1. Spirit Fanfics >
  2. Cavaleiros do zodíaco- Universo caotico >
  3. A volta divina!

História Cavaleiros do zodíaco- Universo caotico - Capítulo 551


Escrita por: gabrilemos

Notas do Autor


Olá, como vão? Espero que bem.
E lá vamos nós, para os capítulos finais, quem lê pensa que estamos perto do final, hehehe. Bem, eu espero divertir vocês nessa reta final, igual eu me diverti escrevendo tudo isso. É uma historia muito longa, mas não significa que seja ruim certo?

Capítulo 551 - A volta divina!


Fanfic / Fanfiction Cavaleiros do zodíaco- Universo caotico - Capítulo 551 - A volta divina!

A joia de Gaia finalmente foi purificada, e a corrupção caótica já não corria pelo planeta. Os cavaleiros de ouro voltavam para o santuário, que por sua vez comemoravam sua grande vitória. A esperança ardia em seus corações mais forte do que nunca, onde eles finalmente conseguiram encontrar uma maneira de derrotar Caos. Ou pelo menos era isso que eles fielmente acreditavam. O grupo de guerreiros voltou para o santuário, sendo recebidos com uma imensa festa, todos comemoravam a volta dos cavaleiros de ouro. Enquanto isso, Sayumi se reunia com os deuses olimpianos para discutir sobre a estratégia da última batalha contra o exército caótico.

O dia amanhecia novamente no grande santuário de Athena, logo todos colocaram iniciaram suas tarefas. Os guerreiros treinavam firmemente no coliseu, prontos para a guerra, mesmo sem sequer saber quando e onde de fato iria acontecer a grande batalha. Enquanto isso no grande salão, Kai segurava o elmo dourado do grande mestre em suas mãos, vestindo as túnicas brancas. O cavaleiro de sagitário olhava para a joia de Gaia em sua mão, ele sentia a enorme energia proveniente do artefato e logo deu um leve sorriso até que alguém se aproximou. Era Calisto, a representante da deusa da lua e da caça.

Calisto- É a primeira vez que vejo um de vocês voltarem para o santuário sem nenhum ferimento ou armadura quebrada. Devo me impressionar?

Kai- Huh, acho que dessa vez tivemos mais sorte, o que pode ser considerado um bom mérito para alguns.

Calisto- Então essa é a joia de Gaia perfeita? Ela é tão bela, e dá para sentir sua força por todo o local.

Kai- Sim, é verdade. A força de Gaia está completamente aqui... Eu nem sei dimensionar o tamanho dessa energia, mas ao mesmo tempo, ela é tão confortável.

Calisto- Sim, de fato. Venha, os deuses estão nós aguardando em na frente da estátua de Athena.

Kai- Chegou a hora.

Kai respira fundo e se levanta do trono, colocando o elmo dourado na cabeça. Ele então foi ao lado de Calisto e os dois saíram do grande salão, subindo as últimas escadarias do santuário que levavam para a grande estátua de Athena. Lá os deuses olimpianos esperavam o grande mestre. Kai foi para o lado de Sayumi.

Kai- Muito bem. Nós conseguimos, a joia de Gaia foi purificada!

Zeus- Onde ela está?

Kai- ... Aqui!

Kai mostra para todos ali a poderosa joia de Gaia. Os deuses ficaram impressionados com a imensa força que o artefato emanava.

Zeus- Posso toca-la?

Sayumi- Porque quer tanto segurar a joia de Gaia, Zeus?

Zeus- Para nós libertarmos mais uma vez...

Kai olha para Sayumi e vê como a reencarnação da deusa Athena estava desconfiada.

Sayumi- Está bem, pode toca-la. Mas saiba que, eu levarei comigo a joia de Gaia até a batalha final.

Kai acena com a cabeça e entrega a joia de Gaia para Zeus. O deus dos deuses observa o artefato de perto, observando cada detalhe do brilhante. Assim, Zeus fechou os olhos e se concentrou, apertando a joia com firmeza, recitando algo em uma linguagem completamente desconhecida, um idioma sagrado e incompreensível por todos. E assim um enorme pilar de luz desceu do universo atingindo Zeus, e logo em seguida cada um dos deuses do olimpo foi iluminado. Aos poucos era possível ouvir o som de correntes quebrando, e o cosmos divinos voltaram para os corpos dos deuses, assim como suas armaduras que recuperaram seus brilhos.

Zeus- Graças a joia de Gaia, nós os deuses, conseguimos recuperar nossos cosmos divinos. Nós libertamos da praga que Caos nós jogou. Nossa força finalmente voltou!

Kai- Isso é ótimo! Vamos precisar de toda força possível na última batalha!

Zeus- Sim, aqui Sayumi, fique com a joia, guarde-a com carinho.

Zeus entrega novamente a joia de Gaia para Sayumi, e ela a guarda no pescoço, usando-a como um colar.

Sayumi- Agora precisamos descobrir como e onde vamos enfrentar Caos.

Zeus- Bem... Não apenas Caos, existem seus generais, além dos dois deuses primordiais, Nyx e Erebo. No entanto, com nossa força de volta, acredito que conseguiremos derrotar a maioria deles, principalmente se lutarmos juntos.

Sayumi- Excelente, mas onde fica a morada de Caos?

Zeus- No centro do universo.

Sayumi- E como chegaremos lá?

Zeus- ... Precisamos de tempo. Eu sei que o deus do tempo Chronos descansa no grande monte olimpo. O conhecimento dele é atemporal, ou seja, ele deve nós dar uma resposta sobre o como chegar no centro do universo.

Sayumi- Então faremos isso. Agora que recuperaram seus poderes, podem ajudar os mortais em sua recuperação. Afinal, eles defenderam vocês em grandes batalhas, nada mais justo uma demonstração de gratidão.

Zeus- Sim, faremos isso. Nós devemos isso a eles, e devemos isso a Gaia.

Sayumi- Pois bem amanhã falaremos diretamente com Chronos. Estão dispensados por hora.

Os deuses, Kai e Calisto deixavam a grande estátua de Athena, com exceção de Sayumi.

Sayumi- Zeus...

Zeus- Sim?

Sayumi- Fique aqui um instante, por favor.

Quando todos saíram, restaram apenas Sayumi e Zeus no local. Eles estavam a sós.

Sayumi- ... Caos disse algo sobre uma maldição de males sobre os deuses, inclusive a mim. O que ele realmente quis dizer com isso?

Zeus- ...

Zeus parecia estar incomodado com a pergunta de Sayumi, desviando seu olhar, ficando ligeiramente inquieto.

Zeus- Eu não quero dizer...

Sayumi- Você não está em posição para fazer exigências, o que aconteceu nos tempos mitológicos que se perderam hoje em dia? Hum?

Sayumi olhou diretamente nos olhos de Zeus, e ao fazer isso ela viu algo estranho. Ela viu medo, seguido de lagrimas, e assim ela passou de uma feição seria, para uma feição de compaixão.

Zeus- Eu peço, não para que entenda, mas apenas que respeite minha vontade... Quando tudo se resolver, você saberá da história, mas caso não se resolva, não haverá necessidade de descobrir a verdade.

Sayumi- ... Está certo, vou respeitar sua decisão. Amanhã quando o sol aparecer com seus raios de luz no horizonte, iremos até Chronos, e lá descobriremos sobre o centro do universo. Até mais, Zeus.

Sayumi se retira do local, enquanto Zeus continuava ali parado, olhando para a grandiosa estátua de Athena. O rei dos deuses então falou baixo, para que ele não pudesse ser ouvido por ninguém.

Zeus- Adeus, minha pequena esperança... Espero que um dia eu consiga voltar a te enxergar assim... E não como...

Zeus fecha os olhos e respira fundo o ar da manhã. E assim o tempo se passou até o véu da noite cobri o céu. Era uma noite escura, noite de lua nova, com poucas estrelas no céu. Os guerreiros do exército da esperança passaram o dia fazendo suas próprias coisas, Pyliy e Báoli se ajudavam reconstruindo algumas armaduras, inclusive a armadura de ouro de libra.

Pyliy- Hihi, a armadura de libra é complicada, porque ela possui as armas. Mas quem melhor para afiar uma espada senão você Báoli?

Báoli- Ora, eu só fui capaz de me afiar como estou hoje, graças a vocês eu já disse isso.

Pyliy abraça Báoli por trás, fazendo o cavaleiro de capricórnio sorrir.

Pyliy- Eu sei, mas eu gosto de ouvir você falar isso.

Enquanto isso na casa de câncer, Manianks treinava com Reji, e aos poucos ele parecia começar a entender como funcionava seu olho espiritual. Kai continuava no grande salão ao lado de Calisto, enquanto isso Kotei se juntava a Gabriel, Tsuki e Evelyn, a garota celta em uma fogueira próxima ao coliseu. Lá eles bebiam e comiam algo que esquentavam em espetos.

Gabriel- Haá há! Está atrasado garotinho!

Kotei- Não existe atraso para isso!

Gabriel- Mas é claro que existe, se eu comesse tudo você perderia, vamos pegue um!

Evelyn- Hihi, fico feliz que vocês tenham voltado inteiros dessa vez. Me poupa o trabalho!

Tsuki- Evelyn, você tem que ver o vale da vida! Lá é um local maravilhoso!

Evelyn- Vale da vida? Não era o vale da morte?

Gabriel- Sim era... O mundo muda, dessa vez foi para melhor! Hahaha!

Foi então que eles escutaram um barulho, e ao se virarem observaram Sayumi. A reencarnação da deusa se aproximava lentamente, mas rapidamente foi recebida com abraços, Gabriel colocou mais lenha da fogueira e lhe entregou comida, enquanto Tsuki agarrou uma caneca e lhe entregou bebida, e assim Sayumi se sentou com eles, se juntando a pequena festa. Eles conversaram bastante durante um bom tempo, com risadas e boas histórias. Até que aos poucos cada um deles foi caindo no sono, o primeiro foi Kotei, dormindo no chão mesmo, em seguida Evelyn, sentada se apoiando em um pilar de pedras, Tsuki se sentiu cansada e logo se levantou.

Tsuki- Acho que já deu minha hora, eu vou levar Evelyn, você leva o Kotei?

Gabriel- Mas é claro, se quiser posso levar os dois, não se esforce tanto.

Tsuki- Hihi, eu ainda sou uma guerreira, e além disso... Eu já carrego alguém por aí o dia todo.

Gabriel- Haha! Tudo bem... Boa noite garota!

Tsuki- Boa noite, garoto.

Tsuki segura Evelyn nos braços e a leva com delicadeza até a cama da garota celta, e em seguida a amazona de ouro segue para casa de touro. Gabriel então olhou para Kotei, e depois olhou para Sayumi. Ela parecia estar pensativa.

Gabriel- O que foi Sayumi? Não conversamos direito desde que eu... Morri?

Sayumi- Acho que sim... Eu estive pensando...

Gabriel- Ah! Pensar sempre é bom, mas tome cuidado! Águas profundas são perigosas, mesmo sendo refrescantes.

Sayumi- Sim... Você acha que eu vou me tornar como eles?

Gabriel- Hum... Os deuses?

Sayumi- Sim. Eles estão agindo de maneira exemplar ultimamente, mas tanta maldade já se originou deles... E existe uma história que Zeus tem medo de me contar, e eu... Estou com muitas dúvidas, e insegura quanto a isso.

Gabriel- Hum... Então eles realmente liberaram seus poderes hoje...

Sayumi- Você sentiu?

Gabriel- E tinha como não sentir? Todo o santuário sentiu, a gigantesca força do cosmo divino estava por todo lugar aqui. Todos nós sabemos que eles voltaram a ter seus poderes.

Sayumi- Acha que eles podem voltar a ficarem mal?

Gabriel- Não sei, eu sinto que o mal sempre vai existir, e acho que os deuses podem ser bem malvados..., mas eu sei de uma coisa, e bem, não importa o que eu sinto ou o que eu ache, o que realmente importa é o que eu sei.

Sayumi- E o que você sabe?

Gabriel- Bem, nós dois temos uma coisa em comum sabia? Eu e você temos alguns títulos que as pessoas gostam de se referir a nós.

Sayumi- Como o que?

Gabriel- Você é conhecida por alguns como a reencarnação da deusa, por outros como a própria deusa Athena, para outros é a jovem Sayumi. Assim como eu, alguns me vem como o Huang long, outros o dragão azul, até cavaleiro de libra e por aí vai...

Sayumi- Sim, isso é verdade.

Gabriel- Mas o que você não pode se esquecer, é que quando falam com você, estão falando com Sayumi, e isso engloba tudo isso. Eu demorei pra entender, mas quando entendi olha só, voltei a ter meu poder, e digo mais, cheguei ao topo da minha força heh.

Sayumi- Parando para pensar, sim... Eu sou Sayumi.

Gabriel- Sim, você é Sayumi, uma humana. E aí entra o começo da diferença de você para os outros deuses... Vamos pensar lá no começo, você se lembra como chegou ao santuário? Eu não estava aqui, morava em Rozan, mas me lembro da história que Kalos me contou, você se lembra?

Sayumi- Sim, eu morava em uma vila próxima ao mar, quando fomos atacados por saqueadores, que destruíram tudo, inclusive meus pais.

Gabriel- Essa história mesmo, e depois disso você foi resgatada por Kalos, e coincidentemente você era a reencarnação da deusa Athena, e um novo mundo se abriu para você. Percebeu a diferença? Ou melhor, as diferenças?

Sayumi- Não...

Gabriel- Então eu vou lhe dizer. A primeira e mais óbvia, você naquele dia foi atacada por humanos. Não foi por uma divindade, ou por guerreiros com poderes cósmicos, nada disso! Foram humanos com maldade em seus corações que mataram e saquearam sua antiga morada. E olhe para você nos últimos anos, lutou para defender os mortais, abraçando seus bons sentimentos, e também os seus pecados. Afinal, nós quando lutamos contra o mal, não defendemos apenas pessoas boas.

Sayumi- É verdade...

Gabriel- Agora a segunda é algo que eu já vinha percebendo a algum tempo.

Sayumi- O que é?

Gabriel- Bem, desde que você liberou sua energia divina por completa nós enfrentamos muitos deuses diretamente... Encaramos Phobos, Deimos, Ênios e Anteros, e nenhum tinha uma energia parecida com a sua. A mesma coisa dos seus irmãos, Artemis, Ares e Apollo. Nenhuma outra energia divina é parecida com a sua, mas por outro lado... A energia dos mortais é semelhante à sua. E bem, acredito que seja porque você não é uma deusa encarnada em um corpo mortal, mas sim uma mortal abençoada com a força divina.

Sayumi- Acha que sou uma mortal?

Gabriel- Não acho, tenho certeza. Você nasceu de pais humanos mortais, e não veio para essa Terra atrás vez de uma estrela cadente ou algo do tipo. Você luta ao nosso lado como uma mortal, sorri e chora como uma de nós, e nós lutamos ao seu lado não por ser uma deusa...

Gabriel pega um pequeno frasco na mão e passa nas costas da mão de Sayumi.

Gabriel- ... Lutamos por você, porque é nossa amiga. Você Sayumi, é uma de nós, e nada pode mudar isso! Heh!

Gabriel eleva um pouco seu cosmo, revelando a pequena marca de dragão azul nas costas de sua mão. Aquilo reage com a marca dos outros cavaleiros de ouro, inclusive na de Kotei que continuava dormindo no chão. Sayumi então sorri, estava emocionada, e logo queima levemente seu cosmo, fazendo surgir uma marca de coruja branca nas costas de sua mão.

Gabriel- Bem, agora eu acho que tenho que levar o leão para dormir em algum teto, vai que ele pega uma gripe e acabe ficando de fora da diversão? Vamos lá garota, amanhã é um grande dia.

Sayumi- Sim! Pode ter certeza! Obrigada, grande amigo!

Gabriel- Heh!

Gabriel segura os pés de Kotei e o arrasta pelo chão por alguns metros, em seguida o cavaleiro de libra gira em seu eixo, arremessando o cavaleiro de leão pelos ares, até a casa de leão. E mesmo assim, Kotei continuou dormindo calmamente. Sayumi voltou para os seus aposentos e logo um novo dia amanheceu, o dia em que eles iriam conversar novamente com Chronos para descobrir mais sobre o centro do universo.


Notas Finais


próximo capitulo sexta 11/06


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...