1. Spirit Fanfics >
  2. Cendy: One Shots >
  3. Oslix

História Cendy: One Shots - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


EU ACHEI MEU PRIMEIRO AU +18
E ELE É DE OSLIX!!!!!
Eu não tô crendo que fiz essa coisa e muito menos que tive coragem de postar isso aqui kkkkkkkk mas só bora
Peguei do jeito que tava e postei, nem conferi nada, porque eu gosto é do perigo XD
Chega de surto

Capítulo 5 - Oslix


Felix lia um livro quando Ozzy se aproximou lentamente de maneira sensual dele, chamando sua atenção.
F: O-Ozzy?! O que você tá fazendo?! - exclamou ao sentir a mão do coelho apertando sua coxa.
O: Você sabe, Fell - disse ficando cada vez mais próximo ao gato negro.
F: Ozzy...- falava enquanto o maior se colocava sobre ele, o levando a se deitar.
Ao estar completamente por cima do mais velho, Oswald tomou seus lábios de maneira sensual e necessitada enquanto roçava seu corpo no dele e o acariciava com suas mãos. Felix soltava leves gemidos e ronronados com as carícias e beijos do amado, que em alguns instantes abria seus olhos e o fitava de maneira provocante.
O barulho de seus lábios podia ser ouvido, bem como os suspiros de ambos. Em um momento, o coelho agarrou a cauda do menor com uma de suas mãos e a estimulou da maneira que sabia como gerar prazer no marido, que gemeu misturado de um ronronar ao ser tocado daquela forma.
O: Você gosta...quando eu pego aqui?...Gosta?
F: Ozzy-y...Aí não...- pediu contra a boca do mesmo.
O: Deixa eu fazer meu trabalho, querido - respondeu o mirando sensualmente e em seguida levando sua boca ao pescoço do gato que pôs suas mãos sobre os ombros do maior enquanto sentia a boca deste sugando seu pescoço.
Da cauda, Oswald levou sua mão para a roupa de Felix e começou a abrir os botões, deixando o peito do amado à mostra.
O: Me deixa te ter...
Se entregando totalmente, Felix tratou de apressar as coisas. Ele se sentou no colo de Ozzy e tirou sua blusa, distribuindo beijos, lambidas e chupões pelo peitoral definido do coelho, que gemia em aprovação. O mesmo logo arrancou a camisa do gato e desabotoou a calça deste, a retirando com a ajuda do mesmo e o deixando apenas de boxer, revelando a ereção dele. Seus lábios foram de encontro novamente ao pescoço de Felix, que murmurou em meio ao prazer:
F: Os vizinhos não vão ouvir?
O: E se ouvirem? Somos um casal não somos?
F: É... - gemeu suspirado.
Oswald levou suas mãos às pernas do gato e deslizou por elas ao mesmo tempo em que as apertava seguindo em direção aos seus glúteos. Ele passava sua língua pelo peito dele e deixava chupões por toda a extensão do local que, por sorte, era negro e ninguém poderia ver as marcas. Ozzy o deitou sobre a cama e se pôs de pé, arrancando todas as suas peças enquanto era fitado com desejo pelo menor. Ele permaneceu apenas com a cueca onde podia-se ver claramente o volume ereto e tornou a se colocar por cima do mais velho, o selando com vontade.
F: Mmmm....
Ele roçava sua parte íntima contra a do amado ainda sobre os finos tecidos de suas roupas íntimas, o deixando cada vez mais duro.
O: Tá gostando, meu bem? - indagou provocante.
F: T-tô...- gemeu, atiçando o coelho.
O mais novo levou seus dedos para dentro da boxer do moreno e estimulou seu órgão.
F: A-aaah! O-Ozzy...Não faz isso... - ele gemia manhoso com as "torturas"
O: Tá com pressa, meu bem?
F: Tô...
Os lábios de Oswald foram de encontro à orelha esquerda do gato, onde sussurrou sexy:
O: Quer foder logo?
F: Quero...- respondeu em mesmo tom, necessitado.
O: Tá bom.
O coelho arrancou sua boxer e fez o mesmo em Felix, o despindo completamente, podendo ver seu íntimo já sedento. Ele deixou uma lambida pela extensão do membro do mesmo, arrancando um gemido contido do amado.
F: Mmm...- gemeu apertando o lençol e fechando seus olhos com força.
Oswald abriu as pernas do gato e se pôs entre estas onde pincelou seu membro na entrada dele e finalmente o introduziu, dando início às estocadas.
F: A-aaaaah! - se contorcia.
Ozzy assistia à cena com os olhos cheios de prazer. Seu quadril ia e vinha enquanto o suor escorria por seu rosto e sua respiração se desregulava entre os arfares.
O: Mmmm...mmmmm....
F: Ozzy...Ozzy...Vai mais forte.
Atendendo ao pedido, o coelho intensificou seus movimentos. Ele observava a cena com satisfação: seu membro no interior de Felix, entrando e saindo, umedecido com seu pré gozo, indo e vindo num ritmo descontrolado e ao mesmo tempo perfeito, o do gato ereto de prazer, balançando com os impactos de seu corpo com o do maior, a barriga deste encolhida e suada e sua respiração dificultada enquanto sua feição expressava o mais claro prazer e seus lábios entreabertos liberavam gemidos e ronronares manhosos que enlouqueciam Ozzy. As pernas do gato tremiam e seus olhos reviravam ao sentir Oswald o comendo com tanta vontade. Como ele era caprichado! Fazia tudo direitinho...
O: Gostoso...- gemeu.
F: Oswald...Mmmm...
O mais novo se abaixou e ficou sobre o gato, apoiando seu peso sobre seus braços, e tomou os lábios palidos de Fell fervorosamente, os puxando entre seus dentes logo em seguida e o fitando de forma provocante.
O: Eu te amo - disse metendo com força dentro do gato, que gemeu alto, se arrepiando todo.
F: Oz-zy...- falou dificultado sem conseguir dizer muitas palavras.
O: Você não me ama, Fell? - perguntou sensual.
F: A-amo...ain!...
O: Tá gostoso? - falava naquele tom que só deixava o menor mais louco.
Felix mordeu seu lábio inferior com força e assentiu. Suas pálpebras estavam fechadas enquanto ele sentia as estocadas de Oswald dentro de si, ele se contorcia com aquilo. O coelho então inseriu um forte tapa na coxa do gato, que tremeu.
F: Ahn!
Os músculos de Ozzy estavam contraídos e ele ia o mais fundo que podia com toda a sua força, fazendo a cama balançar intensamente.
O: Se eu te machucar...me avisa - falou com dificuldade.
Fell assentiu, calado por seu tesão.
Oswald agarrou com força os pelos atrás da cabeça de Felix e tornou a beijá-lo intensamente, o ajudando a conter seus gemidos.
Eles continuaram assim até que num grito, Felix gozou, tremendo todo o seu corpo. Ozzy manteve se movendo, não conseguia mais parar, e foi então que também gozou dentro do marido, caindo sobre ele num suspiro de alívio e satisfação e tomando os lábios do gato ainda com a respiração ofegante e pesada.

Na casa ao lado, Donald cobria sua cabeça com o travesseiro e tinha seus olhos arregalados enquanto estava deitado sobre sua cama, encolhido debaixo do cobertor. Ao notar que os barulhos haviam cessado, ele exclamou:
D: Finalmente!
Ajeitou seu travesseiro e apoiou sua cabeça nele para voltar a dormir.


Notas Finais


VERGONHA DA DESG****
É isso kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...