História Chaos Rider: DxD - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Ao no Exorcist, High School DxD, Motoqueiro Fantasma
Personagens Akeno Himejima, Albion, Asia Argento, Azazel, Ddraig, Fafinir, Genshirou Saji, Irina Shidou, Issei Hyoudou, Koneko Toujou, Mephisto Pheles, Michael, Ophis, Personagens Originais, Rias Gremory, Rin Okumura, Satan, Serafall Leviathan, Shiemi Moriyama, Sirzechs Lucifer, Sona Sitri, Vali Lucifer, Vritra, Xenovia Quarta, Yuuto Kiba
Tags Albion, Chaos, Ddraig, Dxd, Ghost Rider, High School, Luta, Magia, Marvel, Motoqueiro Fantasma, Zarathos
Visualizações 31
Palavras 1.224
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Crepúsculo azul - Parte 1


_"Pois... Você... Devia ter"- 

Ao terminar de falar, ele puxou sua corrente, e fez um corte profundo no corpo do caído, que gritava de dor

_"Seu maldito monstro! Eu vou te fazer pagar!"- Dizia o caído, enquanto preparava uma lança de luz em uma mão e uma espada de luz na outra. Lançando-a no motoqueiro, que não teve tempo de desviar, e acabou sendo arrastado pela mesma sumindo no bosque.

_"Humano tolo, sabia que não podia me derrotar! Agora, só me resta você." - falava arrogantemente, olhando para Issei com pena

No primeiro passo que deu em direção ao Hyoudou, teve uma de suas pernas presas por uma corrente. Que o puxou e logo jogou em uma árvore. 

_"Eu realmente senti dor com aquela coisa, agora estou bem irritado"- falava enquanto saia do bosque.

_"Você ainda está vivo?! Eu não deveria ter te subestimado, mas isso não irá acontecer de novo"- gemendo de dor ele olhava para o motoqueiro. O mesmo puxava sua corrente, formando uma espada. -"Pode vir, Corvo"-  ao terminar o caído o atacou com uma extrema velocidade, os ataques e cortes do mesmo acertavam o seu oponente, porém ele era mais resistente do que esperava. Tornando sua luta ainda mais difícil. O motoqueiro ao ver uma brecha, chutou com toda sua força o caído, logo após, usou sua corrente prendendo-a no braço dele, arrancando de forma brutal. Ele gritava de dor ao ter seu braço arrancado. -"Peço que me perdoe, gostaria que nosso baile durasse mais tempo, mas, eu não posso ficar aqui pra sempre"- Suas palavras irritaram o caído, porém ele não tinha o que fazer, estava perdendo muito sangue.

_"Não pense que isso acabou, eu ainda vou me vingar!"- dizia o caído tentando fugir, no entanto, seu plano foi frustrado por uma bala que recebeu do motoqueiro.

_"Quantas vezes vou ter que dizer que isso acaba aqui?"-  

Logo após isso, ele se aproximou até o caído, pegou sua cabeça com a mão, e virou seu rosto, olhando para seus olhos. -"Sabe, eu agora sinto uma coisa assim, que vem do fundo do meu ser. E eu estou resistindo mas eu... Eu... Eu não consigo, sabe o que é?"- ele perguntava ao caído, que já nem tinha mais forças para responder. -"Sabe, isso é chato, você devia responder a minha pergunta. Mas, vamos acabar logo com isso. Olhar da Penitência" - ao terminar, o caído começou a gritar, ele tentava fechar seus olhos, porém sentia como suas pálpebras queimavam, o motoqueiro, logo abriu sua boca, e da boca de sua vitima, saiu uma energia púrpura, o motoqueiro estava devorando a mesma. 

Ao terminar, o caído estava pálido, em seus olhos estavam pequenas rochas negras, entre suas fendas havia um brilho azul como se fosse magma. Logo após lançar o corpo do mesmo no chão, ele voltou a sua forma humana.

_"Isso é realmente ruim, esperava que durasse mais. Mas pelo menos, esse tal de Donazekí ou sei la como se fala, foi útil. Agora sei onde eu estou, e são belas memórias, e pensar que um anjo poderia cair do céu, com uma coisa tão idiota. Agora demónios que tem aparência humana e esse tal de Kokabiel. E eu pensando que teria uma vida normal"- dizia enquanto olhava para o nada. -"Tem o Hyoudou! Espera onde ele está?" -

_"A..aq..aqui"- dizia de forma assustada e timida  

_"Acho que já posso ir... Mas, tu vai querer uma carona? Não acho que a essas horas você consiga pegar o trem ou chegar em casa sozinho"-

_"Er... Sim, se não for um problema pra você"- 

_"Se eu te dei a proposta... É. Por que. Não. Tem. PROBLEMA SEU IMBECIL!"- 

Após o dialogo amigável, Rin chamou por sua moto, e depois disso ambos foram para casa do Issei. No meio do caminho Issei tentava começar uma conversa com Rin, porém a única coisa sobre o qual ele podia falar, era sobre pornografia ou coisas pervertidas. "Mais um motivo que me fazem pensar, se é uma boa ideia continuar sendo um pervertido" era seu pensamento mais profundo no momento.

_"Chegamos. Pode descer"- 

_"Ok, mas, posso fazer uma pergunta ?"- 

_"Você já fez"- dizia Rin com uma cara inexpressiva 

_"Mas essa não-" 

_"Eu tava brincando, fala aí"- disse Rin interrompendo Issei 

_"Primeiro, qual seu nome? E segundo, você tem pra onde ir?"- perguntava o castanho 

"Primeiro, foram duas. Segundo, Rin Okomura. Terceiro e último, comparado com todos os lugares em que eu "morei" antes de chegar aqui, uma lixeira não é tão ruim"- dizia Rin de forma despreocupada

_"Uma lixeira?! Rin, como agradecimento por ter me salvado duas vezes, você não quer passar uns dias aqui? Até poder encontrar um trabalho ou uma casa melhor."- dizia o castanho em um tom mais alegre

_"Isso é cliché para um fodendo caralho! Mas, aceito, é melhor que dormir em uma lixeira."- respondia Rin, enquanto baixava de sua moto e ia até a porta da casa do castanho, que estava olhando para o nada, com uma cara vazia 

"Cliché?!"- pensava o castanho

3 minutos depois. . .

_"Então, você quer que ele passe uns dias aqui até ele poder encontrar um lugar melhor pra ficar? "- dizia o pai do Issei de forma nervosa

_"Er... Sim"- respondia de cabeça baixa e de forma timida

"Hyoudou, você nem o conhece! Ele pode ser um delinquente, ou um ladrão, ou pior, pode ser um parasita que não vai querer sair daqui!"- dizia a mãe do Issei, que claramente resistia a vontade de bater nele.

_"Er... Senhor e Senhora Hyoudou, posso falar com vocês um instante?"- dizia Rin de forma calma 

_"Fale!"- disseram os dois

_"Issei, poderia me deixar sós com eles?"- dizia Rin, de forma amigável 

_"Ok?... ' Porque sinto que ele vai fazer merda?" pensava Issei 

Uma conversa depois...

_"Ele pode ficar"- diziam os pais de Issei, com um enorme sorriso 

_"O que você fez?!"- Issei perguntava, preocupado e nervoso ao mesmo tempo

_"Nada de mais, só digamos que... Usei umas habilidades de negociação e um pouco de suborno"- respondia o castanho de forma calma enquanto ambos subiam as escadas 

Enquanto isso na cozinha, estavam os pais de Issei, sentados na mesa, degustando um maravilhoso jantar, feito por Rin.

_"Nunca comi algo tão bom em toda minha vida! Porque você não cozinha desse jeito? " dizia o pai do Issei sem pensar em suas palavras  

_"Pensei que gostasse da minha comida, querido. Mas vou preparar algo que você vai amar!"- dizia a mãe do Issei, com um sorriso gatuno, mas no quarto, Rin pode sentir toda a malícia que provinha da mãe de seu até então colega de quarto. Depois disso, em todo o quarteirão se pode escutar gritos masculinos de dor e agonia.

_"Que os céus tenham piedade desse pobre homem"- diziam todos os vizinhos ao ouvirem tal expressão de dor

Algum lugar do Japão 

_"Mitelt, Kalawanner, vocês ficaram responsáveis por conseguir a Twilight Healing"- 

_"Sim mestre"- respondia uma caído de cabelos azuis e de medidas bem desenvolvidas

_"Donaseek e Reynare. Mortos, não consegui descobrir o responsável, mas pelo que eu pude perceber, ele está próximo à aquele humano potencialmente perigoso. Espero que não se intrometa em meus assuntos."_ conversava consigo mesmo, enquanto balançava uma pequena taça dourada

_"Freed!"-

_"Sim! 'Senhor' Kokabiel."_ respondia de forma irónica 

_"Seu objetivo será ir atrás de Asia Argento."_

_"OK!" 'Agora eu tenho que ser babá de criança? " eram os pensamentos do sacerdote 


Notas Finais


Ok, eu voltei, sei que demorei para kralho. Mas me por favor, me deem um desconto kkk
Isso foi uma merda, mas blz, temos aqui o quarto capítulo, sei que ele não é tão completo, mas tive muito pouco tempo pra escrever ele, e eu tbm peço que me cobrem. Eu sou muito preguiçoso, eu me conheço, talvez nesse final de semana poste um capitulo.
Algumas pessoas que leem as notas do autor (se é que se preocupam em ler as Minhas notas) devem ficar bem putos por escrever tanto, e tbm sei que é chato pra kralho, mas é o jeito de me comunicar com vcs, então é isso.

Até um outro dia, mês, ou até ano quem sabe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...