História Chains (Taehyung e Yoongi Imagine) - REVISANDO - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 159
Palavras 1.934
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olás. Até parece que eu fico colocando suspense a toa, pois sempre quando falo que posso demorar um pouco pra postar BAM dois posts por dia. kkkkkkkk

Aproveitem!!!!

Capítulo 29 - Capítulo Vinte e Nove - Taehyung Point Of View


Fanfic / Fanfiction Chains (Taehyung e Yoongi Imagine) - REVISANDO - Capítulo 29 - Capítulo Vinte e Nove - Taehyung Point Of View

Os lábios de Jungkook envolviam a minha glande em uma sucção seca enquanto sua língua fazia movimentos circulares por ela. Era sempre assim que ele começava seus boquetes. Estávamos na sala de seu apartamento, Hoseok tinha acabado de sair para uma de suas aulas e eu estava sentado no sofá, completamente nu e com Jungkook entre elas vestindo apenas uma calça de moletom preta. Ele abocanhou um pouco mais do meu pau e deixei um gemido escapar quando senti sua língua buscar minha extensão de forma sedenta. Os olhos dele se levantaram para mim e eu dei uma tragada no baseado que ele tinha me entregado quando se ajoelhara.

Jungkook tinha muitas qualidades e uma delas sem dúvida era ser extremamente eficiente no sexo oral. Uma mão segurava a base de meu membro enquanto a sua boca se ocupava do resto. As vezes os lábios eram os únicos a trabalharem me chupando em sucções e barulhos molhados, engolindo boa parte do meu membro e aquela que não conseguia alcançar era masturbada por sua mão. Ele também não esperava para que eu movimentasse sua cabeça, ele próprio fazia aquilo no ritmo dele. Seus olhos, tão grandes e esticados, gostavam de analisar meu rosto durante todo o processo e eu estava dividido entre gemidos e tragadas. A minha mão livre estava segurando a nuca dele e eu deixava meu polegar contornar seu queixo delineado e pressionava a pele de seu pescoço com certa força.

Tudo sempre começava lento, ritmado e compassado, até que eu não me aguentasse e erguesse meus quadris em busca de estocar a boca de Jungkook e foi em um desses movimentos em que acabei gemendo o nome. Não o de Jungkook, mas o de (S/n).

– Caralho, Taehyung. – Jungkook retirou meu membro de sua boca em uma última chupada e um estalo molhado. – Gemendo o nome de outra pessoa?

– Foi mal, Kook. – Falei meio ofegante parando sentado no sofá e colocando o cigarro no canto dos lábios, não havia qualquer razão em tentar mentir. – Continua. – Pressionei a mão que estava em sua nuca e ele me lançou um olhar censurador enquanto voltava a segurar meu membro e o envolver com a boca. Mordi meu lábio com força e me xinguei internamente. Eu não devia estar pensando nela, não mais. Era Jungkook que estava ali e não ela e eu deveria colocar minha cabeça nos eixos.

Mas a verdade era que eu ainda estava apaixonado, talvez até mais do que antes. Era por isso que estava ali com Jungkook. Não conseguia sair com outras mulheres e ainda o via como uma forma mais tranquila de obter o meu prazer. Ele obviamente percebia que eu o estava procurando com mais frequência nessas duas semanas do que normalmente fazia, mas ele não falava nada. Apenas me perguntava se eu estava bem e se estava precisando conversar e como minha resposta não passava de um agitar de ombros ele apenas me dava o que eu queria.

Ele continuava me chupando, mas os olhares que me lançava não eram sustentados por muito tempo. Sua outra mão envolveu meus testículos e os massageou enquanto sua boca se apertava em meu membro e sua cabeça se movimentava, ora o engolindo até o máximo que ele conseguia, ora o retirando quase por completo de sua boca.

– Vou gozar. – Avisei em um gemido abafado e deslizei minha mão para a sua cabeça, embrenhando meus dedos por seus cabelos castanhos e soltando outro gemido rouco e alto quando ele me engoliu mais uma vez e pressionou a língua contra o meu membro. Senti um espasmo perpassar meu corpo e ele se relaxar em seguida. Acariciei os cabelos de Jungkook, que me limpava com sua boca, engolindo todo o meu gozo, e levei o cigarro até a boca em mais uma tragada, antes de devolve-lo para Jungkook que obviamente o reivindicaria.

– Porra, você só pode tá de brincadeira comigo. – Ele falou assim que se sentou ao meu lado, tomando o cigarro da minha mão e o colocando na boca. – O maior tesão e você gemendo o nome de outra pessoa.

– Ah! Não. – Falei me virando para ele enquanto repousava minha mão em sua coxa e levava a outra para o meu próprio pênis, o segurando. – Não vai começar com essa gracinha não. – Jungkook me lançou um olhar divertido, provando que estava apenas implicando comigo.

– Você tem que resolver isso, cara. – Ele soprou a fumaça e me observou enquanto eu me tocava. – Até Hoseok está percebendo que tem algo estranho com a frequência que você vem aqui. – Ele segurou minha mão que estava em sua coxa e a colocou, sem qualquer cerimônia, por dentro da sua calça moletom, onde seu membro, que não estava envolvido por qualquer outro material que não o moletom, já pulsava ereto.

Eu não respondi nada, apenas me sentei virado para ele e segurei seu membro com a mão, deixando meus dedos o envolverem e meu pulso descer por toda sua extensão e depois voltar até a sua cabeça, a pressionando devagar, para depois repetir todo o movimento. Vi Jungkook jogar a cabeça para trás e tirar o cigarro dos lábios em dois dedos, soltando a fumaça e um gemido rouco ao mesmo tempo. Seus olhos se fecharam e eu encostei meus lábios em seu pescoço o beijando.

Jungkook não era do tipo que gemia muito, geralmente seus suspiros pesados eram o máximo que se conseguia tirar dele, talvez um ou outro gemido estrangulado. Já (S/n) era tão vocal no prazer que sentia, inundando meus ouvidos com seus gemidos sôfregos ou prazerosos. E, puta merda! Eu tinha que parar de pensar nela. Segurei o membro de Jungkook com mais força, fechando a cara por meio segundo e recebendo um suspiro mais pesado dele e um breve espasmo em suas pernas. Aumentei a velocidade do meu pulso em seu membro e ele agarrou minha coxa com força, me mostrando que também estava quase chegando. Mas não era como das outras vezes. Ao menos não para mim. Eu tinha gozado e ele não tinha sido diferente das outras vezes que tinha feito aquilo, mas não tinha sido nem de longe tão satisfatório. Pensei que poderia ser porque eu não estava saindo com mais ninguém e somente aquilo que ele fazia não me saciava, e que eu precisava ter outra pessoa no momento. Mas no fundo eu sabia que era porque eu estava perdido com o meu sentimento por (S/n). Não era questão de não me saciar, era questão de não estar com quem eu queria.

Afastei meu rosto do de Jungkook e apenas continuei o masturba-lo, já completamente entediado com aquela situação. Por sorte ele estava de olhos fechados, completamente envolvido no que eu estava fazendo, por isso não reparou que eu não estava tão animado assim. E eu me senti um lixo por isso. Sabia que com ele as coisas eram casuais, mas gemer o nome dela no momento em que ele me chupava e agora não estar nem um pouco envolvido no que acontecia era ridículo demais. Ele gozou logo, em um dos seus raros gemidos estrangulados e quando abriu os olhos, com meus dedos ainda envolvendo seu membro e o apertando levemente, buscou meus lábios, me puxando com a mão em minha nuca, para um beijo breve e molhado.

– Você vem amanhã? – Jungkook perguntou assim que afastei os nossos lábios, retirando minha mão de sua calça e me levantando para lavar minhas mãos no banheiro social.

– Eu não sei, porque? – Falei um tom mais alto já que estava no banheiro. – Qualquer coisa te aviso antes.

– Pensei que a gente pudesse dar um tempo, sabe? – A voz de Jungkook soou mais baixa e quando voltei para a sala o encontrei na mesma posição que o tinha deixado. Sua cabeça, que ainda estava encostada no sofá, moveu para o lado e me encarou enquanto eu pegava minha cueca do chão.

– Ah! Tudo certo. – Falei sem o encarar, terminando de vestir a cueca e buscando a calça. – Se você quiser.

– É... – Ele levantou a cabeça e ajeitou o cós da calça. – Eu quero.

– Certo. – Abaixei uma última vez, pegando minha camiseta. – Mas podemos continuar nos encontrando? Para jogar um papo fora ou beber? Sexta-feira vai ter uma festa numa república de calouros, fui convidado, mas não queria ir sozinho.

– É... Eu acho que vou estar meio enrolado com trabalhos da faculdade. – E ele coçou a cabeça. Eu não sabia se ele tinha consciência, mas todas as vezes que mentia ele coçava a cabeça. Mas não me importava muito, realmente, se ele não quisesse ir, tudo bem. Talvez eu fosse sozinho mesmo.

– Ok. – Falei brevemente, pegando minha bolsa na mesa de centro e indo até ele. – Qualquer coisa me manda uma mensagem. – Me inclinei e lhe dei um beijo breve nos lábios. – Até mais.

– Até. – Ele respondeu vagamente e, sem que me acompanhasse até a porta, eu saí.

O comportamento dele tinha sido um pouco diferente, mas imaginava que tinha sido por conta do nome alheio que soltei enquanto ele me dava um sexo oral. Se fosse isso eu poderia conversar com ele depois e lhe pedir desculpa, mas mesmo assim seria uma situação muito diferente para o comportamento dele. De qualquer forma eu tinha outras coisas para pensar.

Havia duas semanas desde a última vez que eu tinha visto ela. Minto. Duas semanas desde o jantar com os meus pais e o hospital, porque tinha visto ela na universidade depois daquele dia. Mas a tinha visto de longe, não me atrevendo a me aproximar. Só de pensar no olhar que ela me lançou quando pediu para que eu nunca mais a procurasse meu coração se apertava. Eu definitivamente estava apaixonado e eu estava muito mais do que disposto a estar com ela, mas mesmo assim ela não me queria. Ela estava apaixonada por aquele outro cara e eu percebi isso no momento em que notei porque ela tinha congelado no corredor do hospital. Antes que eu o tivesse visto ela já o tinha notado. Não era difícil perceber que o cara tinha ficado irritado ao me ver lá, era visível pelo olhar que ele me lançou quando passou por mim das duas vezes em que foi até a cafeteria. Mas eu não me incomodara. O que me incomodara de verdade foi ver ela praticamente correndo atrás dele da segunda vez, sem me lançar qualquer olhar.

Ela estava apaixonada por ele e eu provavelmente tinha complicado as coisas para ela. E sabe o que era pior? Eu me sentia culpado. Me sentia culpado porque o seu olhar de tristeza naquele dia me machucara, porque eu sabia que eu a tinha machucado. A sua expressão triste e seu ar desmotivado que observei ao longo daquelas duas semanas só me mostravam que ela provavelmente ainda não tinha se resolvido com aquele cara, e isso me magoava, porque eu a tinha magoado.

Eu sabia que eu era um lixo e por isso tentava agora me desvincular de qualquer pensamento que me ligasse a ela. Perdi a conta de quantas vezes procurei Jungkook naqueles dias e podia até entender que não era tão difícil Hoseok estranhar tanto a minha visita. Hoseok sabia da minha amizade colorida com Jungkook e por isso mesmo estranhava, eu nunca tinha sido tão presente no apartamento de ambos. Fui em algumas festas, até as de calouros, coisa que eu, no último semestre do curso, com certeza não faria em uma situação normal. Bebi tanto naqueles dias que provavelmente devo ter destruído metade do meu fígado. Mas nada disso doía mais do que saber que eu a tinha a perdido. Ou pior, a magoado. 


Notas Finais


Esse Taehyung não é fácil não, gente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...