História Change me. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow
Personagens Amanda Waller, Donna Smoak, Felicity Smoak, Helena Bertinelli, John Diggle, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Roy Harper (Arsenal), Thea Queen
Tags Olicity, Reino, Universo Alternativo
Visualizações 123
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIN! Eu queria deixar vocês esperando por mais um pouquinho, MAS EU NÃO RESISTI!
E lhes digo uma coisa, VOCÊS VÃO AMAR ESSE CAPÍTULO! Coloquem Photograph, de Ed Sheeran pra tocar, e tenham uma boa leitura!

Capítulo 10 - Como um diamante rosa.


*DIAS DEPOIS*

(POV Felicity.)

Já fazem dias desde que soube que havia sido a escolhida do príncipe.

Naquele dia, ao descer as escadas confesso que achei que era algum tipo de alucinação ou coisa parecida, quando vi sentados na pequena sala de minha casa o próprio príncipe Oliver ‘vulgo meu quase marido’ e a princesa Teha.

Esta última, devo dizer que não agiu nada discretamente ao me ver, vindo logo até mim e me cumprimentando com um abraço.

Já Oliver, este apenas resignou-se a me olhar e a acenar com a cabeça.

Se bem que, me olhar era a coisa que ele mais fazia.

Porém, espanto maior foi quando, de súbito Oliver comunicou sua decisão. Eu havia sido a escolhida. Eu agora era a “noiva do príncipe.” Eu agora era sua “rainha,” como ele mesmo disse assim que colocou o enorme anel de diamante em minha mão. O brilho da jóia era tanto, que reluzia na claridade que entrava pela janela.

   Para ser franca, meus sentimentos eram conflitantes quanto a ter sido a escolhida. Uma parte de mim estava radiante, pois agora poderia dar um jeito de proporcionar uma vida melhor para minha mãe, e principalmente de manter Dark longe dela. Outra parte, porém estava temerosa.

Não sabia o que viria dali para frente, toda minha... rebeldia havia sido em vão afinal de contas.

Eu tive medo, medo de me transformar. Medo de me corromper pelos prazeres que esta nova vida iria me oferecer. Tinha medo de ter detestado tanto a realeza, para no final acabar me tornando igual a ela.

   --Então, você está aí. – Ouço uma voz atrás de mim, ao mesmo tempo que sinto uma mão em meu ombro.

Viro-me repentinamente com o susto. Oliver está a olhar-me com expressão divertida no rosto.

--Está rindo de que? – Pergunto ao vê-lo abrir um sorriso.

--Não esperava essa reação tão assustada de sua parte, Felicity. Não se preocupe, eu não mordo. Isto é, a não ser que me peça... – Disse, e em seguida sorriu-me de maneira um tanto maliciosa.

Admito, nessa hora não pude impedir o rubor de tomar conta de meu rosto. Pensar em tais coisas era tão... Complicado e até mesmo assustador.

--Er... Não será bem visto se alguém o escutar falando dessa maneira. Somos apenas noivos, não se esqueça disso. – Falei ríspida, e o sorriso que havia em seu rosto aumentou.

--Hora, Felicity. Só estamos nós aqui, ninguém irá ficar sabendo. Ao menos que queira contar... – Disse se aproximando.

--Claro que não. Como já disse, expor tais palavras não é apropriado – Falo sem tirar minha expressão séria.

De repente, o sorriso que havia em seu rosto some.

--Por que me trata assim? – Pergunta ele, e balanço a cabeça sem compreender.

--Como? – Pergunto.

--Como se eu não existisse. Primeiro, me tratava com paus e pedras sempre que podia. Agora, trata-me com total indiferença. O que tem contra mim, Felicity? – Pergunta ele. Seu olhar é de quem exige alguma explicação.

--Eu... – Estou sem palavras. Não esperava que tal pergunta me fosse feita, e agora estou a pensar seriamente no assunto.

Ele nada tinha me feito para que eu o dedicasse tanto desprezo.

--Tudo bem. – Oliver interrompe meus pensamentos e me olha carinhoso. - --Entendo que deva estar sentindo-se assustada por estar em um lugar estranho com pessoas estranhas. – Diz e em seguida sorri sem graça. - --Falando em lugar... – Diz e se aproxima. - --Vim chamá-la para um passeio. Quero mostrar-lhe um lugar que é muito especial para mim, e já digo que vou ficar ofendido se não for comigo. – Fala ele, olhando-me com súplica.

--Está bem. Vou acompanhá-lo – Respondo e um novo sorriso se abre em seu rosto.

*

(POV Oliver.)

Felicity senta-se ao meu lado no tecido branco que usamos como toalha. O dia está perfeito, não há qualquer nuvem que possa nos atrapalhar. O céu azul e o som da cachoeira me acalma e me inspiram.

--Felicity, desde o início eu queria ter lhe mostrado esse lugar, significa muito para mim. – Falo e a vejo sorrir. Um sorriso tímido, porém lindo.

Se bem que, tudo nela é lindo. Ela é linda.

--Aqui é lindo. Lembra muito um lugar de minha tenra infância – Diz e eu sorrio.

--Então, temos muito mais coisas em comum. Eu e Teha costumávamos vir aqui com nossa avó. – Falo, e saboreio as lembranças que invadem minha mente.

--Ela nos contava histórias, aqui tínhamos a liberdade para fazer o que nossos pais não nos permitiam fazer no palácio. – Falo, porém minha voz sai vaga em meio às lembranças.

--Como assim liberdade? – Pergunta ela, e um sorriso toma conta de meus lábios.

--Príncipes e princesas, ao contrário do que muitos pensam não têm a liberdade de fazer o que querem. Têm de respeitar uma porção de regras chatas e modos de etiqueta exagerados. – Falo e Felicity dá uma leve risada.

--Confesso também ser uma das pessoas que pensavam de tal maneira. – Diz.

   --Felicity. – A chamo. De repente senti necessidade de dizer-lhe o que sinto.

A observo por alguns instantes. Ela está atenta às minhas palavras.

--Você... Nunca conheci ninguém como você. – Falo e me aproximo mais. - --Você é forte, vejo essa força em seus olhos. Você definitivamente não é como as outras Felicity. Sinto-me um tanto sem graça de admitir, e desde agora lhe peço desculpas.

--Pelo que? – Pergunta ela e suspiro. Tenho um certo receio de como vai ser sua reação.

--Por achar que poderia... Que poderia conquistá-la como as outras. – Falo baixando a cabeça. - --Mas a verdade Felicity, é que você é como um diamante. Preciosa e rara. Você me faz querer ser alguém melhor. – Falo, e a vejo abrir levemente a boca de espanto.

   Retiro um pequeno embrulho que estava a esconder em um bolso, e o entrego para ela. - - --Para você. – Falo e ela o abre hesitante.

Ao acabar de abrir o embrulho, seus olhos se arregalam ao ver de que se trata.

--Isso é um... – Sua fala se interrompe devido à surpresa. Dou um leve sorriso ao constatar seu espanto.

--Um diamante rosa. Vulgo como eu vejo você... – Falo e me aproximo mais.

   A abraço calmamente. Nossos corpos se aproximam cada vez mais, tal como nossos rostos. Ambos estamos cientes do estado que o outro se encontra. Sua respiração está acelerada, enquanto meu coração bate forte.

--Por favor, não me negue isso. Não se negue a isso... – Sussurro em seu ouvido.

--Não. – Diz também em um sussurro. E de repente, nossos lábios finalmente se encontram. Um beijo calmo, que depois se intensifica. Sinto o gosto de seus lábios junto aos meus, enquanto nossos olhos se fixam um no outro. Ah, como eu queria que esse momento durasse para sempre. Porém, infelizmente temos de nos separar pela falta de ar.

   --Não sei o que dizer. – Fala ela ainda um tanto ofegante.

--Está a falar do beijo ou do colar de diamante? – Pergunto divertido.

--Dos dois. – Responde ela, enquanto gira a pedra nas mãos.

--O coloque. – Peço calmo e ela consente, e vejo a pedra cair-lhe sobre o peito. - --Ficou perfeito em você. – Falo maravilhado com aquela visão.

--Você é linda, já lhe disse isso? – Pergunto a deixando corada.

--Pois então. É linda. – Falo e acho graça em ver sua face vermelha novamente.

--Obrigada. Pelo presente e pelo elogio – Diz ela, enquanto acaricio seus cabelos..

--Vai se cansar de me agradecer, pois têm muito mais de onde este veio. – Ffalo apontando para o colar.

   Em um impulso, ergo a manga do vestido que a mesma usa. Felicity se assusta, recuando.

Logo entendo o motivo, e meu rosto ganha um tom sério.

--O que é isso? – Pergunto e ela me olha.

--Não é nada. – Fala baixando novamente a manga do vestido.

--Felicity, aquilo é um hematoma. Você... Tem mania de... – Felicity me interrompe bruscamente, só então me dou conta da pergunta idiota que fiz. --Claro que não! Já disse que não foi nada. Por que estragarmos esse momento com essas besteiras? – Pergunta ela. Posso notar sua ansiedade em sair logo daquele assunto.

--Irei lhe contar, mas não agora. – Fala ela.

--Está bem. Mas eu quero que saiba, que pode contar comigo caso queira desabafar. Sou seu noivo agora, quase seu marido. Não quero que tenhamos de manter segredos um com o outro. – Falo e ela suspira.

--Está bem. Obrigada por... Tudo. – Diz ela, e em seguida voltamos a nos abraçar.


Notas Finais


Pra quem tava doido por Olicity, aqui está!

E o próximo sai logo logo, garanto.
COMENTEMMM! <3 ♥ :)
BEJOCAS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...