História Cellbit, a vida com MITW - Capítulo 112


Escrita por:

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Gabriel "MrPoladoful", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Gabriel Tenório Dantas, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes
Tags Alan, Amor, Authentic, Baixa Memória, Cellbit, Cellevil, Cellke, Cellmitw, Cellps, Celltw, Eletronicdesirege, Febatista, Felipe Z, Fellke, Felps, Guaxinim, Homossexualidade, Ilusão, Jvnq, Jvtista, L3ddy, Lemon, Luba, Mike, Mikethelink, Mikhael Linnyker, Milps, Mitista, Mitw, Pac, Pacevil, Pactw, Rafael Lange, Rezendeevil, Romance, Sexo, Spok, T3ddy, Tarik Pacagnan, Tazercraft, Youtubers, Zelune
Visualizações 1.167
Palavras 967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aaaaaaa titia Little está aqui e não sumiiiiiu yaaaaaaaaay hehehehe >.<

Amorecooos e amorecaaaaaas espero demais que gostem desse capítulo pois escrevi ele com todo o meu amor hehe ^^

Maaaas sem enrolação...


Boa leituuuraaa

<3

Ps: Gabs na capa do capítulo de novo porque estou amando colocar ele *---*

Capítulo 112 - Uma coisa nossa


Fanfic / Fanfiction Cellbit, a vida com MITW - Capítulo 112 - Uma coisa nossa

Ainda é P.O.V Rafael

- Rafa, o que você...
O interrompo selando nossos lábios, o fazendo se chocar contra a geladeira, pelo impulso.
Peço passagem e Gabriel nega.


Vamos por favor Gabriel.


Peço passagem novamente e ele continua negando.
- Bom, venha Connor, vamos deixar os dois a sós. – A mãe de Connor fala se retirando da cozinha.
Perco meu ar, agora não conseguindo respirar. Peço, pela última vez, a passagem e, finalmente, Gabriel cede. Quando minha língua  toca a sua, penso em Mike e depois tudo fica preto.


P.O.V Gabriel


Rafael se solta de mim, quase caindo ao chão. O seguro ao máximo, então Connor, que ainda está parado do nosso lado, me ajuda a pegar Rafael no colo.


- O que foi isso? – Connor pergunta, subindo as escadas.
- Isso o que? – Me faço de desentendido, entrando no quarto.
- Qual é... – Fala enquanto coloco Cellbit na cama.
- Eu não sei, tá legal? – Falo e verifico a respiração de Rafael.
- Não sabia que eram tão... Espontâneos. – Fala e o olho preocupado.
- Connor, ele não tá respirando! – Digo, fazendo de tudo para sentir uma leve respiração de Cellbit. – Cellbit... – Bato, levemente, em seu rosto. – Rafa... – O chamo, começando a fazer massagem cardíaca em seu peito. – Um, dois, três, quatro, cinco... 
- Vou ligar para a ambulância. – Connor fala e continuo.
- Dezoito, dezenove, vinte... Rafael, por favor. – Respiro fundo. – Um, dois, três, quatro.
- Cara, eles estão vindo. – Connor fala, colocando a mão em meu ombro.
- Doze, treze, catorze, quinze...
- Gabriel chega, eles vão cuidar dele.
- Dezenove, vinte... – Aproximo minha boca da de Rafael, tentando sentir alguma respiração. – Um, dois...
- Gabriel! – Connor puxa minhas mãos, as segurando.
- Me solta! – Tento puxar minhas mãos, mas ele é mais forte. – Me solta, seu merda! Me larga! – Grito e, enfim, Connor me solta.


Volto a fazer massagem cardíaca em Rafael e, quando chego à última contagem, paro e apenas observo seus olhos.


-Me perdoa... Eu não consigo continuar. – Digo com meus olhos marejadas e extremamente cansado.
- Você não tem culpa. – Connor fala com a mão, novamente, em meu ombro.


Num movimento extremamente rápido, Rafael abre seus olhos e puxa o ar, rapidamente, segurando forte meu braço e me surpreendendo.
Meus olhos marejam, o observando e me arrepio por inteiro.


- Como... – Interrompo Connor.
- Ah, meu Deus... – Falo abraçando Cellbit.
Ele se senta, devagar, respirando rápido.
- O que aconteceu? – Pergunto e Rafa olha para Connor. – Hey, pode nos deixar a sós um pouco? 
Connor apenas sai do quarto, fechando a porta.
- O Mike passou mal. – Fala fraco, encostando a cabeça em meu ombro. – Por que está parecendo uma estátua? Por que está tremendo tanto?
- Você me assustou. – Falo o encarando.
- Pensou que eu iria morrer tão fácil assim? – Pergunta rindo fraco.
- Dessa vez eu pensei, Rafael. Sério mesmo. – Falo penteando meus cabelos para trás, com as pontas de meus dedos, respirando fundo. – Essa foi a primeira vez, em anos, que realmente fiquei com medo.
- Medo do que? De eu morrer?
- Medo de me deixar depois de tanta luta que já passamos juntos.
- Obrigado... – Fala, se deitando de lado.
- Posso te perguntar uma coisa?
- Lógico. – Fala, me olhando.
- Por que me beijou? – Pergunto e o vejo fechar os olhos.
- Eu preciso descansar, Gabriel. Quem sabe outra outra. – Fala baixo, como num sussurro, e ajusta sua cabeça no travesseiro.
- Bullshit (Papo furado) – Deixo escapar e ele me olha. – Me fala logo... Por que em meio à tudo isso, você me beijou?
- Eu... E-Eu só senti essa necessidade.
- Necessidade de me beijar?
- Necessidade de não morrer sozinho. – Fala e meus argumentos acabam, enquanto meus olhos marejam.
- Vou te deixar descansar, Rafa. – Digo me levantando de sua cama e indo em direção da porta.
- Você... – Ele começa a falar e eu paro de andar. – Você ainda vai sair hoje?
- E deixar você assim, depois de tudo isso? Lógico que não. – Falo e pisco com um olho para ele.


Saio do quarto, apagando as luzes e vejo Connor na cozinha, ao descer.
Me sento numa das cadeiras e respiro fundo.


- O que foi aquilo? – Connor pergunta, me entregando um copo d'Água.
- O que?
- Aquele beijo. Aquilo de “Luv”... – Faz aspas com os dedos.
- Uma coisa nossa, por que? – Falo e bebo um gole da minha água.
- Pensei que tínhamos algo. – Fala acariciando minha bochecha.


E temos, mas não posso desmentir tudo e dizer que Cellbit é só o meu amigo. Nos expulsariam. Ou melhor... O expulsariam.


- Não. Eu e o Rafael temos. O que rolou com a gente foi uma coisa, o que eu tenho com ele é outra. – Falo e ele segura minha mão, me encarando surpreso.
- A balada ainda está de pé? – Pergunta e o olho incrédulo.
- Não. Talvez outro dia, tá legal? – Me levanto. – Da licença Connor.


Subo até o quarto e me jogo na cama, observando Cellbit dormir. Depois de alguns segundos, apago.


P.O.V Felps


- Já faz uma hora. – Falo para Mike, que já teve alta. – Que horas darão uma notícia do Pac?
- Vamos esperar. Às vezes demora por dar tudo certo. – Fala otimista e brincando com os dedos, de cabeça baixa.
- Espero... Se o Pac morrer... – Mike me interrompe.
- O Cell morre.
- E se o Cell morrer, você morre. – Falo, encarando seus olhos.
- Ninguém vai morrer aqui. – Mike fala e sorrio.
- Trouxe café. – Batista fala, trazendo uma bandeja com três copos de café.


(...)
19:05


Aguardamos durante horas até que o médico de Pac, finalmente aparece.


- Vocês que estão com o Tarik? – O médico Pergunta e levantamos, assistindo com a cabeça.
- Pois então... 

Continua...

 


Notas Finais


Aaaaaaaaaaah espeeeero que tenham se surpreeeendiidoo e gostadoooo amaaadooo esse cap aaaaaaah hehehehe''

Comentários imensos meus amoooores sobre esses acontecimentos e pov's *-------*

Beeeeeeeijooos amo vooceees

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...