História Cenoura Amiga - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bunniel, Jikook, Jimin Tops, Kookmin, Pwp, Pwp Jikook, Yaoi
Visualizações 1.511
Palavras 1.688
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eae rapeizeee
vei duas e meia da manha eu invento de surgi com minhas ideia no site pqp so sendo piroca das ideia memo ne.. pois mt q bem jeon ariel esta de volta com pwp quentinha e desta vez jk bottom pq jikook flex eh o poder👌👌 estorinha super meczada dedicada a STE jk!bottom stan di papai*-*💘 espero q ces gostem de verdades ai ja ja sai o proximo (na vdd ainda nem comecei a escreve rsrs) té as notas finais ou qm sabe os comentarios se vcs quiserem (pq eu quero) beijin do oppa,

Capítulo 1 - Jungkook, prazer.


Fanfic / Fanfiction Cenoura Amiga - Capítulo 1 - Jungkook, prazer.

Ultimamente, coisas estranhas vinham acontecendo; pelo menos para Jimin.

O ruivo sentia um clima diferente pairando no ar. Seu híbrido, adotado a um pouco mais de um ano, parecia estar diferente. Algumas coisas à sua volta também.

Oh sim, Jungkook, o híbrido de coelho.

Bem, Jimin havia adotado-o a não muito tempo, concluía. Sempre foi um alguém amoroso, assim como após sair da casa dos pais, tornou-se sozinho também. Ele não era dos mais baladeiros, na verdade nunca gostou desses lugares movimentados e barulhentos, preferindo a companhia de sua casinha aconchegante e seus diversos livros, embora fosse deveras solitário. Mas, por hora se sentia bem.

Era formado e atualmente trabalhava como veterinário, devido à sua dedicação pôde muito bem prosperar na vida e com longos anos de trabalho acabou por se associar a uma amiga dos tempos de faculdade, Minji, e juntos trabalhavam em sua própria clínica veterinária. Sim, poderiam contratar outros funcionários, mas era tudo pelo mais puro amor.

Jungkook havia sido um paciente dos mais graves que já recebera ali. Havia sofrido maus tratos, estava fraco e possuía várias fraturas. Jimin não podia mensurar o aperto que sentiu ao ver o híbrido completamente arrasado entrando pela porta de vidro de seu estabelecimento, sorrindo mesmo com toda a situação em que se encontrava e suplicando, baixinho, por sua ajuda.

Jimin, mesmo que nutrisse um profundo amor por animais e híbridos — que de certa forma eram como os animaizinhos também — com o tempo por questão de necessidade, teve de desenvolver o tal do "sangue frio" para certas situações, ou apenas não deixar transparecer emoções. Nem tudo seriam flores, nem todos os casos que cuidaria haveriam um final feliz e ele não podia deixar-se envolver, precisava estar sempre pleno.

E Jungkook foi o primeiro que o fez chorar.

Porque mesmo com todos os cuidados, dias e horas a mais de trabalho unicamente para dedicar-se a si nos diversos pós-operatórios, ele corria riscos de não aguentar. E Jimin também não aguentaria perder o garoto que em tão pouco tempo já havia se apegado.

Mas Jungkook não o fez apenas chorar de tristeza, não. O ruivo também chorou e muito ao ver que sua saúde já estava restabelecida e ele podia ser livre para voltar a viver normalmente. Estava realmente feliz.

E sem pensar duas vezes decidiu adotá-lo, pois já imaginava que o maior não tivesse família visto que em todo aquele tempo ninguém havia ido o procurar. Jungkook também nunca havia falado sobre seu passado ou o que aconteceu no tal dia em que apareceu, o baixinho nunca lhe perguntou também. Achava que não era mais relevante agora, e talvez o coelhinho possuísse algum trauma.

E então, passaram a viver juntos. Tinham uma boa relação, mesmo que o novo morador fosse um tanto bagunceiro e isso resultasse em algumas discussões, ou melhor, broncas. Jimin era muito perfeccionista, não iria negar que às vezes pegava um pouco pesado com o maior. Porém o que o moreno tinha de bagunceiro tinha de carinhoso e manhoso também, nada que um biquinho e uma carinha arrependida não amolecessem o coração do outro, que resultava em um Jimin agarradinho a si em um abraço carinhoso dizendo que estava perdoado, mas não deveria fazer de novo. Ah, e ele sempre fazia...

Mas agora, havia também uma outra questão a ser levada em conta; digamos que seu coelhinho estava passando por uma fase de, hm...descobertas?

Certo, ele não era mais nenhuma criança. Porém não era um adulto também, era só um jovem cheio de hormônios começando a se descobrir talvez um pouco tarde. E Jimin notou, notou quando as coisas começaram a estranhar, Jungkook não parecia mais tão inocente. Culpava Seokjin, seu amigo de faculdade qual era bastante próximo e via constantemente, este que possuía também um híbrido porém de guaxinim que chamava-se Taehyung, o dito cujo era bem pervertido e Jimin tinha até medo de imaginar que tipo de coisas havia contado ou ensinado para o recém amigo de dentinhos avantajados.

Sim, o ruivo sabia que mais cedo ou mais tarde iria acontecer e era totalmente normal. Mas tinha um pé atrás com esta situação, isto é, como aconteceria dali para frente. Porque não iria negar o quão bonito era seu híbrido assim como o corpo grande e escultural que já se pegou várias vezes observando, mesmo que não intencionalmente. Ele o atraía 'pra caramba, era um fato inegável. E se via cada vez mais afundado nos próprios desejos impuros ao que o maior o provocava como recentemente acontecia bastante. Jimin não sabia se era proposital ou não mas o pequeno short azul bebê coladinho e que mostrava a polpa de sua bunda ao que passeava pela casa vinha o deixando desnorteado. Principalmente quando ia em direção a si, acompanhado do biquinho costumeiro e manhoso desejando sentar no seu colo para assistirem televisão até o híbrido cair no sono todas as noites. Era uma nova mania e não fazia ideia de quando ou o porquê surgiu, mas não reclamava, ele gostava afinal.

Isto é, se não tivesse parado de acontecer.

E foi ainda mais estranho. Jungkook começou a subir mais cedo para o próprio quarto e trancava-se lá até a manhã seguinte. E essa mudança de comportamento repentina incomodava o ruivo.

Como o bom coelhinho que era, as refeições de Jungkook eram quase inteirinhas baseadas em cenoura; sendo ela cozida, em rodelinhas, salada de frutas ou mesmo inteiras — como ele costumava comer no jantar.

Jimin havia notado que ultimamente ele parecia sentir mais fome também.

Eram muito mais cenourinhas sumidas no dia seguinte, quando acordava e olhava na geladeira ao pegar seu leite matinal. Jeon nunca foi de comer tanto também, mas Jimin não questionou, se fazia parte do crescimento iria apoiá-lo e o deixar comer quantas quiser.

E em meio às noites incômodas de um Jungkook sendo deveras estranho com seu hyung, o ruivo decidiu que falaria com o maior desde sua recente desfeita ao jantar, subindo para trancar-se no quarto mais cedo ainda. Aquilo agoniava-o demasiado, já sentia falta dos momentos mais íntimos como quando assistiam TV juntos, que acabaram tão rápido quanto surgiram.

Mas ao chegar à porta do menor, franziu o cenho ao que escutou barulhinhos abafados vindos de lá de dentro, e sem muito raciocinar com uma delicadeza que nem sabia o porquê lentamente foi abrindo a porta e, caralho, aquela visão.

O menor quase se engasgou com a cena presenciada.

Jungkook encontrava-se nu, os cabelos pretinhos molhados do próprio suor cobrindo os olhos e orelhinhas felpudas caídas, ao que gemia manhoso, quicando de forma impaciente naquilo que tanto amava.

Ele estava se fodendo em uma cenoura e Jimin nunca pensou que aquela visão o deixaria maluco.

Instintivamente o ruivo levou a mão ao próprio pau por cima da calça que pulsou dolorido e deixou um aperto ali. Observava pela fresta da porta que optou por ocupar o mais novo subir e descer, os dentinhos salientes à mostra ao que gemia tão necessitado e o pau tão delicado intocado que batia em seu baixo ventre repetidas vezes, num ritmo enlouquecedor.

Jungkook parecia tão necessitado de um pau de verdade se enterrando em si e céus, era tudo que o Park mais queria lhe dar no momento, mesmo que não admitisse.

Ele ainda era o seu pequeno híbrido, que sempre foi maior que si mas ainda insistia em chamá-lo de pequeno pois sabia que ele gostava. Sorriso dócil, olhinhos brilhantes e inocentes, era assim que sempre o viu. Mas agora tinha um lado a mais que acabara de descobrir, que era o seu lado necessitado, mas ainda assim que parecia de certa forma inocente para si.

E não sabia o que pensar ou como agir. Tinha o seu coelhinho ali, se fodendo na sua frente — mesmo sem saber — de uma forma tão enlouquecedora, o corpo perfeito se contorcendo sem parar em aprovação e tudo que ele mais queria era talvez se juntar à brincadeira. Mas algo o dizia que ele não podia.

Entretanto, Jimin não conseguia parar de assistir. Certamente não imaginava o quão precisava ver aquela cena e seria viciante para si antes de realmente pensar em vê-la. Jimin estava excitado, sabia que aquilo não era certo, mas seus instintos gritavam para que ele assistisse até o fim e de forma sorrateira ali ele continuou. Talvez fosse se arrepender depois ou se sentir culpado, mas só preferiu não pensar nisso agora.

O ritmo do mais novo foi ficando ainda mais rápido, ele parecia que iria gozar a qualquer momento e aquilo mexia com o ruivo de forma absurda, este que descontava o tesão que sentia em assisti-lo daquela forma nas coxas fincando as próprias unhas e as vezes acariciando o próprio pênis ainda por cima da calça, já imaginava que logo precisaria correr para o banheiro se aliviar. Aquilo tudo fazia-o se sentir tão sujo, aquela cena era tão suja. E não podia negar o quanto amava mesmo assim.

Jungkook subitamente parou os movimentos e saiu de cima do objeto com cuidado, Jimin não entendeu o porquê de primeira mas ao vê-lo se por de quatro totalmente empinado, com a entradinha já vermelha e dilatada pela brutalidade e impaciência qual sentava sem dó exposta e o rabinho felpudo logo acima deixando tudo ainda mais desejoso, ele soube que tudo que é bom pode melhorar.

O Jeon agora se fodia mais lento, gemendo manhoso e rebolando como se soubesse que Jimin estava ali e o quisesse provocar. E se fosse esta sua intenção, havia dado certo até demais.

Ia mais fundo, porém com mais delicadeza; Jimin sabia que podia gozar só com aquela cena e aquele garoto o levando à insanidade.

O meio-coelhinho agarrou o próprio pau, acelerando as estocadas ao que parecia novamente próximo de seu ápice sendo observado pelos olhos atentos do mais velho, que tentava não chamar atenção contendo seus gemidos. O mais novo gemia palavras desconexas, baixinho, e entre elas algo chamava a atenção do ruivo.

— Ji... Ji... Ah!

Jungkook parecia não ter fôlego suficiente para completar o que era suposto ser um nome. Até que, em meio a essa bagunça de gemidos e prazer, chegou ao seu ápice e desta vez não poupou a voz nada contida ao gritar bem alto enquanto seu líquido era despejado nos lençóis:

— Ji...min-hyung!


Notas Finais


eaee ces viram ne comecou com um draminha e terminou dedo no cu e gritaria pois a vida eh assim.. bom eu fiquei chei de preguiça de revisar entao dscp os errooo qlqr coisa outra hora conserto viu bjsss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...