1. Spirit Fanfics >
  2. Charisk- O Meu Amor Por Você >
  3. Desabafos

História Charisk- O Meu Amor Por Você - Capítulo 40



Notas do Autor


espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 40 - Desabafos


Frisk

Ja eram meia noite, e todos ainda estavam aqui em casa, bêbados pra falar a verdade. Até mesmo Chara; parece que ele se soltou nessa.

Como eu já estava cansada, resolvi ir para o meu quarto descansar. Mas antes, um bom banho era perfeito para um descanso.

Fui para o banheiro, tranquei a porta e me despi. Liguei o chuveiro e tomei meu banho. Eu comecei a pensar em algumas coisas...

Eu acho que tenho muita sorte em morar com Chara. Será que existe algum casal naquela escola que mora com o namorado? Eu sou sortuda. 

O que será que ele queria me dizer? Do jeito que tá a situação lá em baixo, ele não vai subir tão cedo... Talvez eu devesse esperar. 

Depois de alguns minutos, finalizei o meu banho, me sequei e me cobri com a toalha. Quando eu abri a porta, Chara estava sentado na minha cama.

— Aaah que susto! — Eu realmente me assustei. 

Ele não se moveu. Estava sentado com o olhar fixado para o chão. É. Ele definitivamente está bêbado, e deve estar refletindo. 

Me sentei do seu lado; ele pegou na minha mão, e me olhou. Suas bochechas estavam avermelhadas, isso o fez ficar mais fofo ainda! 

— Ei, o que foi Chara? 

Chara— Eu... Quero te dizer algo, Friskzinha.

— Você realmente está bêbado. Bom... Diga, o que houve? — Eu acho que tem algo haver com o assunto de mais cedo. 

Chara— Você sabe que eu te amo né? 

— Ahh, sei. Eu também te amo Chara. — Parece até que ele fez uma merda daquelas. — Prossiga. 

Chara— Você me olhando assim, até me constrange. — Ele tampou o rosto como se fosse uma menininha corada. 

— E como quer que eu te olhe? 

Chara— Já sei! — Ele me virou, fazendo eu ficar de costas para ele. — Fique nessa posição, tabom? 

— Haha, que hilário. Tá Chara. O que você tem a me dizer? 

Chara— Bom... Então; É que, é algo bem complicado.

— Eu estou começando a me irritar seriamente.

Chara— Por favor, não se irrite comigo! Você é a única pessoa que não quero irritar! Se sinta privilegiada. 

Suspirei fundo.

— Certo, certo, continue. 

Chara— Eu não quero esconder isso de você. Então... Sabe quando eu fui lá pra fora, hoje... Espera... Ontem...  — Ele dizia cada vez mais baixo. 

— Chara, fala mais alto! — Tentei me virar para ele, porém Chara me virou de costas novamente. 

Chara— Não, não, continua desse jeito tá bom? 

— Tá! Continue! 

Chara—Bom... Quandoeufuiparaapraçameencontreicomo— O interdompi: 

— CHARA, PELO AMOR! DA PRA VOCÊ FALAR DIREITO? Pra que tanta rapidez numa frase só? 

Eu não o ouvi dizer nada. Talvez eu devesse ter me irritado demais. 

Chara deitou sua cabeça em meu ombro, e começou a chorar. 

— E-ei, eu não queria ter sido grossa. — Me virei para ele, que não me deteu. Ele se deitou no meu peito, e continuou a chorar. Eu acho que nunca o vi chorar. 

Acariciei os seus cabelos.

Chara— Frisk. Me desculpe, por favor. Eu pensei em coisas horríveis. 

— Calma... O que você pensou? 

Ele demorou para me responder. É algo tão ruim assim? Será que ele se atraiu por alguma menina bonita? 

— Eu pensei em... Matar. 

Okay, é realmente tão ruim quanto se atrair por uma garota. 

Eu não sei como reagir. Talvez eu devesse ser compreensiva? Que tal, apenas abraça-lo? E se eu beija-lo? Ahhh, o que eu faço?

Chara— É, eu sei, você deve estar brava comigo. E se bobear, quer me matar. 

— Não não! Não estou brava. Só estou tentando analisar. 

Fiquei a encarar Chara por um tempo. Ele ficou me encarando, seu olhar não era tão orgulhoso como a maioria das vezes. Dessa vez, era como desespero. Além de estar com os olhos vermelhos de tanto chorar. 

— Chara. Como assim você pensou em matar? Quem?

Chara— É tão questionador isso? Pensei que era óbvio. 

— Vitor? Caramba, por que eu questionei a isso? 

Ele assentiu com a cabeça, e ficou calado. Talvez ele esteja refletindo.

— Você chegou a agir dessa forma? 

Chara—... Sim. Bom, se a Toriel não tivesse aparecido, talvez eu teria feito uma merda e tanto. 

— Bom, pelo menos você sabe que podia ter feito merda. 

Chara— Mas eu não me arrependeria. 

Ficamos calados. Eu não estou brava com ele, e nem chateada. Eu estou preocupada. Chara é um adolescente, assim como eu, Kitten, Azzy. Ele não deveria encher a cabeça com a vontade de matar. 

— Chara, você não deve encher sua cabeça com ódio. Não perca o seu tempo com um garoto tão idiota e babaca como o Vitor. 

Chara— Eu sei que não. 

— Para onde você foi hoje de manhã? 

Chara— Para a praça perto de casa. Sans fez companhia para mim. 

— Então vocês realmente viraram amigos? 

Chara— Não, não e não! Ele pode ter me ajudado, mas ele ainda é um saco de ossos irritante. 

— Certo, certo. Aconteceu algo na praça? 

Chara— Vitor apareceu. E ficou me irritando, ele ficou me perguntando sobre nós dois. Aquele cara não desiste de você! 

— Não é isso. Ele só quer ter uma fama como talarico, e me usar pra mostrar que tem uma namorada. Não esquenta, uma hora ele desiste.

Chara— E depois você me fala para eu não ficar enchendo minha cabeça de ódio, principalmente por aquele muleque. — Ele revirou os olhos. Dei uma risadinha, ele era fofo sendo protetor; mas ele tem que conhecer seus limites. 

Chara— Frisk... Eu preciso te fazer uma pergunta.

— Pode falar.

Chara— Como Vitor sabe que eu matei pessoas? Ou melhor, monstros? 

Fiz uma expressão confusa. Como ele sabia disso? 

Chara— Pelo visto não sabe. 

— Por que a pergunta?

Chara— Nada.— Ele parecia desconfortado. Eu conheço Chara muito bem. 

Fiquei encarando ele. 

— Chara, você pode enganar todos, menos a mim.

Ele suspirou. Eu dei uma risadinha. Ele sabe que eu estou no comando! 

Chara— Ele me chamou de que não posso reclamar dele. Pois sou um psicopata. Ele está certo. Sei disso pois eu me incomodei com aquilo.

— Chara, para de dizer merda. Por favor! — Ele parecia ter se surpreendido com o que eu disse.— Você não é nada disso. Você pode ter feito merda no passado, mas você mudou. Hoje você está apenas vivendo a sua adolescência. E não deve ficar se importando com essas merdas que falam, por favor. — Ele não disse mais nada. Apenas me abraçou. O abracei ainda mais forte. Eu só quero vê-lo bem. 

— Eu te amo Chara. Eu quero que você pense no seu bem, no seu psicólogo. 

Chara— Eu também te amo. Obrigado Frisk.— Ele me beijou, suavemente. E paramos por falta de ar. 

— Eu vou me trocar por que eu tô morrendo de frio! 

Chara— Agora que percebi que você está só de toalha...— Ele ficou me encarando. E deu um sorriso malicioso.

— Tenha dó, por favorzinho? Eu tô cansada. 

Chara— Só por que você me ajudou... Mas essa noite você será o meu travesseiro.

— Eu não quero nem imaginar o que você faz com seu travesseiro.— Me levantei e fui me trocar. Foi meio difícil, pois o ser humano ficava me abraçando a cada cinco em cinco segundos. 

Ficamos deitados conversando, enquanto eu conseguia ouvir Sans falar alto junto com Undyne. A noite vai ser bem barulhenta.

Chara e eu ficamos conversando sobre coisas aleatórias, e pra ser sincera, eu estava amando tudo isso. 









Notas Finais


espero que tenham gostado. Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...