História Cellbit - Meu Amado Psicopata - Capítulo 11


Escrita por:

Visualizações 146
Palavras 957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente desculpa pela demora, mas eu também preciso ir pra balada viu? Cheguei agr.
Beijinhos e boa leitura.

Capítulo 11 - Pra Te Fazer Lembrar!


Fanfic / Fanfiction Cellbit - Meu Amado Psicopata - Capítulo 11 - Pra Te Fazer Lembrar!

ESPÍRITO SANTO - CEMITÉRIO DE VITÓRIA - 2017 - 10:34 AM - DUAS SEMANAS DEPOIS.

FLÁVIA POV.

 Toda a semana eu venho te visitar, eu penso que se eu vir aqui eu mato a minha saudade de você, mas eu sei que isso é mentira, mas eu não quero esquecer ela, ela era especial.

 - Eu não conhecia ela, mas do jeito que você trata ela, ela deveria ser mesmo muito especial. - Moonkase aparece ao meu lado.

 - Era sim, a unica pessoa que me amou de verdade. - Eu deixo um buquê de flores roxas em seu túmulo.

 Eu me levanto e abraço Moonkase, ela beija minha cabeça e me aperta mais contra ela.

 - Eu vou estar aqui para o que você precisar tá bom? - Ela diz em meu ouvido.

 - Obrigada Moon, por tudo que você tem feito essas ultimas semanas.

 - Eu fiz isso por você Flávia, porque eu gosto de você, demais.

 Eu fecho meus olhos e sinto lentamente os lábios de Moonkase junto aos meus, suas mãos acariciam minhas bochechas calmamente.

 - A gente não pode fazer isso... não aqui, eu me sinto mal. - Eu digo deparando o beijo.

 - Vamos voltar pro seu apartamento então. - Ela diz.

 Ela me leva até o carro de mãos dadas e fomos para meu apartamento.

 Uma hora depois, nós chegamos no meu apartamento, durante o elevador Moon entrelaça nossas mãos e beija meu pescoço.

 Chegando no meu quarto ela tranca a porta e me levanta me ponhando em seu colo, minhas mãos entrelaçam em seu cabelo enquanto nossas línguas dançavam em perfeita sincronia.

 Ela me leva até minha cama e se senta na mesma me deixando em seu colo, suas mãos quentes invadem minhas costas e retiram minha blusa, eu faço o mesmo e retiro a camiseta de Moon, sinto as mãos dela procurando o fecho de meu sutiã, e quando ela acha ela o retira bruscamente jogando o mesmo no chão.

 Seus lábios beijam meus seios enquanto eu beijo seu pescoço.

 Uma hora depois. (Não quero escrever hot da flávia, sem ser com a Kath)

 Culpa, é isso que eu sinto, eu transei com uma pessoa e não faz nem um mês que a Kath morreu, eu preciso esquecer ela.

 Saio calmamente da cama onde Moon estava dormindo e vou para a varanda, o por do sol se exibia ao fundo dos prédios, eu me sento no pequeno sofá que tem lá e me sento, pego meu celular e meus fones, coloco em uma rádio qualquer e escuto a letra da música.


Tá tão difícil pra você também, né?
Com o coração vazio, mas sempre de pé
Buscando alguma direção.

Quantas vezes você me escreveu e não mandou,
Pegou o telefone e não ligou...
Partiu seu próprio coração.

E eu tenho uma má notícia pra te dar,
Isso não vai passar tão cedo, não adianta esperar.
Às vezes ficamos bem, mas depois vem o desespero,
Eu tento esconder, mas vi que pensei em você o dia inteiro.

Mas sempre haverá uma data, palavra, um olhar,
Um filme, uma música, pra te fazer lembrar.
Um perfume, um abraço, um sorriso, só pra atrapalhar.
Só pra te fazer lembrar de mim.

Tá tão difícil pra você também, né?
Com o coração vazio, mas sempre de pé
Buscando alguma direção.

Quantas vezes você me escreveu e não mandou,
Pegou o telefone e não ligou...
Partiu seu próprio coração.

E eu tenho uma má notícia pra te dar,
Isso não vai passar tão cedo, não adianta esperar.
Às vezes ficamos bem, mas depois vem o desespero,
Eu tento esconder, mas vi que pensei em você o dia inteiro.

Mas sempre haverá uma data, palavra, um olhar,
Um filme, uma música, pra te fazer lembrar.
Um perfume, um abraço, um sorriso, só pra te atrapalhar.
Só pra te fazer lembrar de mim.

Mas sempre haverá uma data, palavra, um olhar,
Um filme, uma música, pra te fazer lembrar.
Um perfume, um abraço, um sorriso, só pra atrapalhar.
Só pra te fazer lembrar de mim.

 (PRA TE FAZER LEMBRAR / LUCAS LUCCO)

 Minhas lágrimas exalam sobre meu rosto, droga, eu tento esquecer ela mas tudo me lembra ela, o que eu acabei de fazer também não ajuda muito, sempre que eu olho pra Moonkase eu penso no quanto a Kath estaria decepcionada comigo.

 LUGAR DESCONHECIDO - DATA DESCONHECIDA - HORA DESCONHECIDA.

DESCONHECIDO/A POV.

Eu preciso fazer alguma coisa, não posso ficar aqui sem fazer nada, eu preciso intervir.

 - Você não vai intervir em nada, você está não pode sair daqui, e nunca sairá.

 - Você não entende, ela está em perigo.

 - Não importa, aqui é o inferno, você não pode salvar ninguém. - o Demônio diz e volta a me chicotear.

 - Eu ainda vou sair daqui, e você vai ser o primeiro que eu vou matar. - Eu gemo de dor.

 - Você nunca vai sair daqui... NUNCA. - Enfia um tridente em minhas costas.

ESPÍRITO SANTO - VARANDA DA FLÁVIA - 2017 - 17:32 PM.

 - Flávia? moon me chama.

 - Oi moon, acordou.

 - Eu levantei e não vi você na cama, achei que tinha me deixado sozinha aqui. - Ela brinca.

 - Não, nem pensar. - Nós rimos.

 - Você tava chorando? - Ela põe sua mão em meu queixo e levanta minha cabeça.

 - Não é nada, eu só estava ouvindo umas músicas bad que estavam passando na rádio.

 - Bom, eu tenho que sair agora, preciso fazer um serviço pro meu pai.

 - Claro, até depois.

  Ela me da um selinho demorado e sai do apartamento.

 Meu Deus, ela falou igualzinho a Kath, para com isso Flávia, você precisa esquecer a Kath de um vez por todas

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...