1. Spirit Fanfics >
  2. Cego Demais para Amar. >
  3. Capítulo 1.

História Cego Demais para Amar. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


E aí leitores, olha foi mal ter demorado tanto pra postar, era eu pra ter posta a uma semana atrás. Mas comecei a estudar em tempo integral, e também o meu curso. Ai eu acabo chegando muito tarde. Por isso os capítulos vão demorar só mais um tiquinho para serem postados apartir desse agora.

Desde já me desculpo de tiver error de português.
Era isso, tenham uma boa leitura.

Capítulo 2 - Capítulo 1.


Um som vibrante que mais parecia um sino ecoou pelo quarto que agora estava com um feicho de luz tramparecendo entre a cortina escura que tapava a grande janela de vidro. O som que tocava antes agora havia cessado com um leve toque que apertava o botão de desligar do aparelho metálico que agora era silencioso. 

A mão que apertara o botão do pequeno projétil metálico caiu em seguida, batendo na cabeceira de madeira que sustenta a cama, fazendo um pequeno grunido de dor transparecer.

A morena ergueu o corpo espreguiçando, coçando os olhos e bocejando em seguida colocando sua mão a frente da boca. Levanta a caminho do banheiro, levando com sigo a escova de dentes. Depois de fazer sua higiene dental a mesma pega sua toalha, à pendurado no ferro da parede.

A mesma já nua, liga o choveiro deixando a água que antes estava quente mas agora era fria, cair no seu corpo, tirando o cansaço, deixando‐o escorrer pelo ralo do chão. O banho demorou por volta de sete minutos, quando a morena termina seu banho pega sua toalha enxugando as gotas de água em seu corpo.

Após o terminio do banho, veste seu uniforme que compunha de uma blusa branca com a raiz do membro superior em verde grama, uma saia esverdeçada, e uma gravata vermelha. Após se vestir, a mesma pentea seu curto cabelo castanho com cuidado, paça uma base em sua face, e desliza em seu lábio um cacau bastão.

Quando finalmente termina de se organizar, a morena pega sua mochila e desce as escadas até a cozinha pegando uma maça para mais tarde e uma torrada para agora, depois de colocar a maça em sua mochila, a garota vai em direção a porta com a torrada na boca, coloca seus sapatos e em seguida sai de casa em destino do seu colégio onde estava no início do Ens.Médio na Yuuei. No caminho pega seus fones de ouvido, os coloca, pondo em seguida a cantora Marie Ulven, no álbum Girl in red, na música I'll Die Anyway, na qual era sua música preferida daquela cantora. Mas ao olhar o horário em seu celular, era 8:41, as aulas começavam 9:00, se assusta e corre pelas ruas em objetivo de chegar a tempo na escola, mesmo sabendo que isso não era possível.

Corria desperadamente pelas ruas a som de Girl in red_I'll Die Anyway.

Durante a corrida até a escola, ela finalmente chega a seu destino, e a garota estava a duas esquina de distância dos portões, nesse segundo a morena vê tudo em câmera lenta, quando avista o porteiro com uma mão segurando o portão, e a outra mão um pouco erguida, ele estava olhando o relógio, o maldito relógio, a garota se prepara e desce as mãos no chão e olha ferozmente pro porteiro que retribui com o mesmo olhar, os dois se desafiando com os olhos, até que ele começa a contagem pra fechar o portão.

A morena vê as horas, e faltava onze segundo para o portão fechar, e não havia mais nenhum aluno ali.

—Um... — daí eu abri partida, e corri, corri muito, muito — Dois... — passei quatro estabelecimentos — Três... — nove portões, a morena corria, mas já estava um pouco lenta devido a longa corrida até a escola — Quatro... — o porteiro olhava a garota correndo desesperadamente em direção a porta do colégio, logo se abriu um sorriso largo na face do homem, o deixando assustador. — Cinco...

—Espere!! — a morena gritou em puro desespero vendo as portas se feixando a sua frente.

"Não desista Ochako, ainda falta seis segundo, você consegue, se não eu poderei ser chamada de Ochako Uraraka!!!". — estrindeceu para si em pensamentos.

Nesse segundo a morena se encheu de adrenalina, assim ela apertou os pés no chão e se impulsionou para frente, e correu, correu como se fosse uma maquina.

"Modo super Sonic" — gritou em pensamentos, sentiu‐se leve, e viu a adrenalina percorrer seu corpo como um raio.

—Seis... — Uraraka corria, faltava apenas uma esquina, atravessou a rua correndo, acabando de ouvir um som de buzina ecoar não muito distante de si. — Sete...

Passou esbarrando em algumas pessoas que reclamaram, e se ouvia da mesma somente, "desculpa", "foi mal", "sinto muito", "desculpe‐me". A mesma já estava a quatro prédios de distância.

—Oito... — suas pernas já estavam fracas e doloridas, ela queria parar e descansar, mas não foi o que fez continuou a correr, mesmo que estivesse doendo.

Tropeça se desequilibrando, mas se recompos em seguida, a morena sabia que se caise ali não conseguiria entrar por aqueles portões que já estavam quase totalmente fechados. Dois prédios de distância dos portões da escola.

—Nove... — a garota já estava a quatro passos de distância. O porteiro olhou pra morena com raiva pois ela chegou nos dois últimos segundos. Ochako estava segurando a porta onde já estava quase fechada por completo, com uma de suas mãos apoiada no joelho, então olhou para o homem que estava espantado e surpreso ao mesmo tempo. Aliás a morena e o porteiro sempre travavam batalhas, já que a mesma quase sempre chegava atrasada, os dois começaram a alimentar um espírito competitivo entre eles desde o primeiro dia de aula, que no caso tinha sido a dois meses atrás.

—Cheguei coroa da porteira. — esclamou ofegante diante do senhor a sua frente, logo se colocando de pé mostrando uma face de superioridade, ela agora havia conseguido travar mais uma batalha com uma vitoria.

—Você foi bem. Conseguiu chegar a tempo. — o homem esboçou um sorriso grande no rosto. — Mas veremos se consegue ganhar na próxima cabeçuda.

A morena permaneceu com sua face superior, ela não ligava para o apelido do senhor a sua frente já os dois mesmo discutindo de vez ou outra, também tinham uma boa relação de companherismo.

O homem gargalhava, e então com um segundo voltou a sua expressão seria de sempre, limpando a garganta.

—Chega de brincandeiras, vá pra sala, você está muito atrasada. — falou com um tom grave, com superioridade, dando dois tapinhas nas costas da jovem.

—Ok — falou por fim indo em direção a sua sala de aula.

Ao chegar lá a professora de economia que no caso era a Midnitht (Nemuri Kauama), era assim que ela gostava de ser chamada. Pedi pra entrar e ela me repreendeu e pediu pra fazer um pedido de desculpas formal e entregar depois, então me sentei, e dormi.






—Ochako Uraraka?

Estava tão tranquilo, meus olhos não queriam abrir, eu estava tão cansada.

—Sra.Ochako Uraraka!

Sentia um pequeno desconforto em meus ouvidos, ruídos que eu particularmente odiava.

—Cara de lua! — um berro foi ecoado no local — Ei cara de bolacha desgraçada. — bateu na minha mesa me fazendo me levantar com um pouco de desespero.

—Que merda granada, pra que tanta agressividade?! — esclamou olhando com indignação para o loiro a sua frente.

—O Azaiwa tá falando com você sua put.. — foi interrompido pelo professor. 

—Chega! Não e para usar esse tipo de liguajar aqui Katsuki. — falou com autoridade ao explosivo, logo diregindo o olhar a morena — E Ochaco, não quero que durma na minha aula, suas notas não são as melhores da sala, por isso durma em casa e trabalhe na escola. — disse com seriedade pra garota lua — E mais uma [...]

"Oque o Azaiwa tá fazendo aqui? Nem percebi que já tinha passado pra aula dele" — a morena pensou olhando para seu professor, que falava alguma coisa.

A morena parou de ouvir o professor assim que viu um garoto na frente da sala de pé, era a primeira vez que o vira na sala, não, na escola, ela se perguntava quem era ele, e quando entrará na sala que não havia o percebido até agora. Claramente foi quando a mesma estava dormindo.

—Cabeça de bola filha da pu.. —novamente Bakugou fora enterrompido pelo Azaiwa.

—Bakugou eu acabei de te falar sobre o linguajar! - disse irritado depois de novamente enterromper o loiro — E Uraraka, eu estou falando com você, da para aprestar a atenção, você se distraí com qualquer coisa... Como eu dizia quero que ajude Izuko a conhecer a escola e se adaptar, quero que ajude ele no que for preciso.

—Quem e Izuko? — pergunto um pouco confusa.

—Pelo amor, Ochako você realmente voa pra lua, não e atoa que as pessoas te chamam de Uravity. — esclamou colocando a sua mão direita no rosto e em seguida coçando os olhos — Izuko apresente‐se novamente por favor.

—S-sim senhor. B-bem me-meu nome e I-Izuko M-Midoriya, eu vim tranferido pra cá, a pouco t-tempo. — disse timidamente apertando a própria mão.

"Mas que coisa mais fofa" — pensou olhando para o garoto.

Ele tinha cabelos esverdiados, usava o uniforme masculino da Yuuei, e tinha sardas em seu rosto, tinha uma mochila amarela e um par de tênis vermelho, e seus olhos, ... seus olhos eram... eles eram.. verdes, só que um pouco desbotados, isso e tão estranho, nunca vi olhos como esses, mas ao mesmo tempo que eram estranhos tinham um brilho peculiar,seus olhos eram... eram estranhamente bonitos.

—Pode deixar comigo Azaiwa. — apenas respondi distraidamente, eu estava intrigada demais com o garoto a frente da sala, para reparar no que eu dizia ao professor, então apenas confirmei.

—Muito bem então. — apernas esclamou vendo que a morena estava distraída, novamente - Midoriya, sente‐se ali. — apontou para uma carteira livre, um pouco ao fundo. — Atrás de Katsuki.

Izuko parecia ficar nervoso, então começou a apertar a mão, e a bater um dos pés no chão, abaixando a cabeça e ficando corado. Azaiwa vendo a reação do garoto logo percebeu o que disse, e resolveu consertar a frase.

—Q-Quer dizer... Ochako, leve‐o até sua mesa por favor. — Azaiwa parecia envergonhado, era a primeira vez que o vijo desse geito.

Apenas concordei com a cabeça confusa e fui em direção ao menino que permanecia parado com a cabeça baixa.

"Me pergunto o por que?".

Vou até ele e então o mesmo segura no meu braço, estranhei o seu movimento e acabei recuando.

—Me desculpe, e que sou cego, será que eu posso segurar o seu braço, só para você me guiar? — o esverdeado sussurrou só para que Uraraka escutasse, deixando‐a surpresa com a informação repentina.

A mesma apenas corcordou com a cabeça e então viu sua burrada e sussurrou um "Sim" para o esverdeado.

Uraraka levou Izuko até sua carteira, mas percebeu que havia alguns papéis e uma escrivaninha encima da mesma, foi ai que lhe veio o pensamento.

"Cara. Eu realmente vivo no mundo da lua".






Ao decorrer da aula, ouvia‐se os batuques dos dedos do esverdeado na escrivaninha. Ele parecia bem concentrado nas atividade que a professor Cementoss(Ken Ishiyama) que no caso era um ótimo no seu trabalho.

O Bakugou que se encontra na frente do novato parace estar mais puto que o normal, deve ser por causa dos barulhos do projétil metálico de escrever do Izuko. E hilário ver ele com tanta raiva mas não poder fazer nada.

Quando o sinal do intervalo das aulas havia acabado de começar todos da sala saiam pra sei‐lá aonde e então Midoriya recolher seu material, fui até ele e o ajudei a levantar, então olhei em direção a porta e vi Lida, Tsui e Todoroki me esperando na porta.

□○

~Tenya Lida:

E um garoto de 1,79 de altura, cabelos azulados e escuros, olhos da pretos, e um óculos retangular meio bizarro.
O mesmo e representante da sala e tira ótimas notas mas não as melhores, ele fica atrás do Bakugou e do Todoroki.
Ele meche os braços de forma esquisita, e certinho demais, e é muito engraçado.

□○

~Tsuyu Asui:

Uma garoto de 1,50 de altura, cabelos longos e verde lodo, olhos da mesma cor do cabelo.
Fofíssima na minha opinião, tira nota boa, é tem uma mania peculiar, como falar "gero" em todo final de frase. Mas e super fofa.

□○

~Shoto Todoroki:

1,75 de altura, com os cabelos de duas cores, tendo na parte direita o branco e a parte esqueda o vermelho, também tem uma queimadura no lado esquerdo do rosto, os olhos também são diferentes, o direito e preto e o esquerdo e azul.
E um garoto quieto, bonitasso mais estranho, uma estrutura forte, tira notas boas mas fica depois do Bakugou, e ante‐social, inteligente.
E lindasso.

□○

Olhei em direção a eles e acenei, e depois me olhei para Izuko que pegava uma vacilinha com um pano tapado de coloração amarela.

—Uraraka não quero ser um estorvo mas posso ficar com você no refeitório? — se pronunciou a morena segurando sua manga da camisa — e que não conheço nada ainda. Mas se não quiser tud-

Interrompeu Izuko se pronunciando.

—Claro que sim, pode vir comigo — sorriu e pegou sua mão, olhando os seus olhos que lhe interessavam tanto com seu brilho diferenciado — Midoriya você não é um estorvo, e não quero que pense assim.

—Ok. Me desculpe por isso.

—Você não tem que se desculpar por isso. — Ochako ri no final da frase sendo acompanhada pelo menino.

—E só mania.

—Tudo bem, vamos, eu vou te apresentar para o pessoal. — a morena sai puchando o garoto com sigo em direção ao trio na porta — Gente, esse e o Midoriya, eu gostaria que ele almoçasse com agente hoje no refeitório, espero que esteja tudo bem pra vocês.

—De boa Ochako. — Todoroki fala e Tsui e Lida concordam com o mesmo — Oi Midoriya, eu sou o Todoroki Shoto, mas pode me chamar só de Shoto.

—Eu sou Tsuyu Asui, mas pode me chamam de Floppy, é mais fofo — riu sem graça e apertou a mão de Izuko formalmente, e sorriu — Você é mais que bem vindo pra almoçar com agente, mais um sempre é bem vindo.

—Bem‐vindo a Yuuei Midoriya, eu sou Tenya Lida, o representante de sala A‐1, sempre temos lugar no refeitório. — disse formal do seu geito robótica balançando os braços de forma engraçada — Pode contar comigo pra fazer qualquer pergunta, aliás esse é o dever do representante da sal-

—Cala boca Lida, todo mundo já entendeu que você é o manual de instruções personalizado da Yuuei e blá blá blá — interronpeu Uraraka de forma provocativa enquanto Shoto e Asui riam da situação.

—Você não é nada elegante Uravity. — disse arrumando os óculos.

—Vamos Midoriya, eu ainda tenho que te mostrar a escola. — ignorou Tenya puchando o novato com sigo em direção ao refeitório.

No caminho a morena se mantia sorridente a todo tempo, Izuko mesmo não vendo a menina sentia isso. Shoto e Asui conversavam atrás animados, enquanto Tenya já tinha ido na frente para reservar a mesa.

—Izuko chegamos, como pode ver é um pouco barulhento aqui. — Ochato iniciou.

—Percebi — o esverdeado sorriu tímido.

—Olha lá, o Tenya já conseguiu uma mesa. — Shoto informou indo em direção a mesa.

Enquanto Ochako guiava Midoriya entre as mesas até o local predestinado. Todoroki e Tsuyu já estavam em seus lugares com seus almoços expostos a mesa. Até que Izuko esbarra em uma cadeia caindo em cima de outra pessoa deixando seu almoço cair no chão, esparramado ali, enquanto Ochako esbarra na mesa da frente, mas se equilibra novamente se descupando comos presentes ali. A morena virou‐se para o colega esverdeado, vendo no grande azar que tera.

"Merda. Tantas pessoas pra esbarrar aqui e tinha que ser o Katsuki?"

—Qual a sua novato! — grita empurrando o ewverdeado de si.

—Me- Me desculpe. Foi sem querer. — Izuko tenta se desculpar com o mesmo, se levantando do chão, logo sendo pego pela gola do uniforme e puchado violentamente pelo loiro.

—Eu vou te matar desgraçado! — Bakugou ergue a mão, cerrando o punho e o acerta no rosto do esverdeado que cai no chão.

Ochako vendo o loiro se esticar para frente, para socar o esverdeado novamente, correu até o explosivo e pegou seu punho o empurrando contra suas costas e o jogando no chão, assim levantando seu braço acima da coluna o forçando para o lado oposto do normal, e sua outra mão foi colocada eu sua nuca, pressionando sua cabeça ao chão, colocou as pernas do lado da cintura e no tendão direito, imobilizando o loiro por completo.

Todos estavam assustados vendo tudo aquilo, e também impressionados, já que a morena acabava de imobilizar Katsuki Bakugou, o garoto mais temido da Yuuei.

Uraraka estava com medo, ela acabara de imobilizar Katsuki, ela mesma o achava assustador, mas agiu por impulso, para ajudar o esverdeado, ela sabia que provavelmente morreria ali ou depois.

□○

~Ochako Uraraka:

Tem seus 1,56 de altura, tem cabelos e olhos castanhos, com sua pele branca pouco bronzeada com suas bochechas rosadas.

A mesma tem um famoso apelido, Uravity, dado carinhosamente por seus colegas e amigos, pelo fato da mesma quase sempre estar distraída.

Suas notas são a maior parte das vezes na média, fez oito anos de aula de luta, especificamente jujitsu e box, na "Academia Girl's the Boy's".

□○

Izuko permanecia caido no chão, sua boca tinha um fiapo de sangue devido o soco, o mesmo estava assustado e encolhido, mas foi levantado por Todoroki e Lida, enquanto Asui já havia ido chamar o professor. Enquanto isso a morena ficava parada torcendo para não desmaiar de medo, e mantia a firmesa, segurando o loiro no chão, que a xingava e se debatia no chão tentando sair dos braços e pernas bem colocados da garota.

—Sua puta, me solta, porque se eu me soltar sozinho vou te matar! — berrou Katsuki para a morena, que tentava ao máximo se manter firme.

—Desculpa Bakugou, mais não vai rolar.

Então Tsuyu aparece junto de Azaiwa, que separa Ochako de Katsuki que quase se atracou a garota  mas foi impedido. Vendo Izuko assustado sem saber em que direção a cabeça deveria permanecer, percebeu a situação.

—Uraraka, leve Midoriya para a enfermaria, depois quero você e ele na diretoria comigo. — falou segurando Bakugou pela camisa, depois olhando para Shoto e Tenya que estavam do lado do esverdeado o segurando — Vocês dois também.

—Mas Azai-. — Azaiwa olha mortal para a morena para que a mesma não protestasse, assim saindo puxando Katsuki pelo braço. Após o professor sair da cantina, ela vê Izuko choramingando nos braços de Asui — Midoriya, você está bem?

—E-eu estou bem Uraraka, mas obrigado. — falou choroso com a mão próxima a boca, que sangrava um pouco — Mas p-porque ele me b-bateu?

—Ele te bateu porque é um babaca Midoriya. — Todoroki fala franzindo o cenho com raiva.

—Exatamente ele é um babaca, e também um idiota, não liga pra ele, acho melhor levarmos você pra enfermeira, seu nariz tá sangrando muito. — diz Ochako se aproximando do esverdeado, olhando em volta, algumas pessoas encarando e cochichando, e até alguns sorrisos travessos, os amigos pareciam ter percebido, aparentemente Izuko também já que agora estava claramente envergonhado.

—Oque estão olhando?! seus parasitas! — grita uma garota de cabelos roxos se levantando da mesa onde estava, indo em direção a Izuko e o puxando dos braços de Shoto e Tenya o arrastando para fora do refeitório.

A garota saiu deixando olhares tortos e quatro olhares específicos de certas pessoas. Estes sairam em seguida também seguindo a menina. Jirou parou dois corredores a frente da cantina, com o cenho preocupado.

—Você está bem. — pergunta preocupado com o esverdeado, assim vendo a porta do refeitório sendo aberta e Ochako, Shoto, Tenya e Asui.

—Jirou, o que foi aquilo? — Asui se manifesta indo até a mesma.

—Aqueles idiotas estavam parecendo muito confortáveis com aquele cena que esse novato calsou. — Shoto a olha torto como se a mesma tivesse cometido um crime.

Asui se aproxima e sussurra para Izuko um: "Depois eu te conto o que a Uraraka fez para te proteger de Katsuki", e o esverdeado concorda com a cabeça alíviado. E Shoto com sua cara raivosa e com sua revolta contra a menina, fala disparando contra Jirou.

—Ele não fez cena nenhuma, quem fez merda foi o Katsuki. — defendeu o esverdeado que parecia desorientado.

—Calado duas cores! — Shoto ia revidar quando a morena o atropela.

—Midoriya você tá bem? Me desculpa, eu não devia ter deixado aquilo acontecer.

—Não. A culpa é minha, eu tropecei e cai em cima dele.

—Mesmo assim ele não devia ter feito aquilo com você.  — se aproxima e segura sua mão o puxando — Vamos para a enfermaria.

—T‐Tudo bem. — deixa os quatro para trás em caminho a enfermaria.






Após todo o ocorrido, o esverdeado já havia ido para a enfermaria, e os corativos foram feitos, e sua mandíbula foi analisada, em seguida a morena e o mesmo seguiram diretamente para a diretoria onde todos esperavam, diretor Nezu, Professor Azaiwa, Asui, Todoroki, Bakugou, Lida e até Jirou que tinha ido por conta própria.

Em um silêncio constrangedor que pairava por todo o cômodo, com o som enferrujado da porta sendo aberta pela Uraraka e Midoriya, que adentraram relutântes, mas apenas acenou com a cabeça para que sentasem junto aos outros, e assim fizeram com a morena ajudando o esverdeado a indetificar aonde deveria sentar.

—Agora com todos os presentes e uma intrusa — olha para Jirou que revira os olhos — Podemos começar. Primeiro vamos escutar o nosso aluno novo, que inacreditávelmente se meteu em uma briga no seu primeiro dia. — forçou a voz no "primeiro dia", fazendo o novato se encolher um pouco.

—Diretor Nezu, me desculpe por isso, a culpa foi toda minh- — foi interrompido.

—Cala‐boca! A culpa não é dele. Isso é cul- — a morena o interrompeu fazendo Izuko se assustar, mas seu rosto emburrado apareceu em seguida quando interrompida pelo loiro explosivo.

—A culpa é dele sim Cara‐de‐Bolacha! — protestou, bem ali os dois trocaram dedos.

—Chega! Esse comportamento é inaceitável.— Azaiwa interrompeu com um olhar mortal fazendo os dois tremerem.

—Obrigado Azaiwa. — Nezu agredeceu, e olhou calmo para os a sua frente — Vamos nos acalmar, eu pedi para que Izuko falasse, e não quero que mais ninguém interrompa, se não... — olhou mortal fazendo os alunos se assustarem — ...se não eu teria de puni‐los gravemente por esse ato ocorrido, sem saber da história. — sorriu fofo, e olhou para Midoriya para que prosseguisse.

—A culpa foi minha, a Uraraka está me levando até a mesa do refeitório depois de ter feito um pequeno tur pela escola, e acabei escorregando e caindo em cima do ... — pensou em qual seria o nome do garoto que lhe agrediu no refeitório.

—Meu nome é Katsuki, Katsuki Bakugou. — falou virando a cabeça para o lado, depois sussurrando — É bom não se esquecer.

—Pode deixar comigo, não irei esquecer de novo. — voltou‐se para o diretor — Como eu dizia, a culpa é minha, eu escorreguei e cai em cima do Bakugou.

—Mas foi só isso que fez com que Katsuki atacasse você daquele geito? — viu Uraraka levantar o cenho, relaxando na cadeira e acenando com a cabeça para o loiro, mostrando que ele era o culpado, suspirei — Olha Bakugou, se esse foi o motivo real, então não havia motivo para que avançasse em Izuko daquela forma.

—Não é asim que funciona, eu estava de quarda levantada.

—Mentira Bakugou! Você viu que foi um acidente e mesmo assim avançou. — complementou Jirou irritada.

—Cala boca sya Emo esquisita. — xingou a Jirou — Eu não consigo manter minha quarda baixa. A culpa é dele cair em cima de mim.

—Bakugou, você socou Izuko porquê ele escorregou no chão e caiu em você. De toda forma você está errado, exagerou em soca‐lo. Aceita e para de protestar. — Todoroki se pronunciou com o ar sério, olhando neutro pra o raivoso.

—Olha aqui s–

—Ele tem toda razão Bakugou. Você machucou o seu colega por um motivo vil. Terá de sofrer as consequências por isso. — Nezu diz interrompendo Katsuki, antes que ele terminasse seu insulto ao colega.

—Não! — todos olham para a direção da voz — A culpa foi minha de tudo ter acontecido, puna a mim. — Izuko fala envergonhado devido aos olhares que ele sentia sobre si.

—Midoriya, o Bakugou merece, você não tem que ser punido. — Asui diz para o menino.

—Não, a culpa é toda minha, se eu tivesse tomado mais cuidado, eu não teria escorregado, e sim tomado equilíbrio novamente. Então por favor. — levantou-se da cadeira e se curvou para o diretor — Puna a mim.

Os outros ficaram impressionados com o que viram, qualquer um naquele colégio ficaria satisfeito com uma punição para Katsuki, já que o mesmo era um babaca raivoso. Mas aquele novato, mesmo recebendo um soco na cara por um motivo ridículo, quis se responsabilizar por tudo. Uraraka não podia deixar aquilo acontecer, aliás ela também era em parte culpada. E Lida também se sentia responsável, ele era o representante da clase 1-A da Yuuei, como ele taria permitido que aquilo acontecesse com um estudante e colega da mesma clase que si, não podia permitir isso. Asui devia ter ajudado a abrir caminho e impedido que tudo acontecesse, ela deveria ter ajudado Ochako a giar o esverdeado pelo refeitório lotado ou deveria ter indicado outro lugar para que lanchassem. Todoroki deveria ter sido mais rápido e segurado Katsuki para que o mesmo não rachasse a boca de Izuko no soco, devia ter ajudado. Bakugou foi imprudente e precipitado batendo em Izuko, devia ter se controlado, era muito posivel que aquilo acontecesse, aliás ele era cego, e não conhecia muito a escola, ele era novo naquele ambiente, ele era culpado, devia ter se controlado. Midoriya era inocente, ele não estava acostumado a aquele ambiente, ele era inocente, mas se sentia culpado, e isso era um problema para Jirou, que não tinha nada haver com a situação.

Ochako e Lida se levanta e se curva juntos, em seguida Asui e Todoroki fazem o mesmo.

—Me desculpe, a culpa é minha. Azaiwa confiou em mim para giar Izuko pela escola e cuidar dele, e falhei. — a morena se levanta e se curva para o diretor e o professor Azaiwa que estava ao seu lado.

—A culpa também é minha, eu devia ter segurado Bakugou antes que ele batesse em Midoriya e evitado o soco. — o bicolar se levanta e faz o mesmo movimento que Uraraka.

—Eu sou o representante de clase da 1‐A, e fui responsável por deixar isso acontecer, me perdoe, também cometi esse erro. — então diz balançando os braços em forma robótica e se curva.

—a esverdeada se levanta afasta a sua cadeira se curvando — Me perdoem, eu devia ter indicado um lugar menos lotado para que pudéssemos almoçar, assim teria evitado tudo, desculpe.

Nezu e Azaiwa estavam empresinados e felizes por seus alunos terem pego a responsabilidade pelo ocorrido, aquilo era gratificante ao srus olhos, mas tudo ficou mais impressionante quando de repente Katsuki se levanta com as mãos nos bolsos da calsa.

—Foi mal. — murmurou revirando os olhos — Eu não devia ter feito aquilo. Me-me desculpe. — gaguejou virando o rosto para o lado, mas viu a expreção impressionada de tpdos ali, completando enburrado — Não vou me curva.

—Ok, ok, vamos nos erguer de novo, não terá punições hoje, vocês parecem ter entendido tudo. — olhou para Katsuki ainda desacreditado — Então estão dispensados, o sinal está quase batendo, vão para sala.

Antes de sairem da sala do diretor Bakugou tinha olhado para Midoriya com um certo desconserto, o que tinha deixado os instindos de Shoto e Jirou ativos e muito curiosos.Todos sairam da sala como pedido do diretor em direção a sala de aula, já estava nos dois últimos horários, Azaiwa estava logo atrás dos encrenqueiros, mas parou na sala dos professores enquanto os estudantes iam para a aula. No caminho Tsuyu conta tudo que aconteceu em detalhes sobre o que a Uraraka fez com Katsuki, para que assim Izuko imaginasse toda a cena, o que parece ter dado certo, já que o esverdeado ria a quase toda palavra que a menina dizia.

Mas apersar do terminio da história ter sido favorável a ambos os lados, tudo foi muito estranho, Katsuki tinha se desculpado, e Jirou por algum motivo tinha se intrometido naquilo tudo. E Midoriya estava se desculpando freneticamente com seus colegas por tudo. Entraram na sala recebendo olhares coriosos, mas sentaram em suas carteiras sem se importar com os cochichos, mas no fim ninguém perguntou realmente o que tinha acontecido para nenhum deles, o que foi um alívio para os mesmos.

Após um tempo, todos já estavam na última aula do dia, refletindo pelo momento na diretoria. Era muita informação para processar e julgar, mas tudo tinha ficado bem, era o que Uraraka, Asui e Lida acharam, enquanto Todoroki e Jirou estavam atendos as pequenas olhadas que Bakugou dava em Midoriya, e jugando seu comportamento estranho na sala com o diretor, tinha algo entre eles que era curioso, e que os dois estavam dispostos a investigar o que.


Notas Finais


Oi de novo, rapidão aqui. Acho que exagerei na personalidade do Bakugou, e não teve tantas falas do Izuko. Eu tentei fazer umas brincadeiras no início, esse capítulo ficou meio chato ou sla. Mas vou me esforçar para melhorar os próximos.
Obrigado por lerem!😉
Bom dia, Boa tarde ou Boa noite💜❤💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...