História Cavaleiros do Zodíaco -Interativa- - Capítulo 5


Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Abel, Aiacos de Garuda, Apolo, Ártemis, Deméter, Frey, Freya, Hades, Hyperion, Hypnos, Kagaho de Benu, Lune de Balron, Manigold de Câncer, Minos de Grifon, Myu de Papillon, Pandora, Perséfone, Personagens Originais, Poseidon, Radamanthys de Wyvern, Sorento de Sirene, Thanatos, Violate de Behemoth (Estrela Celeste da Solidão)
Tags Fanfic Interativa, Nova Guerra Santa, Saint Seiya
Visualizações 64
Palavras 3.460
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mas um capítulo feito por nós dois, esperamos que gostem.

Capítulo 5 - Capítulo V - O começo da Guerra Santa



A porta é aberta lentamente revelando Ayriko, a mulher para em meio a sala e olha a figura sentada em um Grande trono
- Grande Mestre?...- Grande Mestre
-Sim, creio que você seja a amazona de capricórnio...- Grande Mestre
-Sim, gostaria de perguntar sobre esse deus que o cavaleiro me disse.- Ayriko
- Bom, está para começar a Guerra Santa, nela Atena e nós, seus cavaleiros lutamos contra o deus do submundo Hades, normalmente a esta altura, todas as armaduras estavam ocupadas e as treze casas zodiacais já tinham cavaleiros de Ouro, mas houve muitos imprevistos e estamos com a proteção mais baixa que o normal, aos dourados já temos todos, mas sagitário, escorpião e libra estão em outros lugares no mundo e irei mandar um cavaleiro para busca-los. Você é o santo de Ouro de Capricórnio, o mais leal e Atena desde eras mitológicas, junte-se a nós e ajude-nos a lutar contra Hades- Grande Mestre
-Sim- Fala Ayriko fazendo uma reverência *Pensamento* Agora está explicado...-
- Aquele colar de ônix que veio com a armadura, ao toca-lo você terá acesso ao seu quarto particular, mas só poderá fazer isso na decima primeira casa, onde você irá ficar e proteger- Grande Mestre
-Ok- Ayriko
-Dispensada...- Grande Mestre
Ayriko sai do salão do Grande Mestre e vai para a casa de Capricórnio
_________ -- __________ -- ___________
Naiele estava sentada na escadaria da casa de serpentário, comendo uma maçã enquanto observava a casa de escorpião vazia sem muito interesse.
- Sem nada pra fazer Ophiuchus?- ??
Naiele olha para o alto de uma pilastra e avista um homem com uma armadura dourada, aquele era Tatsuya de Câncer, tinha a pele branca, seus olhos eram azuis e seus cabelos brancos faziam contraste com o sol que brilhava forte atrás do mesmo, destacando sua armadura que reluzia ao encontro da luz
- Um pouco Tatsuya, o que faz em serpentário?- Naiele
- Acabei de chegar de uma missão, aquele velhote é tão chato que tá mandando um gold em missão a cada 10 minutos, Depois de fazer o relatório fiquei aqui, tem uma ótima vista- Tatsuya
- Também percebi, não duvido nada que vai me mandar buscar algum dourado que não esteja aqui- Fala Naiele respirando fundo
- Hahahahaha- Tatsuya
- Vai, fala a verdade, você tá é bolando um plano para descer o sarrafo no Thanatos- Naiele
A expressão de Tatsuya ficou séria, ele fecha a mão com força e declara
- Quando eu vê-lo irei mata-lo sem hesitar...- Tatsuya
- E eu ajudo- Naiele
Os dois começam a rir, toda a tensão tinha sumido, eles eram bons amigos ha um tempo e uma boa risada sempre é garantida assim que eles conversam
Conversa pelo cosmo
- (Naiele, tenho uma missão para você)- Grande Mestre
- (Estou indo)- Naiele
Fim da conversa
-Tatsuya, você pode ver o futuro?- Pergunta Naiele incrédula
-Por quê?- Tatsuya
- O Grande Mestre acabou de me chamar para uma missão...- Naiele fala se levantando
-Hahaha, velho chato, eu sei, mas vai lá antes que ele comece a encher o saco- Tatsuya
-É, você tem razão...- Fala Naiele entrando na casa de Serpentário para subir ao Salão do Grande Mestre. A casa de sagitário estava vazia, mas ao passar por capricórnio nota uma mulher observando a estatua no meio da casa de Atena entregando uma espada a um cavaleiro
- Posso passar, eh...- Naiele
- Ayriko, Ayriko de Capricórnio, sim, pode passar- Fala a mulher em um tom frio
- Ok- Responde Naiele começando a passar pela casa *Pensamento*- Eita, frieza, essa é capricorniana...
Ao passar pela casa de Aquário ela vê um homem de cabelos brancos e olhos azul esverdeado, estava sentado sobre uma pilastra lendo atentamente um livro em braille
- Olá Shiro, posso passar por aquário?- Naiele pergunta gentilmente
- Claro Naiele- Responde Shiro sem virar sua atenção para a amazona
-Ok, obrigado- Responde Naiele passando pela casa e fechando as mãos com força, Shiro havia perdido a visão ainda quando criança, quando seu vilarejo foi atacado pelas tropas de Hades, ele conseguia viver normalmente, mas isso era frustrante para a serpentariana que não tinha poder o suficiente para curar o cavaleiro
-De nada- Responde ele
*Pensamento de Naiele*- Eu ainda conseguirei o poder suficiente para te curar Shiro, pode acreditar...
Naiele passa pela casa de peixes vazia e sobe a escadaria empurrando uma grande porta em seguida, ao chegar lá ela faz uma reverência por estar diante do Grande Mestre e fala
- Desculpe por demorar, qual é a missão?- Naiele
- Vá até a França, quero que entre em contato com Yasuhiko de Sagitário, diga que precisamos dele para proteger a casa de sagitário- Grande Mestre
- Sim- Responde Naiele
-Dispensada- Fala ele vendo Naiele se levantar e sair
Naiele desce a escadaria treze casas e dá uma ultima olhada até correr em direção a França. Em sua velocidade máxima de cavaleiro de ouro chegou lá em um minuto, estava cercada por uma grande vegetação, mas o estranho era que havia um caminho em meio a floresta, como marcas de luta
- Que ótimo, me manda para a França sem me dizer onde o sagitariano está...- Fala Naiele respirando fundo e começando a andar pelo local. Estava pensando como o encontraria até sentir um cosmo se aproximando
-Hihihi, oque temos aqui, uma garotinha perdida na França?...- uma figura fala começando a andar ate ela, estava com um manto preto que cobria todo seu corpo
- Revele-se, quem é voc...!- Foi cortada pela figura misteriosa que avançou contra ela desferindo um soco contra a amazona que desviou-se fazendo o punho do ser encostar de leve em sua armadura. Naiele pulou para trás deixando-a em uma distancia segura para que tivesse tempo de contra atacar
- Quem é você?!- Pergunta Naiele elevando seu cosmo, preparando-se para usar uma de suas técnicas
- Sou Riku de Griham, a estrela celeste do passado! E vejo que o seu passado não é muito bom...- Riku fala jogando o manto no chão, tinha cabelos negros e arrepiantes olhos que lembravam uma serpente, sua pele era tão pálida que podia-se ver as veias nas partes descobertas pela sobrepeliz
- Cale a boca- Grita Naiele com raiva avançando contra o espectro e desferindo um soco em sua mandíbula que quebrou com a força do ataque e o espectro cambaleou para trás com a mão na boca
- Que? E você ainda se considera um espectro?- Naiele pergunta erguendo uma sobrancelha
- Esse ataque forte demais, mas ainda serve...- Fala o espectro cuspindo sangue
- O que?!- Naiele pergunta ao sentir o punho formigar e a sensação espalhar-se por todo seu corpo
- Hehehe, está é minha técnica, ela pode ser ativada assim que essa pessoa me toca, FANTASMAS DO PASSADO!!- Grita o espectro com as mãos levantadas. Nesse mesmo momento a visão de Naiele ficou turva ate escurecer completamente, e então memorias começaram a tomar a mente da amazona, memorias sobre seu passado, o passado que ela queria esconder
-N-Não, de novo não!- Naiele fala um pouco mais alto que o normal agarrando os cabelos
Não eram apenas memorias, era como se as dores fossem reais, cada ferimento aberto, cada chicotada, cada câimbra nos braços por deixa-los suspensos por correntes. Cada palavra que saia de sua boca parecia fazer arder os brônquios de seu pulmão, mas mesmo assim insistia em dizer
-Me tira...daqui...alguém...me...tira...daqui...- Naiele
Naiele cai de joelhos, atormentada pelas visões enquanto o espectro ria malignamente
-Hahahahaha, mesmo sendo a amazona de serpentário, a única mulher digna de vestir esse traje poderoso que foi banido pelos deuses desde muitas eras, seu passado é sua fraqueza!- Riku
-Chiron's Thyllad-!- ?
Uma grande tempestade de vento aparece de cima lançando o espectro longe, a ilusão desaparece imediatamente da mente de Naiele que se levanta cerrando os dentes com força
- Você está bem moça?- ?
Naiele vira-se para uma figura atrás de si e se surpreende. Ele estava vestindo a armadura de ouro de sagitário, era um homem alto, meio musculoso. Sua pele era clara e seu cabelo assim como as sobrancelhas, era ruivo, curto e meio bagunçado. Seus olhos eram azuis e seu rosto mantinha uma expressão seria e preocupada
- Sim, obrigado, mas ficarei melhor assim que acabar com aquele maldito- Naiele fala franzindo o cenho e caminhando em direção ao espectro que ainda estava caído
- Hehehe, como se você estivesse em boa condição psicológica para me matar após a ilusão- Riku fala se levantando
- Porque vocês se aproveitam de meu passado para me atacar? Aposto que ninguém queria passar por aquilo... Ah, pro inferno com ele, RASALHAGUE !- Grita Naiele elevando seu cosmo e levantando um braço em direção ao espectro, uma grande rajada de cosmo vermelha sai de seu pulso e atinge o espectro brutalmente fazendo sua armadura se despedaçar, mas os pontos que a armadura não protegia estavam em carne viva fazendo o espectro gritar de dor
- Co-como ousa?- O espectro fala com dificuldade tentando parar inutilmente com a queimação
Naiele ia responder, mas vê uma flecha dourada acertar o espectro no peito
- Ei, eu podia cuidar dele sozinha... - Naiele fala com um meio sorriso
- Era melhor acabar com a dor desse pobre diabo- ??
- Sou Naiele de Ophiuchus, creio que você seja Yasuhiko de sagitário?- Naiele
- Sim, mas como sabe?- Pergunta Yasuhiko
- Sou do santuário de Atena, a guerra santa esta prestes a começar e ainda não temos todos os cavaleiros de Ouro, como você tem a posse da armadura de sagitário você foi convocado para proteger a decima casa- Naiele
- Sabia que esse dia chegaria desde que meu mestre morreu...claro, vamos- Yasuhiko fala andando ao lado de Naiele
- Ainda está em boa forma para correr?- Naiele
- Quando quiser...- Yasuhiko responde dando um meio sorriso
- É só me seguir- Responde Naiele começando a correr em sua velocidade de cavaleiro de ouro para o santuário e Yasuhiko faz o mesmo. Os dois chegam ao santuário em menos de um minuto, eles sobem até o salão do Grande Mestre e fazem uma reverência
- Missão cumprida Grande Mestre, encontrei o cavaleiro de Sagitário em uma floresta na França, entramos em combate com Riku de Griham, a estrela celeste do passado, mas ele já foi derrotado...- Naiele
- Muito bem Naiele. Yasuhiko, seu mestre era o antigo cavaleiro de Sagitário, ele foi um ótimo cavaleiro, digno de sua armadura e acredito que tenha o mesmo potencial. Você defenderá a decima casa e lutará em nome de Atena nesta Guerra Santa?- Grande Mestre
- Sim- Yasuhiko
- Muito bem, Naiele, gostaria que você mostrasse o santuário para Yasuhiko, pode fazer isso?- Grande Mestre
- Claro- Responde Naiele
-Dispensados- Grande Mestre
Ao sair do local os dois relaxaram um pouco, Naiele retira sua armadura e estala o pescoço como se quisesse relaxar, vestia um tomara que caia branco, jaqueta preta, calça jeans e uma bota preta sem salto seu colar de quartzo rosa tinha a forma de uma gota e reluzia a cada vez que encontrava com a luz
- Você está no santuário, relaxe um pouco Yasuhiko...- Naiele fala sorrindo de leve segurando a alça da urna de serpentário que tinha o símbolo de um garoto e uma serpente. Yasuhiko assente e retira a armadura de sagitário, ele trajava uma camisa preta, uma calça azul escuro e um tênis all-star preto, a urna de sua armadura tinha o desenho de um garoto centauro arqueiro
Já pelo começo da noite
Lucca deitou-se em sua cama meio receoso, afinal todas as noites sonhava com sua família morta em um acidente de carro, eles eram tão felizes, ele, Elayne e Sara, sua pequena Sara, porque apenas ele sobreviveu?
Deitou-se encolhido chorando um pouco, após remoer seus pensamentos por um tempo acabou dormindo. Acordou em um jardim de muitas flores e estranhou, havia um espelho no centro do jardim, mas tamanha fora sua curiosidade que decidiu ver. Ao avistar o espelho a cena que viu foi o bastante para que perdesse sua compostura
Ele via sua família viva, Elayne sorrindo e Sara em seu colo brincando com seu cabelo, por quê?! Porque sonhava com aquilo?!
Caiu de joelhos e já ia começar a chorar, mas parou ao ouvir uma voz
- Posso trazê-las de volta, posso fazer tudo isso tornar-se realidade... - ?
Lucca olhou novamente para o espelho e conseguiu ver um pequeno pentagrama de coloração meio arroxeada no centro do espelho
- Posso trazê-las de volta- Um braço estendeu-se para fora do espelho-venha...-
Lucca não respondeu, apenas levantou e começou a andar em direção ao espelho, afinal, aquilo era um sonho, ninguém pode ressuscitar os mortos
Ao segurar a mão do braço que saia do espelho sentiu algo diferente, sua visão começou a se enegrecer ate apagar completamente
No Santuário
Maya estava observando a lua, seus deveres de Atena não deixavam muito espaço para ela contemplar o belo astro brilhante que iluminava perfeitamente as treze casas do zodíaco. Estava tranquila até sentir um forte cosmo se erguer e a lua começar a sumir
- N-Não, não pode ser...- Maya
Aqueles sinais indicavam o retorno de Hades. O Grande Mestre que até agora estava parado em seu trono corre para fora e retira seu elmo olhando para a lua em seguida
- Começou Atena... A Guerra Santa começou- sussurra o ancião abaixando a cabeça.
Ele coloca o elmo suspirando e se assusta ao ver uma grande carruagem, nela havia uma alta mulher com asas de morcego, usava um vestido negro como a noite com centenas de bilhares de pontos brancos igual os 4 cavalos alados com olhos brancos (como se não tivesse íris), ela usava um véu escuro com dezenas de milhares de pontinhos brancos e usava dois brincos brancos em formato de lua minguante. Ela olha pro Mestre e dá um sorriso mostrando dentes brilhantes de tão brancos e golpeia rédeas negras que surgiram no ar e enquanto a carruagem voava ela coloca um capuz que era igual o véu e vestida e ela, os cavalos e a carruagem desaparecem.
- Ahn? Será que ela era... Não, o desespero pelo começo da guerra deve ter feito meus olhos veem o que não existia.
Em algum lugar da Itália.
Um homem avançava correndo pelos corredores do templo, ele usava roupas que os soldados romanos utilizavam com o elmo de bronze emplumado com coloração vermelho-sangue e uma lança com a ponta dourada em mãos, tinha pele bronzeada e longos cabelos escuros mas a face era coberta pela sombra. Ele chegava em frente à uma porta, o homem a abre e começa a cair após tranca-la, ele faz um corte horizontal abaixo de si no ar que se abre ficando no formato de um olho e ele entra mostrando estar na Hyperdimensão e parecia não sofrer nada, ele corre novamente pela expansão espacial e depois de percorrer 650 mil km ele faz o mesmo tipo de corte mas a sua frente e ele entra.
Outra Dimensão, Local Desconhecido.
O homem surge numa elevação, o local aonde pisava era igual o solo da Terra quando o planeta apareceu do Caos, ele então começa a correr aparentando estar apressado e tentava ignorar em vão a forte dificuldade de respirar o ar primordial. Ele passava por diversos monstros e seres, passou por uma montanha com um ser empurrando uma rocha e por uma caverna com um ser tentando beber a água do poço que o cobria até o pescoço mas esta se afastava e quando tentava comer a uva dos ramos acima de sua cabeça mas estes tinham a mesma reação da água e o ser finalmente chega até o local que queria.
Ele se abaixava em frente ao esqueleto de alguém e pegava a caixa de Pandora real (a que Pandora abriu e liberou os males — que Prometeu não entregou ao homem — ao mundo) e a abria pegando todas as cinzas dentro dela e disparava ao chão, abrindo mais um portal a Hyperdimensão e avançando 1 km ali e caindo logo em frente a um grande buraco que o homem pulou.
Um grande fedor foi captado pelo olfato dele e ele se contorceu mas continuou caindo até cair num solo igual o de antes e ele vai até um grande portão guardado por duas pessoas.
— Saiam. — Falou o homem com roupas romanas.
— Sim, senhor. – Uma mulher com vestido verde, pele clara, longos cabelos azulados da mesma cor da íris dos olhos e portando um tridente dourado se curvou.
— Sim, senhor. — Um homem baixo de 1,10, com longos cabelos negros desgrenhados que iam até a metade das costas, usava uma armadura azul que angustiava só de olhar, tinha olhos tristes castanhos claro e uma pele negra muito miserável e depressiva fez o mesmo movimento da pessoa ao seu lado.
O ser abriu o portão de bronze e o fechou após entrar e começou a descer uma grande escadaria e sempre que andava 5 degraus havia uma grande com 3 barras de ferro horizontais, diagonais e verticais com uma bola no meio e um círculo ao redor — com 30 metros de comprimento, 35 metros de altura e 12 metros de comprimento — e dentro haviam seres presos. Ele chega no fim da escadaria que demorava uma eternidade e chegava num outro portão de bronze com dois guardiões.
— O-olá, s-senhor. — O homem da direita estava extremamente velho como se faltasse um segundo pra morrer, tinha uma pele negra muito enrugada, olhos dourados com bastante cansaço, uma armadura prateada que cobria todo o corpo com uma bengala que ele usava para ficar de pé e um cabelo muito branco encaracolado que ia até o pescoço.
— Olá. — Uma mulher com cara de deboche olhava o homem, tinha um cabelo curto rosa chiclete, olhos rosa choque e pele rosada e uma armadura com cor de papiro a cobria.
O homem faz o mesmo processo de antes e estava num labirinto com paredes cor de areia, ele abre a Hyperdimensão e desaparece nela surgindo no centro onde um ser metade touro e metade homem com um machado que tinha um símbolo grego e um ser de pele clara com armadura completa, tinha uma espada dourado, era careca, tinha olhos escuros e era coberto de cicatrizes, o ser que andava por aquele local entra pela porta de ouro e desce uma escadaria do mesmo material por um tempo de 1 dia.
Ele estava num cômodo enorme com 7 selas iguais as outras mas com 1.500 km de altura, 350 km de largura e 750 km de comprimento e haviam seres acorrentados lá, em cima de cada sela tinha um nome escrito, ao total os nomes eram.
• Febe.
• Téia.
• Réia.
• Crio.
• Hipérion.
• Jápeto.
• Cronos.
Ele olhava os Titãs com desprezo e olha para os dois guardas: uma mulher igual o outro guarda careca porém com longos cabelos com de sangue e do lado havia um homem com 2,10, curtos cabelos loiros, olhos azuis penetrantes e pele albina, o homem desce mais uma escadaria porém esta é de platina e dessa vez demora 3 dias e finalmente chega ao fim.
Lá havia uma cachoeira que levava a um lago que ocupava a pequena sela e em cima da porta estava escrito: Érebo. Ele então vê um homem com roupas negras com luvas, botas e véu da mesma cor saindo da água.
— Olá, velhote. — Falava o homem pro outro ser.
— Saia daqui, seu verme! Pensa que não sei do seu ato?— Questiona o idoso com raiva.
— Quais? Eu já fiz vários. — Se sentava no chão.
— Roubar meus castelo das trevas aqui no Tártaro e se denominar o novo Deus daqui. Pode ser um Deus, mas não daqui! — Grita o velho.
— Ah, idai? Bem, eu te devolvo o controle do castelo e te dou o domínio daqui se me dizer aonde estão os outros.
— Hm, claro... — Com um tom e sorriso interesseiro. — Gaia se encontra no monte Everest com a sua primogênita Óreas, Tártaro se encontra dentro do “coração” deste inferno e estamos na rota do ânus do Tártaro na forma normal, eu estou aqui, Nyx se encontra dentro de seu castelo no centro do cérebro de Tártaro com Hemera e Éter mas nunca se encontram, pois Éter está sempre na Terra, Hemera fica naquele planeta por 12 horas (dia) e Nyx também, mas em 12 horas separadas (noite) e Eros está desaparecido.
— Muito obrigado. — O homem se teleporta pra frente de Érebo e sua lança vira uma espada que perfura ele brutalmente no estômago e ele pega o sangue dele enchendo uma ânfora inteira e ele corta o ar ao redor dos dois pulsos, dos dois tornozelos e da metade das costas o libertando e sumindo dali com a ânfora.
 


Notas Finais


Por quê Naiele era torturada na infância?
Quem era aquela mulher?
Quem era aquele homem e o que queria?
Qual o primeiro passo que os espectros farão com Hades junto com eles?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...