História Chaotic Summer - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Loona, Red Velvet
Personagens Choerry, Chuu, GoWon, HaSeul, HeeJin, HyunJin, Irene, JinSoul, Joy, Kim Lip, Olivia Hye, Personagens Originais, Seulgi, ViVi, Wendy, Yeojin, Yeri, Yves
Tags 2jin, Chuuves, Hyewon, Joyri, Lipsoul, Loona, Red Velvet, Seulrene, Viseul, Wenrene, Yveseul
Visualizações 102
Palavras 2.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, pessoal! Não vou me alongar muito aqui, apenas espero que gostem do cap de hoje :)

Capítulo 2 - Capítulo 2: O dia antes de hoje


[4:20pm. Sex.] 

Haseul não aguentava mais ouvir os gritos que vinham do quarto da irmã mais nova, estava à meia hora tentando contar para suas amigas o porquê de ter terminado com sua, agora, ex-namorada, mas sempre que desenvolvia alguma parte da história, um grito estridente do quarto vizinho lhe atrapalhava e a desconcentrava. 

— Tem certeza que Yeojin fez quinze anos mesmo? — Jungeun, ou Kim Lip, como era chamada pelas amigas, disse irritada. Assim como a de cabelos castanhos, não aguentava mais tanta gritaria. — Nessa idade eu já não brincava mais de joguinhos de crianças. 

— Ela deveria estar estudando é isso sim! —  Hyunjin logo se pronunciou, também irritada. — Enfim, termina logo esse assunto, que eu quero gritar: eu avisei! 

Não era muita novidade que Ha Sooyoung não era lá uma flor que se cheire, mas Haseul não conseguiu resistir aos encantos da capitã do time de vôlei. Haviam ficado em uma festa e depois disso sempre arrumavam um jeito de se encontrar pelos cantinhos do colégio até assumirem namoro. O que a Jo não imaginava era que sua linda namoradinha, tinha caso com inúmeras meninas da escola. 

— Vocês falam como se fosse uma coisa boa eu ter sido chifrada! — Haseul se indignou; se fosse 'pra ser julgada, teria contado para seus pais. 

— Há bens que vêm para os males, né bebê? — Heejin e ditados populares era erro na certa, mas pelo menos, tirou boas risadas das meninas. 

Após Haseul contar o que de fato havia acontecido, suas amigas a aconselharam evitar Sooyoung pela escola e nem atender suas ligações. Se uma coisa haviam aprendido era que “New rules” era um hino atemporal pós término e a rainha Dua Lipa não errou uma vírgula da letra daquele mandamento. 

— E a senhorita Jung? Ou devo dizer Tenente Jung? — Heejin perguntou para a única loira do grupo, enquanto batia uma continência. — Como vai este amor proibido

Era de total sigilo, mas Jungeun estava saindo com uma menina nova no bairro, a doce e atrapalhada Jung Jinsoul. Apesar da relação ser recente, apenas cinco meses, as duas estavam muito apaixonadas e o que sentiam quando juntas era único. O problema disso tudo era que sua peixinha trabalhava na delegacia da cidade, enquanto Jungeun ainda estava no terceiro ano do ensino médio. Se mais alguém soubesse daquilo, provavelmente ambas teriam muito a explicar...

— Ai, vai a merda Heejin! — A loira respondeu, lhe empurrando. — Em primeiro lugar, que ela é civil auxiliar. Segundo, nós estamos muito bem, ontem eu fui na casa dela e- 

— E TEVE, NÉ SAFADA?!!! — A Jeon era a amiga que mais pilhava o relacionamento secreto, às vezes Jungeun perguntava a si mesma se fez o certo contando para a coelha. 

— Eu não fui na casa dela 'pra ver qual a cor do sofá, né... — Devolveu em um leve tom malicioso, arrancando gritos e risadas, até mesmo de Haseul, que estava em luto pelo seu término recente.

 

 

Naquele quarto, Morféu não demorou muito para jogar seu pózinho do sono. Em plenas 23:30h as meninas já estavam deitadas dormindo, ou tentando, pois vez ou outra um grito do quarto vizinho se fazia presente — E um grito de Haseul mandando elas calarem a boca também! 

Todo grupo tinha de conhecer um casal grudento, e no caso, esse casal era Heejin e Hyunjin. Conhecidas pela escola toda como 2jin, por praticamente se fundirem e passarem grande parte do tempo juntas como se realmente fossem uma só. Fazendo jus a esse fato, as duas dividiam o mesmo colchãozinho no chão, com as pernas entrelaçadas e abraçadas uma na outra. Jungeun dividia a cama com Haseul, mas no total oposto; virada de costas e bem distante da de cabelos castanhos. Depois de um certo momento a noite foi deveras tranquila, todas pegaram num sono pesado e nem ouviam mais o filme que estava passando na televisão, se quer os gritos que vinham do outro quarto. Estava tudo numa paz.

      ᠅᠁᠁.᠁᠁᠅᠁᠁.᠁᠁᠅᠁᠁᠁.᠁᠁᠅

Com o sol “acordando” pela manhã, Jungeun logo também despertava, era como se tivesse um despertador interno. Olhou rapidamente o celular e ainda eram por volta das oito da manhã, mas as amigas permaneciam dormindo. Se levantou para ir ao banheiro e quando abriu a porta do quarto, deu de cara com uma das amigas de Yeojin. Não lembrava muito bem o nome daquela ali, mas tinha uma franjinha, usava aparelho nos dentes e sempre estava correndo pela escola, agitada. “Esquisita”, pensou. O rosto da menina parecia um pouquinho aflito e Jungeun percebeu que ela tentava observar o quarto de Haseul pela brecha da porta, mas logo tratou de fechar. Além de tudo, é bisbilhoteira. 

Jungeun pigarreou afim de chamar a atenção alheia e a mais baixa logo entendeu. 

— Ah, é que eu acordei ainda agora e a Yeojinie não está no quarto, nem no banheiro ou cozinha... Eu pensei se ela não estava, sabe... Bem aí com a Haseul unnie. — Disse meio incerta e tímida, provavelmente por estar usando pijaminha estampado de unicórnios e rosquinhas na frente de uma sênior. 

— Bom, aqui ela não está. Tem certeza que não está no quarto? Vocês são tantas que pode ter se confudido... 

— Não, ela não 'tá lá no quarto, mas dormiu com a gente. Que estranho. 

— Ela deve ter ido dormir com os pais, nada demais. — Jungeun disse, rumando para o banheiro. — Você deveria voltar a dormir também. 

— É... Ok, então. — A mais nova respondeu quase que para o vento, já que a loira entrou no banheiro e a deixou ali sozinha. 

 

Jiwoo voltou a se deitar e imaginou que não deveria ser nada demais. Logo o cansaço foi extremamente mais forte que seus pensamentos e, novamente, caiu num sono profundo. 

Em contrapartida, a loira saiu logo do banheiro e voltou a se deitar no quarto onde estava, tentaria voltar a dormir para não ficar atoa por tanto tempo.    

 

[12:30pm. Sab]

— Tem certeza mesmo que você não viu ela se levantando, Yerim? — Yeri questionava, preocupada, afinal, não é muito agradável acordar e notar que uma de suas melhores amigas não esta em nenhum cômodo da casa. Jiwoo até mesmo deu seu melhor em stalkear o quarto do senhor e senhora Jo, mas sem  sucesso. 

— Eu já disse que sim! Ela dormiu do meu lado e eu não senti ela saindo. — Respondeu agoniada, todas estavam um pouco. 

— Olha, — Chaewon começou — Eu acho que o melhor a se fazer é falar com senhores Jo, vai que mandaram ela comprar algo na rua, sabe? 

— É o mais sensato a se fazer. — Hyejoo concordou.

 

Os pais de Yeojin estavam na cozinha almoçando e conversando; já estavam mais do que acostumados com o horário que as meninas acordavam após passarem a noite lá, então não se importavam em acorda-las. Por conta disso, foi uma grande surpresa ver que já estavam acordadas e tão dispostas, chegando como um trem bala e falando todas ao mesmo tempo.

— Pelo amor de Deus! Respirem e só uma fala, senão eu não aguento. — A mãe de Yeojin disse, quase gritando, pois com tanto falatório, só com um megafone. 

— Então... — Yeri tomou a frente, como geralmente fazia, afinal, era a mais velha. — Quando a Jiwoo acordou essa manhã para ir ao banheiro, notou que a Yeojin não estava no quarto, mas pensou que ela só pudesse estar dormindo no quarto dos senhores, mas até agora ela não apareceu por nenhum lugar da casa, então nós estamos com dúvidas de onde ela possa estar. 

— Como assim, Yerim? — A mãe da menina perguntou um pouco aflita. 

— Yeojin não amanheceu no quarto com a gente. — Resumiu o que havia dito.

— Meninas, tem certeza do que estão falando? — O pai de Yeojin interferiu, pensava que provavelmente era algum tipo de brincadeira ou pegadinha, como costumavam fazer. 

— Temos! — Chaewon e Hyejoo responderam em uníssono, enquanto as outras apenas assentiam com a cabeça. 

— Não está no quarto de Haseul? Já ligaram para o celular dela? — A senhora Jo perguntava tudo de uma só vez, enquanto puxava seu celular discando o número da filha. 

— Jungeun unnie disse que Yeojin não passou a noite e nem se quer estava lá pela manhã. — Jiwoo respondeu também ficando nervosa. Pior do que se desesperar,  era ver um adulto também entrar em desespero. Isso colocava tudo sob a pior perspectiva. 

— E eu tentei telefonar, mas apenas chama e ninguém atende. — Yerim completou, brincando com a borda de seu shorts. 

A senhora Jo andava de um lado para o outro esperando que sua filha mais nova atendesse ao celular e entrou em uma mini histeria quando a ligação não foi atendida.  Saiu correndo em direção as escadas, sendo seguida pelo grupo de amigas. Enquanto o pai de Yeojin ligava para a delegacia, mas só dava ocupado. Uma verdadeira cidadezinha de merda...

 

— Haseul! — A mãe chamou assim que chegou no quarto da mesma — Você tem certeza que Yeojin não passou por aqui? — Sua filha mais velha não entendeu nada, mas negou. Jungeun logo olhou em direção de Jiwoo, lembrando do que ocorrera mais cedo. “Puta merda....” 

 

O senhor e senhora Jo pediram para que as meninas guardassem suas coisas, pois eles as levariam para as suas respectivas casas e de lá iriam a delegacia, pois precisavam registrar o que estava acontecendo. 

Como aquilo foi acontecer justo com Yeojin se todas estavam no quarto?

Porque ela saiu no meio da noite? 

O que havia acontecido? 

Eram frequentes questões que rodeavam a cabeça de cada uma delas. Entretanto, apesar das dúvidas, não podiam discutir aquilo naquele momento, quanto antes saíssem, logo os senhores Jo poderiam contatar ajuda. Mas claro que não deixaram de marcar uma conferência no skype, para juntar todas as partes do quebra-cabeça até chegar num denominador comum e ajudar nem que fosse minimamente nas buscas pela amiga.                                

       ᠅᠁᠁.᠁᠁᠅᠁᠁.᠁᠁᠅᠁᠁᠁.᠁᠁᠅                 

— Mas, que merda! Amor, você viu minha chave? — A senhora Jo perguntava enquanto apalpava seus bolsos da calça, o pai de Yeojin negou e após isso ambos engataram em uma mini discussão. Apesar do nervosismo pelo, aparentemente, “desaparecimento” da filha, sempre foram estressados e briguinhas como aquela eram parte da rotina. 

Bom, agora que iriam ter de esperar o fim da discussão para depois iniciar à saga de busca às chaves do carro, Hyejoo aproveitou e se sentou na escadinha da varanda, sendo seguida pelas outras. Seu cérebro estava a mil, de todas as amigas, ela era a que mais gostava de investigações e coisas do tipo, então aquele momento era perfeito para tentar recordar tudo o que ocorrera noite passada, pois a memória ainda estava fresca. Ou melhor, seria o melhor momento se não tivesse Jiwoo gritando e surtando ao seu lado, como se estivesse tendo uma crise epiléptica. Um festival de palavrões e tapas se fizeram presentes no momento em que todas olharam para onde o dedinho indicador da de franjinha apontava. Do outro lado da rua, Ha Sooyoung caminhava a passos rápidos na direção da casa da família Jo. Na cabeça de Jiwoo aquilo era claramente um sinal do destino! Se levantou rapidamente indo em direção da mais alta, que nem estranhou tanto assim a aproximação repentina, pois sabia que uma das amigas de sua ex-cunhada era completamente descontrolada.

— S-So-ooyoung? — A baixinha disse quase morrendo. E logo atrás de si, seu grupo de amigas rachava o bico de tanto rir daquela situação constrangedora.

— Hmm, oi... — A morena respondeu revirando os olhos, exausta em menos de dois segundos. — A Haseul 'tá em casa? Eu preciso falar com ela. — Desconversou ao mesmo tempo que seguia caminho pelo jardim de frente da casa. 

— Haseul unnie se mudou... pro Alasca! — Jiwoo sabia que era a pior desculpa do mundo, mas foi o que veio em sua cabeça. No amor e na guerra vale tudo! Não iria perder seu amor verdadeiro assim de bandeja. — Ela não mora mais aqui, unnie. — Sooyoung apenas virou para lhe dar uma encarada daquelas que nem precisa dizer nada para entender o recado. Se não estivesse com urgência, teria devolvido um fora só 'pra estragar o dia daquele ser irritante. 

— Mãe! Você esqueceu as chaves aqui den- O que você 'tá fazendo aqui? — Haseul, que surgiu na porta da frente apenas para notificar à sua mãe que as chave do carro estavam em seu quarto, não podia acreditar no que estava vendo.

Seulie, eu preciso falar com você! — Sooyoung dizia se apressando e andando rápido até chegar perto da menina. 

— Não me chama assim! Na verdade, não me chama de jeito nenhum. Eu não quero meu nome na sua boca nunca mais! — As que estavam sentadas na varanda assistiam tudo como se fosse uma novela mexicana.

— É algo sério, por favor me escuta. — Sooyoung suplicou, tentando chegar perto da outra, que desviava de si como se estivesse com lepra.

— Não! Vai embora a-go-ra! — Era inacreditável como sua doce Haseul que nunca lhe negava nada, estava sendo tão dura. — Sooyoung, vai embora! — Disse firme por fim. Apenas se virando para entregar a chave para Chaewon, pedindo a mesma que entregasse à sua mãe para que pudessem resolver tudo

Haseul estava tão furiosa que entrou em casa e fechou a porta com toda força na cara da mais alta. Se Sooyoung não precisasse realmente falar com Haseul, teria aceitado ficar em pé ali com cara de tacho, mas não podia ignorar daquela vez

Contornou o caminho da casa, pois sabia que o quarto de 'Seul dava para os fundos.Catou algumas pedrinhas do chão e passou a jogar na janela alheia.

— Ela não vai falar com você, Sooyoung! Aceita! — Jungeun berrava com a cabeça para fora da janela e finalizando seu discurso com o dedo do meio. Genial! 

— É muito sério, juro que não é sobre nosso namoro... E eu não vou demorar! — Gritou como resposta. Haseul sabia como a Ha era insistente e, se necessário, ficaria ali a tarde toda, então optou por descer e ver o que tinha para falar, se fosse mais alguma armadilha, iria a deixar falando sozinha. 

— Seja breve, não estou tendo um dia muito bom. — A Jo disse assim que chegou pela porta dos fundos, se quer conseguindo olhar naqueles olhos. 

— Então, é sobre a sua irmã... — Disse num fio de voz, fazendo a mais baixa se interessar no mesmo momento. 

 


Notas Finais


Eu acho q Chuu tão fofinha de aparelho que não consegui me controlar e tive que por uma referência aqui (e acho que combina kkkj).

Espero que vocês tenham gostado e até o próximo cap <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...