História Chamando Dr. Kim - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias DAY6
Personagens Dowoon, Wonpil
Tags Comedia, Day6, Doctor!au, Dopil, Dowoon, Fluffy, Happy Vmustdie Day, Wonpil
Visualizações 80
Palavras 1.075
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, LGBT, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiro de tudo:
FELIZ ANIVERSÁRIO TORI 🎉🎉🎉🎈🎈🎈
Não vou escrever textão aqui ou nas notas finais, o que eu tinha que te dizer foi feito por mp 😂

As palavras em itálico nas falas do Dowoon é que ele tá com o nariz congestionado/entupido.

Eu tenho esse plot desde o ano passado, e eu nem me lembrava dele até dar uma olhada nos arquivos mais antigos do meu docs e então resolvi ressuscitá-lo.

É isso, espero que gostem, eu adorei escrever isso aqui. Agora eu vou indo, que eu tenho prova ;;__;;

Boa leitura 😊

Capítulo 1 - Único, supositório de dipirona


Estava tudo planejado para um ótimo final de semana a dois, o Kim finalmente havia recebido uma folguinha e iria usá-la para matar a saudade que estava sentido do Yoon. Eles iriam ficar no apartamento do mais novo, Wonpil havia comprado um monte de porcarias para se empanturrarem. Estava tudo certinho, a mochila com algumas roupas para passar o final de semana estava arrumada e as duas sacolas com porcarias para comer estavam juntas a mochila em cima da mesa. Depois de tomar banho, se vestiu pegou as coisas e foi para o ponto de ônibus.



Meia hora depois o Kim desceu no ponto que ficava cinco minutos de distância até o apartamento do Yoon. Chegando no mesmo comprimentou o porteiro, Sr. Park, este lhe lançou um aceno e destravou o portão permitindo sua entrada.

No hall, seguiu até o elevador e apertou o botão e esperou por alguns minutos, quando chegou, abriu a porta e apertou o botão do quinto andar. Ficou batendo o pé, esperando o tempo passar. Ao chegar no andar do Yoon, tirou a chave do bolso, destrancou a porta e entrou.

De todos os cenários que poderiam se passar pela sua cabeça, aquele nunca fora imagino antes.

O apartamento estava em um completo breu, digno de filme de terror ou suspense. E céus, o Kim se pelava de medo, sempre que o mais novo inventava de fazer uma sessão de filmes, ele colocava um de terror, o que fazia Wonpil ficar irritado, mas só um pouquinho, bem pouquinho mesmo, pois assim que o filme acabava Dowoon se desculpava com vários beijinhos e uma bela xícara de chá de morango.

Adentrou o cômodo desconfiado, se Dowoon não estivesse ali o Sr. Park teria avisado como ele sempre faz, certo? Será que o Yoon estava querendo pregar-lhe uma peça? Ou pior! Será que alguém entrou e estava mantendo seu bebê em cárcere privado? Seria um ladrão? Ou um psicopata? Várias coisas se passavam por sua cabeça, mas tudo era incerto, o que lhe restava era entrar e ver com os seus próprios olhos o que realmente estava acontecendo.


— Do-Dowoon? — chamou e não obteve resposta. — Dowoon-ah? — Pegou o celular no bolso, iria chamar mais uma vez, se ninguém responder iria ligar para a polícia. — Dowoon?!


Então bem baixinho ele ouviu a voz de Dowoon. Estava rouca isso ele logo percebeu, largou as coisas no chão e foi em direção ao quarto.

Tamanha foi a sua surpresa ao adentrar o quarto e ver o mais novo todo coberto e ao chegar mais perto constatar que este estava com a temperatura elevada. Tratou logo de pegar algumas toalhas e um balde com água, fez compressa. Foi no banheiro e procurou pela caixa de primeiros socorros, pegou o termômetro e voltou para o quarto.


— Por que não me avisou? — tirou um dos edredons de cima dele pela segunda vez e levantou seu braço, para colocar o termômetro em sua axila. — Eu poderia ter vindo antes e até mesmo trazido alguns remédios! — Ralhou, o que fez Dowoon rir. — Ainda tem a audácia de rir, eu mereço.

Desculba, hyung. — o Kim suspirou e assentiu.

— Mas me conte, como você ficou assim? Ontem quando conversamos você estava bem.


O Yoon desviou o olhar, sabia que ia levar uma bronca desde o momento no qual decidiu brincar de ser criança e ir tomar banho de chuva com sua sobrinha e tomar sorvete logo depois, ele sabia muito bem que essa combinação resultaria em um provável resfriado, mas ignorou quando viu os olhos e o sorriso da pequena lhe pedindo para irem brincar na chuva.


— Dowoon? — Wonpil lhe chamou passando a mão em frente ao seu rosto. — Dowoon? Você está me ouvindo?

— Hãn? — olhou para o Kim e viu este esperando uma resposta coerente. — Ah… 'Tô oubindo… 'Tô oubindo sim…

— Então…?

— O que?

— Como assim “o que?”? Você não disse que estava ouvindo?

— Aaaah…

— Você só pode 'tá com febre!

O Kim então se levantou e foi buscar uns remédios que sempre carregava consigo, assim que pegou o que queria voltou para o quarto.


— Dowoon deita de bruços e abaixa a calça.

— ‘Pra que…? Que isso?! — Dowoon se sentou rapidamente na cama, seus olhos ficaram arregalados ao ver o que o Kim trazia em sua mão. —  Que isso hyung?!

— É um supositório retal — Wonpil respondeu com uma simplicidade surpreendente, como se tivesse dito fui na padaria e comprei esses pães. — Agora se você puder fazer o que eu pedi, agradeço.

Bão! — O grito do mais novo foi tão alto e  que Wonpil no susto derrubou a embalagem.

— Aigoo! — O Kim exclamou exasperado.

— Hyung, eu 'tô bem! — pegou a mão do mais velho. — Eu só preciso de você... aqui.


Wonpil respirou fundo, para não dar outra bronca, e acenou com a cabeça, arrumou os travesseiros de um modo que o mais novo ficasse confortável e ajeitou o edredom, o cobrindo. Se abaixou para pegar a bendita embalagem do supositório e ao se levantar viu Dowoon estremecer, não conseguiu segurar o riso, fazendo o Yoon cruzar os braços e formar um bico enorme, o que fez o Kim ri mais.


— Eu vou guardar isso aqui e vou fazer uma sopa 'pra você, vê se não fica levantando e andando descalço. — Dizendo isso, o mais velho se retirou e foi para a cozinha.



— Diga aaaah… — Dowoon revirou os olhos pela terceira vez consecutiva, as vezes Wonpil exagerava e agia assim.

— Eu bão bou fazer isso!

— Ué, mas não era você a criança que estava brincando na chuva ontem e ainda teve coragem de tomar sorvete? — questionou sarcástico.

— Eu bão sou criança!

— Se não fosse não teria aprontado uma dessas! — retrucou. — E ainda com o risco da Jiyoon ficar doente!

Bas ela 'tá bem…

— Isso não quer dizer nada.


O silêncio logo se instaurou, Dowoon sabia que estava errado e que tentar explicar seu ponto para o Kim não adiantaria em nada, Wonpil era cabeça dura e bom ele estava certo, a pequena Jiyoon poderia realmente ter pegado um resfriado assim como seu tio irresponsável, mas contrariando todas as leis existentes, a pequena não havia apresentado sintoma algum.


— Hyung? — chamou envergonhado recebendo hmm como resposta. — Faz chocolate quente?


Wonpil olhou para ele incrédulo e riu.


— Meu namorado é uma criança de vinte e dois anos! — dizendo isso se levantou e foi para a cozinha preparar o chocolate quente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...