1. Spirit Fanfics >
  2. CDZ Guerra Sangrenta: A Cura >
  3. Inicio da Procura!

História CDZ Guerra Sangrenta: A Cura - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Na capa o tribunal silencioso e Aspros (personagem de Lost Canvas, mas na minha fic, ele pertenceu a outra epoca). Helena e Merus iniciam suas buscas.

Lembrando que essa é uma continuação direta após o capitulo 22 de CDZ Guerra Sangrenta.

Tenham uma ótima leitura e espero que Gostem. 😁😁😁

Capítulo 1 - Inicio da Procura!


Fanfic / Fanfiction CDZ Guerra Sangrenta: A Cura - Capítulo 1 - Inicio da Procura!


Merus e Helena estão na entrada do submundo onde Merus lê o que está escrito na entrada:

- "aqueles que aqui entrarem, devem perder todas as esperanças!"


Helena:

- o mundo dos mortos não é nada confortável. Eu ouvi falar a respeito de muitas coisas.


Merus:

- sim! Seiya me contou tudo que ele passou. Mas o pior deles foi ter ficado preso na oitava prisão.


Eles passam a entrada se aproximando do rio aqueronte onde está o transportador Caronte. Que diz não querer transportar eles por estarem vivos. Helena paga umas moedas e fala de um jeito que ele não nega mais e transporta ambos ate a ilha da primeira prisão. Ao descerem dali e Caronte ir embora, Merus diz:

- Se você não tivesse moedas jamais teriamos chegado aqui.


Helena:

- você diz conhecer as histórias dos deuses mas esquece dos detalhes. Sem moedas jamais chegariamos aqui. ("Embora eu não precisasse se eu quiser").


Eles passam indo para a primeira prisão. A entrada é enorme. Helena diz:

- essa é o tribunal silencioso! É onde as almas dos mortos que chegam ao submundo são julgadas por um dos três juízes, o Minos de Griffon, que morreu! Lune de Balron também está morto. Mas não se engane! Pode haver outro no lugar.


Eles vão subindo as escadas e ao entrar vê um homem que olha para eles e ele esta vendo um livro virando páginas então Merus diz:

- olá! Estamos à procura de Pers...


Aspros:

- SILÊNCIO! Aqui o réu não pode falar enquanto está sendo julgado.


Merus:

- seu tolo! Eu não vim aqui para ser julgado. Não importa o que eu fiz. Você não é um deus e não irá me julgar.


Aspros está olhando trêmulo para Helena e sem acreditar na sensação que está sentindo, diz:

- você! Não pode ser.


Ele fecha os olhos e diz:

- Amazona de Escorpião! Saia imediatamente daqui e pode ir adiante.


Helena apenas sai e Merus a acompanha, mas Aspros prende o cavaleiro de Sagitário com seu chicote e diz:

- ja disse que você vai ser julgado aqui mesmo por mim, Aspros de Balron.


O cosmo de Merus ferve e ele destroi o chicote dele, dizendo:

- seu olhar, é semelhante a de Saga de Gêmeos.


Aspros:

- não é da sua conta! Agora por ter me desrespeitado pague com sua vida! Explosão Galáctica!


Merus é atingido pelo poder de Aspros enquanto pensa consigo mesmo:


-"Aspros de Gêmeos! Pain me contou sobre ele ser o responsavel por libertar os Bersekers que nos enfrentaram nas 12 casas."


Ele cai no chão derramando um pouco de seu sangue. Merus se levanta e concentra seu cosmo no braço direito. Raios se aproximam dele que diz:

- eu estou aqui por uma razão! O homem que vocês dizem ser o senhor do submundo deixou meu amigo incapacitado de proteger o nosso mundo! O mundo que pertence aos humanos e deuses querem dominar como se fosse um brinquedo. Mesmo que eu morra no final, não irei desistir de ajudá-lo!


Aspros:

- que cosmo é esse? É mais poderoso que o de Regulus!


Merus:

Trovão Atômico!


Aspros:

Explosão Galáctica!


Os poderes se chocam de um jeito que nem mesmo Helena acredita, ela está ali vendo a luta de Merus contra Aspros. Escondida assistindo caso ele fracasse, o salvaria. As luzes se terminam e os dois se cruzaram com os punhos e Aspros cai no chão ensanguentado. O cavaleiro de Sagitário sai dali correndo e Helena some. Quando ele chega na saida, vê Helena o esperando e diz:


- você é irritante sabia?


Helena:

- do que está falando?


Merus:

- eu sei que viu minha luta! Na verdade você sabia que eu ia vencer.


Helena:

- eu sei que seu objetivo aqui, que é curar Seiya, irá te motivar a continuar. Mesmo sabendo que terríveis obstáculos.


Merus:

- sim! Mas vamos logo que eu não o matei. Ele é forte demais, o nível dele se equipara a um cavaleiro de ouro.


Eles correm indo pela ponte onde o furacão começa a levar Helena para o alto e Merus a segura pela mão com sua mão direita. Ele também começa a flutuar e ele prende sua mão esquerda num pilar da ponte, como uma espada. Ele pede para Helena se segurar nele e ela o faz. Ele usa sua mão direita pegando seu arco, segura no ombro, pega sua flecha e dispara na ponte. A flecha está com uma linha forte amarrada e ele solta seu braço esquerdo e se impulsiona puxando a corda. Quando eles caem no chão e percebem que passaram pela ponte, estando agora na segunda prisão. Merus enrola sua linha no arco, a guardando para casos extremos. Helena diz:

- obrigado!


Merus:

- disponha!


Helena:

- você é irritante, mas é inteligente!


Merus:

- vindo de você é um elogio! Vamos?


Ela concorda e ambos andam enquanto Helena se lembra de sua infância...


FLASHBACK ON


Helena está correndo e brincando com outras crianças, porém depois de um tempo. As outras crianças fogem dela, que fica sem entender e volta triste para casa. Sua mãe está fazendo o almoço e pergunta:


- o que houve Helena? Por que está assim?


Helena:

- meus amigos correram de mim.


Selena:

- não fique assim, minha garotinha! As crianças não entendem o quão especial você é.


Aparece um homem com uma urna da armadura de Áries e Helena feliz, diz:

- tio Gate!


Ela corre para abraça-lo e ele a pega no colo dizendo:

- como está minha garotinha favorita?


Helena:

- um pouco triste, tio! Todos estão fugindo de mim.


Gateguard:

- eles são todos idiotas! Não sabem o quão especial você é!


Helena:

- a mamãe disse a mesma coisa!


Gateguard:

- porque é verdade! Você vai ver que eles vão é querer estar perto de você!


Ela corre feliz para o seu quarto, mas consegue ouvir:

- irmão! Eu não sei mais o que fazer. Ainda não tive coragem de falar sobre o pai dela.


Gateguard:

- um dia ela vai ter que saber. Pois se algo acontecer com você, ela vai ter que morar com ele. Foi o trato que fizemos com ele.


Selena:

- eu sei! Mas tenho medo dele transformar nossa garotinha num monstro. Aliás o trato inclui você servir à ele por toda a eternidade no dia em que ela for viver com ele.


Gateguard:

- eu sei! Vai ser assim! Ou você conta para ela a verdade ou eu conto.


Selena:

- tudo bem! Eu vou contar, mas amanhã!


Gateguard:

- nem um dia a mais, entendeu?


Ele faz essa pergunta segura nos ombros dela que concorda. Ele a abraça e Helena assustada corre para a rua chorando. Afinal ela tinha apenas 7 anos de idade.


FLASHBACK OFF


Helena e Merus sentem as chuvas que caem serem muito geladas e a amazona percebe que é isso o que acontece aos que são condenados ali. Eles param e Merus fica perplexo com a aparência da segunda prisão.


Continua...


Notas Finais


Até Sexta-feira! 😁🖐


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...