1. Spirit Fanfics >
  2. Cem pretendentes >
  3. Sem esperança

História Cem pretendentes - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Oiieeeee gente

Obrigada pelos 300 favs, gente!! ❤❤❤❤❤

Tenham uma boa leitura hehe

Capítulo 13 - Sem esperança


"Estou trazendo o fogo, então me chame de Daenerys"
Down & Dirty - Little Mix

Jimin's POV

Taehyung não me explicou coisa alguma naquela ligação, apenas me pediu para ir para casa o quanto antes e foi o que me preparei para fazer, levantando-me do conforto dos lençóis de Jungkook e começando a caminhar até a saída do quarto, sabendo que as roupas que eu vestia no dia anterior estariam me esperando na sala.

Pensei em acordar o alfa, mas nem precisei me dar o trabalho, pois seus olhos se abriram assim que deixei a cama, e com um olhar questionador, ele se sentou sobre o colchão, com as pálpebras inchadas pelo sono e com um sorriso leve nos lábios, me assistindo desfilar nu pelo seu quarto.

— Era o Taehyung na ligação? — Jeon perguntou, com a voz rouca típica de quem havia acabado de acordar.

— Sim, é melhor a gente ir pra lá logo, ele disse que está tendo problemas. — Expliquei, pegando o blusão que ainda estava jogado no chão e vestindo, antes de ir caçar a minha cueca em algum canto daquele cômodo.

— Problemas com o quê? — Indagou franzindo a testa, e eu não soube se deveria o explicar que era algo envolvendo o seu nome ou não.

— Não sei exatamente, ele não explicou, mas os participantes estão bravos com alguma coisa. — Falei, me abaixando para pegar minha cueca, percebendo que não iria a vestir... Era melhor pegar uma limpinha de Jungkook mesmo.

— Será que sabem do nosso envolvimento? — Jeon indagou com uma expressão preocupada, se levantando da cama também caçando por suas roupas, vestindo primeiramente sua boxer que estava mais perto do colchão, me fazendo soltar um leve suspiro por poder admirar seu corpo desnudo mais uma vez.

— Talvez, vamos precisar ir lá para descobrir. — Respondi, me virando para sair do quarto.

— Espera! — Jungkook exclamou, dando uma corridinha até mim. — Não quer tomar um café da manhã antes?

— Mas Jungkook... — Pensei em negar, porém Jeon se colocou em minha frente, segurando minhas mãos e me olhando com aquela cara de cachorrinho pidão.

— Não sabemos qual é o grande problema lá no programa, mas se por acaso uma tempestade estiver vindo, eu quero curtir mais alguns minutos na calmaria. — Expressou, me fazendo sorrir de lado.

— Você avisou a produção que passaria a noite fora? — Perguntei, já que não avisar poderia causar alguma punição para o participante.

— Noite passada eu estava pensando em ir pra casa dos meus pais depois do bar, então sim, avisei. — Disse, me aliviando um pouco.

— Tudo bem, vamos tomar um café antes de voltar então. — Afirmei, me dando por convencido, e não era como se eu quisesse ir embora tão rápido de qualquer forma.

Fomos em direção da porta juntos, com Jungkook tomando a dianteira dizendo que iria pedir nosso café da manhã em algum Delivery, enquanto eu dava uma corridinha em direção ao banheiro, necessitando mais do que urgentemente esvaziar minha bexiga, e também sentindo que precisava de um banho, já que tínhamos adormecido sem fazer isso na noite anterior.

Jungkook retornou ao banheiro para avisar que já tinha feito o pedido momentos depois, quando eu já estava na pia, aproveitando para lavar a boca somente com pasta de dente e água mesmo, já que não havia nenhuma escova nova para que eu usasse.

Fui busca uma toalha limpa, que Jeon avisou que guardava no armário que havia no quarto, assim dando privacidade para Jungkook usar o banheiro, também aproveitando para pegar uma toalha para ele. Porém nem deu tempo de retornar, o interfone começou a tocar nesse momento, mostrando que o entregador já tinha chegado.

Jungkook tinha me dito que a padaria para qual ele tinha feito o pedido era ali no bairro mesmo, então sempre era rápido, sendo assim tomei liberdade de ir atender, vestindo uma bermuda qualquer que também encontrei naquele armário, já que ainda não vestia nada por baixo do blusão.

Após receber o entregador e finalizar o pagamento, retornei ao quarto para pegar as toalhas e já retirando minhas duas peças de roupa no caminho de volta para o banheiro, vendo que Jeon agora escovava seus dentes e levou um sustinho quando abri a porta com tudo, nos fazendo rir como se aquilo tivesse sido a coisa mais engraçada do mundo.

Minha nossa, gente apaixonada fica toda boba mesmo, misericórdia... 

Mas voltando ao que importa. Deixei as toalhas no porta toalhas e fui adentrando o boxer em seguida, já ligando o chuveiro e me colocando abaixo da água quentinha, suspirando ao fechar os olhos por sentir meus músculos relaxarem automaticamente. E continuei ali paradinho por mais alguns segundos, sentindo a água cair em minha nuca e banhar todo o meu corpo.

Não me assustei ao ter os braços de Jungkook contornando minha cintura em seguida, pude o sentir se aproximando antes de me abraçar por trás, e molhar-se juntamente a mim. Continuei parado e em silêncio, ainda de pálpebras fechadas, mas o meu olfato foi tomado pelo cheiro doce do sabonete líquido, e meu corpo cansado agradeceu quando Jungkook começou a ensaboar meu tronco calmante.

Não conversamos sobre nada, o silêncio se fez presente, numa calmaria relaxante, enquanto eu me mantive soltando alguns suspiros de deleite ao ter suas mãos massageando meu corpo daquela maneira cuidadosa. E assim que terminou, ele enxaguou meu tronco e partiu para os cabelos, passando um shampoo de fragrância suave, novamente me causando arfares por receber aquele carinho em meu couro cabeludo.

Logo foi a vez de tirar todo o shampoo dos meus cabelos, e Jungkook voltou a se colocar atrás de mim para completar tal tarefa, me dando a oportunidade de lhe provocar um pouquinho, ao jogar meu quadril para trás, balançando minhas nádegas contra seu pau semi-ereto.

Sorri malicioso ao ouvir automaticamente um rosnado vindo do alfa, porém nem tive tempo de continuar minha provocaçãozinha, pois no segundo seguinte ouvi Jeon desligar o chuveiro e empurrar meu corpo contra a parede do lado esquerdo do boxer, tomando meus lábios num beijo febril e ansioso.

Agarrei seus fios úmidos de cabelo, trazendo seu rosto mais em direção ao meu, assim como seu corpo, que colocado a minha pele molhada, se esfregava em meio ao vapor da água quente, fazendo minha ereção já inflamada apenas pela ansiedade pulsar contra a sua, só de imaginar tudo o que poderíamos fazer se tivéssemos mais tempo, me arrepiava dos pés a cabeça.

— Vamos acabar nos atrasando mais para chegar na mansão. — Murmurei contra sua boca, tendo minha voz abafada por mais um selinho. — Ou podemos ser bem rápidos. Acha que consegue?

— Isso soou em tom de desafio, senhor Park? — Jeon perguntou, sorrindo malicioso, e eu retribui.

— Compreenda da forma que quiser, senhor Jeon. — Respondi mantendo o tom voluptuoso, fazendo o moreno entender bem o recado. 

E Jungkook me fez gozar de novo, usando sua destra em volta da minha ereção até que eu viesse contra os azulejos do banheiro, enquanto ele também pintava o piso colorido com seu prazer, estocando seu membro entre minhas coxas.

{~>x<~}

Horas depois, encontrei um verdadeiro pandemônio de vozes assim que entrei em minha casa, todos estavam na sala, discutindo uns com os outros. Taehyung, Moonbyul e outras pessoas da produção tentavam organizar aquela algazarra, mas seus pedidos de calma eram silenciados pelos berros dos competidores, que pareciam realmente revoltados com algo.

— Ele não deveria estar aqui. — Um dos participantes argumentou.

— Como ainda não o expulsaram? — A moça ao lado dele perguntou em voz alta.

— Ninguém vai fazer nada? — Outro cara indagou furioso.

— Isso é contra as regras! — Alguém mais ao fundo exclamou.

Mas antes que eu fizesse minha presença ser notada, Jungkook entrou pela porta do lado oposto da sala, vindo dos fundos, já que tínhamos nos separado assim que chegamos na mansão, tentando fazer com que ninguém que estava lá dentro notasse que havíamos chegado juntos.

E bastou o alfa colocar seus pés no local para que todos os olhares fossem em sua direção, e agora as vozes que antes questionavam Taehyung e companhia, começaram a gritar coisas incompreensíveis pela quantidade de vozes unidas, enquanto Jungkook encarava a todos assustado, sem saber porquê de tamanha revolta contra si.

— Mas que merda está acontecendo aqui? — Minha pergunta soou alta o bastante para que o silêncio tomasse o ambiente.

— Até que enfim você chegou! — Taehyung expressou, correndo até mim. — Vamos até o escritório para que eu possa explicar tudo a você.

— Por que não podem conversar na nossa frente? — Um participante veio para o nosso lado perguntando.

— Temos o direito de saber quais atitudes serão tomadas também. — Outra pessoa disse brava.

— Vão protegê-lo porque é o preferidinho. — Outro proferiu de forma exasperada.

— Acabei de chegar e nem sei do que estão falando, então por favor, tenham um pouco de educação e esperem que eu ao menos entenda tudo antes de saírem tagarelando todos de uma só vez. — Falei, irritado com todo aquele uníssono de vozes. — Me conta logo o que está acontecendo, Tae.

— Sabe os exames que a produção pediu que fossem feitos? — Taehyung indagou em seguida.

— Sim, o que houve com eles? — Respondi, afinal sabia que alguns exames médicos foram pedidos pela produção porque na próxima semana viria uma prova mais intensa, que exigiria o físico e a resistência dos participantes, por isso vimos que seria melhor ver se a saúde de todos estava em boas condições, não iríamos querer ver ninguém passando mal no meio da prova.

— Os resultados chegaram, e num deles apareceu uma coisa que a gente não esperava. — Moonbyul respondeu, mostrando que carregava um papel.

— Me deixe ver. — Pedi, estendo a mão em sua direção.

— Aqui. — Ela me entregou, soltando um suspiro cansado. — Nos resultados dizem que o Jungkook é um beta.

— Hm... — Murmurei, enquanto lia as coisas escritas no laudo. Acho que não preciso nem explicar o quanto aquilo parecia suspeito, certo? E eu já tinha meus palpites do que poderia estar acontecendo.

— Queríamos fazer uma reunião assim que vimos isso, mas você não estava em casa, e depois tudo virou essa bagunça quando alguém da produção fofocou para os participantes sobre isso e todo mundo veio exigir respostas. — Moon continuou a falar.

— Descubra quem foi e o demita. — Falei, entregando o papel de volta para ela.

— Tudo bem. — Ela assentiu, pois também sabia que todos os funcionários da produção tinham assinado um contrato onde dizia que era proibido passar informações sigilosas aos participantes, sendo esses resultados nas provas com antecedência, possíveis eliminações ou informações pessoais sobre outros concorrentes.

— Vamos resolver isso agora mesmo, por isso eu quero no meu escritório a minha equipe, meus seguranças, o Jungkook e... — Expressei enquanto ia apontando para cada um. — O Daeshin.

— Ué, por que eu? — O ruivo questionou me olhando confuso.

— Preciso conversar com você também. — Afirmei em seguida. — Os demais serão informados do que aconteceu assim que a reunião terminar.

Dei as coisas e saí caminhando até as escadas, subindo ao primeiro andar e continuando a andar até alcançar mais um lance de degraus que levariam ao segundo andar. Onde caminhei sem pressa, sendo seguido pelas demais pessoas até que chegássemos na porta do meu escritório.

Destranquei a porta e entrei na frente, andando até a mesa, esperando que todos se acomodassem em algum lugar, indicando que Jungkook e Daeshin ficassem nas duas cadeiras a frente da minha mesa, enquanto os demais preferiram ignorar o sofá que havia ali e permanecer em pé, em volta dos nós.

— Você fez isso? — Foi a primeira coisa que perguntei a Daeshin.

— Fiz o quê? — Daeshin respondeu franzindo o cenho, enquanto Jungkook olhava para mim e para ele com olhos questionadores, completamente confuso com o rumo daquela conversa, e obviamente assustado com as recentes acusações contra si também.

— Você falsificou os resultados dos exames do senhor Jeon? — Indaguei, apoiando o cotovelo sobre a mesa e meu queixo sobre minha mão em seguida. — Pagou alguém da produção para fazer isso?

— Espera, você está me acusando falsificar a classificação dele? — Daeshin indagou arregalando os olhos. — Por que eu faria isso?

— Sinto que alguém fez, estou averiguando primeiro com o meu principal suspeito. — Respondi, vendo Jungkook fazer mais uma carinha de surpresa ao lado de Daeshin.

— Mas por que eu? — O ruivo quis saber mais uma vez. — Além de que é simplesmente estúpido falsificar a casta dele, ninguém acreditaria em algo assim, ele tem cheiro de alfa, betas sequer tem odor natural.

— É que você não se importou de falsificar muitas outras coisas, certo Daeshin? — Perguntei, sorrindo de lado.

— Como? — Ele expressou falsamente desentendido.

— Moon, você poderia explicar ao senhor Choi, por favor? — Pedi olhando para a beta.

— Claro. — Assentiu, vindo ficar ao meu lado, em frente de Daeshin. — Minha esposa Yongsun descobriu que você pagou um de nossos funcionários, responsável pela contagem de pontos nas provas, para modificar os resultados do seu concorrentes, Jeon Jungkook.

— Vão acreditar na palavra de um qualquer? — O Choi perguntou rindo sarcasticamente.

— Você até ter achado que seria inteligente se encontrar com esse funcionário fora da mansão, mas escolheu alguém que não tinha a mesma malícia que você, e ele resolveu ir te cobrar bem em frente de uma das câmeras da produção, que não estava desligada. — Moon continuou, e finalmente a postura egocêntrica do ruivo pareceu ceder.

— Captamos toda a conversa, e o funcionário nos confessou que realmente modificou as pontuações, para que o Jungkook não tivesse mais as mesmas boas colocações. — Concluiu por fim.

Daeshin ficou mudo, seus olhos desceram até o carpete do escritório e lá ficaram por alguns segundos, ele parecia à beira de um ataque de raiva, respirava pesado e apertava seus dedos nas laterais da cadeira, pois sabia que não tinha escapatória, não havia com fingir que não conhecia aquele funcionário ou que não tinha feito nada, as filmagens que comprovavam tudo.

— Ah, e eu fui falar com seus pais nessa semana também. — Eu acrescentei.— Agora sei que aquela história de você ter namorado com outro alfa é mentira, e o único motivo dos seus pais não querem que você assuma a empresa deles é porque te consideram instável demais, com atitudes moralmente contestáveis.

— Inventou isso só porque queria ganhar a empatia dele? — Jungkook expressou, com o rosto vermelho de raiva. — Tantos ômegas e alfas que realmente sofrem muito preconceito por se envolverem com pessoas de sua mesma casta, e você aí usando uma dor real da vida de tantos para enganar alguém de bom coração que realmente estaria disposto a ajudar?

— Calado, moleque, você não passa de um hipócrita também. — Daeshin retrucou a Jungkook. — Tentou fraudar a última empresa que trabalhou e agora fica dando uma de santinho?

— Hm, é, eu fui informado sobre isso através de uma entrega anônima na minha casa, mas já fiz minha averiguação sobre tudo e sei que não se passa de um engano. — Interrompi ao dizer.

— Engano? — Choi indagou desacreditado. — Tinham provas contra ele.

— Sim, provas de uma armação, e agora sabemos que ele é inocente. — Respondi, dando de ombros.

— Foi investigar sobre ele mas me acusa de falsificar os exames sem nenhuma prova? — Ele indagou em alto tom, se levantando da cadeira de supetão.

— Eu apenas te perguntei se tinha sido você, mas de qualquer modo, não acredito em sua palavra, já tenho outros exemplos de atitudes cometidas por ti que te levariam a expulsão do reality. — Afirmei em seguida, o vendo bufar.

— Vocês tem ideia de quem eu sou? — Retrucou apontando para si mesmo.

— Não, ninguém aqui tem a menor ideia de quem você é de verdade, porque até agora só o vimos atuando. — Respondi sincero, mantendo a calma perante a petulância daquele alfa.

— E você não atua o tempo todo? Pois pelo que vejo é apenas mais um ômega mimadinho que pensa que pode ser como um alfa, mas logo vai dar com a cara no muro, não chegará longe. — Me atacou sem motivos, pelo visto agora que não tinha nenhuma defesa contra si, iria apelar, tentando me ofender.

— Já acabou? — Perguntei, suspirando pesado, apontando para a saída do escritório em seguida: — A porta de saída é por ali.

— Eu posso destruir toda a merda de carreira que você pensa que tem, Park Jimin. — Expressou, apoiando-se sobre a mesa, tentando soar ameaçador.

— Você sabe que acabou de me ameaçar na frente de várias pessoas, e que também tem câmeras nessa sala, não é? — Indaguei arqueando uma das sobrancelhas, olhando em volta.

— Claro, você é muito seguro de si cercado por pessoas, mas a verdade é que sozinho não conseguiria nada, não é exatamente por isso que precisa se casar para conseguir a empresa? Porque sozinho não tem poder algum. — Falou, soltando uma risadinha irônica.

— Por favor, apenas se retire e não deixe isso tudo ainda mais constrangedor, porque o meu próximo passo vai ser pedir a ajuda os meus seguranças. — Respondi, pois ele realmente não se dava conta de que fazer barraco porque tinha sido descoberto só deixava as coisas mais vergonhosas para si.

— Tudo bem, estou indo, mas não entendo como pode preferir esse zé ninguém, a alguém de um sobrenome como o meu. — Disse abrindo os braços e indo andando de costas em direção da porta.

— Eu já tenho o meu próprio sobrenome, Daeshin, e estou muito feliz com ele. — Proferi dando de ombros. — Mas se você apenas entende sobre valores materiais, talvez devesse tentar aprender mais sobre a vida, nunca é tarde para evoluir como pessoa.

— Ah, vá se foder! — Exclamou por fim, batendo a porta ao sair, quase soltando fogo pelas ventas.

— Wow, que exemplo de cavalheirismo e boa educação que vimos aqui. — Falei, cortando o silêncio que cercou a sala com a saída turbulenta de Daeshin. — Moon, por favor informe a todos que os exames serão refeitos, mas agora com a minha supervisão. E os conte também sobre o motivo da eliminação do senhor Choi, não quero mais fofocas sendo espalhadas.

— Claro, Jimin-ssi. — A beta assentiu.

— Também tente investigar quem pode ter colocado resultados falsos nos exames. — Pedi a ela em seguida. — Daeshin pode até ser um babaca, mas não acho que seja pretensioso o suficiente para achar que poderia provar que um dos participantes é um beta apenas para ele ser expulso.

— Realmente, se alguém estivesse fingindo sua casta, teríamos descoberto ao investigar a veracidade de seus documentos no momento de inscrição. — Ela acrescentou também. — Então temos mais alguém querendo aprontar para cima dos participantes com mais destaque.

— Sim, precisamos descobrir logo quem é. — Afirmei, suspirando cansado.

— Vou começar isso agora mesmo. — Moon disse, parecendo confiante.

— Aos demais, obrigado e desculpem por terem que ficar ouvindo essa reunião tão desagradável e desconfortável. — Falei, me virando para as outras pessoas presentes na sala. — Peguem um intervalo agora, na cozinha com certeza irão encontrar café e lanches. — Conclui sorrindo de lado. — Estão dispensados, menos você senhor Jeon, ainda tenho coisas para falar.

— Tudo bem. — Jungkook assentiu, ainda quietinho em sua cadeira.

Todos foram se retirando aos poucos, até restar apenas Jungkook e eu na sala, e assim que isso aconteceu, me levantei da poltrona e fui até a porta, trancando a mesma porque não queria ser interrompido mais uma vez, algo que acontecia com bastante frequência, ainda mais se tratando de uma casa com tantas pessoas transitando por ela.

Retornei a mesa após trancar a porta, percebendo que Jungkook observava todos os meus passos com suas íris atentas, e assim que sentei-me novamente na cadeira, fui recepcionado por um olhar caloroso e intenso vindo do alfa, me fazendo sorrir ladino.

— Por que está me olhando assim? — Perguntei a ele, semicerrando o olhar.

— Estou com tesão. — Disse sem timidez, me fazendo rir.

— Jungkook! — Exclamei, andando até ele e me sentando em seu colo, deixando uma perna de cada lado do seu colo. — O meu lado chefe te deixa assim?

— Talvez. — Respondeu, sorrindo malicioso.

— Gosta de ser submetido, senhor Jeon? — Indaguei num tom ladino, levando minha mão até seus cabelos, os segurando e puxando para fazer sua cabeça inclinar para trás.

— Jiminie... — Ele murmurou meu nome num quase gemido.

— Queria ter um tempinho pra ficar contigo, mas pelo visto vou ter muitas coisas para fazer hoje. — Falei, aproximando meu rosto do seu pescoço, que ficou exposto, beijando sua pele delicadamente, me afastando em seguida.

— Sim, eu entendo. — Respondeu, suspirando assim que soltei seus cabelos, voltando a me olhar faca a face. — Sabe, te ver agindo assim tão calmo perante uma situação dessas... Eu fico admirado, porque no seu lugar acho que teria perdido completamente a paciência, mas você se mantém tão íntegro e seguro, nossa... Com certeza é uma inspiração pra mim, acho que aprendo muito apenas te observando trabalhar.

Oh, aquilo significava muito, pois a forma como eu me portava naquelas situações tinha sido ensinada a mim pela minha mãe Jiyeon, ela sempre dizia que existe uma grande diferença entre um verdadeiro líder e um distribuidor de tarefas, pois mandar qualquer um fazer algo no seu lugar é fácil, agora saber o que se tem que fazer caso dê tudo errado e fazer com que todos confiem em você é bem diferente.

Comandar uma grande equipe é um serviço difícil, que exige uma paciência que normalmente não temos, é necessário manter o equilíbrio, e entender se você se tornou realmente um chefe respeitado ou um chefe que apenas mete medo. Afinal seus funcionários seguem o que você diz porque confiam no seu trabalho e liderança ou apenas não contestam porque sentem medo da demissão?

Também aprendi muito com minha mãe Sojin, sendo uma professora ela ganhou bastante experiência estando a frente de grandes turmas de alunos, e a assistindo eu aprendia um pouco sobre inspirar e incentivar outras pessoas, algo que também adotei em meu comportamento de liderança.

— Obrigado, Kookie, significa muito. — Expressei, antes de trazer seu rosto até mais próximo do seu, podendo assim beijar seus lábios mais uma vez naquele dia.

{~>x<~}

O fim de semana tinha passado voando, e logo a segunda-feira chegou, o dia em que acabei tendo que acompanhar todo o processo do exame clínico feito nos participantes, desde a coleta de materiais até o transporte até os laboratórios, tendo que esperar lá até que todos os resultados saíssem, pois eu também seria o primeiro os seus envelopes lacrados.

Voltei para casa exaustou, indo diretamente para a minha suite, tomar um banho relaxante e comer alguma coisa. Acabei por pedir que trouxesse algo no meu quarto mesmo, não estava com paciência para dividir uma refeição com todos os participantes do reality naquele momento, talvez apenas com Jungkook, mas o chamar para o meu quarto àquela hora não seria uma boa, todos veriam.

Meu corpo cansado ainda vestia um roupão de banho quando a comida foi entregue em meu quarto, e assim me deitei sobre a cama espaçosa, dando algumas garfadas no prato enquanto assistia um filme qualquer que passava na televisão, até levar um susto ao ver alguém invadir o meu quarto de repente:

— Quem te deu autorização de entrar em meu quarto? — Indaguei irritado, me levantando da cama ao ver aquele participante do reality adentrar ali do nada.

— Eu queria conversar com contigo. — O rapaz respondeu, como se fossemos íntimos. Eu nem lembrava o seu nome.

— Então poderia ter pedido para um dos funcionários vir me chamar. — Retruquei, franzindo o cenho. — Aqui ainda é minha casa, não tem direito algum de invadir o meu quarto sem ao menos bater na porta.

— Preferia não chamar atenção de qualquer, é melhor que ninguém saiba da minha vinda aqui ou da nossa conversinha. — Expressou, fechando a porta atrás de si e dando alguns passos na minha direção.

— Como é que é? — Questionei, entrando em estado de alerta.

— Eu soube que teve uma noite agitada ontem, senhor Park. — Expressou, me fazendo franzindo o cenho.

— Cara, vai logo ao seu objetivo. Por que está aqui? — Indaguei, sem qualquer paciência para aturar aquilo.

— Meu amigo trabalha em um bar no centro, e ele disse que te viu lá com um dos participantes, sendo bem íntimos na verdade. — Sorriu cinicamente. — E até onde eu sei, ontem não era um dia de encontros com os participantes.

— Eu fui a esse bar, encontrei um conhecido ali e fiquei conversando com ele, não há nada que me impeça de ter contato com os participantes longe das câmeras. Você não leu o contrato? — Perguntei, respirando fundo para controlar minha falta de paciência.

— Não tenho tanta certeza se foi um encontro acidental, e sei que você não quer causar bafafás sobre isso, ou teria sido indiscreto em seus encontros com ele, mas escolheu uma sala vip de um bar frequentado apenas por alfas. — Disse de forma debochada.

— Se acredita em mim ou não, não é problema meu. — Expressei, dando de ombros. — E além do mais, um dos objetivos desse programa é eu encontre um par romântico, certo? Por que eu perderia a chance de poder conhecer melhor aquele alfa em questão? Ele me interessou.

— Você finge estar seguro quanto a isso, mas sei que não quer que todos saibam de suas escapadas com esse tal participante. — Sorriu de lado antes de continuar. — Então vamos fazer assim, você me mantém nas colocações mais altas das provas até a final, e eu não conto para ninguém que está dando preferência a ele e excluindo os demais concorrentes a terem a mesma chance.

— Que cara de pau a sua, chega a ser cômico. — Falei e ri sem humor.

— Então você prefere que eu conte a todos? — Perguntou, arqueando as sobrancelhas. — Essa história pode aumentar sabe? Talvez pensem que ele já estava garantido para a final antes mesmo de tudo começar. Talvez já fossem amantes, mas sua família não iria querer te ver com um alfa qualquer, sem nome ou grandes posses.

— Minha nossa, você não sabe mesmo sobre coisa alguma. — Afirmei, desviando o atenção dele para olhar para os seguranças que estavam atrás de si, pois os mesmos tinham entrando de fininho, porém o cara não notou. — Tirem esse idiota daqui!

— O q-quê? — Ele questionou, levando um susto ao perceber os seguranças se colocarem ao seu lado.

— Eu disse que o segundo andar era proibido. — Falei, começando a andar até ele. — Esse crachá que você carrega contém um chip, que apita lá na sala dos seguranças caso você invada o segundo andar sem permissão, pois há sensores no começo do corredor. — Expliquei, vendo a expressão de surpresa se formar no rosto do rapaz. — Assim que o alerta de segurança é dado, o pequeno microfone embutido aqui começa a gravar tudo.

— Mas... — Ele ainda tentou retrucar, porém o interrompi antes.

— Acho que os motivos da sua eliminação agora são bem claros, senhor Kwon. — Disse chegando perto o suficiente para arrancar de sua camiseta o crachá que continha o seu nome

Escutei o cara balbuciar mais algumas palavras, mas não prestei atenção, apenas esperei que os seguranças tirarem ele do meu quarto para que pudesse trancar a porta e voltar a minha cama, respirando pesado e me sentindo mentalmente exausto também, aquela semana estava pegando fogo, e ainda era só segunda-feira, eu nem queria saber o que vinha pela frente...

{~>x<~}

"Estou bem, mas não estou
Eu digo a mim mesmo que estou acostumado com isso
Mas dói como se fosse a primeira vez"
Jamais Vu - BTS

Jungkook's POV

— Você está falando sério? — Junghyun questionou desacreditado, após eu contar sobre o que tinha acontecido nos dias anteriores.

— Sim, pelo visto agora eu sou o alvo de alguém, além do Daeshin. — Respondi, o vendo fazer uma expressão cheia de preocupação, já que estávamos em videochamada.

— Os representantes do reality vieram aqui em casa, fizeram um monte de perguntas e disseram que havia desconfianças sobre a sua casta, a gente ficou muito confuso. — Ele informou em seguida.

— Eu entendo os cuidados que o programa está tomando, afinal mesmo que acreditem que tenham falsificado os resultados do meu exame, eles ainda sim tem que ter certeza de tudo. — Falei, suspirando cansado.

— Até me pediram autorização para fazer um exame também e sei lá o quê, será que alguém inventou que a gente trocou de lugar? — Hyun indagou, ainda mantendo aquela expressão preocupada.

— Vish, do jeito que isso anda, eu nem me surpreenderia se alguém me acusasse de ter trocado de lugar com meu irmão gêmeo. — Comentei, rindo soprado.

— Isso parece coisa de novela. — Ele concluiu, também soltando uma risadinha. — Bem que a mamãe disse que estava tendo uns sonhos ruins com você, até me mandou te falar para tomar cuidado.

— Nossa mãe é muito supersticiosa, mas dessa vez eu acho que ela tem razão, preciso mesmo tomar cuidado, estou num ninho de cobras. — Afirmei, desviando o olhar.

Estava realmente preocupado naquela semana, afinal até o momento eu tinha me mantido alerto quanto a qualquer passo de Daeshin, porém se agora havia um alguém desconhecido querendo armar algo para me eliminar da competição, eu estava ainda mais desprotegido, já que se eu não sabia quem era, significava que a bomba poderia vir de qualquer lado, e quando eu menos esperasse.

— E cadê os seus colegas de quarto? — Junghyun questionou, olhando em volta, para o dormitório atrás de mim.

— O Namjoon saiu, disse que ia se encontrar com alguém. — Respondi logo após. — O Yoongi deve estar na sala de jogos ou na piscina, eu não sei.

— E como anda sua relação com o Jimin? — Meu irmão perguntou, sorrindo ladino, me fazendo rir.

— Bem, a gente... — Ia responder, porém fui interrompido por batidas na porta do quarto. — Desculpa, Hyun, mas tem alguém me chamando aqui.

— Tudo bem, mais tarde a gente se fala. — Se despediu, encerrando a chamada em seguida.

Deixei meu celular sobre a mesinha de cabeceira e fui atender a porta, me surpreendendo ao encontrar Jimin e Taehyung ali, mas não o que me preocupou mesmo não foi a presença repentina dos mesmos, mas sim a expressão que o Park carregava, seus olhos estavam marejados, parecia prestes a chorar a qualquer momento.

— Hyung, o que houve? — Perguntei a Jimin.

— Me diz que você não está mentindo para mim também. — Foi o que ele respondeu de imediato, me fazendo franzir a testa.

— O quê? — Indaguei, os vendo passar por mim e entrar no quarto, fechando a porta em seguida.

— Leia. — Taehyung disse, me estendendo um envelope já aberto.

O peguei e abri, vendo que se tratava do resultado dos exames que eu havia feito, e parecia tudo em ordem enquanto eu lia, porém a surpresa vinha no final da folha, onde estava marcado que pelos resultados adquiridos, aquele DNA pertencia a um beta, mas no envelope continha o meu nome. O que estava acontecendo ali?

— Isso é impossível! — Exclamei, lendo aquilo diversas vezes para ter certeza de que meus olhos não estavam se enganando.

— Toda aquela história sobre você ser um alfa que não possui cios, era mentira? Você na verdade é um beta que falsificou seus documentos e arrumou um jeito de ter o cheiro de um alfa para poder entrar no programa? — Jimin começou a disparar perguntas, com a voz estremecida. — Estava só me manipulando esse tempo todo, Jungkook?

— Claro que não, Jimin, isso aqui só pode ter sido falsificado de novo. — Retruquei, entregando o envelope novamente para Taehyung.

— Eu acompanhei tudo de perto, foi entregue nas minhas mãos num envelope lacrado, esse é o resultado real. — Jimin afirmou mais uma vez, enquanto minha mente dava nós, aquele não podia ser o meu exame, não fazia sentido algum.

— Jungkook, eu sei que você estava passando por uma situação difícil, talvez tenha visto a oportunidade do reality como uma grande chance, mas sendo um beta você não poderia entrar, então forjou... — Taehyung começou a criar sua teoria, mas o interrompi antes que continuasse.

— Eu não forjei nada, eu sou um alfa! — Exclamei em alto tom. — Podem sentir o meu cheiro, betas não possuem odor natural.

— Seu irmão é um químico, acho que ele conseguiria criar alguma fórmula para criar um odor genérico para que você pudesse usar. — Jimin argumentou, cruzando os braços ao me encarar.

— Jimin, você tem que acreditar em mim, eu jamais faria uma coisa dessas. — Falei, quase implorando, ele não poderia acreditar naquela armação também.

— Eu quero muito acreditar em você, Jungkook. — Suspirou, olhando para cima e depois para mim novamente. — Meu Deus, você não sabe o quanto eu quero acreditar que isso realmente seja um engano, mas...

— Mas? — Questionei, pois normalmente nada de bom vinha depois do "mas".

— O seu cheiro é idêntico ao do seu irmão, Jungkook. — O ômega respondeu, me deixando confuso.

— Sim, nós somos gêmeos. — Afirmei, desentendido.

— Não, você não entendeu. — Taehyung continuou — Mesmo possuindo o mesmo DNA, gêmeos apenas aparentam possuir o mesmo perfume natural, entretanto existem diferenças microscópicas de um odor para outro, algo que nossos olfatos não conseguem captar em detalhes, fazendo parecer que os cheiros são iguais, mas não são.

— Onde está querendo chegar? — Perguntei em seguida, com vários pontos de interrogação dançando em volta da minha cabeça.

— Que a única forma de identificar a diferença entre os odores de gêmeos é através de um exame feito com um fio de cabelo, material que foi recolhido de você e do seu irmão também. — O Kim concluiu. — No resultado foi comprovado que as moléculas eram idênticas.

— Como? — Expressei, ainda sem entender aquilo.

— O cheiro que a gente sente vindo de você, na verdade pertence ao seu irmão. — Jimin respondeu, deixando seu olhar cair até o chão.

— Ele criou alguma fórmula para poder passar o cheiro dele a você? — Taehyung indagou. — Nós pesquisamos e vimos que já é possível que betas tenham odores artificiais, em forma de perfumes ou até mesmo ingerindo cápsulas que fazem seus corpos produzirem a fragrância que desejam.

— Mas que loucura, é claro que eu não fizemos nada disso. — Falei em desespero. — Eu sou um alfa, podem conferir os meus documentos, eles são reais. nso sei o que está acontecendo, mas eu juro que não menti sobre nada.

— Você assumindo isso ou não, ainda sim temos uma prova concreta de que na verdade você não é um alfa. — Taehyung proferiu, já que Jimin tinha se calado, apenas encarava um canto qualquer do quarto com olhos perdidos. — E nas regras do programa, somente alfas poderiam ingressar.

— O que quer dizer? — Perguntei, erguendo as sobrancelhas.

— Você está eliminado do reality, Jungkook. 

 


Notas Finais


vish, agora deu ruim... forças JK

Até o próximo <3<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...