1. Spirit Fanfics >
  2. Castle e Bones: Juntando as forças. >
  3. Booth volta pra casa.

História Castle e Bones: Juntando as forças. - Capítulo 75


Escrita por:


Notas do Autor


Foto: ilustração dos modelos analisado por Lilly e Christine. Eles estão numerados na ordem

Capítulo 75 - Booth volta pra casa.


Fanfic / Fanfiction Castle e Bones: Juntando as forças. - Capítulo 75 - Booth volta pra casa.

Depois da festa revelação Beckett e Lilly folhearam álbuns de fotos, desde a gravidez da mãe até os seus 3 anos.

Lilly – Mamãe por que você ta sentada nisso? – ela aponta a cadeira de rodas.

Beckett – Porque quando a mamãe tava grávida de você, a mamãe tava doente, lembra? – Lilly assente – A mamãe não conseguia andar e isso ajudava a mamãe a ir aos lugares. Isso chama cadeira de rodas.

Lilly – E essa mesinha que eu tô em cima era porque você não alcançava aqui? – ela aponta pra cômoda com o trocador.

Beckett – Sim, assim mamãe podia cuidar de você.

Lilly – No quarto dos gêmeos pode ter uma mesinha dessas pra eu ajudar a cuidar deles?

Beckett – Pode sim meu amor! – ela vira a página – Olha aqui a bagunça que você fazia para comer... – Lilly ri e depois vira a página.

Lilly – Aqui sou eu na geladeira?

Beckett ri – Sim.

Lilly – Por que eu tava na geladeira?

Castle aparece atrás delas segurando alguns papeis. – Porque você sempre foi arteira e nesse dia queria gute.

Beckett – Você amava iogurte.

Lilly – Eu ainda gosto.

Beckett pega os papeis da mão do marido. Ela lê um nome em cima “Brady” – Isso é um dossiê?

Castle – Não sei, eu não li só imprimi e dei a você, como o Ryan disse.

Lilly olhava de um para o outro. Kate fez um carinho na filha – Você termina de ver sozinha, filha? A mamãe vai ali um pouquinho. Talvez isso – ela mostra os papeis – traga o pai da Christine de volta pra casa.

Castle – Papai vai ajudar a mamãe...

Lilly – Se é pra ajudar a Christine eu deixo vocês irem.

 

Beckett vai até o escritório do marido e grifa os pontos importantes do dossiê. Com tudo destacado, ela liga pra Bones.

Bones – Brennan.

Beckett – Oi, é Kate tudo bem?

Bones – Oi, tudo bem. Desculpe eu atendi sem olhar a tela.

Beckett – Sem problemas... Eu tenho algo grande pra você, algo que pode soltar o Booth.

Bones se endireita em seu sofá – Como?

Beckett – Eu pedi pros meus detetives fazerem uma busca, eles montaram um dossiê com os podres de Brady, é ele que fez a denúncia, não é?

Bones – Sim.

Beckett – Então se você levar isso até o Brady e o chantagear eu aposto que o Booth será solto na mesma hora.... Venha em casa amanhã que eu te explico tudo.

Bones – Estarei aí amanhã, por volta da hora do almoço.

Beckett – Estarei te esperando.

Bones – Obrigada.

Beckett – De nada e traga Christine, acho que ela e a Lilly tem muito o que conversar e amanhã Lilly não terá aula.

Bones – Levarei.

 

No dia seguinte Lilly esperou Christine ansiosa, ela tinha que contar sobre os irmãos e sobre as ideias para o quarto deles.

Eram 13:30 quando Bones e Christine chegaram. Foi Lilly que abriu a porta.

Lilly – Oi Christine! – elas se abraçam – Oi tia Bones!

Beckett – Lilly!

Lilly – O que, mamãe? Ela deixa eu chamar assim...

Bones – É só uma criança, e além do mais, isso é culpa do Booth.

Beckett lembra que não, que o fato da Lilly chamar Brennan de Bones é culpa do Castle, mas prefere não falar nada.

Bones – Você está bem? Os bebês?

Beckett – Estamos ótimos.

Lilly – Vem Christine, vamos pro meu quarto. Quero falar dos meus irmãos, são 2 meninos. – ela pega o catalogo de móveis que o pai lhe trouxe pra escolher os móveis dos bebês. – Vem me ajudar com o quarto... – E as duas correm até o quarto de Lilly.

Bones – São dois meninos?

Beckett – É...

Bones – Soube que Castle sentiu os bebês mexerem... Queria ter dado essa sensação ao Booth...

Beckett – Quem sabe se vocês tiverem um segundo bebê? Eu acho que com a propaganda que Lilly fará dos irmãos, a Christine vai querer um também e agora com esse dossiê – ela dá os papeis a Bones – Vai ficar fácil fabricar um bebê.

Bones – Acha que isso vai dar mesmo certo?

Beckett – Tenho certeza! Olha só pra tudo que esse cara já fez... Ele vai ter medo com certeza.

Bones – Muito obrigada, obrigada mesmo

Beckett – Você, Booth e Christine merecem ser muito felizes.

Bones – Obrigada. Será que posso deixar Christine aqui? Eu vou falar com o Brady hoje mesmo.

Beckett – Claro que pode! Ela e Lilly tem muito o que pensar...

 

Enquanto isso no quarto de Lilly, a discussão era qual berço era o mais bonito. Elas viram diversas opções.

A menina aponta um berço pra gêmeos estilo beliche um em cima, outro embaixo – Esse parece que o bebê de baixo está numa jaula... – Elas riem.

Christine – Esse é bonitinho... – Ela mostra um de madeira onde os bebês ficariam um ao lado do outro paralelamente.

Lilly – Sim – ela pega a caneta e circula. – Olha, esse vira sofá! – ela mostra um de madeira e vidro, o berço pegaria a parede toda e os bebês ficariam lado a lado.

Christine – Que legal! - Lilly circula ele também.  – E esse? – Ela aponta um estilo cantoneira

Lilly – Eu não gostei dessa madeira no meio dos bebês. Eu quero que um bebê possa ver o outro. – Ela vira a página.

Christine – Olha esse tem uma cama embaixo como a sua cama. – Era um como o terceiro, mas com uma cama auxiliar embaixo

Lilly – Isso é legal! Eu poderia dormir com eles! – ela aponta outro. – Mas esse é mais legal porque também tem cama para mim e tem a cômoda junto, vai dar certinho no quarto. – O modelo era como o anterior, mas com uma cômoda ao lado.

Christine – Onde vai ser o quarto?

Lilly – Sabe a salinha de TV que ninguém mais usa? – Christine assente – Vai ser lá e esse berço é perfeito! Vai ser esse!

Castle bate na porta do quarto. – Lilly?

Lilly – Entre, papai!

Castle entra – Hora do lanche!

Lilly – Mas já?

Castle – Aham.

Lilly – Nossa... Vem Christine, vamos comer. Depois vamos ver o papel de parede.

Christine – Tá bom.

Castle – Ah, estavam escolhendo o quartinho dos gêmeos?

Lilly – Sim papai e já temos um berço e cômoda – ela pega a revista e mostra – Esse aqui, tem uma cama pra mim dormir com eles!

Castle – Que legal!

 

Depois do lanche elas voltam a folhear, escolhem o papel de parede, cinza com nuvens brancas, amarelas e cinza escuro. Lilly amava nuvens. Também escolhem as luminárias, uma de balão e outra de avião.

Lilly – Balões e aviões porque eles andam no céu.

O mobile era de pelúcia, uma nuvem branca com gotinhas de chuva coloridas.

Lilly – Adorei essa chuvinha!

Mas quando iam pensar no resto, B&B veio buscar Christine.

Beckett bateu na porta do quarto da filha – Christine! Sua mãe chegou e trouxe uma surpresa!

Lilly – Eu adoro surpresas!... Vem Christine vamos ver logo! – Ela puxa a amiguinha pelo braço e as duas saem para a sala.

Quando Christine vê o pai, ela sai correndo em disparada – PAPAI!!!

Bones para a filha antes que ela pule em cima de Booth. – Cuidado filha, papai está machucado!!

Christine freia, ela queria abraçar ele, mas não sabia como fazer sem machucá-lo. Booth se aproxima e faz um carinho no cabelo da menina.

Booth – Logo o papai melhora e te aperta muito!!

Christine – Eu senti saudades papai...

Booth – Eu também senti saudades.

Christine – Eu passei um tempo aqui na casa da Lilly, fui na escola dela e cantei no natal. Também fomos para a casa de praia da Lilly e agora nós também temos uma casa lá na praia.

Bones – Ah é, esqueci de te dizer Booth, compramos uma casa em Hamptons, uma casa vizinha da do Castle. Usei seu dinheiro para isso também. – Booth assente.

Booth se aproxima de Beckett – Hey olha só pra você...

Beckett – Estou enorme!

Booth – E linda também!... São?

Lilly – 2 meninos tio! Vão ser iguais e eu vou vestir eles iguais também! A gente tava escolhendo as coisas pro quarto deles, né Christine?

Christine assente – Papai agora que você voltou, eu posso ter um irmãozinho também?

Booth olha Bones – O que acha heim?

Bones – Podemos pensar nisso...

Booth – Obrigado Beckett, Bones contou que a ideia da chantagem foi sua...

Beckett – Imagina! Sei que se sente mal pela chantagem, mas no nosso trabalho as vezes temos de jogar sujo para sobreviver.

Booth assente – E como vai o braço?

Beckett – Melhorando...

Booth – Castle? – Castle se volta para ele – Cuide dela ok?! Agora vão ter de fazer esforço em dobro!

Castle bate continência – Eu sempre cuido! – ele se põe atrás da esposa e beija sua cabeça.

Lilly – Eu também cuido, né mamãe?

Beckett sorri e acaricia o cabelo da filha – Cuida sim meu amor, cuida muito bem! – ela olha paro Booth – Vê estou muito bem. Tenho ótimos ajudantes!

Booth assente – E você Christine? Cuidou da mamãe?

Christine – Aham! E também vou cuidar de você papai porque você ta dodói.

Booth – Obrigado!

Bones – Bom gente, acho melhor nos voltarmos pra casa, é uma longa viajem...

Lilly faz cara de desanimo – Aahh ainda temos coisas pra escolher. Tem trocadores, os enfeites...

Beckett – Já está tarde querida, a Christine volta outro dia.

Christine – Eu volto... – Ela adorava estar com a melhor amiga, mas hoje ela queria dar atenção ao pai - E também, você escolhe coisas lindas Lilly. O quarto vai ser lindo e seus irmãozinhos vão amar!

Lilly – Obrigada!

Booth – Então tchau?

Todos se despedem. Lilly também queria abraçar Booth, ela estava feliz por ter voltado, mas com medo de machucar ela só deu um beijinho de longe.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...