História Cellbit, a vida com MITW - Capítulo 115


Escrita por:

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Gabriel "MrPoladoful", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Gabriel Tenório Dantas, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes
Tags Alan, Amor, Authentic, Baixa Memória, Cellbit, Cellevil, Cellke, Cellmitw, Cellps, Celltw, Eletronicdesirege, Febatista, Felipe Z, Fellke, Felps, Guaxinim, Homossexualidade, Ilusão, Jvnq, Jvtista, L3ddy, Lemon, Luba, Mike, Mikethelink, Mikhael Linnyker, Milps, Mitista, Mitw, Pac, Pacevil, Pactw, Rafael Lange, Rezendeevil, Romance, Sexo, Spok, T3ddy, Tarik Pacagnan, Tazercraft, Youtubers, Zelune
Visualizações 1.189
Palavras 2.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amoooooooooores e amooooraaaaas eu voooltei com um capitulooooo divino paaraaa vooooces *---------*

Espero demais que gostem e me perdoem mesmo pela demora ;-;

Boooooa leituuuraaaaaa

<3

Capítulo 115 - Estamos aqui por ele


Fanfic / Fanfiction Cellbit, a vida com MITW - Capítulo 115 - Estamos aqui por ele

Bloqueio meu celular e apago, com medo do amanhã, depois do que Gabriel acaba de mandar.

P.O.V Rezende

Depois de falar com Rafael e receber a foto de seu olho daquele jeito, decido fazer de tudo para encontrá-lo. De tudo mesmo.
Pego meu celular de cima da cama e ligo para Felps.

~Ligação on~


- Alô? 


- Felps? Sou eu... Rezende.


- Rezende? O que foi?


- Eu preciso falar com você. Estava falando com o Rafael... – Me interrompe.


- Com o Rafa?! Como? Por que ele... – O interrompo.


- Olha eu não sei ok? A única coisa que sei é que ele só fala comigo a hora que ele quer. Quando eu mando mensagem, ele não responde. Mas quando ele quer, me manda.

- Comigo é a mesma coisa. Mas nunca mais me chamou no Whats e nem me ligou.

- Ok, isso é um dos motivos que me fez te ligar. Ele me mandou uma foto.


- Dele?


- Sim, na verdade... Do olho dele.


- E o que que tem?


- Estava extremamente vermelho. Aconteceu alguma coisa com ele, Felps.


- Tipo conjuntivite?


- Não, idiota! – Respiro fundo. – Tipo machucado pra caralho.


- Machucado?


- Sim! Depois ele me mandou uma mensagem, pedindo para eu encontrá-lo. E, bom... Estou te ligando porque quero sua ajuda para achá-lo.


- Jura? – Fala, desacreditando.


- Sim. Afinal, somos os melhores amigos dele, não é? Posso contar com você?


- Sim, claro... O que quer que eu faça?


- Vem pra minha casa. Vamos achar o Rafa. – Digo determinado e desligamos a ligação.

~ Ligação off~

Felps chega em minha casa após uma hora.
É estranho tê-lo aqui. Sempre brigamos, indiretamente, por causa do Rafa... Mas hoje estamos aqui por ele.
- E aí? – Me cumprimenta.
- Isso é muito estranho, cara. – Deixo escapar, rindo.
- Demais. – Ri junto. Mas enfim... Onde está a foto que o Cell te mandou?
- Aqui. – Falo, pegando meu celular, o mostrando a foto.
- Puta que pariu. – Fala rápido. – Eu andei reparando nos últimos vídeos que ele postou e... Ele está com um sotaque forte pra caramba, mas eu não consigo decifrar de onde é.
- Vamos fazer assim... Vou colocar os dois últimos vídeos dele na tv, para analisarmos e focar em cada segundo, ok?
- Certo. – Felps fala, se sentando no sofá.
Coloco o primeiro vídeo e dou play, me sentando ao lado de Felps. 
- Viu, olha o sotaque que ele tá! – Fala em meio ao vídeo.
- Caralho, de onde é essa merda?!
- Vamos para o segundo. – Fala, após o primeiro vídeo acabar.
- Esse ele postou agora há pouco. - Falo dando play no último video.
O video começa direto com Rafael jogando.
- Espera... Não tem intro? – Pergunto e Felps vai até a tv, voltando o vídeo para o começo.
A mesma coisa acontece.
- Como não tem intro? – Pergunto, cismado.
- É que ele grava o jogo e depois faz a intro, na maioria das vezes. Pode ter esquecido dessa vez.
- Não. Ele assiste o preview antes de postar. Não esqueceria, Felps.
- O que quer dizer?
- Acho que alguma coisa, muito estranha, está acontecendo.
- Por causa da intro?
- Por causa que ele não gravou a intro depois... Pode ter acontecido algo, antes dele gravar a intro, que o fez desistir ou só upar esse vídeo que começa do nada.
- Que merda, não tinha pensado assim. – Fala, puxando os cabelos.
- Bom, vamos fazer o seguinte... Vamos dormir e, amanhã, analisamos isso tudo melhor, ok?
Desligo a TV.
- Ok. Pode deixar que eu durmo no sofá mesmo.
- Tudo bem, até amanhã. – Sorrio e vou para o meu quarto.

P.O.V Rafael

(...)

2:11

Acordo, devagar, sentindo algo em meu ombro.
- Rafa... – Ouço a voz de Gabriel, sussurrando meu nome, sentindo as pontas de seus dedos, acariciando meu ombro. – Acorda, eu trouxe uma coisa pra você.
Me viro, abrindo meus olhos, e enxergando um Gabriel sorridente e calmo.
- Amanhã eu como. – Digo, olhando para uma caixa de pizza, com dificuldade, por conta da dor em minha boca.
- Ah não, Rafa. Vem, eu trouxe a sua pizza preferida. – Não respondo. – Tudo bem... – Fala cabisbaixo, colocando a caixa de pizza de lado.

Ele não merece o que o Connor quer. 
Não farei o que aquele filho da puta quer que eu faça.

- Me conta. – Me agito um pouquinho mais. – Como foi seu primeiro dia?
Gabriel sorri de orelha a orelha, tirando sua camisa e se sentando à minha lateral em minha cama, de perna de índio.
- Nossa, foi demais! – Fala animado e entusiasmado. – A menina que me ensinou, é super engraçada e minha chefe é um doce com todos. – Continuo olhando para ele, focado em tudo o que fala, colocando minha cabeça apoiada em sua perna. – Eu fiz todos os cafés possíveis hoje, para aprender, porque se caso algum dia estiver muito cheio, eu posso ajudar. Mas eu acho meio impossível, porque hoje eu atendia dez pessoas e ficava uns quinze minutos parado, conversando com a garota que me ajudou... Tudo aqui é melhor que o Brasil, Rafa. – Gabriel começa a mexer em meus cabelos, enquanto fala e meus olhos começam a pesar. – Você gosta disso né? – Pergunta e assinto, sorrindo, encarando seus olhos. – Mas então... Aí tem um garoto super arrogante lá. Teve uma hora que ele... – Acabo apagando, enquanto Gabriel fala.

(...)

11:32

Acordo coberto e vejo um bilhete ao meu lado. – Me levanto aos poucos e desdobro o bilhete, o lendo.


“Hey, me desculpa te fazer dormir com o tanto que eu falo. Mas é que eu gosto de conversar com você. Não se esqueça que hoje iremos comemorar só nós dois ok? Até mais tarde. =)”


Gabriel já foi trabalhar, então farei alguma coisa para o tempo passar rápido.
Vou até o banheiro e tomo um longo banho, tirando toda a maquiagem de meu rosto e todo o estresse de meu corpo. 
Saio do chuveiro, me enxugo e pego as maquiagens, para passar em meu rosto, novamente. 

Farei uma live hoje. Isso faz o tempo passar para mim.

Me troco, após cobrir as marcas em meu rosto, coloco um óculos escuros e aviso no Twitter, sobre a live. Ligo a lanterna de meu celular, direcionada à mim e início a live, mas ainda não me mostro. 

P.O.V Mike

Acordo Pac com alguns beijos em seu pescoço, o fazendo se virar, manhoso, de frente para mim e me abraçar forte.
- Bom dia moço. – Sussurro, fazendo cafuné em seus cabelos.
- Ótimo dia... – Fala me apertando mais. – Estou tão feliz que está aqui.
- Vamos comer alguma coisa? – Pergunto, me sentando e beijando sua testa. – Vem, vou cuidar de você hoje, o dia inteiro.
Pego Pac no colo e saímos do quarto, indo até a cozinha.
- Sabe, Mike... – Pac começa a falar. – Eu sinto muita falta do Rafa. Mas quando eu estou com você, isso passa. 
O coloco na cadeira, estático pelo o que acaba de falar e quando abro a boca para dizer algo, Batista aparece na cozinha.
- Bom dia, mitw. – Sorri e se senta na mesa.
- Farei o café para os meus dois moços preferidos, hoje. – Falo, ligando a cafeteira e os dois sorriem, me olhando.

P.O.V Rezende

Acordo e vou para a cozinha. Felps já está acordado passando café. 
- Bom dia, cara. – Falo pegando uma xícara.
- Bom dia... Pensou em alguma coisa, já? – Pergunta e meu celular apita.
Vejo a notificação. 
- Felps. Felps! – Grito ligando minha TV no YouTube.
- O que foi? – Pergunta vindo atrás de mim.
- O Rafa acabou de entrar em Live! – Me sento no sofá, selecionando o canal dele.
- Puta merda. – Fala e vem ao meu lado, em frente à TV. – Ah mais ainda está só na música.
- Sim, mas já vamos deixar ligado, para quando começar vermos tudo ao vivo, principalmente seu estado.
- Ok. Ainda quer café? – Pergunta e voltamos à cozinha.
- Sim... – Estendo a xícara e ele me serve.
- Alooo, estamos ao vivo? – Ouvimos a voz de Rafael, da TV. – Estamos ao vivo! 
Olho para Felps que me encara de volta. Vamos rápido até a sala e vemos Rafael.
- Por que os óculos? – Felps pergunta, estranhando.
- Oi pessoal, sou eu, seu amigo Cellbinho crays. Bom, eu... – Lambe os lábios e passa a mão em seus cabelos. – Eu decidi fazer essa live do nada para vocês, porque eu descobri um jogo e eu quero muito jogá-lo com vocês. – Abaixa a cabeça, parecendo procurar algo. – Bloody hell. – Fala e seus óculos deslizam, enquanto procura, até que ele olha pra câmera por um segundo e reergue seus óculos, assustado. – Finally! – Fala, mostrando a imagem de um jogo, no celular.
- Ei! Para! Volta na hora que o óculos dele quase cai! – Peço para Felps e ele me obedece.
Ele volta, aos poucos, o vídeo e quando para na parte que Rafael olha para a câmera, enxergamos seus olhos vermelhos, igual a foto que havia me mandado. – Nossa velho, olha isso.
Felps olha assustado, negando com a cabeça. Depois de alguns segundo, volta o vídeo.
- Então amiguinhos, vamos comigo nessa aventura de um jogo que não faço a mínima noção do que se trata?! – Umedece os lábios com a língua, com o olhar vago. – Vamos lá.
Rafael começa a jogar e comentar o vídeo, enquanto eu e o Felps prestamos atenção em cada detalhe, cada segundo.
Depois de alguns minutos, Rafael olha para o lado, prestando atenção em outra coisa, mas, logo volta à live. 
- Vamos, por favor, tira esses óculos, Rafa... – Peço baixo e Felps continua compenetrado.
Ouvimos um barulho por trás da voz de Rafael, que olha para o lado, rapidamente, se assustando. Ficamos estáticos. 
- Go away.- Fala e nos aproximamos da TV. – Agora, eu vou tentar abrir esse baú, até porque... – Para de falar, olhando para o lado, novamente. – Shit... – Ouvimos sair de sua boca e sua live se encerra.
- Puta que pariu, o que aconteceu?! – Felps grita e tento dar f5 na página. Voltamos ao final do vídeo e, realmente, a live foi desconectada por Rafa.
- Que merda... Que merda!!! – Bato no hack da TV. – O que caralhos aconteceu?!!!

P.O.V Rafael

Estava gravando minha live quando percebo que Connor me encara da porta. Disfarço, então volto meu olhar para o jogo, após mandá-lo sair. Ele começa a se aproximar e, quando vejo sua feição de irritado, fecho a tela de meu notebook, encerrando a live e esperando ser espancado.

Connor me joga em minha cama, que estava arrumada, e sobe em cima de mim, rindo e jogando meus óculos para longe.

- Eu quero brincar com você. – Fala, com um sorriso psicopata. – Vamos brincar de traduzir algumas coisas.
- Vai se foder. – Digo e ele dá um tapa em meu rosto, estalando duas vezes a língua no céu da boca.
- Vamos tentar mais uma vez. – Se senta em cima de mim, me machucando. – O que ele te mandou ontem, naquela mensagem, quando estava comigo, na pizzaria?
- Disse que queria comemorar comigo e não com você. – Falo e sorrio, o provocando.
- É mentira. – Ri e dá outro tapa em meu rosto. – Me fala a verdade, inútil.
- É tão engraçado ver você sofrendo por ele. – Falo, rindo e ele soca meu olho.
- Cala a boca! – Grita.
- Você pode me espancar até a morte, mas sofre muito mais do que eu. – Falo, com dificuldade, e ele presta atenção em meus olhos. – Porque de noite, enquanto você pensa em uma maneira de ficar com o Gabriel, estamos coladinhos bem nessa cama aqui. 
Já espero a pancada e ela realmente vem. Connor me levanta pela camiseta, me prensando na parede e soca meu rosto, ao me levantar, começa a me enforcar. Não resisto em momento algum, só sinto meu ar ir embora, aos poucos.
- Não vou te dar o gosto de morrer. – Fala, me soltando.
Caio no chão, sem ar, e Connor cospe em mim, saindo do quarto.
Me levanto, com dificuldade, após alguns minutos, e pego meus óculos, os colocando, novamente, em meus olhos. Troco minha camiseta, com dificuldade, por conta da dor, tomo meu analgésico, sorrio e volto para a live, abrindo meu notebook.
- Bom, pessoal, me desculpem por fazer a live cair... – Digo baixo e com dor. – Voltamos ao jogo, ok? 

Estou muito fraco.

P.O.V Gabriel

Estou em horário de almoço com a garota que me acompanha a fazer os pedidos.
Desbloqueio meu celular, ao sentar ao lado dela, e vejo uma live de Cellbit no ar.
- Voltamos ao jogo, ok? – Ele fala e, automaticamente, minha colega de trabalho, encara meu celular.
- Nossa. – Fala encarando Cellbit. – Esse garoto é perfeito. Olha esse olho. Meu Deus, você conhece ele?
- Sim. – Falo, observando Rafael agir muito agitado no vídeo.
- Me apresenta ele, por favor? O que ele está falando? Traduz? Vaaaai Gabriel! Eu te ajudei em tudo aqui, me ajuda e conhecê-lo? – A garota não para de me chacoalhar.
- Não. – Digo, me perguntando o porque ele está de óculos e jogando curvado.
- Por que não? Ele é lindo, me apresenta ele, por favor.
- Ele é meu namorado. – Digo e ela me olha surpresa. – Pode me dar um minuto?
- Namorado? – Ouço, perguntar, enquanto me isolo.

Continua...


Notas Finais


AAAAAAAAAAH O QUE QUE VAAAAI ACONTEECEEEEEEER?!!!

Amoooorecooos e amooorecaaaaaas, preciso que comentem enormemente sobre o que ocorreu nesse capítulo, porque foram tantas emoções ;-; *-* hehehehehehe'

Ps: Amores e amoras eu irei responder os comentários que não respondi do capítulo anterior amanhã também okay? Por favor me perdoem por essa minha falta de tempo que ando tendo... Mas eu continuo amando demaaais voceeees *--------*

Beeeeeeeeeijooos

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...