História Cerejeira Sangrenta e o Canino de Lobo - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Jiraiya, Kakashi Hatake, Sakumo Hatake, Sakura Haruno, Shizune, Tsunade Senju
Tags Hatake, Kakasaku, Sakukaka
Visualizações 57
Palavras 2.175
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente... Demorei mas ta ai!

Capítulo 20 - Felicidade


A sensação de liberdade que me tomou ao ver a entrada de konoha era indescritível. 

Eu e Kakashi nos reportamos a sandaime Sama e ele me deixou explicar tudo o que acontecera enquanto fumava seu velho cachimbo de madeira. 
Não houve questionamentos da parte dele, exceto...

-Fico feliz que agora esteja se sentindo de fato livre. - seus olhos pousaram em Kakashi. - mas e quanto ao soro que Haruno colocou em seu corpo?

-Não sabemos. - sussurrei. Kakashi deu de ombros. - mas contatarei Shizunne para me ajudar com as análises do sangue dele e...


-Sandaime, gostaria de me afastar dos anbus. -  Kakashi me interrompeu, sua voz possuía uma entonação diferente da última vez que eu a ouvi nesta mesma sala, e seu olhar era firme. - e na ausência de Tsunade Sama, gostaria de pedir sua benção para me casar com Haruno Sakura. 

É... Admito que Kakashi era corajoso.

Observei divertida os olhos de sandaime Sama se arregalarem por um momento e então um largo sorriso em seu rosto.

-Ora! Mas que surpresa! Tão rápido assim? - ele me olhou por um momento erguendo a sobrancelha e eu sorri.

-Não... Essa história já possui anos, Hiruzen Sama... - ele se ergueu e me abraçou gargalhando e eu retribui carinhosamente. Ele era a figura paterna que eu possuía desde sempre.

-Vejo que Sakumo Chan continua acertando mesmo depois de partir... -murmurou mais para si do que para nós.- Minha bênção vocês possuem, agora se prepare para enfrentar Tsunade.- ele gargalhou dando tapinhas amigáveis no ombro de Kakashi que coçava a nuca. 

Eu não precisava dizer que Tsunade Sama  tinha muito ciúme de mim e de Shizunne, e sandaime Sama sem duvida veria isso de camarote. Pobre kakashi...

Nossas saídas da formação anbu foi completamente bem recebida por hokage sama, que realmente se mostrava feliz por nós dois mas então os dois conselheiros entraram na sala me lançando aqueles olhares reprovadores e essa foi minha deixa para sair dali. 
Pela expressão que Kakashi fazia, ele também não se dava bem com os conselheiros.

A vila estava alegre como sempre, enquanto nos dirigíamos para casa. A mão de Kakashi segurava a minha firmemente enquanto andávamos pelas ruas sob os olhares de todos que passavam por nós.

Tive a impressão de ter ouvido Gai gritar sobre o amor juvenil e isso me fez rir boa parte do caminho. 

Era tudo como um sonho... E eu já esperava a vida me cobrando os altos custos por aqueles momentos. Havia levando tantos baques, perdendo as pessoas que amava... A vida poderia acabar com isso e me deixar ser feliz pelo menos naquela vez? 

Meu estômago embrulhava pensando naquela bondade que o destino me reservava, pensando quando minha vida teria uma triste reviravolta.

Mas quando chegamos na porta da casa de Kakashi, meu estômago despencou. 
Vi pelo canto do olho que ele estava tão nervoso quanto eu mas sua mão estava firme quando me levou para dentro.

A casa era espaçosa, o suficiente para Kakashi me guiar por ela aos beijos sem esbarrar em nada.

Não havia pressa ou necessidade, apenas nós dois, e seria assim pelo resto de nossas vidas.

E quando ele parou nosso beijo e me encarou enquanto jogava a máscara longe, eu o olhei confusa.

-Bem vinda, Hatake Sakura. -ele me ergue nos braços com facilidade, e entra no quarto com um largo sorriso no rosto. - ao covil do lobo.

-Bem convincente. - me segurei para não rir da cara de falso ultraje que ele fazia.

Ele me deitou na cama e pousou o corpo sobre o meu, e minha vontade era arrancar todas as peças que impediam minha pele de sentir a dele, o volume já se destoava contra meus quadris me provocando lentamente.

-Hora do castigo? - murmurei inebriada, sentindo suaves mordidas em meu pescoço. Os caninos proeminentes dele arranhavam lentamente minha pele.

-Ah, sim... Hora do seu castigo. - ele riu rouco, me fazendo revirar os olhos com o som.

Ele era definitivamente um alpha, o tipo de homem que não precisava de palavras para impor sua presença. 

E ele era meu.

Kakashi se ergue para arrancar suas roupas com facilidade, e eu retiro as minhas rapidamente, quando não há nada que possa impedir o contato das nossas peles eu me deito novamente. 
Esperando. 

O toque de Kakashi é lento, as mãos seguram meus pulsos sobre minha cabeça me dominando e eu respiro entredentes quando ele deixa um chupão em meu pescoço. 

-você não vai poder escapar do castigo.- ele agora segura meus pulsos com apenas uma mão enquanto a outra desce por meu corpo até meu sexo encharcado. - ah... Eu mal comecei e já está assim? 

O sorriso pervertido dele me deixa mais louca. Mordo meu lábio, ao sentir seu polegar friccionar meu clitoris lentamente. O que ele pretende fazer? 

-Não pense que me seduzir assim vai me fazer voltar atrás... - ele sorri e coloca lentamente um dedo em mim, e depois o tira apenas para levar na boca. E então a cara que ele faz... Apreciando meu gosto. Minha barriga formiga com aquilo e eu aperto minhas pernas automaticamente. 

-Kakashi....- eu peço, a excitação me levando ao limiar da loucura. 

-Ainda não... - ele desce a boca em minha clavícula e fica ali me provocando com beijos. Ele aperta mais meus pulsos enquanto volta a me provocar o sexo, mordiscando o bico duro do meu seio. Eu me sinto pulsar por dentro, quase dolorida de necessidade. 

Suas mãos me soltam, e eu abro os olhos quando ele se afasta me olhando completamente pervertido.

-Vire-se. 

Eu o encaro, lembrando da caverna, e não deixo de sorrir também. 
Me coloco de quatro, e sinto sua mão deslizar pela área interna da minha coxa antes de ser empurrada contra a cama pelas mãos dele.

A primeira coisa que sinto é sua ereção dura contra meu sexo encharcado, e a segunda é a boca dele brincado sobre minha tatuagem após ter afastado meus cabelos e empurrando meu corpo contra a cama com o peso do próprio corpo.
Fecho meus olhos para a sensação violenta que toma meu corpo em forma de arrepios quando Kakashi arrastou minha lubrificação e estimulou uma outra entrada. 

-talvez não seja um castigo... - ele murmurou enfiando devagar o indicador enquanto mordia a curva do meu ombro.

E então ele passou a mover lentamente o dedo, entrando e saindo de maneira quase torturante.
A sensação era extrema, enquanto sentia arrepios da cabeça aos pés. Kakashi riu baixo e vitorioso ao perceber minha pele eriçada, enquanto eu não conseguia esboçar reação nenhuma além de um gemido dividido entre agonia e prazer.

-Seus gemidos... - ele grunhiu e aumentou a velocidade em mim. Os arrepios não paravam e quando ele conseguiu me fazer gozar, eu não contive os gritos que precisei abafar com o travesseiro.

Provocação anal não era nada que passasse pela minha cabeça, ainda mais como castigo! E que castigo...

-Kakashi... - eu sussurro rendida, amarrotando o lençol da cama com minhas mãos em punho, e então ele retira lentamente o dedo de mim. 

-Se quiser pode ser desobediente mais vezes, rosada... - ele morde minha orelha e sai de cima de mim, me deixando virar o corpo para ver ele. - já sabe o que vai te esperar.

-Ah é? - se eu faço minha maior cara de santa? Faço. Me sentei na cama por um momento e o observei, ainda duro. -e eu acho que eu tinha que cuidar de algo quando chegássemos em casa... E não era dos livros de jiraya sensei...

-com você aqui eu esqueço até de reler Itcha Itcha paradise... - ele ri se deitando na cama ao meu lado, e quando monto seu quadril e me encaixo em sua ereção com apenas um movimento, nos dois gememos.

-Você vai esquecer até da existência daquele livro depois de hoje, Hatake... - eu mordo meu lábio e me movimento lentamente. Os olhos dele se reviram, uma clara reação ao prazer. Eu me inclino até meu rosto estar próximo do dele, dando um sorriso aberto de felicidade em falar para ele tudo o que sempre quis dizer.- bem vindo de volta, Kakashi...

-Estou em casa. - ele sorri antes de me puxar para um beijo.

Estamos em casa.

 


Um mês havia se passado, e eu descobri que o mundo Não  poderia ser mais generoso comigo.

-Sakura... - tsunade shishou sorriu abertamente analisando meus exames. - Esses são sintomas de gravidez... Você está grávida de 6 semanas pelos meus cálculos... Esta no inicio do segundo mês!

Eu me encontrei estatelada na cadeira, pensando que era algum tipo de sonho.

O sorriso de kakashi foi a primeira coisa que me veio na mente.

-Grávida...? - senti um leve enjoo novamente que me fez olhar para a barriga que não aparecia ainda.

-Minha menina... Você será mãe! - Tsunade Shishou me abraçou com cuidado, um lindo sorriso no rosto enquanto me olhava maravilhada e acariciava suavemente minha barriga. -Essa criança será meu querido amuleto! 

Retribui o abraço ainda sem acreditar.

-Apenas ela poderá me chamar de Baa-Chan! Vou logo avisando! - ela disse seria segurando meu queixo e eu ri. 

-Preciso contar a novidade a kakashi... - falei um tanto apreensiva.

-Não tema... Sei que ele ira pirar com a ideia de ser pai... Mas lembrem-se de pegar leve no sexo! - ralhou e eu ri envergonhada coçando a nuca.

 

O caminho de volta para casa nunca me pareceu tão longo, sei que eu havia combinado de encontrar Kakashi e seus alunos no ichiraku mas... Eu queria ter um momento sozinha... Se bem que agora eu não estaria mais só.

-Como é incrivel... - sussurrei acariciando a barriga sem conseguir descrever a sensação que me tomava. - te protegerei do mundo, meu grãozinho... Eu e seu otou-san...  

Kakashi... Você me presenteou com a coisa mais preciosa que poderia me dar... Algo que nem o tempo poderá tomar de nós dois... Por kami... Como eu me sinto... Feliz! 

Nossa casa ainda estava vazia, acho que kakashi ainda me esperava no ichiraku. 
Me sentei no sofá sem conseguir pensar em nada alem da criança que crescia ali.

-Meu bebê... 

Não sei quanto tempo fiquei ali, mas quando senti a presença que eu esperava me ergui para receber ele.

Kakashi me abraçou e eu me senti quente de imediato. 

"Pegue leve no sexo" a voz de tsunade sama ecoou na minha mente quando kakashi deslizou o nariz em minha pele, causando arrepios deliciosos. Sexo não
 estava vetado, certo? 

-Você vai ter que pegar leve comigo por algum tempo... - falei seria. - uns oito meses mais ou menos. 

Kakashi se afasta me olhando confuso... Ele é realmente horrivel como termos medicos...

-Tsunade Sama confirmou minhas suspeitas sobre meus desmaios, vertigens e descansos além dos normais... E a ausência da minha menstruação. 


Mais direto que aquilo impossível!


-menstruação? Mas... - ele empalideceu e então olhou lara minha barriga. - Sakura... Tem um bebê aqui?

Eu sorri, sentindo as lagrimas escorrerem por meu rosto.

-Eu vou ser pai! - ele sussurrou me olhando e então abaixou  a máscara e me beijou. Um beijo regado de lagrimas de dois pais felizes.

Kakashi abaixou-se encostando a testa em meu ventre. A cena mais linda que eu levaria na memória ate o fim dos meus dias.

-Eu amo você, Sakura. - ele sussurrou e eu não contive um sorriso. Acariciei os cabelos prateados.

-E eu amo você... Kakashi kun. - recebi um beijo protetor na testa, enquanto fechava meus olhos sem conseguir engolir o choro. - obrigada pelo presente maravilhoso... Eu... Não poderia estar mais... Feliz...

-será apenas o começo. - fui erguida rapidamente antes de receber um beijo caloroso. Eu ja estava me sentindo ansiosa com aquele simples beijo.

-kakashi... por um tempo... Não vamos ter sexo... não esta vetado mas....- tentei segurar o riso... Eu e kakashi? Sem sexo? 

R Á


-Nao me importo... -  ele sorriu.- esse e o melhor presente que você poderia me dar... Nove meses sem sexo não são nada perto da vida preciosa do nosso filho que ira durar ate nossa velhice. Mas...

-Mas? - meu estômago despencou.

-Hoje merece comemoracao - ele retira o colete e o joga longe.-  é a nossa despedida de solteiro.

-Pensei que iria sair com os rapazes . - minha voz saiu baixa enquanto eu tentava me controlar sob as caricias de kakashi em meu pescoço. Eu queria muito mais que aquilo...

-despedida de solteiro é para aqueles que sentirão falta desses dias... Pra mim eles não serão nada comparado ao nosso futuro. - falou e eu arranquei a camisa dele. 
A beleza daquele homem sempre me atingia como a primeira vez que eu o tive como meu.

Sem duvida naquela semana nosso bebe foi gerado.


-Você será meu. Para sempre. - prendo ele entre minhas pernas e me aperto contra o volume na calça.

-Até o fim dos meus dias, e você será minha. - sussurrou antes de me beijar calorosamente.


E eu poderia morrer ali, e ainda morreria feliz.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...