História Change - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Justin Bieber, Madison Murray
Visualizações 182
Palavras 3.361
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Look Maddie.

Capítulo 21 - Filhos?!


Fanfic / Fanfiction Change - Capítulo 21 - Filhos?!

- Você pretende ter filhos? – ela pergunta, me engasguei com a própria saliva.

 

- Sim…talvez. – falei tossindo um pouco.

- Querida, Justin me falou muito de você. Sei que tem vivido uns tempos difíceis e por isso eu achei que seria boa ideia vir visitar e conhecer você. – ela falou parando de fazer as panquecas e me olhou – Eu gosto muito de você, me parece ser uma garota as direitas e minha pergunta foi legitima.

- Pattie, eu também estou gostando de você. – comecei a falar – Mas filhos é uma coisa muito séria, são para a vida… e durante anos eu vivi para meu padrasto e meu irmão e agora eu quero aproveitar um pouquinho dessa vida que estou tendo agora.

- Eu não estou falando para você ter filhos agora, eu só quero que… que perceba que eu sempre vou estar aqui do seu lado, do lado do meu filho.

Assenti, ela pareceu perceber meu pequeno desconforto com a conversa e me surpreendeu com um abraço. Era bom sentir um abraço de uma mãe e a Pattie estava me transmitindo isso.

Nossa.

Como isso é possível?

Eu acabei de conhecer ela.

Terminamos de fazer café da manhã e ficamos conversando, Pattie me contava algumas coisas sobre Justin que eu nunca pensei em ouvir, estava rindo igual a uma louca.

- Do que estão rindo? – ele entrou na cozinha todo arrumado e perfumado.

- Sua mãe estava me contando como você era bom cozinheiro quando era pequeno. – falei rindo.

- Não conta essas coisas para ela. – Justin reclamou para sua mãe.

- Você devia ser a coisa mais fofa desse mundo. – falei zoando com ele.

- E agora não sou? – fez biquinho se sentando do meu lado.

- Não. – o olhei nos olhos, ele selou nossos lábios – Justin…

- Que foi? – preguntou depois de eu reclamar.

- Sua mãe está aqui. – falei baixinho.

- Eu não me importo, aproveitem. – ela sorriu – Bem, eu vinha dizer bom dia e convidar vocês para almoçar mas vamos deixar para o jantar e eu aproveito para ir ver umas amigas. – ela falou se levantando – Nos vemos ao jantar?

- Claro que sim, será uma honra. – falei a olhando.

- Então até logo. – falou.

Dei um beijo na testa de Justin e depois na minha, nossa ela agiu como uma mãe… soltei um suspiro sorrindo, isso foi ótimo para mim. Me virei para Justin e ele estava comendo os ovos com as panquecas e bebendo café.

- Você poderia descer, pai quer falar algo. – Nolan falou na porta do meu quarto.

- Só me vou calçar, desço já. – falei pegando meus ténis.

Ele saiu, me calcei e atei os cordões segui para fora do quarto descendo as escadas enquanto prendia meu cabelo em um rabo de cavalo. Me sentei no sofá da sala do lado de Nolan assim que me aproximei e vi que meu pai e a mulher estavam me esperando.

- Como vocês sabem, eu tive uma promoção no trabalho e… - ele olhou a mulher, que assentiu – Recebi uma proposta para ir trabalhar na Austrália.

Tanto eu como Nolan ficamos em silencio, talvez por ambos não querermos saber ou pelo simples facto de não nos importamos.

- Vosso pai aceitou e eu vou com ele. – Emily falou – Vocês vão ficar aqui ou ir com a gente?

- Vou ficar aqui. – Nolan falou rápido – E aproveito e anuncio já que eu pedi a Isa em casamento.

Gritei de animação e o abracei falando varias vezes que não acreditava, ele riu fazendo uma mini festa comigo que logo foi interrompida.

- E você Madison? – meu pai falou sério.

- A última coisa que eu quero nesse momento é mudar de casa novamente e além disse eu já tenho 18 anos. – falei os olhando.

- Na verdade, você… - ele começou falando mas foi interrompido pela mulher.

- Parabéns atrasados, querida. – ela falou – Nós trouxemos uma prenda para você.

Ela falou indo pegar algo em sua bolsa, me esticou uma pequena sacola que logo abri e revelou um colar de ouro com um pendente em forma de lua, era bem bonito.

- Obrigada. – falei os olhando.

- Então vocês vão ficar. – meu pai falou – Eu quero juízo, nada de festa nem encrenca. – ri internamente.

Ele continuou falando um monte de besteira como se fosse criancinhas de 5 anos que iriam passar a noite a casa do amiguinho que fazia anos, nossa. Depois de um bom par de minutos o ouvindo falar ele falou que se mudariam em menos de uma semana, algo bom pois iria ficar com a casa só para mim. Quer dizer com o Nolan e a Isadora.

Voltei a subir para meu quarto e voltei a não fazer nada, depois de muito tempo, ou seja a tarde toda sem fazer nada. Por volta da hora de jantar peguei carro e segui até a casa de Justin onde jantei com ele e coma a mãe, no final ficamos conversando e depois voltei para casa.

 

4 semanas depois…

- Justin vai ficar de noite se você não se despachar. – reclamei seguindo caminho.

- Sabe o que eu estava pensando?

Olhei Justin com aquela cara de quem vai ouvir porcaria sair daquela linda boca. Nós estamos no meio do bosque já que eu convenci Justin a ir dar um passeio pelo mesmo, era suposto ser uma atividade legal, fora do normal mas ele não estava convencido e então ficou calado durante todo o tempo.

- O quê? – perguntei parando de andar e olhei para trás.

- Que você podia ir viver comigo. – ele falou, cruzei o cenho – Você dorme mais vezes lá em casa do que na sua própria casa, a gente come juntos… - sorri malicioso – a gente faz tudo juntos, porque não morar juntos?

- Nós não fazemos tudo juntos. – reclamei – E eu não posso deixar o Nolan sozinho em casa. – voltei a andar.

- Ele sempre fica com a Isa, não fica sozinho. – ele reclamou andando atrás de mim – Se você não quer fala logo, não fica enrolando.

- Não é isso, eu não falei que não queria. – me virei para ele parando de andar novamente.

- Então é o quê? – segurou em minha cintura.

- Morar junto é um passo muito importante no nosso relacionamento e não sei se estou pronta para esse passo. – falei tirando suas mãos da minha cintura.

- Você está com medo de morar comigo? – perguntou sorrindo de lado.

- Justin, eu to falando sério. – fiz uma cara séria – Eu amo você só não acho que talvez não seja o momento certo, sei lá…

- E se você pensar e me der uma resposta depois? – me puxou para ele colando nossos corpos – Hein?

- Tudo bem, eu vou pensar. – sorriu e colou nossos lábios.

- Sabe o que era legal?

- O quê? – perguntei passando meus braços em volta de seu corpo.

- Era a gente transar aqui no meio do nada. – ele sussurrou no meu ouvido.

- Seria muito legal… - sussurrei também – Pena que a gente não vai fazer.

Dei um tapinha em sua bunda e voltei a caminhar, ouvi ele bufar e vir atrás de mim. Caminhamos durante alguns minutos e depois paramos perto de uma cachoeira, me sentei numa pedra depois de alonguei minhas pernas. Justin para me provocar parou na minha frente e tirou a camiseta e depois seus ténis e logo a bermuda, ficando de cueca na minha frente.

- Vamos mergulhar? – perguntou com as mãos no elástico da cueca.

- Eu não quero, mas vai enfrente. – falei sorrindo para ele.

- Você hoje está uma sem graça. – ele reclamou e tirou a cueca e se virou para dentro de água.

Fiquei o observando mas meus pensamentos voavam naquilo que ele me falou, e se eu fosse morar com ele? Seria um passo maior do que a perna como se costuma dizer?

Eu preciso mesmo pensar acerca disso…

Alguns dias se passaram e devo confessar que eu estou vivendo com o cara mais idiota do mundo: JUSTIN DREW BIEBER. Sério ele me tira do sério, gente. Eu ainda não percebi porque eu estou vivendo com ele…

- Babe. – Justin entrou no quarto, ergui o olhar para o ver – Você acha que eu devia tomar aqueles negócios para ficar todo musculado? – bufei para não lhe saltar para cima.

- Você não tinha de ir ter com o Ryan a cerca de uma carga… - falei, ele pareceu lembrar-se.

- O que seria de mim sem você? – me deu um selinho e foi para o closet.

Ele todo o santo dia tem uma pergunta idiota para me fazer, se eu aguento? É claro mas sempre ele tem algo para fazer que não lembra e aí eu o lembro e ele vai sem nem se lembrar mais do que era antes.

- Não espere por mim para jantar. – falou, assenti – Eu amo você.

- Eu amo você. – falei, ele selou nossos lábios e logo saiu do quarto e pouco tempo depois eu ouvi a porta bater.

Fechei os olhos e me ajeitei na cama, tenho algumas coisas para resolver e não sei bem como eu vou fazer. Me deixei ficar deitada na cama e fechei os olhos tentando relaxar mas logo meu momento foi interrompido por um celular tocando. O peguei e vi o nome de Caitlin piscando na tela.

- Alô? – atendi.

- Oi… - a voz dela saiu estranha – Será que você podia passar aqui em casa?

- Agora? – ela murmurou um “sim” – Aconteceu alguma coisa?

- Mais ou menos, só vem.

- Tudo bem. – olhei o relógio – Estou aí dentro de 10 minutos.

- Ok, estou a sua espera. – ela falou, assenti e desligamos.

Esta ligação foi estranha para não falar no tom de voz dela, o que será que ela aprontou?
Me levantei e fui até ao closet peguei umas calças pretas com uns detalhes de lado, peguei uma blusa de alças finas preta e peguei um casaco de pele. Passei uma make simples em meu rosto e o perfume, calcei umas botas de salto e peguei minha bolsa, sai do quarto segurando as chaves do carro na mão junto com as de casa.

Entrei no carro e dei a partida depois de trancar a casa e segui dirigindo em direção a casa de Callie, não percebi o motivo mas pela voz acho que não é coisa boa. Parei o carro depois de correr entre os outros, sai do mesmo o trancando e segui até a porta que foi aberta antes mesmo de bater.

- Finalmente. – ela falou.

- O que aconteceu? – perguntei a vendo preocupada.

- Vamos no meu quarto. – ela me puxou.

- Chaz está em casa? – perguntei enquanto ela me arrastava escadas a cima.

- Não, ele saiu com os garotos. – ela respondeu entrado no quarto.

- Oi. – falei vendo Ju deitada na cama dela.

- Você também veio. – ela falou me olhando – A merda foi grande. – murmurou mais para ela do que para mim.

Olhamos as duas para Callie esperando que ela falasse o real motivo, ela ficou em pé e batia freneticamente o pé no chão.

- Vamos, o que você fez? – Ju perguntou se sentando na cama.

- Eu não fiz sozinha. – ela falou, me sentei do lado de Ju – Minha menstruação está atrasada… e bem, acho que tô gravida.

Acho que Ju estava como eu, de olhos arregalados e de boca aberta. Nossa…

- Você tem a certeza? – perguntei.

- Não, mas…

- Fez testes? – Ju perguntou, ela negou – Tem algum aí?

- Eu comprei três hoje de manhã.  –ela falou os tirando de dentro de uma gaveta – Eu estou com medo…

- Medo você vai ter depois, vai logo fazer essa porra. – Ju falou autoritária, neguei olhando para ela – O quê? Estou menstruada e com cólica.

- Quem me dera estar assim… - Callie murmurou.

- Só vai fazer. – falei a olhando.

- Vem comigo. – ela falou piedosa.

- Eu não estou gravida. – falei séria.

- Por favor…

- Tudo bem.

Peguei dois testes um para ela e outro para mim, segui até ao banheiro dela e ela foi até ao banheiro do corredor, fiz e voltei ao quarto, ela entrou logo segurando o dela enquanto eu segurava o meu.

- Maddie você coloca o seu aí e Callie o seu ali. – Ju falou apontando para as mesinhas do lado da cama, direito o meu e esquerdo o de Callie.

- Agora, vamos esperar e rezar para que dê negativo. – falei para Callie que assentiu.

Ju ficou em silêncio enquanto olhava os papeis sobre as instruções e outras coisas, eu me deitei do seu lado direito e fechei os olhos esperando, Callie fez a mesma coisa.

Comecei pensando em meu ciclo menstrual e cara a ultima menstruação já foi a algum tempo, qual foi o dia mesmo? hum…

- Já deu. – Callie pegou o dela e eu o meu – Callie. – Ju pegou o dela e olhou – Negativo.

Suspiramos todas juntas e acho que isso foi de alivio, Callie abriu a boca para falar merda.

- Eu até já estava imaginando uma menininha igual a mim. – eu e Ju a olhamos como se ela fosse um extraterrestre.

- Vira essa boca para lá.

- Falta o seu. – Ju falou.

- Claro que deu negativo. – falei me levantando da cama, as olhei – Quê?

- Maddie… - Ju falou quase em sussurro – Positivo.

- O QUÊ? – gritei pegando aquela porcaria de sua mão.

Não podia ser, não, não, mil vezes não. Estava positivo, tinha dois tracinhos. As olhei assustada, elas estavam da mesma maneira.

- Isso só pode estar errado. – falei começando a andar de um lado para o outro – Vou fazer esse também.

Peguei o outro e entrei no banheiro, podia sentir as lágrimas descerem pelo meu rosto enquanto fazia o maldito teste e rezava para que desse negativo. Acho que nunca rezei tanto na minha vida. Sai do banheiro e deixei o teste em cima do móvel, me sentei na ponta da cama e elas me abraçaram o que fez meu choro aumentar.

- Tudo se vai resolver… - Ju deu um beijo em minha testa – Quantos testes destes dão positivo e é falso? Muitos.

- É. – Callie falou me apertando contra ela – Espera… Não.

- Vamos esperar e nada melhor do que ir no médico, hein? – Ju falou.

Ela estava certa, não havia nada melhor do que nesta situação do que ir no médico e ver se estava ou não. E eu espero que não! Por favor, agora não! É tudo o que eu peço.

Não!

Levei as mãos ao rosto e chorando cada vez mais, eu não conseguia me distrair com nada, Meus Deus do céu. Eu fui na casa da minha amiga porque ela achava que está gravida e agora sou eu acho que estou gravida…

- Vamos ver. – Ju o pegou, a olhei com medo – Eu sinto muito…

- NÂO. – gritei vendo o teste dando positivo de novo.

- Meu Deus. – Callie falou.

- Calma, vamos marcar uma consulta. – Ju tentou manter a calma – Vamos ligar para seu médico e marcar uma consulta.

Eu não conseguia pensar nem me mexer, estava em completo choque. Me deitei na cama de Callie me abracei uma das suas almoçadas chorando, chorando muito.

Ouvi elas me pedirem o celular e apontei para minha bolsa e elas o pegaram pois poucos segundos depois ouvi elas falarem com alguém. Meu corpo estava tremendo enquanto chorava e soluçava alto eu não quero, não agora.

- Marcamos uma consulta para você na quarta, ok? – Callie falou baixo, assenti – Se você quiser ficar aqui…

- Eu estou a viver com o Justin…

- Porra. – Ju falou mais alto do que ela queria – Você devia falar para ele.

- Nós nunca falamos sobre isso. – passei as mãos no rosto limpando as lágrimas – Ele quer ter filhos?

- Eu não sei… - responderam ao mesmo tempo.

- Eu não quero! – falei desesperada – Não, agora.

- Você seria capaz…

- Nem termina essa frase, Ju. – a olhei quase incrédula – Eu jamais faria um filho pagar por um erro meu.

- Vosso, né? Justin também tem culpa. – Callie falou.

Fiquei em silencio, elas voltaram a me abraçar ficamos assim durante longos minutos, acho que minha vida tinha acabado. Todos os meus sonhos, faculdade era para esquecer…

Posso dizer que algumas horas chorando e tentando rir das coisas que Ju e Callie falavam para me animarem ouvisse a porta de casa dela bater e logo a voz de Chaz a chamá-la.

- Callie? – Chaz abriu a porta do quarto – Vocês estão aqui?

- Não você está tendo alucinações. – Ju falou indo se pendurar no pescoço de seu namorado.

- O que você quer?

- Nada era só para avisar que já cheguei. – ele falou, me olhou dei o meu melhor sorriso – Está tudo bem, Maddie?

- Sim. – cocei a garganta antes de responder – Acho que também tenho de ir, Justin já deve ter chegado.

Me levantei e peguei minha bolsa, dei um abraço apertado em Callie que me sussurrou “qualquer coisa me liga”, assenti, Ju me abraçou e murmurou o mesmo, dei um leve abraço a Chaz também e segui andando para fora.

Segui andando, sai da casa deles e entrei em meu carro me olhei no espelho e eu estava horrível, passei as mãos no rosto tentando disfarçar minha cara. Dei a partida no carro e fui dirigindo devagar em direção a casa de Justin, fui devagar pois a ultima coisa que eu queria era ter um acidente mesmo antes de… Ah, merda. Lá estava eu chorando de novo, eu poderia matar meu filho mesmo antes de saber se era verdade ou não.

Parei o carro na garagem, sai do mesmo dando uma passada em meu rosto e segui entrando em casa. Estava tudo em silêncio e as luzes apagadas, segui até ao quarto tentando melhorar minha cara. Entrei no mesmo vendo a luz do abajur ligada e Justin deitado na cama, deixei minha bolsa em cima da poltrona e fui até ao banheiro.

Tirei minha roupa e tomei uma banho rápido, escovei meus dentes e fui até ao closet, peguei uma calcinha e um pijama e me troquei, deitei do lado de Justin.

- Onde você estava? – ele perguntou abrindo os olhos.

- Em casa da Callie. – falei me virando de costas para ele.

- Aconteceu alguma coisa? – perguntou passando seu braço em volta de meu corpo.

- Não. – fechei os olhos – Boa noite, Justin.

- Boa noite, babe. – senti um beijo em meu ombro.

Fiquei em silencio e quieta parecia uma estatua, esperei o sono chegar e depois de muitos, longos minutos  acabei adormecendo.

 

Acordei me sentindo mal, eu estava enjoada ao me virar para o outro lado uma vontade de vomitar tomou conta de mim e me levantei correndo e entrei no banheiro logo vomitando. Escovei meus dentes depois que parei de vomitar, lavei meu rosto também e segui até ao quarto. Segui até ao espelho e puxei a camiseta do pijama para cima e passei a mão na minha barriga. Ela estava normal, eu acho, me coloquei de lado e nossa ela estava talvez um pouco inchada. Voltei ficando de frente para o espelho e passei a mão na região.

- Será mesmo? – sorri fraco acariciando minha barriga.

- Falando sozinha? – Justin entrou no quarto me assustando.

- Sim. – falei concertando minha camiseta como se não fosse nada – O que vai fazer hoje?

- Tenho de resolver algumas coisas no casarão mas antes vou fazer umas cobranças. – assenti – E você?

- Ah…hum… não sei. – falei depois de me passarem algumas coisas pela mente – Talvez… Eu não sei. – me sentei na cama.

- Você está estranha, aconteceu alguma coisa? – ele perguntou vindo até mim.

- Está tudo bem. – mal – Só estou um pouco mal disposta.

- Devo me preocupar?

- Não. – sim.

- Bem, preciso de ir. – ele terminou de colocar seu relógio no pulso – Amo você.

- Também amo você. – falei, ele selou nossos lábios num curto selinho já que eu não cedi passagem – Vai voltar tarde?

- Não. – beijou minha testa e saiu.

Me voltei a deitar na cama e esperar que esse mal estar passasse.


Notas Finais


Muitas coisas acontecendo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...