História Cela 132 - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Cadeia, Drama, Homossexualidade, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Lemon, Park Jimin, Presidio, Prisão, Suspense, Yaoi
Visualizações 958
Palavras 3.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIII!
GENTE A FIC CHEGOU AOS 4K AQUI, EU TO MUITO FELIZ!
E nada melhor que um capítulo bem grande pra comemorar essa nova marca né mores rs
Vocês merecem, por me fazerem a autora mais feliz do mundo :(( Muito obrigada por tudo, amo muito vocês! O apoio de vocês é muito importante para mim.

Enfim, espero que gostem do capítulo e tenham uma boa leitura!! ❤❤

Capítulo 31 - Which right?


Fanfic / Fanfiction Cela 132 - Capítulo 31 - Which right?

Tradução do título do capítulo: Qual direito? 

 

A cabeça estava escorada baixa e a parede fria do chuveiro a sua frente. A água morna molhava as costas do corpo do moreno, e consequentemente, também todo o seu corpo. Os olhos permaneciam abertos e fitavam um ponto fixo qualquer daquele banheiro. E era assim que Jeon se encontrava; completamente perdido ali em seus pensamentos e desaveio. Motivos? Simples. O motivo tem nome e sobrenome; uma pessoa que havia conseguido deixar a vida de Jungkook de cabeça para baixo, em menos de uma hora: Park Jimin.

“O que estou fazendo aqui?”. Pensou, e logo fechou os olhos, suspirando em seguida. Sua mente transportou o garoto para sua cela, no momento ocorrido a alguns minutos atrás. Cada atitude e fala de Jimin rondava por sua mente, num ciclo vicioso e sem fim.

 

Jeon sentiu as mãos pequenas do outro soltarem de seu pescoço e seu membro, grunhindo. Seu rosto estava levemente corado, os cabelos da franja colados a sua testa graças a uma fina camada de suor presente na tez clara dali. A respiração alterada, junto aos batimentos de seu coração, que também estavam acelerados, por conta da onda de calor e prazer que havia sido disparada em todo seu corpo graças ao ápice. Engoliu seco e abriu os olhos, deparando-se com uma cena que o surpreendeu tanto, que queria guardá-la para sempre em sua memória: Park Jimin, chupando cada um dos dedos sujos de sua porra, de forma lenta, como se estivesse apreciando o gosto. O menor sorriu ao perceber o olhar o mais novo, e então encerrou o que fazia.

— Estamos quites, Jeon. — Dito isto, o mais velho se aproximou do outro, segurando o queixo do mesmo, fazendo com que Jungkook o encarasse. — Minha dívida de seis favores já está paga.

Dito isto, o menor aproximou os lábios carnudos e avermelhados aos dos lábios finos de Jeon; roçou ambos os lábios e então, não demorou muito para que as bocas começassem a se envolver num beijo intenso e molhado. As línguas começaram a se entrelaçar com ferocidade e sincronia, e as mãos do menor, foram para a nuca do moreno, colando ambos os corpos. Começou a arranhar a tez clara dali, e então, a puxar levemente os fios castanhos de cabelo do mais novo. Jungkook arrepiava-se, e por mais que ainda estivesse em choque, a cada segundo, entregava-se ainda mais aquele beijo e ao fogo que exalava de Park. As mãos do maior, que até o momento estavam sem lugar, rumaram a cintura do mais velho, apertando aquela região. Jimin sorriu, e mordeu o lábio inferior de Jeon, puxando-o sem força, por fim, encerrando aquele selar de forma calma e discreta.

Jungkook arfou frustrado, e involuntariamente começou a procurar os lábios quentes e cheinhos, na tentativa de colá-los aos seus novamente. Ao ouvir uma leve risada, abriu os olhos, automaticamente, se deparando com uma cena que o deixou tremendo de raiva e... até mesmo, vergonha. Jimin o encarava com um sorriso convencido, achando “engraçado” ver Jeon procurando-o de olhos fechados anteriormente.

— É bom saber que foi tão bom para você quanto foi para mim, Jeon. — Repetiu a mesma frase que Jungkook havia dito para si no primeiro beijo dos dois. A voz estava rouca, e não tirou a expressão convencida de sua face. — Vai tomar um banho. Está soado.

Ele encerrou a fala, e logo se afastou, lançando uma piscadela para o maior, saindo do local em seguida, sem se importar no modo em que havia deixado o colega de cela para trás.

 

E lá estava ele. Embaixo do chuveiro, tomando seu banho, sem nem mesmo entender o porquê de ter ido após o “comando” de Jimin.

 

— Jeon? — A voz de entoação surpresa do melhor amigo, invadiu os ouvidos de Jungkook, “acordando-o” para fora de seus devaneios com Park, levando-o para sua atual realidade.

O moreno abriu os olhos, fitando Yugyeom de soslaio, que estava no chuveiro ao lado do seu, e endireitou a postura, desencostando-se da parede úmida, ao perceber como o amigo o olhava: a sobrancelha arqueada, como se suspeitasse de algo, apenas de olhar para si.

— O que foi? Perdeu alguma coisa aqui? — Questionou de forma retorica, na defensiva.

Yugyeom ergueu os braços, em forma de rendimento, dando de ombros. Percebeu que o amigo não estava num bom momento, e não insistiria. Conhecia a peça que era Jeon Jungkook, e sabia que o incomodar enquanto ele estivesse temperamental, era como cutucar a onça com uma vara curta.

Jeon bufou, mas logo prestou a atenção numa silhueta familiar, que passou pelo canto de seus olhos. O moreno ergueu o rosto, prendendo os olhos no baixinho, como se não acreditasse no que via. Maldita perseguição. — Amaldiçoou Jimin mentalmente. O que ele estava fazendo aqui?

Viu Park ir para o vestiário, e logo voltar de lá sem seu uniforme, apenas com a toalha amarrada na cintura. Era estranho, e, até mesmo suspeito vê-lo assim... tão confortável na hora do banho, afinal, pelo que recordara, Jimin sempre usava a toalha para cobrir todo seu corpo, desde o peitoral até as coxas. Só percebeu que estava olhando demais para o companheiro de cela, quando os olhos se cruzaram. O mais alto sentiu seu corpo reagir num estremecer, quando as orbes castanhas do outro fitaram seus olhos, porém, ao ver um sorriso convencido se formar nos lábios cheinhos de Park, Jeon de forma quase que automática, virou-se ficando de costas, desejando para que Jimin simplesmente desaparece dali. Estava desesperado e ao menos conseguia entender o porquê.

Jungkook suspirou, quase alto demais, e juntou as mãos em forma de concha, enchendo-as com água e jogando contra seu rosto, esfregando ali. Precisava acordar daquele maldito transe que a presença de Park Jimin causava em seu psicológico e em seu físico. Levou a mão ao registro do chuveiro, porém quando ia desliga-lo, foi interrompido. Uma mão pequena estava sobre a sua; Jeon virou o rosto, e quando viu o menor ali, engoliu seco, controlando-se para não demonstrar o nervosismo.

— Já vai? — Ele perguntou com a voz mansa, fitando os olhos do mais alto, logo descendo o olhar por todo o corpo a sua frente. — Nós nem aproveitamos juntos ainda...

— Ei, garoto. — Uma voz grossa soou no banheiro, antes mesmo que Jungkook tivesse a chance de responder Park. Jimin olhou para o dono da mesma: Um detento, que deveria ter cerca de vinte anos, na fila, o qual mantinha uma pose de certa indignação. — Não pode furar a fila. Tem que esperar sua vez, assim como todos nós.

O baixinho mordeu o lábio inferior, dando um meio sorriso com deboche.

— Não vê que estou acompanhado? — Perguntou ao rapaz, que arqueou a sobrancelha, olhando para Jungkook.

— Jeon, irmão, você sabe que eu te respeito muito... somos da mesma irmandade. Mas acho melhor controlar sua cadela, antes que as coisas comecem a ficar ruins para o lado dela. — Ele balbuciou de forma ameaçadora.

E foi neste momento Jimin encontrou a deixa perfeita para se aproveitar da situação. Palavras-chaves “respeito” e “irmandade”... era tudo isto que ele precisava escutar para conseguir se sobressair.

— Park, a não ser que queira morrer, continue desse jeito... mas caso o contrário, cale a boca e entre na porcaria da fila. O banheiro está cheio e eu não vou te defender, por estar agindo feito louco e... — Sussurrou para que apenas o menor escutasse, de forma séria, olhando de soslaio para o homem da fila. — O apelido de Kyungsoo não é gold blade* atoa.  — Jimin assentiu, e quando o maior pensou que o mais velho fosse finalmente sair dali, foi surpreendido por sua fala posterior.

— Jeon acabou de dizer que não tem tempo para esses tipos de discussões fúteis. Se o respeita tanto assim, acho melhor ficar no seu lugar, e respeitar os termos da irmandade... isso, antes que as coisas comecem a ficar ruins para o seu lado. — Entoou cada palavra de forma arrogante, como se estivesse realmente repassando um recado.

Jungkook arregalou os olhos, fitando o menor de forma repreensiva, e antes que pudesse pensar em desmentir o que o companheiro de cela havia dito, Kyungsoo começou a falar.

— O que é isso, Jeon? Ficou maluco? Está deixando ele falar por você agora, é? Não tem boca, irmão?

— D.O... — Começou a falar, olhando para Park de soslaio, conferindo a cada instante se ele não o interromperia para tagarelar mais besteiras e piorar mais a situação. Suspirou fundo, e em seguida, completou o que tinha a dizer. — Considere aquele favor que me deve, pago. Estamos zerados.

O baixinho de cabelo raspado arqueou as sobrancelhas. Estava surpreso. Não pensou que seria tão fácil pagar a dívida que tinha com Jungkook. Costumeiramente, não era. Jeon era do tipo que cobrava cada virgula e cada centavo que alguém lhe devia, e só parava de cobrar, se sentisse que havia recebido justamente; afinal, a base da devolução de seus favores, era a reciprocidade. E aquela, seria a primeira vez que não estaria recebendo de forma justa.

Por fim, Kyungsoo apenas assentira, de olhos arregalados, ainda surpreso. Sua dívida com Jeon era grande, e a mesma ser paga, apenas com o calar de sua boca e deixar que Jimin ficasse ali, era maravilhoso demais para si.

Park tinha um sorriso nos lábios, um tanto irônico, mas logo que as orbes negras de Jeon pousaram em si, ele mordera o inferior, reprimindo aquela expressão de felicidade debochada. 

— Nós nos resolvemos depois. — Jungkook sussurrou para o mais baixo, pegando a toalha e a enrolando em sua cintura.

— Depois pago o que lhe devo com essa nova dívida.... — Piscou para o mais alto, como se já tivesse tal resposta na ponta de sua língua. Jeon umedeceu os lábios, fechando os olhos, e suspirando, como se estivesse reunindo todas as suas forças para não acabar surtando. Audacioso demais. Não sabia se odiava ou amava toda essa nova personalidade de Jimin, mas estava tendo quase certeza de que era uma fusão dos dois sentimentos.

— Saiba que vou dar um jeito de tirar esse seu maldito sorriso do seu rosto... Está abusado demais, Park. Precisa aprender a como manter a boca fechada. — Falou baixo, com as sobrancelhas arqueadas, tentando passar algum tipo de seriedade, por mais que soubesse que seria em vão.

— Você, mais que ninguém aqui, sabe a melhor forma de me fazer calar. — Disse tranquilamente, passando a língua calmamente por seu lábio inferior. Ouvira aquela frase, e não conseguira entender nada além do duplo sentido que ela abrigava em seu conteúdo. Pensava em responde-lo, porém, antes de abrir a boca, fora interrompido. — E... Aliás, você fica bem melhor sem essa toalha. — Falou sem receio ou sem cortar o contato visual. Jungkook apenas suspirou, escondendo a timidez momentânea no silêncio que optara como resposta. Por fim, deu as costas para o mais velho, começando a caminhar para longe dele, e quando estava prestes a sair do banheiro fora surpreendido. — Obrigado por ter reservado o chuveiro para mim, coração. — Jimin falou alto, para que ele escutasse, mesmo com a distância. Bem, ele e... todos os outros detentos que no banheiro estavam naquele momento.

Tal ato — totalmente pensado por Jimin — acarretou que os próximos segundos de Jungkook dentro daquele banheiro, fossem repletos por risadas altas e escandalosas, com alguns detentos gritando “coração” enquanto apontavam para o maior.

“Por que está vermelho, coração?”

“Não sabia que estava de coleira, Jeon.”

“Talvez devêssemos chama-lo de putinha do Park”

“Ei, coração, olha pra mim.”

“Pelo jeito Jeon já tem dono.”

Coraçããão!”

Jeon pode sentir seu corpo esquentar pela maldita timidez. Havia acabado de tomar banho e seu corpo já estava começando a ficar úmido pelo suor; qual era o problema de Park? — Era a pergunta que mais rondava sua cabeça naquele momento. Ele estava de costas, parado, como se estivesse colado no chão, totalmente desnorteado. Por fim, bufou, e respirou fundo. Paciência. Só preciso de paciência. — Falou mentalmente, começando a ignorar todos os outros homens.

Jimin observava a cena com um sorriso divertido nos lábios, e ficou com ele nos lábios, até mesmo depois de ver que o maior havia saído do banheiro e após os gritos de implicância dos detentos cessassem. Sentia-se, pela primeira vez, como se tivesse controle das coisas novamente, assim como era, antes de ser preso. Sua essência e coragem vinham pouco a pouco, e só tinha que agradecer a seu colega de cela.

 

 

JEON JUNGKOOK

 

 

Aquela noite, com certeza, estava sendo uma das mais cruéis para o moreno. Fechava os olhos, e mesmo tentando se concentrar na escuridão por detrás das pálpebras, a imagem dele não saía de sua mente. Já havia amaldiçoado Jimin de todas as formas possíveis no silêncio daquela madrugada, mas mesmo assim, não bastava. Estava furioso, irritado, intimidado, tentado... Por fim, resumindo todos sentimentos numa só palavra, Jeon Jungkook estava confuso. Completamente confuso.

Não parava de pensar em um só minuto no que seu dócil colega de cela havia se transformado. O que a solitária havia feito com ele? Ele havia ficado apenas duas semanas naquele lugar, não era possível que tão pouco tempo, tinha feito com que aquele garoto manso e medroso, se transformasse naquele espécime de Lúcifer que estava tendo que suportar o dia todo.

Sim. Espécime de Lúcifer. Nem mesmo sabia como tinha criado tal apelido para Jimin, apenas sairá de sua mente naturalmente. Mas até que fazia sentido... Lúcifer era um anjo antes de se rebelar. E era assim que enxergava Park: um anjo que se transformou em um verdadeiro demônio. Um demônio que estava o dia todo lhe tentando, enchendo o moreno de desejos e provocações.

Jungkook não conseguia para de se questionar mentalmente: Mas...

Qual direito Park tinha, de me encher dessas sensações?

Qual direito Park tinha, para invadir meus pensamentos dessa forma?

Qual direito Park tinha, para me chamar de “coração” no meio de todos os outros detentos?

Qual direito Park tinha, para me deixar tão entregue?

Qual direito Park tinha, para deixar Jungkook, assustadoramente... apaixonado?

 

Sim, apaixonado. Esta era a temida palavra que tanto rondava a cabeça de Jeon. Já havia pensado nesse sentimento, quando Park estava na solitária, e consequentemente, longe de si. Sentiu saudades. Saudades da voz, do toque, do jeito “rabugento” e “arisco” do menor ser. Sentia falta de ter os olhos pequenos do outro lhe fitando discretamente, da risada do menor, da voz que, tantas vezes Jungkook julgou ser irritante — apenas para aborrecer Park, porque ele sempre gostou de ouvir a melodia que o timbre de Jimin tinha. Sentia falta do cheiro... Oh, maldito perfume que ele nunca esqueceu naquelas duas semanas que o menor esteve fora. Um cheiro que jamais o deixaria.... Sim, jamais deixaria, pois agora, Jimin estava ali, a poucos metros de si, dormindo tranquilamente na parte de cima daquele beliche. E aquele maldito perfume entrava em suas narinas, deixando o coreano completamente louco.

Num ato rápido, Jungkook levantou-se da cama. Cansou-se de todas as vozes em seus pensamentos. Cansou-se de pensar no Park.

“Maldito. Ele não pode. Ele não tem o direito de invadir minha cabeça, e causar todo esse caos. Não tem.” — O maior falou mentalmente, e logo seu corpo foi ao chão; sabia exatamente o que pegar quando a insônia falava mais alto que seu sono em certas madrugadas.

Sedativos.

Enfiou-se embaixo da cama, com certas dificuldades, e então levou as mãos até um dos pés do beliche. O material de ferro, era oco, e claro que Jungkook não perderia a oportunidade de fazer um buraco ali, para esconder tudo de ilegal que nenhum guarda poderia encontrar nas mãos de um detento. Como o espaço era pequeno, o moreno escondia apenas uma única coisa ali; o que considerava ser mais importante. Enfiou o dedo indicador ali, tateando até tocar o saco plástico, e então o puxou para fora. Sorriu, quase que em total desespero, abrindo-o com as mãos tremulas. Pegou um comprimido dos sete últimos que haviam ali, logo o enfiando em sua boca e engolindo de uma só vez.

Respirou fundo, fechando os olhos fortemente e soltando o que havia em mãos para assim cerrar os punhos. Finalmente... Agora sim, poderia dormir em paz, assim que o efeito de tal calmante dominasse todo seu corpo e mente. Jungkook abriu os olhos, e então saiu dali, voltando a ficar deitado em sua cama.

— Agora você não vai mais me incomodar, Park Jimin.

 

-

 

Eram 6h10min da manhã, e Jungkook sentia seu corpo ainda mole, como se não tivesse acordado ainda — mesmo depois de molhar seu rosto com água gelada. Este eram uns dos efeitos do sedativo que tomara: sonolência excessiva, mesmo após acordar. Estava com a cabeça deitada na mesa e nem mesmo todo o falatório dos detentos pela manhã no refeitório era capaz de despertar o maior.

— Aqui o seu café, Jeon. — Escutou a voz de Yugyeom, e então ergueu o tronco, coçando um dos olhos com o punho, bocejando em seguida. Pegou o copo de café com a destra, e então bebeu um pouco. — Eu trouxe dois, por precaução. — Falou sentando-se ao lado de Jungkook, colocando o outro café na frente do amigo. — Precisa ficar alerta para trabalhar e consertar o padrão de energia da lavanderia, aquelas lâmpadas não vão se ascender sozinhas.

— Eu sei.... Obrigado por me lembrar do meu emocionante dia. — Respondeu irônico, bebendo mais do liquido forte em maior quantidade.

Kim começara a falar com os outros três amigos, Seokmin, Jaehyun e Mingyu, como o costumeiro de todas as manhãs e infelizmente, Jeon encontrava-se cada vez mais desperto. Infelizmente, porque o tagarelar se seu amigo se tornava cada vez mais difícil de ignorar quando estava “sóbrio” do sono.

Suspirou fundo, e então, virou o rosto, fitando todos que ali estavam. Sim, estava procurando uma pessoa em especifico; estava intrigado, afinal, quando levantou-se da cama, Park não estava em sua cama. Ou estava lerdo demais por conta dos sedativos, e não viu o menor sair, ou Jimin havia saído da cela antes mesmo do soar do alarme.

Não o encontrou, em lugar nenhum. O menor não estava em nenhuma das mesas, e Jungkook sabia que Jimin tomava café cedo, mais especificamente, no mesmo horário que si. Sabia também que Park andava pulando refeições, e... Por que caralhos estou me preocupando com isso? — Interrompeu seu próprio pensamento, bufando irritado. Não era sua obrigação verificar se o menor estava comendo ou não.

Terminou de beber o último copo de café, e então saiu irritado da mesa, deixando os quatro amigos para trás. Foi direto para a sala de elétrica, pegando seus materiais e ferramentas de trabalho, e caminhando rapidamente para a lavanderia. Pensar em Jimin o dia todo não deveria ser saudável, precisava ocupar sua mente.

Ao chegar lá, suspirou aliviado por não haver ninguém. Era tudo isso que precisava: ficar longe de pessoas, conversas e tumulto. Precisava do completo e simples vazio.

Foi até o padrão de energia, o abrindo, começando a analisar o que de errado ali tinha... Mas, o que o maior não sabia, era que, a única coisa de errado ali, era que ele não estava sozinho.

— Sentiu tanto a minha falta, que resolveu vir me visitar no meu novo trabalho, coração?


Notas Finais


gold blade*: Lâmina de ouro.

NOVO TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=oU3jhGHB93E
Link do grupo da fanfic: https://chat.whatsapp.com/invite/10uYwT9ox2LEDc27KTkF6D

Gostaram? Espero que sim!
Deixe seu comentário ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...