1. Spirit Fanfics >
  2. Cereal. >
  3. Tigre Furry Falante.

História Cereal. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bem, eu escrevi esse drabble numa epifania, espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Tigre Furry Falante.


Fanfic / Fanfiction Cereal. - Capítulo 1 - Tigre Furry Falante.

  Helena permanência sentada à bancada da cozinha, comendo seu café da manhã no mais inaudível silêncio — é claro, tirando o barulho irritande dos cereais crocantes sendo mastigados. A casa estava vazia, Phillip e Otávio já haviam saído. Diferente de Helena, eles tinham o costume de acordar cedo. 

  A garota de olhos castanho-esverdeados estava atenta encarando o tigre-furry estampado na embalagem de cereais. E de verdade, ela nunca havia notado como aquela criatura era esquisita.

 Quem diabos havia achado que um tigre furry seria uma idéia genial jogada de marketing para atrair o público?   Bem, ela não poderia falar muito, já que havia comprado aquele cereal justamente por sempre ver a maldita propaganda do tigre furry falante. Otávio também adorava aquela marca de cereais, mas no caso de seu irmão, ele apenas comprava pois aquela era a única marca conhecida/confiável que vendia seus cereais de chocolate. 

 É, no final, um tigre falante com um biótipo humano poderia sim ser uma jogada de marketing genial.  

A garota tocou a tela do telefone que estava sob a bancada. Notando as horas, ela deixou escapar um "Merda!".  

Havia ficado tanto tempo divagando sobre a maldita caixa de cereais e tigres falantes que nem se deu conta do tempo, chegaria mais atrasada que o normal na escola. 

  Helena virou a tigela de sucrilhos na boca, comendo o pouco que havia sobrado e correu para a pia para lavar a peça de porcelana. 

Lembrava-se sempre de deixar a pia limpa, pois Phillip era um ser meticulosamente organizado e dava chilique sempre que encontrava algo sujo ou desorganizado em casa. Otávio e Helena eram pessoas extremamente relaxadas, como todos os jovens da idade deles, mas como Phillip era a autoridade máxima da casa, eles eram obrigados a seguir as regras.

   A garota colocou a tigela amarela com listrinhas pretas — sim, era uma tigela de abelhinha. A avó de Helena amava esses conjuntos de porcelana estranhos que idosos geralmente acham charmosos. — no escorredor, guardou a caixinha de cereais e catou sua mochila do chão, correndo a toda velocidade até o ponto de ônibus mais próximo.    

 Seria um dia longo na escola, mas sua mente trataria de lhe distrair.   


Notas Finais


Pois é, foi isso.
Eu avisei que havia sido uma epifania, porém espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...