História Cemetery Drive - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Benedict Cumberbatch, Dave Franco, Doutor Estranho, Elizabeth Olsen, Emilia Clarke, Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers), Quarteto Fantástico, X-Men
Personagens Ben Grimm (O Coisa), Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Erik Lehnsherr (Magneto), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Rupert "Rhodey" Rhodes, Janet Van Dyne (Vespa), Johnny Storm (Tocha Humana), Mulher-Aranha, Mulher-Hulk (Jennifer Walters), Mulher-Hulk Vermelha (Betty Ross-Banner), Ororo Monroe (Tempestade), Pantera Negra (T'Challa), Peggy Carter, Peter Parker (Homem-Aranha), Pietro Maximoff (Mercúrio), Professor Charles Xavier, Reed Richards (Sr. Fantástico), Scott Lang (Homem-Formiga), Stephen Vincent Strange / Doutor Estranho, Steve Rogers, Thor, Victor von Doom (Dr.Destino)
Tags Ao3, Ao3 Br, Casal Marvel, Crack Shipp, Crackshipp, Doctor Strange, Doutor Estranho, Dr Estranho, Fanfics Da Marvel, Feiticeira Escarlate, Guerras Secretas, Jennithor, Marvel, My Chemical Romance, Otp, Quadrinhos Marvel, Romance, Scarlettstrange, Ship, Shipp, Tudo Culpa Da Paola, Wanda Maximoff
Visualizações 42
Palavras 1.154
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Poesias, Romance e Novela, Saga, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sim, eu disse que ia dar um tempo do site, mas a fic tá quase acabando, então vamo acabar logo!
Gente, sério, se tiver leitor fantasma, ao menos aparece pra dizer "oi".
É muito chato postar pra dois leitores presentes.
A trama deveria ter sessenta capítulos, mas reduzi por conta disto.

Narrado por Tony.
Tradução: A pior parte.

Boa leitura <3

Capítulo 19 - The Worst Part


Fanfic / Fanfiction Cemetery Drive - Capítulo 19 - The Worst Part

Mais um copo de uísque para sanar outra frustração. Há dois meses meus amigos foram dados como desaparecidos. Não havia corpos ou mortes evidentes. Chorei por cinco dias seguidos. Ontem descobri que estavam numa espécie de Mundo Impalpável criado por Wanda. Isto deixou sequelas. Odiei ter que prendê-la quando fiz parte daqueles que juraram protegê-la. Contudo, imagine como fiquei ao ver Bobbi com um boneco no colo dizendo que aquele é seu filho? Não só ela, mas todos possuem cicatrizes na mente e na alma. Uns mais do que os outros. Jennifer cisma que Encantor está grávida. Clint fica se maltratando, dizendo que merece isso. Thor consegue ver o Ragnarök sempre que fecha os olhos. Janet está noiva do Magneto. Outro gole na bebida. É difícil digerir tamanha tortura mental. Cindy acredita que Peter está morto, toda vez que o Aranha tenta se aproximar, ela urra dizendo que aquilo é uma projeção mental. Natasha pensa que sou Alex, seu falecido marido.

– Com licença, Sr. Stark. – Jarvis diz ao abrir a porta. – O Dr. Strange deseja vê-lo.

– Ele está sozinho?

– Não. O Dr. Samson também está aqui.

– Previsível. – suspiro. – Diga que vou recebê-los na sala de reuniões.

[...]

– Eu não acho justo! – bato na mesa. – Acham que estou feliz por ver Maximoff dentro daquela cela? Prendê-la foi uma das piores coisas que fiz! – levanto o tom de voz. – Já foram visitar os outros? Eu entrei em pânico quando vi meus amigos daquele jeito! Não é engraçado prender pessoas e torturá-las, Stephen. Achei que estivesse seguro de que sua aprendiz não surtaria.

– Tony, não precisa dessa gritaria. – Leonard responde calmamente. – Entendo sua angústia. Hoje tive que sedar Pietro e Bárbara. Não está sendo fácil pra ninguém. Todos que estiveram lá estão sequelados, alguns têm pensamentos suicidas. Dói em mim também! Por favor, apenas escute. Deixe-me conversar com ela, levá-la a júri. O ideal é interná-la na clínica psiquiátrica mutante. Eu sei que é difícil de aceitar, mas ela precisa de amor, não de um aferrolho.

Penso por alguns instantes, lembro-me dos olhos dela despejando lágrimas de sangue. Meu coração amolece, talvez, eu também tenha sido um grande gatilho para isso tudo.

– Certo. Marcaremos um júri popular esta semana.

– Temos um advogado? – Strange indaga.

– Jennifer está sedada porque quase matou o Thor. – explico. – Nem pensem nela. Arrumem alguém. Encontraremos-nos na sexta.

[...]

A sexta-feira amanhece cinza, como se o sol sentisse vergonha de cada herói que de alguma forma deixou isso acontecer. Leonard entra com Wanda numa cadeira de rodas, a mesma está portando uma camisa de força. No pescoço usa uma coleira que a impede de usar seus poderes. Dos seus olhos saem lágrimas de sangue. Evito ficar olhando muito pra ela, aquilo me dói. O juiz começa, logo de cara pede que Maximoff conte tudo o que fez e como fez.

– Strange brigou comigo. – fala como uma criança. – Ele disse que sou descontrolada. Fugi para casa do meu pai. Numa conversa com ele e com meu irmão, Erik me disse que seria ótimo se pudéssemos começar do zero. Foi aí que me lembrei de uma teoria japonesa que prega o nascimento de um mundo novo. Esta diz que para construir um novo prédio, precisa demolir o antigo, reaproveitando apenas o que for bom. Peguei meus amigos e alguns inimigos, joguei-os no Mundo de Batalha. – sorri. – Usei da imagem de Beyonder para que eles não me odiassem.

– Por que disse a eles que matassem uns aos outros?

– Estava interessada em ver até onde a maldade deles conseguia chegar. Eu fiquei um pouco arrependida depois que vi algumas projeções mentais sendo mortas; como Bruce, Johnny e outros. Então, usei de Beyonder para criar a teoria do casamento.

– E por que Victor Von Doom era o noivo? – Stephen questiona.

– Porque ele foi o único homem que me amou de verdade. Infelizmente, não era ele ali.

– Quem realmente estava ali?! – outra pergunta de Strange.

– Pietro porque o amo! – sorri. – A maioria deles tem meu amor! Papai, Jan, Jenni, Tasha e Cindy. Os outros eu queria ver sofrendo mesmo como Reed, Bobbi, Thor e Clint.

– E os vilões? – indago.

– Nunca estiveram ali. – ri. – Os X-MEN também não.

– Por que fez isso?

– Porque o amor é a rosa vermelha em cima do seu caixão.

[...]

O júri popular decide interná-la, deixando-a sob os cuidados de Leonard. Isto me aliviou de certo modo. Fui visitá-la antes de levarem-na a clínica. Infelizmente, mais uma vez não consegui olhar em seu rosto.

– Vire-se. – ela diz, sua voz está rouca. – Por favor, me dê um copo d’água. Meus lábios estão rachados e desbotados. Chame minha mãe, eu imploro!

– Sua mãe?! – questiono ainda de costas.

– Janet é minha mãe! – ri. – Por isso fiz questão de juntá-la com meu pai.

Engulo a seco, agora faz sentido esta união de Erik e Jan.

– Ajude-a a juntar todas as minhas coisas. – ela continua. – Me enterre com todas as minhas cores favoritas. Nossas irmãs e irmãos permanecerão aqui com a marca do trauma.

Strange chega com as malas dela, a cela é aberta. Ele abraça-a com força, o que me faz chorar.

– Eu não irei te beijar, Stephen. – diz sorrindo. – Pois a parte mais difícil disto é deixar você. Agora vire-se, por favor, estou horrível de se ver!

Abaixo a cabeça, fecho os olhos, continuo a ouvir o sofrimento dela.

– Todo o meu cabelo abandonou meu corpo. Toda minha agonia faz morada em mim, ela é a única coisa que tenho. Eu nunca me casarei, Stephen!

– Por que diz isso?

– Estou morta. Posso estar dopada, mas sigo contando os dias para me despedir oficialmente. Isso simplesmente não é viver. E eu espero que saiba que se você me disser adeus hoje, peço que seja sincero. Pois a parte mais difícil disto é deixar você.

[...]

Sou recebido em casa por Jarvis, percebo que meu velho amigo está aflito.

– O que houve?

– A Madame Romanoff está descontrolada, Sr. Stark! – brada. – Por favor, converse com ela.

Ouço barulho de vidro sendo quebrado, subo correndo até nossa suíte. Vejo Natasha jogando tudo no chão.

– Nat! – grito. – O que está fazendo?

– Beyonder me mandou fazer isso. – ri. – Preciso ganhar a confiança dele! Eu sou a Soberana do Fogo, tenho que mostrar que sou pior do que ele. Tenho que matar todos os meus inimigos e meus desejos serão realizados! – atira na TV. – Chame Alex!

– Ele está morto, meu amor!

– E quem é você? – aponta a arma pra mim. – Quem te mandou até aqui?

– Sou seu noivo! – continuo gritando. – Por favor, abaixe isso, alguém pode se machucar!

– Beyonder te enviou aqui?

Reviro os olhos, vejo que a ruiva está prestes a puxar o gatilho. Abaixo a cabeça, minto:

– Sim, ele me mandou até aqui.

– Pra quê? – finalmente abaixa a arma. – O que ele te mandou fazer?

– Me mandou te dar amor. – olho nos olhos dela.

Ela corre com os braços abertos, pula no meu colo, me enche de beijos.

– Eu sabia que você viria, Alex! 


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAA
Música usada no capítulo é Câncer do MCR
Ainda vou criar um playlist dessa fic! hahahahah <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...