História Castle - Malec - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Isabelle Lightwood, Magnus Bane, Personagens Originais, Ragnor Fell, Tessa Gray
Tags Alec Lightwood, Magnus Bane, Malec, Vampiros
Visualizações 292
Palavras 1.639
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - The Wish


 Três meses. Três meses que Alec e Isabelle estavam no castelo. Três meses o quais foram os mais felizes da vida de Alec, e tinhas esperanças de que continuaste desta forma. O episódio com Lauren felizmente não se repetiras, e como esperado, Magnus não perderas o controle com Alec.

Alec estavas completamente, perdidamente, incondicionalmente apaixonado por Magnus. Faria de tudo pelo vampiro, não via-se sem ele, não querias ficar sem ele, não podias, não suportarias ficar sem ele.

Mas isso não eras o que atormentavas Alec de fato, ele pegava-se pensando toda noite, que Magnus era um vampiro, imortal, que viverias para sempre, e Alec apenas um mero mortal, que envelhecias a cada dia, e morrerias.

- Alexander - Magnus chamou.

Alec estavas sentado nas escadas do lado de trás do castelo, sentindo o sol alcançar sua pele, enquanto olhavas para o jardim.

Magnus estavas na porta, até onde a sombra chegavas. Alec virou-se e deu um sorriso enquanto levantava-se. Ele caminhou até Magnus e deu um selinho nele. Magnus usavas uma camisa vermelha, com um colete preto brilhoso por cima. Ele abraçou Alec pela cintura, e os dois adentraram o castelo.

- No que estavas a pensar? - Magnus perguntou o olhando se soslaio.

- Em nada - mentiu.

Magnus franziu o cenho enquanto subiam as escadas, segundos depois entraram no quarto, e Magnus suspirou fechando a porta. Alec já havias acostumado-se, que apesar do castelo ser enorme, o lugar o qual mais ficavas eras o quarto de Magnus, e agora seu também. Ele não se importava, eras um lugar só dos dois, no qual trocaram segredos, dores, traumas e beijos. No qual pela primeira vez Magnus disseras que estavas apaixonado por Alec.

O Conde sentou-se na grande poltrona ao canto, onde Alec encolhia-se para ler, e puxou o menor pela mão, colocando-o sentado em seu colo.

- Contes-me o que estás a pensar - Magnus disse com a voz calma, enquanto acariciavas os cabelos finos e rebeldes de Alec. - já faz um tempo que estás a pensar em demasia.

- Perdoe-me - Alec murmurou deitando sua cabeça no ombro de Magnus - fico a pensar em nós, apenas. - Não era totalmente mentira, mas Alec sentias que não tinhas coragem para dizer a Magnus, obviamente ele odiarias está conversa. Então Alec apenas se aproximou, e tomou os lábios de Magnus nos seus.

O Conde foras pego de surpresa com o ato do menor, porém não hesitou em retribuir. Os lábios de Alec cada vez tornavam-se mais e mais viciantes a Magnus, ele não via-se sem aqueles lábios finos e macios, o melhor que ele já havias beijado.

O beijo fora intensificando-se, e Magnus, que nunca tentaras nada com Alec, mesmo dormindo juntos todas as noites, escorregou a mão pela perna do rapaz em seu colo, até chegar na bunda. Com receio de que fosses repreendido por Alec por causa do ato, Magnus afastou a mão calmamente, porém surpreendeu-se quando Alec a pegou, e levou-a de volta para sua bunda, apertando seus dedos contra o tecido da calça, e a pele sob.

- Alexander - Magnus sussurrou separando o beijo. Ele querias, querias muito ter Alec por completo, mas tinhas medo, medo de passar dos limites, medo de machuca-lo. - não sei se devemos... Podes levar a outra coisa...

- Eu sei - Alec respondeu calmamente, aproximando-se do pescoço de Magnus, onde começou a dar alguns beijinhos. - eu quero.

- Tens certeza? - Magnus perguntou com a voz falha, enquanto os lábios de Alec em seu pescoço deixavam-o tonto - Alexander... Não acho que sejas uma boa ideia.

- Por favor Magnus, sei que queres - Alec sussurrou, ainda com os lábios próximos do pescoço do Conde.

Alec querias, nunca tiveras tanta certeza de algo. Mas sempre que começavam a ter mais fogo nos beijos, Magnus parava. Alec entendias que Magnus tinhas medo de machuca-lo, afinal ele eras um vampiro extremamente forte, mas Alec desejavas isso, desejavas que Magnus o fizesse completamente seu.

- Não quero machuca-lo Alexander - a voz de Magnus eras calma, e Alec levantou a cabeça para olha-lo.

- Eu entenderei se achares que não és a hora de teres relações desta forma comigo, Magnus - Alec disse realmente sincero, enquanto acariciavas o rosto moreno do Conde - mas não irás machucar-me. Serás meu primeiro Magnus, agora, ou quando aceitares que não és um monstro que em tudo que fizeres me machucarás, eu não importo-me.

- Estás achando que não quero? - Magnus ofereceu a Alec um sorriso singelo, enquanto suas mãos haviam indo para a cintura do rapaz. - Alexander, é claro que quero entregar-me todo a ti, quero proporcionar-lhe todas as aventuras e prazeres que um humano pode ter. Mas por mais que não sejas meu primeiro, sinto-me vulnerável, jamais senti-me assim por alguém... Até que apareceste.

Alec sorriu fraco, nunca sabias o que falar quando Magnus dizias essas coisas belas a ele. Então abraçou o pescoço de Magnus e o mesmo abraçou-lhe a cintura. Ele escondeu o rosto no pescoço do Conde, e daquela forma ficaram. Alec no colo de Magnus, agarrado a ele como uma criança.

* * *

Isabelle caminhavas pelo castelo acompanhada de Lauren. Elas haviam virado grandes amigas, como Alec ficavas ocupado em demasia com Magnus, Isabelle e Lauren acabaram aproximando-se mais.

- Sabes, Magnus ficaras muito mais feliz, depois que seu apareceu - Lauren comentou passando as mãos pelos cabelos negros. - ele eras muito, reservado.

- Alec também - Isabelle respondeu passando a mão pelo espartilho preto, adoravas como espartilhos deixavam sua cintura acentuada, mas também odiavas usar aquilo, era demasiado apertado. - ele nunca preocuparas de verdade com ele mesmo.

- Ele preocupavas mas contigo, não é? - Lauren perguntou com um sorriso. Isabelle assentiu descontraída - deves ser bom, ter alguém que preocupa-se contigo desta forma. Não o julgo, alguém como você mereces ser protegida.

- Sei me proteger sozinha - Isabelle riu fraco, juntando as mãos defronte ao corpo.

- Eu sei, mas existem coisas que não podemos proteger realmente - Lauren respondeu com a voz um pouco mais baixa. - como o coração.

Antes que Isabelle pudesses responder, Alec materializou-se na frente das moças, com um sorrisinho tímido nos lábios finos, e os cabelos bagunçados como de costume.

- Como é possível duas moças tão encantadoras andarem sozinhas por esse castelo, já és quase noite - Alec brincou colocando as mãos no bolso da calça.

- Esperando um cavalheiro perdido - Lauren responderas revirando os olhos em uma risada...

- Creio que esse cavalheiro não sou eu - Alec riu e respirou fundo - Lauren, posso conversar a sós com minha irmã?

- É claro - Lauren deu um sorrisinho para Isabelle é afastou-se dos dois irmãos, sumindo pelo corredor.

Isabelle observou a moça se afastar, e logo voltou-se a Alec, começando a caminhar novamente - estás tudo bem? - perguntou ela encarando o irmão.

- Precisos falar contigo sobre uma coisa que estás deixando-me maluco - Alec sussurrou passando as mãos impaciente pelo cabelo.

- Fales.

Alec não sabias realmente como falar, então respirou profundamente e encarou o chão.

- Sabes sobre meus sentimentos em relação a Magnus, sabes o quanto gosto dele, e sabes também que ele és imortal - Alec começou, sentias suas mãos suarem no bolso, e seu coração acelerar - eu não quero separar-me dele Izzy, não posso.

- Alec, estás assustando-me - Isabelle parou no corredor, e Alec virou-se de frente para a irmã.

- Eu... Pedireis a Magnus para que transforme-me - Alec disse rapidamente, como se de outra forma não conseguiste falar.

- O que? - além da voz de Isabelle, uma voz rouca tornou-se presente, e Alec sentiu seu coração errar uma batida quando percebeu Magnus parado a poucos metros deles.

- M-Magnus? - Tanto Alec quando Isabelle arregalaram os olhos assustados.

Magnus virou-se e saiu correndo em um borrão. Alec olhou para Isabelle, que assentiu. Alec sorriu fraco e saiu correndo atrás de Magnus. O vampiro já havias sumido de vista, e Alec estavas ofegante quando chegou na varanda coberta, onde Magnus estavas parado, olhando a noite recém caída.

- Magnus.

- Quando irias falar-me sobre querer ser transformado? - Magnus disse com a voz calma, ainda de costas.

- Eu... Eu... Logo - Alec suavas frio, seus dedos mexiam-se quase que sozinhos em nervosismo.

- Não sabes o que falas, Alexander, isto não és algo a se querer. - a voz de Magnus estava rouca e gélida.

Alec estavas tremendo. A voz de Magnus fazias seu corpo tremer inexplicavelmente. É claro que ele contarias a Magnus, não tinha motivos para não o fazer, mas estavas esperando a hora certa. Porque eras errado querer ficar com o homem o qual ele ama?

Amor. Pela primeira vez Alec estavas a experimentar tal sentimento, que, mesmo tão puro e verdadeiro, tinhas um grande inimigo: o tempo.

- És errado querer ficar com você? - Alec perguntou se aproximando.

- És errado querer virar um monstro - a voz de Magnus elevou-se e ele virou-se para Alec - Achas que escolhi ser assim? Achas que foi por vontade própria? Pois não foi Alexander, ser como eu é a pior coisa que podes querer!!

- Porque estás agindo assim? - Alec tentou aproximar-se, mas Magnus se afastou.

- Eu prometi protege-lo, e transforma-lo não se encaixa nisso - agora Magnus gritavas. Alec estavas com os olhos arregalados - eu te amo, mas prefiro perde-lo, do que deixar-te como um monstro.

Dito isto, Magnus saiu. Alec estavas incrédulo, nunca viras Magnus desta forma. Pela primeira vez, sentias que era o Conde falando com ele, não seu companheiro.

Alec abraçou o próprio corpo, não querias que o primeiro eu te amo que Magnus o dissesse fosse desta forma, não querias que nada fosse desta forma.


Notas Finais


oh na na na


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...