História Chance to love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Romance Gay
Visualizações 93
Palavras 2.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 2 - Capitulo 2


Ian despertou de seu sono e logo ele já foi se sentando na cama observando as janelas do seu quarto, o céu estava escuro e ele podia ouvir barulhos do piar de algumas corujas. Ele pegou seu celular e desbloqueou a tela vendo que era 05:30 da manha, ele tirou as cobertas jogando-as pro lado e ele saiu andando em direção a porta do quarto a abrindo, ele observou o corredor vazio e silencioso passando pela porta à fechando atrás de si e ele foi andando em direção as escadas que levavam ao primeiro andar, ao pisar no último degrau da escada Ian já percebeu que a TV da sala estava ligada, ele andou desviando de alguns móveis até chegar a sala, encontrando seu pai e seu mãe deitados dormindo em um sofá no centro da sala e seu irmão em outro em um outro mais ao canto da sala. Ian notou que seus pais estavam bem juntinhos e seu irmão estava deitado encolhido como se estivesse congelando e Ian percebia o motivo eles estavam em uma época mais fria e pelo visto seu irmão havia ficado de ligar o ar-condicionado da casa novamente e como sempre ele havia esquecido. Ian andou até um armário que ficava na sala para no caso dele é Willian fazerem uma maratona de séries que resultava em os dois dormindo como sempre. Ian abriu a pequena porta pegando os dois cobertos que haviam ali, e jogou um deles sobre seus pais e o outro sobre Willian que agarrou o cobertor e se virou de costas para Ian soltando a burburinhos que Iam não conseguiu identificar. Ian andou até a mesa de centro pegando o controle da tv à desligando e ele saiu em direção a cozinha onde ele tinha certeza que a cozinheira havia deixado algo pra ele comer. 


Ao abrir a geladeira Ian logo avistou é um enorme pedaço de torta de leite ninho e ao lado uma jarra de suco de laranja, Ian pegou o enorme pedaço e a jarra para logo depois voltar com um copo na mão, Ian se sentou na bancada experimentando um pedaço da torta e logo veio a mente tudo que aconteceu no dia anterior, a reunião, o almoço e principalmente no beijo que deu em Ethan, Ian percebeu que por um segundo ele estava voltando a ser aquele garoto de antes, o que sorria para todos e sempre estava cantando pelos cantos, aquele que sorria e fazia os outros darem risadas, até mesmo nos momentos tristes, e por um segundo Ian desejou voltar a ser o que era antes. Naquela semana faria 2 anos que aquela traição havia acontecido e Ian não acreditava que ele pudesse lembrar de todos os detalhes como se tivesse acontecido no dia anterior. então após comer e lavar os pratos e os colocar sobre a mesa, ele resolveu subir de volta ao segundo andar e ir em direção a biblioteca da casa, ao entrar nela Ian andou até uma enorme prateleira procurando por um livro específico, um pequeno livro surrado de capa dura na cor vermelha, Ian apenas empurrou o livro e esse abriu uma pequena porta ao lado da prateleira onde seu avô usava de esconderijo quando o mesmo brigava com sua avó. Naquele pequeno cômodo havia uma simples cama com um Notebook sobre ela, um frigobar e uma janela que ficava em cima da cama. 


Ian fechou a porta e logo ele foi andando até a cama pegando o notebook, após liga-lo, Ian entrou no seu navegador e digitou pelo nome de Ethan James, e logo apareceram milhares de imagens de Ethan, umas com pessoas desconhecidas e até mesmo algumas notícias sobre ele dizendo que ele era um dos solteiros mais cobiçados de Paris e que ele a cada noite pegava mais um para sua lista.


Ian estava tão distraído que nem percebeu o tempo passar somente quando seu celular vibrou no seu bolso, ele retirou do bolso ligando a tela e vendo várias mensagens do seu pai e de seu irmão dizendo que iriam para a empresa e que ele iria junto querendo ou não. Ian saiu lentamente da biblioteca e foi andando até seu quarto, e logo entrando ele andou até o seu guarda roupa, escolhendo uma blusa simples de manga preta, uma calça preta, uma blusa de frio preta, uma touca preta e um ALL star preto básico, Ian desceu as escadas com seu celular na mão e fones no ouvido e quando passou pelo irmão, Ian notou que o olhar de decepção era notável.


Quando Jhordan parou o carro no estacionamento Ian foi o primeiro a descer e andar até o elevador deixando os dois para trás, Ian ficou dentro do elevador esperando os dois até que eles chegaram e Jhordan apertou o botão que levava ao saguão e do saguão eles seguiram para o elevador que levava ao último andar. Ian foi o primeiro a sair do elevador e andar até a sala de Jhordan. Ian no caminho não cumprimentou sequer uma pessoa durante seu caminho. Ian entrou na sala e logo foi andando até o sofá pegando seu caderno de desenhos. Ian abriu o caderno e começou a folhea-lo até que ele parou em uma página onde faltava um desenho, um desenho seu feito a muito tempo que lembrava o Ian de antigamente. E então Ian lembrou que ontem quando ele estava com o caderno ele acabou esbarrando em Ethan e as folhas caíram, foi nessa hora que o seu desenho se soltou do caderno.


Ian logo respirou fundo antes de se levantar da sala passando por seu pai e seu irmão e ele foi andando em direção a sala de Ethan. Ian nem mesmo bateu na porta e já foi abrindo ela dando de cara com uma cena que provável deixou ele corado.


Ethan usava um camisa branca de botões aberta mostrando seu abdômen malhado e alguns pelos que desciam do umbigo até suas calças. Ele estava com um pano na mão esfregando o lado direito de sua camisa manchado pelo que seria provavelmente café, Ian não tirava os olhos do abdômen de Ethan até que o mesmo limpou a garganta chamado a atenção de Ian que desviou o olhar e olhou nos olhos dele.


Ian: Você sabe que a porta tem travas não sabe? — Disse se virando para a porta.


Ethan: Sim, mais eu derramei café na minha camisa se você não está vendo e acabei esquecendo de trancar a porta. — Disse tentando se explicar e ele se virou de costas pra Ian fechando sua camisa.


Ian: Você tem quantos anos mesmo?


Ethan: 25 porque? — Disse olhando por cima do ombro na direção de Ian.


Ian: Por que você parece uma criança sempre fazendo bagunça. 


Ethan: Você sempre foi educado assim ou só acordou com o pé esquerdo? — Disse virando de costas e se apoiando na mesa e vendo que foi ignorado por Ian ele resolveu perguntar outra coisa. — Seu irmão não teria outra camisa pra me emprestar?


Ian: eu vou ver.


Ian saiu andando em direção à sala do seu pai vendo que praticamente ele havia ido a sala de segurança para saber praticamente onde ele estava, Ian entrou na sala e caminhou até a mesa do seu pai abrindo uma das gavetas vendo que seu pai ainda guardava camisas ali. Ian pegou qualquer uma delas vendo que o tamanho daria certo com o corpo de Ethan, então Ian fechou a gaveta e saiu andando de volta à sala de Ethan. Quando ele chegou na sala, ele fechou a porta jogando a camisa na cara de Ethan.                  


Ian: Acho que vai servir. — Disse passando por Ethan e se sentando na cadeira enfrente a mesa. — Tem um banheiro aqui do lado você pode ir se trocar lá


Ethan: Ah obrigado. — Disse acenando e saindo da sala.


Após Ethan sair da sala, Ian se levou correndo e já foi abrindo as gavetas da escrivania procurando pelo maldito desenho meio a todos aquelas pastas, até que ele se virou e começou a procurar nos armários atrás da mesa, Ian estava distraído procurando naquelas gavetas até que ele sentiu um arrepio correr pela sua coluna e uma respiração no seu pescoço. Ian se preparou para se virar e atacar a pessoa mais uma mão foi colocada na sua boca e braço foi passado ao redor do seu corpo o segurando.


Ele se virou olhando pra cima e dando de cara com Ethan que o olhava com cara de deboche


Ethan: Está procurando por isso? — Disse se afastando de Ian e mostrando o desenho em suas mão.


Ian: Sim, mais onde achou isso? — Disse fingindo-se desinteresse.


Ethan: Estava no meio de uma pasta minha. — Disse dando a volta pela mesa e parando do outro lado da sala. — Sabe você desenha muito bem.


Ian: Obrigado, agora me dê o desenho! — Disse esticando a mão.


Ethan: Anh! Claro mais primeiro com uma condição…


Ian: Ah o quê? Você quer que eu saia com você?


Ethan: Olha não tinha pensado nisso mais se você queeerrr…


Ian: Eu não quero. — Disse virando o rosto irritado.


Ethan: Bom se você quiser o desenho terá que sair comigo. — disse balançando o desenho para que Ian podesse ver que ele não estava brincando.


Ian: Você sabe que eu sou mais novo que você não sabe?


Ethan: Sim, mas vamos ao sair não vai acontecer nada. 


Ian: Mesmo assim eu não vou sair com você. 


Ethan: Porque?


Ian: Por que não, agora com licença. — Disse passando pela mesa e por Ethan.


Ethan: Por favor aceite — disse ele puxando-o e colando seu corpo com o de Ian.


Ian: Se eu aceitar você me larga? — Disse batendo as mãos sobre o peito de Ethan.


Ethan: Sim.


Ian: Está bem. — E então Ethan o soltou mais então a porta da sala se abriu e nela a imagem de Willian com as mãos no joelho que respirava com dificuldade.


Willian: Onde você se meteu ? — Disse fazendo uma pausa antes de esticar o corpo e andar até Ian. — Nos te procuramos em todo e qualquer lugar.


Ian: Willian se você já me encontrou fale logo o que você quer?


Willian: Mamãe está na empresa e está procurando por você. 


Ian: ah já estou indo. — Disse se virando para Ethan e pegando um papel sobre a mesa e digitando seu número de celular e saiu andando. 


Após Ian passar pelo porta, Willian mandou um olhar mortal para Ethan antes de fechar a porta e sair andando atrás do irmão. Ian após passar a porta da sala do seu pai ele percebeu o olhar severo que sua mãe o direcionava e seu pai sentando sobre a mesa o encarando.


Jhordan: Aonde você esteve?


Ian: Na sala do novo contratado, ele pediu minha ajuda com uma coisa e eu fui ajudá-lo. — Disse sem olhar para nenhum deles e se sentou na cadeira encarando todos com um olhar se tédio.


Willian: Você ajudando alguém? — Disse apontando para Ian com um olhar de deboche antes de bufar e se sentar ao lado do garoto.


Ian: Sim.


Emília: Ian não minta para nós…


Ian: Vocês acham que eu estava mentindo sério isso mesmo? — Disse alterando um pouco a voz sentindo um nó se formar na sua garganta. — Eu não posso acreditar que vocês não confiam em mim um segundo…


Jhordan: Ian não é isso é quê…


Ian: Que vocês acham que a qualquer momento eu posso tentar me matar de novo? — Disse fazendo todos arregalaram os olhos. — Sabe eu deveria tentar mais uma vez já que da primeira não deu certo.


Willian: Ian isso não é coisa de se brincar, nós nos preocupamos com você cara. — Disse abaixando a cabeça antes de suspirar pesadamente e se levantando e abraçando o irmão. — Você não sabe o que passamos ao ver você naquele quarto a beira da morte… Você não sabe a dor que sentimos em não poder ajudar você em nada… nem mesmo sabíamos o que se passava com você.


Ian: Eu sei Willian… mas que às vezes vocês me sufocam… eu preciso de espaço as vezes, sabe respirar um pouco, ter um pouco de liberdade. 


Jhordan: Ian já falamos sobre isso e…


Emilia: Jhordan eu acho que o Ian está certo nós temos que dar um pouco de liberdade a ele. — Disse andando em direção ao marido e ficando atrás da cadeira dele e levando as mãos aos ombros dele massageando aquela área. — Ian não parece nosso filho e sim um prisioneiro.


Willian: Mas mãe…


Emília: Willian eu sei do que eu estou falando e eu não vou deixar isso acontecer mais… — Ela respirou fundo antes de sair de trás do marido e ir à frente da mesa parando frente a Ian. — Ian eu marquei um horário com a sua psicóloga pra que você pudesse falar com ela…


Ian: Mãe eu não preciso de psicóloga e sim de um pouco de paz, vocês me sufocam. — Disse se levantando e passando pela mãe até parar no meio da sala de costas para eles. — Eu só queria um pouco de sossêgo sem que vocês fiquem me perguntando onde que eu estou e o que eu estou fazendo a cada dez minutos.


Emília: Ian só que…


Ian: Só que nada vocês pode pelo menos me dar um pouco de paz e sossego, um momento em que eu posso ficar quieto no meu canto sem vocês me perguntando toda hora o que eu faço! Vocês podem fazer isso?


Emília: Nós vamos tentar não é Jhordan? — Disse confirmando com a cabeça e vendo Jhordan fazer o mesmo. — Willian?


Willian: Não concordo com isso, mas vamos ver onde isso vai dar. — Disse se virando na cadeira com os braços cruzados e não olhando na cara de Ian.


Ian: Ótimo bom dia pra vocês e tchau. — Disse virando e saindo da sala.


Jhordan: Vamos nos arrepender de fazer isso.


Emília: Só falta esperarmos que nada de ruim aconteça.


 







Notas Finais


Iaaae gostaram?
Desculpa se tiver algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...