1. Spirit Fanfics >
  2. Charisk - A razão do meu viver! >
  3. Prólogo - Restauração.

História Charisk - A razão do meu viver! - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Heya, seja bem vindo(a) a essa fanfic! Aqui iremos tratar do shipp Charisk, seguindo originalmente o cânon, só que se passando em uma pós rota, com acontecimentos que permitem o shipp acontecer sem ser algo errado!
Essa história pode partir do cânon, mas se tornará algo completamente novo, após um tempinho!
Minha motivação para essa fic é criar uma história boa de Charisk, que tenha começo, meio e fim! :3

Além disso, isso também é uma homenagem a fanfic "Our secret", de Charisk, que infelizmente foi tirada do ar sem explicações. Eu realmente amava demais essa fanfic, então vamos tentar fazer uma história boa como ela!

Espero que dê uma chance, é minha segunda tentativa de escrever uma fanfic, mas tentarei fazer algo bom!

Aviso: O prólogo se passa em uma rota pacifista-pós genocida. Aqui usei teorias com bases, como de que o fantasma de Chara acompanhava o jogador! Obrigada!

Segundo aviso: Frisk e Chara são garotas nessa fanfic. Ambas são crianças caídas, sem Frisk ser um cadáver de Chara e etc. Aqui segue o cânon, mas o que não é necessariamente confirmado, pode não ser usado, como o fato de Frisk ser um ser artificial!

Capítulo 1 - Prólogo - Restauração.


Fanfic / Fanfiction Charisk - A razão do meu viver! - Capítulo 1 - Prólogo - Restauração.

Pov's Frisk

Eu lembro como se fosse ontém...quando caí no subterrâneo. Eu estava tão confusa, e arrependida por ter escolhido ir ao monte Ebot. Até que...Eu vi que não estava sozinha!

- H̷e̷y̷,̷ ̷t̷e̷m̷ ̷a̷l̷g̷u̷é̷m̷ ̷a̷í̷?̷ - Ecoou uma linda voz, no momento em que eu estava retomando minha coincidência da queda.

- Hm...? - Eu me levantei, e vi uma garota meio transparente flutuando e me encarando. Eu dei um belo de um grito na hora - AAAHHHHHH, VOCÊ É UMA FANTASMA?!

- E̷u̷.̷.̷.̷ - A garota começou a ficar paralisada, e olhar as próprias mãos - O̷ ̷q̷u̷e̷ ̷a̷c̷o̷n̷t̷e̷c̷e̷u̷?̷ ̷A̷s̷r̷i̷e̷l̷.̷.̷.̷?̷ ̷N̷o̷s̷s̷o̷ ̷p̷l̷a̷n̷o̷ ̷f̷a̷l̷h̷o̷u̷.̷.̷.̷ - Ela parecia estranha, eu mal sabia com quem estava lidando, mas comecei a engolir o medo.

- Ei...Eu também estou assustada. Quem é você? - Tentei perguntar, ela voltou a demonstrar alguma expressão, e me olhou.

- E̷u̷ ̷s̷o̷u̷ ̷C̷h̷a̷r̷a̷ - Ela me respondeu, um pouco mais segura - A̷c̷h̷o̷ ̷q̷u̷e̷ ̷v̷o̷c̷ê̷ ̷m̷e̷ ̷d̷e̷s̷p̷e̷r̷t̷o̷u̷.̷ ̷Q̷u̷a̷l̷ ̷s̷e̷u̷ ̷n̷o̷m̷e̷?̷

- Eu sou Frisk, eu caí aqui e...Quem é você...? Você é uma fantasma...? - Perguntei na defensiva, eu estava com medo de ofender ela de algum jeito, mas por sorte não foi o caso.

Chara me contou toda sua história como humana, sobre seu irmão Asriel, seu plano de morrer para libertar os monstros e todas as outras coisas para ela chegar até ali.

Eu lembro de ter tentado a consolar, e nós fomos juntas a próxima sala.

Lembro como foi divertido, passarmos por tantas situações juntas! Lembro das questões que ela tinha com Flowey, vontade de abraçar que tinha com a Toriel, ressalvas com Sans e Papyrus, entre outras coisas!

Acho que Chara sempre teve uma personalidade mais forte e extrema que a minha, hehe. Mas juntas, passamos por todo o subterrâneo, sendo grandes amigas e fazendo grandes amigos.

Mas eu lembro de uma conversa interessante que tivemos depois de sairmos do encontro de Alphys e Undyne.

- H̷e̷y̷,̷ ̷F̷r̷i̷s̷k̷.̷ ̷V̷o̷c̷ê̷ ̷j̷á̷ ̷p̷e̷n̷s̷o̷u̷ ̷c̷o̷m̷o̷ ̷s̷e̷r̷i̷a̷ ̷s̷e̷ ̷e̷u̷ ̷e̷s̷t̷i̷v̷e̷s̷s̷e̷ ̷v̷i̷v̷a̷?̷ ̷A̷c̷h̷o̷ ̷q̷u̷e̷ ̷s̷é̷r̷i̷a̷m̷o̷s̷ ̷c̷o̷m̷o̷ ̷A̷l̷p̷h̷y̷s̷ ̷e̷ ̷U̷n̷d̷y̷n̷e̷!̷ - Comentou ela com uma risadinha, quando estávamos olhando uma vista em Waterfall.

Aquilo mexeu comigo um pouco, eu via ela como uma melhor amiga, mas se estivesse viva, eu questionava se talvez pudessemos sentir algo a mais. Talvez pensava se seria errado, sabe...Eu tinha 12 anos, e ela era um fantasma com essa idade também. Sabe como é, eu acho que já era bissexual, mas minha mente as vezes me questionava se duas garotas era certo. Pelo menos isso o tempo fez eu não pensar mais.

Fomos progredindo, até Flowey se revelar como Asriel. Aquilo estava mexendo DEMAIS com Chara. No fim, salvamos ele, e os monstros foram libertados, com a gente precisando deixar Asriel.

Mas então...Eu e ela estávamos com o "final feliz", mas...eu decidi tentar "outra possibilidade", no caso, matar a todos.

Lembro que eu e Chara brigamos feio, eu só não estava satsfeita, eu era imatura, bem mais que agora. E então, eu resetei...

Não foi legal, Chara estava cada vez mais estressada comigo, parecia uma tortura para ela. Eu também não estava bem. Ela odiava a humanidade, mas exterminar os monstros era a pior coisa para ela.

Mas na luta contra Undyne, ela parecia diferente, com uma determinação maior naquilo. Isso fez matarmos a "imortal", Chara parecia se corromper cada vez mais a cada morte.

Na luta contra Sans, ela estava muito corrompida, e ela que persistia nessa idéia de genocídio agora. Cada morte, ela ficava mais determinada, e me incentivando a continuar atacando, até realmente conseguirmos o matar...

Depois, ela parecia me controlar, e matou Flowey e Asgore. E aí, ela reviveu...Ela estava insana, e simplismente apagou tudo, sem parecer ela mesma.

Uma voz me ajudou, após eu ir parar no vazio, e tudo foi restaurado. Eu decidi re-fazer a rota pacifista, mas...Chara não estava lá.

Eu fiz tudo sozinha, com saudades gigantescas da minha amiga, eu sentia uma parte tomada de mim. Após eu conseguir libertar os monstros, eu não aguentava mais, e decidi fazer algo...

Eu decidi contar a todos sobre Flowey, e sua real identidade. Foi um choque, mas aquela foi uma das melhores decisões que já tomei.

A Doutora Alphys disse que se ele tinha consciência, ele poderia voltar a ser Asriel, bastando apenas absorver uma alma de um monstro. Toriel e Asgore ficaram muito felizes, e eu também. 

Eu fui junto a Sans ao subterrâneo, graças aos "atalhos" dele. Nós encontramos Flowey plantado nas flores douradas, Sans o paralisou com uma forte mágia azul, e eu o coloquei em um vaso.

- Hey, Asriel. Nós traremos você de volta, eu prometo. Nós conseguiremos uma alma para você...

A flor cedeu, após tantos questionamentos e explicações da nossa parte, e se manteu no vaso por conta própria. Mesmo com sua frieza, Flowey sabia que queria realmente uma alma.

Mas Sans não parecia ir nada com a cara de Flowey, o encarando de guarda alta e com seus olhos vazios durante tudo isso.

Gerson, o antigo capitão da guarda real, estaria se despedindo de todos logo, então ofereceu sua alma para trazer o príncipe do subterrâneo de volta. 

Flowey passou por tudo, e enfim, conseguiu absorver a alma com sucesso. Nós nos abraçamos, e o reencontro dele com seus pais foi emocionante!

Mas ainda faltava algo...Eu estava longe de esquecer Chara, e também contei sobre ela a todos. Mas faltava bases para sabermos como resolver isso, e inicialmente eu deveria a achar novamente.

Em uma noite, eu acordei desesperada, sentindo uma presença. Asriel estava na cama do outro lado do quarto, e havia uma torta no chão. Mas eu decidi olhar mais em tudo, e foi aí que eu senti Chara...E a vi, corrompida no canto do quarto e olhando fixamente para mim.

- C-chara? Hey, sou eu, Frisk! - Ela não respondia, eu tentei ir até ela, mas a mesma sumiu.

No dia seguinte, contei isso a Toriel, que estava cuidando de mim e de Asriel. Nós fomos até a doutora Alphys, que disse que faria exames sob a minha alma.

Ela me deu uma mediação, que eu engoli. Eram "pílulas de coma", que poderiam fazer eu ficar inacordada e dar disposição completa à minha alma.

Enfim, eu fui fechando os olhos, até ficar inacordada.

Pov's Sans

- NYE HEHE! FINALMENTE EU, O GRANDE PAPYRUS, ESTOU NA SUPERFÍCIE COMO UM AUTÊNTICO MONSTRO DESCOLADO! - Dizia Payrus, fazendo uma pose para parecer descolado. Sério, meu maninho é muito maneiro.

- Yup, é tão maneiro quanto seu espaguete feito para relaxar as pessoas. Sabe, o seu SPAgueti - Falei com uma piscada.

- SANS! EU JÁ FALEI PARA PARAR DE DE ATORMENTAR COM SUAS PIADAS! - Respondeu Papyrus, semelhante a aquela flor. O que eu quis dizer? Que ele tá a FLOR-DA-PELE.

- Ok, hehe. - Respondi, até receber uma ligação, era de Alphys - Já volto, Paps.

Eu fui para um canto e atendi - Alô, Alphys falando? - Perguntei, e era ela mesmo, ela me dizia sobre a encontrar no "verdadeiro laboratório". Aquele lugar me trazia lembranças, mas eu podia negar? O estado do pivete tá instável - Oh, claro. Pode me encontrar lá, eu sei a localização. 

Fui até lá através dos meus atalhos, e Alphys chegou pouco tempo depois, com Frisk em seus braços. Colocamos ela em uma maca, e eu me virei para Alphys.

- Então, uh, do que especificamente estamos lidando? - Perguntei para ela.

- Sans...Talvez o humano que foi tratado pela família real a tempos atrás tenha alguma conexão com Frisk. Dependendo dos resultados, talvez possamos trazer ela de volta.

- Entendo. Bem, vamos com isso então, o Paps não gosta tanto de ficar sozinho em casa.

Os examos foram feitos com o sangue de Frisk e uma visualização de sua alma. Como Alphys suspeitava, um outro humano estava compartilhando alma com Frisk, era uma conexão estranha.

- S-sans, eu acho que sei um jeito de resolver isso tudo e ainda trazer o humano. E se dividirmos a alma de Frisk ao meio? Uma parte dela seria toda a parte com compatibilidade com o humano morto, e outra totalmente de Frisk. As metades vão se regenerar e se tornar duas almas diferentes aos poucos, se der certo. A-além disso, isso fará as duas conseguirem ter pleno controle de um corpo só delas... - Explicou Alphys.

- Uh, faz sentido. Porém, é meio arriscado. Se der errado, podemos perder as duas crianças - Respondi.

- Frisk e a família Dreemur disse que está disposta a correr tais riscos, ao menos Asgore e a própria Frisk. - Explica Alphys

- Certo. Vamos tentar então. 

Pov's off

Os exames foram feitos e o experimento foi executado. Como Alphys especulou, a alma foi separada com suceso e cuidado. 

A metade que ficou com Frisk a deixou intacta. Mas a outra metade começou a criar um "novo humano", era Chara, que estava ganhando forma. 

Nos exames, foi visto que a metade de Chara estava corrompida, mas todos esses pontos foram absorvidos, e colocados em um frasco, para testes.

Ambas crianças foram colocadas em macas, já fora do laboratório verdadeiro. A família dreemur estava completa novamente, e todos poderiam ter algo chamado de...futuro.

Continua...


Notas Finais


Wow, isso ficou grande! Mas foi o prólogo, então é esperado. Mesmo assim, espero que tenham gostado. O prólogo ficou com uma pegada mais seca e diferente do que pretendo ao resto da fanfic, mas isso é por causa de que ele só serve para explicar e introduzir a história!

Ah sim, podem esperar muitas coisas daqui em diante. Eu tentarei continuar dando atenção aos personagens de Undertale, mas ao mesmo tempo criar novos.

E outra coisa, a parte de salvar o Flowey teve um método inspirado no AU "Save Chara", créditos pela idéia do Gerson dar sua alma ao autor desse universo.

É isso, obrigado por ler. E acho que nos vemos no próximo capítulo! ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...