aproximou-se de Magnus, encarando os olhos verde-dourado.

- Então quando disses que não me machucarias, eras apenas para eu ficar? - Alec engoliu seco olhando-o.

- É claro que não! Eu não quero machuca-lo! - Magnus se aproximou. - mas essa és a minha natureza.

- Então porque não me mataras quando teves chance? - Alec havia ficado tão sério quanto Magnus.

- Achas que eu não queria? - Magnus elevou a voz. E Alec sentiu seu coração trincar - eu querias Alexander! Porém eu não consegui! Eu me vi apaixonado por você depois de morde-lo!

O coração de Alec espancavas a caixa torácica. Magnus estavas apaixonado por ele, e Alec não fazia ideia de como agir ou responder, estavas magoado pelo jeito que ele estavas a agir, mas ainda assim querias abraça-lo e beija-lo sem pudor algum.

- Eu tinhas que matar você - a voz de Magnus saiu como um rosnado, e ele aproximou-se cada vez mais de Alec, que, por reflexo, deras passos para trás até encontrar a parede atrás de si - tinhas que drenar todo o sangue do seu corpo, tinhas que satisfazer-me com cada gota, e sem preocupar-me com você, foi isso que eu fui criado para fazer Alexander.

- Agora estás deixando-me com medo - Alec murmurou encarando os olhos do vampiro, quem pareciam pegar fogo.

- Mas eu não conseguias Alexander - Magnus negou com a cabeça e levantou a mão, colocando-a no rosto do menor - porque roubaste meu metafórico coração, porque de alguma forma, o que despertaras em mim eras mais forte que qualquer sede.

Alec respirou fundo, ele levantou a mão, e colocou-a sobre a de Magnus, acariciando-a calmamente.

- Mas eu temo - Magnus continuou - temo perder o controle, não suportarias perder outro alguém, por ser algo que não escolhi ser.

Outro alguém? Então eras por isso que ele tinhas tanto medo? Porque alguém já morreras por suas mãos? Alec encarou-lhe sem saber o que dizer. Serias um amor antigo? Por Deus, não deverias sentir ciúmes em um momento como este.

- Perder outro alguém? - Alec perguntou ainda segurando a mão de Magnus. - queres me contar algo?

Magnus engoliu seco. Não sabias se contaria. Confiavas em Alec, mas não contaras isso a ninguém em séculos.

- Quero - disse por fim, e afastou-se de Alec. Ele pegou na mão do menor e conduziu-o até a cama novamente.

Alec o olhou um tanto curioso e sentou-se na cama, enquanto Magnus sentou-se ao seu lado.

- Apenas ouça, por favor - Magnus pediu, e Alec assentiu.

"Assim como você, eu também tinhas uma irmã mais nova, pela qual eu sentia-me responsável" Magnus começou a falar, e sentias que se produzisse lágrimas, já estarias chorando "Clarice eras linda, Alexander, tinhas personalidade forte, como Isabelle, e olhos de um verde tão intenso e denso, que eras como se estivesses mergulhando em tinta verde quando olhavas para aqueles olhos puxados, eras muito parecida comigo, diga-se de passagem. Eras minha preciosidade."

"Uma certa noite, eu saí com alguns amigos, e acabamos passando dos limites com as bebidas. Eu estavas indo para casa de madrugada. Quando me abordaram, eu não lembro-me de muita coisa, apenas da dor agonizante, como se meu cérebro estivesses a queimar, de quando eu transformei-me. Fora horrível, não tinhas batimentos, não tinhas respiração, eu estavas desesperado, tives que esconder-me até anoitecer novamente, para voltar para casa. Quando voltei, meus pais não estavam, e Clarice dormias solenemente no sofá, eu sentei-me defronte a ela, no chão, e fiquei a observando enquanto dormias. Mas ai começou, minha garganta secaras inexplicavelmente, como se eu nunca tivesses bebido água na vida. Eu conseguias ouvir os batimentos de Clarice, conseguias ver o sangue correndo pelo pescoço dela. Eu não consegui segurar-me, quando dei conta já estavas em cima dela, com os dentes cravados em seu pescoço. Ela abriu os olhos verdes, e me olhou com um espanto tão grande, uma dor tão imensa, seus olhos suplicavam a mim, e eu não conseguias parar. Eu apenas parei quando não havias mais sangue no corpo dela. Eu segurei-a em meus braços, morta, e por mais que eu estivesses morto, e não produzisse lágrimas, eu sentias o meu eu chorando e gritando. Eu matei a coisa mais preciosa que tinhas Alexander, e não quero que isso aconteça novamente"

Alec estavas boquiaberto, seu coração batias desconcertado. Ele não sabias o que falar, tentou colocar-se no lugar de Magnus, imaginou-se machucando Isabelle, e nunca sentiu-se tão quebrado. Sem saber o que fazer, ele abraçou Magnus com força, e ficaram daquela forma, abraçados.

- Eu entendo - Alec sussurrou acariciando os cabelos de Magnus - e sinto tanto...

Magnus soltou Alec e pegou nas mãos do rapaz, entrelaçando seus dedos.

- És a coisa mais importante para mim agora, Alexander - Magnus declarou com um pesar na voz - eu não suportarias machuca-lo.

- Tenho certeza que não vai - Alec estavas sério e convicto - tens controle agora Magnus.

- Lauren também, e viu o que aconteceu quando faltaras sangue - Magnus abaixou a cabeça.

- Estou aqui, não estou? - Alec perguntou, fazendo Magnus levantar o olhar - aceitei ficar sabendo o que tu és, sabendo de tua natureza. Aceitei ficar, sabendo dos riscos, e os aceitei, por você.

- Estás arriscando a vida de sua irmã também - Magnus respondeu.

- Isabelle não dependes de mim para tomar decisões - Alec arqueou uma sobrancelha - ela disse que querias ficar, e assim fizemos.

Magnus negou com a cabeça e se inclinou beijando Alec, sempre com a mesma cautela, para não machuca-lo até com um beijo.

- Obrigado - Magnus sussurrou quando separaram-se - por tudo.

- Eu que preciso agradecer-lhe, por tudo - Alec sorriu, e novamente abraçou o vampiro.


Notas Finais


a Clarice no caso, é a Blink (Clarice, óbvio) de The Gifted, gente ela foi separada do Magnus na maternidade meu Deus parece muito kakakakak
comentem comentem ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...