História Changing Things - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Voltron: O Defensor Lendário
Personagens Lance
Tags Amizade, Amor, Bissexual, Escolhas, Gay, Keith, Klance, Lance, Lgbt, Revelaçoes, Voltron
Visualizações 23
Palavras 2.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Famí­lia, LGBT, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Capítulo 4


 

{POV Keith início}

 

 

Lance dirigia seu carro. Mas diferente de cantar as musicas que eu coloco ou conversar comigo, seu olhar estava perdido na rua a sua frente. Coloco minha mão esquerda em sua coxa direita. E ele a cobre com uma das mãos, enquanto a outra controla o volante. Seu toque é leve e caloroso. 

 

"Podemos passar no Pop's antes de irmos pra minha casa?" Ele me pergunta, como se fosse eu quem escolhesse. Tinha o dia inteiro livre, poderia fazer o que eu quisesse e bem entendesse. "É que estou com vontade de um milkshake para animar meu dia." 

 

"Claro." Permito com prazer. "Seria ótimo, já que é o melhor milkshake da existência." Comento com alegria. 

 

"Sim. E também um dos melhores lugares para se passar o tempo." Lance dizia com os olhos penetrados na rua. 

 

O latino sorria, mas em seus olhos estava estampado tristeza. Lance parecia sofrer som a decisão que tinha de tomar. Se ia ou não terminar com Allura. Se gostava ou não de mim. Se queria mudar sua vida ou deixá-la estável. Se. Ou. As duas piores palavras do mundo. 

 

Depois de um longo caminho silencioso, cheio de reflexões, com o toque de Lance aquecendo meus dedos, chegamos. Separamos nossas mãos e descemos do carro. Fomos até a entrada da lanchonete retro. Abri a porta de vidro e a segurei para que o moreno entrasse. 

 

"Primeiro os velhos." Disse para que ele andasse.

 

"O mais velho prioriza o mais novo, vá na frente." Tive como resposta. 

 

Não estava preparado para uma fala como aquela. Fiquei chocado com a complexidade existente em uma simples e frase. Então, sem palavras, entrei. Lance entrou logo atrás de mim. Sentamos à bancada. 

 

Pop logo veio em nossa direção e nos cumprimentou. "Olá meninos! Bem vindos de volta! A noite de sexta foi boa?"

 

"Foi ótima." Respondi. 

 

"Nos divertimos muito." Lance complementou.

 

"Que bom! Vai ser o de sempre?" Pop questionou.   

 

Eu e Lance assentimos. E Pop foi para a cozinha fazer os milkshakes.

 

Pop já era nosso amigo. Já reconhecia nossos gostos, e sabia o que pediríamos. O que não era difícil, pois era sempre o mesmo pedido. Sabia quando íamos lá antes de uma noite de sexta, ou depois de um treino. Era nosso ponto de encontro.

 

Alguns minutos de silêncio depois, Pop voltou trazendo um milkshake sabor morango para Lance, e um de baunilha para mim. 

 

"Obrigado Pop." Agradeci educadamente. 

 

Pop sorriu em resposta. 

 

Avancei sobre meu milkshake delicioso. O sabor era magnífico. Fazia meu cérebro congelar. Era a melhor coisa do universo. Bom, talvez depois dos beijos de Lance. Aquilo sim era a melhor das melhores coisas do universo. Mas para melhor bebida existente, vou manter esse milkshake incrível. 

 

Eu acabei de tomar primeiro. Eu devorei a bebida por inteiro, diferente do cubano, que a tomava lentamente, com seu olhar distante da realidade.

 

"Lance." Chamei. "Tá tudo bem com você?" Ele não respondeu. "Aconteceu alguma coisa e você não me contou?" Estava começando a me preocupar. 

 

Lance não era do tipo de pessoa que ficava calada. Nunca. Não por um motivo qualquer, pelo menos. Se estava de boca fechada, e sem um leve sorriso em seus lábios, era sinal de que havia algo de errado. 

 

"Te conto chegando em casa Keith." Ele respondeu, com os olhos ainda focados na parede. "Obrigado Pop. Estava uma delícia, como sempre." Esboçou um sorriso para o gentil homem parado a sua frente. 

 

Estendo uma nota de dinheiro para Pop sabendo ser um pouco mais que suficiente para pagar os dois pedidos. "Fique com o troco." Falei sorrindo para Pop. 

 

"Não precisa Keith..." ele recusava.

 

"Eu insisto." O cortei. Ele sorriu e me agradeceu. 

 

"Eu pago Keith." Lance dizia.

 

"Eu já paguei, Lance." Expliquei para o teimoso. 

 

"Ok." O latino revirou os olhos. "Mas só dessa vez." Me avisou, tentando fazer o esboço de um sorriso sair de sua boca. 

 

Fomos até o carro, entramos nele, fechamos as portas, e colocamos os cintos de segurança. Lance olhou para mim calado. Desfrutei de seu olhar profundo por alguns segundos. 

 

"Você não vai ligar o carro?" Indaguei confuso.

 

"Você pode colocar sua mão na minha perna enquanto eu dirijo, de novo?" Ele perguntou corando. "É que seu toque me conforta." Explicou, mais sem jeito ainda.

 

Respondi posicionando minha mão em sua coxa, novamente. Assim como fiz no caminho para cá. E com igualmente a antes, o moreno cobriu minha mão gelada com a sua, que estava quente. Logo, tal estava transmitindo calor por meio de seu toque. E pelo que Lance tinha dito, eu estava transmitindo conforto a ele. Só então Lance ligou o carro e começou a dirigi-lo. 

 

~~~~

 

O caminho para a casa de Lance era curto e rápido. Questão de 2 ou 3 minutos. Tempo suficiente apenas para uma música. Qual era A Drop In The Ocean do Ron Pope.  E, meu deus, mais uma música que eu amava e me descrevia muito. No caminho para o Pop's, tocou Weak, e aquela musica descreveu exatamente o momento em que eu estou passando com Lance. Não sei se ele, por outro lado, percebeu isso. E como não bastava apenas uma música com muito significado por trás, tinha que começar essa. Eu simplesmente ouvi a letra enquanto a relacionava com o caos que estava minha vida. 

 

A drop in the ocean (Uma gota no oceano)

A change in the weather (Uma mudança no clima)

I was praying (Eu estava rezando)

That you and me (Que eu e você) 

Might end up together (Pudéssemos acabar juntos)

It's like wishing for rain (É como desejar a chuva)

As I stand in the desert (Enquanto estou no deserto)

But I'm holding you (Mas eu estou segurando você)

Closer than most (Mais perto que nunca)

'Cause you are my heaven (Porque cove é meu paraíso)

 

Era apenas uma gota no oceano. Um nada. Podia mudar o clima. Mas o clima era apenas uma coisa temporária. Eu estava torcendo para poder ficar com Lance, mesmo sabendo ser quase impossível. Porque agora estava chegando perto.

 

I don't wanna (Eu não quero)

Waste the weekend (Desperdiçar o fim de semana)

If you don't love me (Se você não me ama)

Pretend (Finja)

A few more hours (Mais algumas horas)

Then it's time to go (Então vai Sr hora de ir)

As my train rolls down (Quando meu trem desce)

The East coast (A costa leste)

I wonder how (Eu me pergunto como)

You'll keep warm (Você vai se manter aquecido)

It's too late to cry (É tarde demais para chorar)

Too broken to move on (Quebrado demais para ir em frente)

 

Não gostaria de desperdiçar meu fim de semana. Mas se é para passar tempo com Lance, ele gostando de mim ou apenas fingir, não me incomodava. Me perguntava se Lance agora se mantida confortável com o contato de nossas mãos. É tarde para me arrepender de minhas ações já feitas. 

 

Still I can't let you be (Continuo sem poder te deixar ser) 

Most nights I hardly sleep (Na maioria das noites dificilmente durmo)

Don't take (Não pegue)

What you don't need from me (O que você não precisa de mim)

 

Queria que Lance não pegasse de mim meu amor. Porque precisaria do meu, se já tem o de Allura. 

 

It's just a drop in the ocean (É apenas uma gota no oceano)

A change in the weather (Uma mudança do clima)

I was praying (Eu estava rezando)

That you and me (Para que eu e você)

Might end up together (Pudéssemos acabar juntos) 

It's like wishing for rain (É como desejar por chuva)

As I stand in the desert (Enquanto estou no deserto)

But I'm holding you (Mas estou segurando você)

Closer than most (Mais perto que nunca)

'Cause you are my heaven (Porque você é meu paraíso)

 

Não queria, mas não conseguia evitar o sentimento, mesmo sendo apenas um nada para o resto do mundo. Porque para mim, era tudo.

 

Misplaced trust (Verdade fora de lugar)

And old friends (E velhos amigos)

Never counting regrets (Nunca contando arrependimentos)

By the grace of God (Pela graça de Deus)

I do not rest at all (Eu não descanso nem um pouco)

New England (Nova Inglaterra)

As the leaves change (Enquanto as folhas mudam)

The last excuse (A última desculpa)

That I'll claim (Que vou reivindicar)

I was a boy (Eu era um garoto)

Who loved a woman (Que amava uma mulher)

Like a little girl (Como uma menininha)

 

Mentiras sobre meus sentimentos. Amigos que não conheciam meus segredos. Eram arrependimentos demais para serem contados. Meus pensamentos sobre isso me cansam. Minha vida continua mudando. Eu não amava uma mulher, amava um amigo que estava namorando, muito pior. Parecia uma criancinha com minha paixãozinha. 

 

Still I can't let you be (Continuo sem poder te deixar)

Most nights I hardly sleep (Na maioria das noites eu dificilmente durmo)

Don't take what you (Não pegue o que você)

Don't need from me (Não precisa de mim)

 

 Mas não podia esquecer. Mesmo sendo algo insignificante para outras pessoas.

 

It's just a drop in the ocean (É apenas uma gota no oceano)

A change in the weather (Uma mudança no clima) 

I was praying (Eu estava rezando)

That you and me (Para que você e eu)

Might end up together (Pudéssemos acabar juntos)

It's like wishing for rain (É como desejar por chuva)

As I stand in the desert (Enquanto estou no deserto)

But I'm holding you (Mas estou segurando você)

Closer than most (Mais perto que nunca)

'Cause you are my (Porque você é meu)

 

Eu não podia fazer nada mais que desejar e rezar para que minhas chances com Lance existissem. 

 

Heaven doesn't seem (O paraíso não parece)

Far away anymore no, no (Longe agora não, não)

Heaven doesn't seem far away (O paraíso não parece longe)

Heaven doesn't seem (O paraíso não parece)

Far away anymore no, no (Longe agora não, não)

Heaven doesn't seem far away (O paraíso não parece longe)

 

Não pareço estar tão longe que alcançar, mas não estou perto.

 

It's just a drop in the ocean (É apenas uma gota no oceano)

A change in the weather (Uma mudança no clima)

I was praying (Eu estava rezando)

That you and me (Para que eu e você)

Might end up together (Pudéssemos acabar juntos)

It's like wishing for rain (É como desejar por chuva)

As I stand in the desert (Enquanto eu estou no deserto)

But I'm holding you (Mas eu estou segurando você)

Closer than most (Mais perto que nunca)

'Cause you are my heaven (Porque você é meu paraíso)

You are my heaven (Você é meu paraíso)

 

 A música finalmente chegou ao fim. Exatamente no mesmo segundo que chegamos a casa de Lance. 

 

Já tinha visitado a casa de Lance algumas vezes antes, mas nunca sem nossos amigos por companhia. 

 

"Mi casa és su casa. Fique a vontade." Lance me acomodava. Ele parecia agora bem mais solto, livre. Mais Lance. "Ah, e caso você queira saber, meus pais não estão em casa." Completou. Agora com um sorriso no rosto. 

 

O comportamento de Lance mudou rápido. Lance tinha razão, o milkshake do Pop o deixou feliz. O que até que foi bom. Ver Lance triste não era nada fácil. No fundo de minha alma eu sentia dor por ele estar naquele estado. Mas agora que ele estava feliz, mês senti automaticamente melhor. As emoções de Lance eram realmente contagiantes. 

 

O cubano largou suas mochilas no sofá e eu fiz o mesmo. "Venha vou te mostrar um lugar." Ele segurou minha mão. "Nunca levei ninguém a esse lugar. Você vai ser o primeiro privilegiado." Ele me puxou levemente, e deixei que meu corpo fosse na direção que era puxado. 

 

Fomos até o quarto de Lance. Eu não via grande coisa naquele local. Era um típico quarto de adolescente. Tinha alguns pôsteres na parede. Uma cama de solteiro. Uma escrivaninha, com alguns cadernos por cima. Tudo estava normal para mim. Não parecia especial.

 

Mas eu não tinha reparado em um tapete que cobria boa parte do piso. Lance, para minha surpresa, se abaixou e levantou uma parte do tapete. Em baixo dele. Havia uma pequena entrada, como se fosse um tipo de porta no chão. Lance a abriu. Ali eu vi uma escada de mão que levava para baixo. 

 

"Você vem?" O latino perguntou já descendo a escada. 

 

"Hm... claro." Disse meio confuso. Lance estava me levando para o porão?

 

Mais uma vez me surpreendi. O que havia lá em baixo não eram coisas que geralmente se encontram em um porão. Tinham várias almofadas azuis espalhadas pelo chão de madeira, que estava coberto por um cobertor grosso. Em um dos cantos do cômodo, um Xbox One estava instalado, ligado à uma minúscula TV. Mas não ocupava muito espaço. 

Aquele lugar tinha exatamente o mesmo tamanho que o quarto de Lance, mas era um pouco menos iluminado, e mais aconchegante. 

 

"E então?" Lance perguntou, depois de ver minha cara, que deveria estar parecendo muito nova. "O que achou?" 

 

"Lance, é incrível. Isso é tipo seu cantinho, eu sei lá. É tipo uma batcaverna só que sua?" Eu questionava, como um idiota, impressionado. 

 

"É, quase isso." Ele riu da minha relação. Mas a culpa não era minha se eu era um grande fã de Batman.

 

Eu ri da risada contagiante que ouvia. 

 

Lance se jogou nas almofadas, tirando seus sapatos e os jogando para fora do cobertor. Quando acabou de se confortar, deitado, me chamou. "Deita aqui. Vamos conversar." Disse, colocando uma de suas mãos a seu lado, mostrando o local onde eu iria me deitar. 

 

Obedeci ao pedido e me deitei a seu lado.

 

 

{POV Keith fim}



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...