História Chanyeol, o cachorro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Tags Cachorro
Visualizações 22
Palavras 661
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


sei lá, só quis escrever isso e postar :v

Capítulo 1 - Único


 

Minhas orelhas ergueram-se atentas quando um barulho de carro me chamou a atenção. Só podia ser o deles... Eu já era capaz de reconhecer aquele som ao longe! Logo os faróis faiscaram a penumbra da sala pela janela da frente num lampejo. Corri para a porta de entrada, passando por Suga deitado no sofá da sala.

Eles estavam chegando! Omma Kyungsoo e appa Jongin.

Eu mal podia controlar o safado do meu rabo, que sacudia descontrolado de alegria. Lati para Suga chamando-o:

"Você não vem recebê-los?!"

O gato me olhou com desdém e miou, preguiçoso.

"Foda-se... Não tem nem seis horas que eles saíram, idiota."

Eu não me importava. Fiquei com saudades mesmo assim. Suga já está aqui há muitos anos, eu cheguei há dez meses. Reconheci o som das chaves na porta antes da maçaneta girar abrindo-a. Lati contente:

"Oi gente! Onde vocês...?"

É claro que eles não me responderiam. Nunca respondem mesmo. Mas podiam pelo menos me cumprimentar, não é?! Um afago na cabeça já estava bom.

Eu me interrompi porque eles estavam ocupados demais. As bocas dos dois estavam coladas e eles, de olhos fechados e abraçados, arfavam e moviam seus rostos para os lados opostos em sincronia.

Urgh! Que nojo, pessoal...!

Eles tropeçaram agarrados e com as bocas ainda coladas na direção do quarto. Fui atrás determinado a ter um pouco de atenção de pelo menos um dos dois.

"O-oi! Olha eu aqui! O Chanyeol! Lembram?!" — lati em repetidas tentativas.

Jongin ergueu omma do chão, agora com a sua boca explorando-lhe o pescoço, e Kyung enlaçou sua cintura com as pernas; os braços do Kyungsoo envolveram seu pescoço e ele empurrou a porta do quarto. Eles entraram sem pressa e omma sussurrou como se estivesse fraco:

— Feche a porta. Não quero que ele entre e nos veja — adoro essa voz rouquinha dele...

Jongin, usando o pé, obedeceu, e voltando a grudar sua boca na do Kyung, fechou a porta no meu focinho. No meu focinho! Bufei.

"O que não posso ver? O quê?..." — gani revoltado.

Suga gargalhou miando no sofá, devolvi a provocação num rosnado baixo:

"Tá rindo de quê...Jella?!"

"Jella uma ova! Meu nome é Suga, idiota! SUGA!" — eriçou-se irritado.

Sabia que ele detestava ser chamado com esse nome de mulherzinha. Só tolerava a mamãe mesmo, e olhe lá! Eu não, eu amo meu nome, ele é bem diferente, amo ele!

Voltei 'pra sala. Só depois que eu lambi todas as minhas patinhas, cocei minha barriga e desisti de alcançar o safado do meu próprio rabo,  foi que a porta do quarto se abriu. Kyung saiu usando uma camiseta grande demais 'pra ele, que outro dia mesmo vi no Jongin; que por sua vez, usava somente uma boxer preta. Corri para ele, que agachou sorrindo e coçou minha barriga daquele jeito que me deixa todo derretido e estirado no chão.

Omma fingiu ignorar o Suga, ao jogar-se esparramado no sofá, e só por isso aquele imbecil saltou para o colo dele. Se omma o tivesse chamado, o pirracento o olharia com aquela cara de "dane-se"! Que otário... Por isso que Kyung implica com ele e o chama de Jella.

Appa parou o carinho e eu reclamei com um latido curto e baixo:

"Não para appa... Faz mais..."

Do colo do omma, Suga me ironizou:

"Você é tão idiota que nem sabe que eles não são nossos pais verdadeiros!"

Atirando essa em minha direção. Ele continuou miando e esfregando-se nos braços do omma:

"Eu ouvi Kyungsoo contando para Jongin que ele está grávido. Entende isso? Um bebê humano de verdade. E você sabe o que dizem... Aposto que quando o bebê nascer, você será o primeiro a rodar daqui."

Ele tagarelou maldoso, e eu já nem escutava mais; na sua primeira frase meus olhos pinicaram, meu rabo se escondeu desolado e minha boca se escancarou apavorada:

"O QUÊ?! Ele está falando sério? Como assim? Quer dizer que eu... SOU ADOTADO?!"
 


Notas Finais


nem eu entendi direito essa estória, masokay
e eu também sei que a fic ta ruim, masokay²
provavelmente tem erros de português, me desculpem por isso
tenho mais nada para falar aqui então.....Tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...