História Change Me - Capítulo 89


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Drama, Romance, Suspense
Visualizações 10
Palavras 1.644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oieeee gente..desculpem pelo sumiço, mas eu tive com muita dificuldade em postar, estava super ocupada com trabalho. Mas agora estou de volta,espero que me perdoem...agora vamos à história...terá muita ação e provocação hahhah ;)

Capítulo 89 - Bianca vs Storm


POV Bianca on

- Oie, boa noite! – eu disse entrando na casa da Letícia e vi o Valter sentado com cara de felicidade do lado dela sorrindo.

Os dois pareciam tão felizes, assim como o Steve e a Catarina. Parecia que os casais apesar de todos obstáculos estavam encontrando a sua paz.

- Oie, Bianca! Quer sentar com a gente!? – o James disse e eu neguei.

Parecia que a paz de alguma maneira estava voltando aquela casa. Isso era importante. Apesar de os advogados daquela casa serem ferozes, quando se tratava das meninas e da família ficam sensibilizados.

- Eu vim apenas me certificar que estão seguros e que a vossa segurança está bem planejada. – eu disse.

- Ninguém vai me apresentar!? – o Storm, o tio das garotas disse.

Esse era pouco confiável, eu tinha a ficha completa do sujeito. Eu o olhei de cima abaixo. Era bem bonito, moreno e deixaria a cabeça de muita mulher louca. Olhos vedes super desafiadores e intensos.

- Eu o conheço. Doutor Storm Cavalcante, não é mesmo!? Um grande tubarão da advocacia criminalista e crime financeiro. – eu disse tirando o meu óculos de sol.

- Bonita, a vossa amiga. Inteligente e bem informada. Gostei! – ele disse com aquele sorrisinho assassino. – O seu nome!? Parece que eu não a conheço ainda!? – ele disse charmoso.

Eu estendi a minha mão e apertei a dele. Esse ai já andou com quase toda a cidade. Nunca se satisfazia, pulava de mulher em mulher.

- Bianca Lacerda! Advogada e Policial de investigação! Tenente Bianca. – eu disse e ele sorriu.

- Claro, Bianca Lacerda! Já escutei muito de você. Tem uma carreira brilhante na policia. Surpreendente para uma mulher. – ele disse.

Eu ri divertida. Que frase machista! “Surpreendente para uma mulher!?” Em que século esse cara estava vivendo!? No tempo dos meus avôs!? Só pode!

- Isso vai ser divertido. – o Valter disse engolindo o riso.

A Letícia o olhou sorrindo.

- Para uma mulher!? – eu perguntei. – Gostaria de escutar a sua teoria. – eu disse e me sentei no sofá.

- Quero dizer que uma mulher num ambiente tão intenso e hostil como a policia. Pode se sentir um pouco mais fragilizada. – ele disse sorrindo seguro de si mesmo.

- Fragilizada!? – eu perguntei sorrindo.

- Sim, a função do homem é trabalhar nessas profissões mais arriscadas. – ele disse sorrindo.

Eu juro que eu não escutei isso. Eu não estou nem acreditando. Só faltou girar os olhos.

- Eu não escutei isso. – eu disse rindo alto. – Seu tio é divertido, Letícia. – eu disse e a Letícia segurava o riso.

- Achou!? Espero que seja um elogio. – ele disse sorrindo.

- Claro, Doutor Storm. É sim, um elogio. O senhor com certeza não acha que as mulheres podem ser até mais perigosas que os homens. Somos mais rasteiras, mais manipuladoras e mais inteligentes. Talvez até mais calculistas. Os grandes assassinos que prendi em toda a minha carreira foram mulheres. Não duvidaria tanto das capacidades das senhoras. Isso é o que faz vocês homens o sexo fraco nas nossas mãos. – eu disse e ele sorriu divertido.

- Entendo, tem um ponto comigo. Tenente Bianca. – ele disse. – Mas veio apenas checar a nossa segurança!? Quer ficar para jantar!? – ele perguntou me olhando dos pés à cabeça.

- Quer que dê uma voltinha!? Não para de me olhar. – eu disse e ele riu alto.

Eu girei sobe mim mesma.

- Eu sei que sou uma mulher interessante e bonita. Mas se gostou tanto assim posso arrumar uma foto para matar saudade. – eu disse e o James riu alto divertido.

- Desculpe, não sabia que estava incomodando com o meu olhar. – ele disse sorrindo provocador.

- Não me incomoda nem um pouco, mas eu tenho uma missão hoje de noite e não posso me atrasar. – eu disse.

- Trabalhando até tarde, num sábado!? – ele disse sorrindo.

- É, mulheres independentes e fortes trabalham atá tarde. Não precisamos de cavaleiros sentados nos seus cavalos brancos. – eu disse sorrindo e olhei os casais. – Bom, a minha missão por aqui está comprida. Desejo uma boa noite a todos vocês e amanhã volto. – eu disse. – Angel, amanhã vão para a fazenda, certo!? – eu perguntei e ela assentiu sorrindo.

- Ótimo, eu própria vou fazer a vossa segurança. – eu disse sorrindo.

- Não acha, mais apropriado uma equipe completa de homens!? – ele disse me interrompendo.

- Acha que não sou capaz para acompanhar a sua sobrinha!? Está duvidando das minhas capacidades, Doutor Storm!? – eu disse. -Se tranquilize que venho com uma equipe comigo. – eu disse sorrindo. - Cheia de homens comigo. Adoro equipas de homens, especialmente como se tentam comportar na frente de uma mulher.  As suas competições para quem é o mais macho? – eu disse sorrindo.

- Nem deve saber atirar direito. – ele disse e no segundo seguinte eu acertei um tiro certeiro numa foto dele.

- Continua achando mesmo!? Sou atiradora profissional. Snipper. Não duvidaria tão fácil das minhas capacidades de atiradora, Doutor. – eu disse o olhando nos olhos.

Ele ficou mudo. A Catarina parecia quase não se controlar para não rir.

- Esses homens dessa família. – ela disse e  Steve segurou o riso.

- O que quer!? Somos homens durões. – ele disse.

- Durões e cegos. – ela disse.

- É. – ele disse e ela deu um selinho nele.

- Gente, a minha missão está terminada por hoje aqui. – eu disse colocando a arma dentro das calças jeans.

- Espero que amanhã aceite o convite para jantar com a gente. – ele disse insistindo.

- Eu entendo o seu ponto de vista, Doutor Storm. É um homem determinado e que não desiste nunca. Escolheu o alvo errado, Doutor. – eu disse e ele a fuzilou com os olhos. -Eu não sou a sua próxima refeição e upsss falei a verdade. Já comeu mais de metade da cidade e eu não sou a sua próxima presa. Eu caço e não sou caçada. Escolheu o alvo errado. -eu disse.

E os garotos riram e tentaram engolir o riso.

- Nunca uma mulher se negou a um convite meu. – ele disse irritado.

Ora agora sim, estava o verdadeiro Storm.

- Sério!? Então sou a primeira. Nunca me vai esquecer, então. Isso me agrada. Adoro ser inesquecível. – eu disse sorrindo atrevida.

- É atrevida também!? Também é diplomada em atrevimento!? – ele disse sorrindo provocador.

- Mais que diplomada e com distinção. Mas isso o senhor nunca saberá. – eu disse sorrindo divertida.

- Veremos. – ele disse sério.

Letícia on

- Nossa, tio. Ela deixou você mudo. – eu disse e os outros riram.

- Essa menina não viu nada. – ele disse mal humorado.

- Tá mais para mulherão, tio. – o Raul disse e a Rita o olhou de lado.

- Se interessou, foi!? – ela disse e ele sorriu divertido.

- Não, eu estou interessado em outra mulher maravilhosa. – ele disse rindo divertido roubando um selinho dela.

- Você é muito assanhadinho. – a Rita disse e ele riu divertido.

- Apenas com você. – ele disse e ela o abraçou carinhosamente.

Ela o abraçou tão apertado, parecia preocupada com o meu irmão.

- Rita, o que foi!? -  ele também ficou desconfiado. – Aconteceu alguma coisa!? – ele perguntou a olhando.

- Nada, não foi nada, Raul. – ela disse desviando o olhar do dele.

- Sabe perfeitamente que isso não pega comigo. Vem comigo! – ele disse a puxando para o jardim.

 

Raul on

- Rita, o que foi!?  - eu disse. – Tá quieta, preocupada, não sei, está estranha. – eu disse.

- Eu tenho uma coisa para te contar. – ela disse preocupada.

- O que foi!? Ficou estranha desde que conheceu o meu tio. – eu disse preocupado.

- Ele…eu não confio nele e tem acontecido muita coisa estranha com você e a sua família. Ele apareceu assim de repente. – ela disse séria.

- Ele é tão legal. Não deveria falar dele assim. Ele é tão divertido e teve longe por muito tempo. Temos que tentar envolver ele na família. – eu disse.

- Só quero te proteger. – ela disse preocupada.

- Eu sou homem não preciso que a minha namorada me proteja. – eu disse. – Eu que tenho que te proteger. Você que não tem noção dos limites, Rita. – eu disse sério.

- Eu tenho noção dos limites. Você que acredita em todo o mundo. Se deixa envolver muito fácil. Eu tinha que falar uma coisa importante, mas acho melhor esperar. – ela disse séria.

- Não! Espera, Rita. Fala, vamos conversar. O que é tão sério!? – eu disse a olhando e segurando pelo pulso.

- Raul, eu acho que eu to…- eu ia falar, mas o tio dele apareceu nos interrompendo.

- Estou interrompendo, Raul!? – ele perguntou.  -Nossa, que silencio. Parece que a sua namorada não gostou muito da minha presença. – ele disse rindo.

- Não, não. Já estava de saída. Eu preciso ir. – ela disse e saíu irritada.

Eu conhecia a Rita e sabia que devia ser importante o que ela queria contar, ela parecia bem preocupada.

- Eu preciso te dar uns conselhos, meu sobrinho. Não pode parecer tão disponível com a Rita. Você é o homem da relação. Você manda! – ele disse rindo.

Os dois entramos dentro da mansão e vi as minhas irmãs me olhando.

- Cadê a Rita!? -  a Angel perguntou.

- Ela saiu e foi embora. – eu disse as olhando.

- Brigaram!? – a Letícia perguntou preocupada.

- Não, mas ela anda meio esquisita. – eu disse.

- E não perguntou o que aconteceu!? – a Lê disse me olhando.

- Ainda não. – eu disse.

- Que tipo de namorado é você, Raul!? Se ela parecia preocupada, deveria ter perguntado. – ela disse.

- Letícia…- eu disse.

- Liga para ela. Vai! Vamos. – ela disse. – Pode ser importante. – ela disse me dando o telefone.

Eu liguei e chamou mas nada de atender. Agora eu começava a me preocupar.

- Está fazendo isso, para te fazer sentir culpado. Não se preocupa. – o tio Storm disse.


Notas Finais


E aí, gente? Quem sentiu que vai pegar fogo? Hahaahaahahahbjs, 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...