História Charlie! (Remake) - Capítulo 7


Escrita por:

Visualizações 67
Palavras 5.939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Sinopse: Terry e Charlie estão namorando? ***! Como assim?

Capítulo 7 - Me digam oi


Fanfic / Fanfiction Charlie! (Remake) - Capítulo 7 - Me digam oi

As crianças estão se divertindo, exceto por Mike que está lendo.

 

Kendall – Jiummm! Pru pru pru. Ram! Ram! Viunnnnnn. Tic Tac. Passando pra dizer que o meu carrinho está trafegando pela estação Charlie.

Charlie – Pode vir! Não tenho medo desses efeitos sonoros ruins. Eí Sandy! Por que não quer brincar com a gente?

Sandy – Deve ser porque eu estou de avião e não tenho como brincar vocês.

Kendall – Grande coisa! – A avião de Sandy começa a decolar sem estar na mão de Sandy.

Sandy – Jiummm! Pru pru pru. Ram! Ram! Viunnnnnn. Tic Tac.

Kendall – Grande coisa! O seu avião começou a voar. Qualquer um faz isso.

Sandy – E você consegue controlar um pela mente?

Kendall – Ainda prefiro o meu carrinho. – O avião de Sandy dispara no carrinho de Kendall.

Sandy – E o seu carrinho atira? Opa! Atirava. Me desculpe, é que a minha mente é muito instável.

Charlie – Uou!

Sandy – Quer brincar Charlie?

Charlie – Sim.

Sandy – Constrói um pra você então. – Terry está chegando.

Mike – Pra que construiu um desse?

Sandy – Nada. É que essa casa é super normal e não tem nenhum tipo de perigo nela.

Kendall – Que perigo?

Terry – Parece que o pinto de bebê não está muito ciente das coisas. – Sandy faz aquela coisa que a gente que faz com a voz quando tenta controlar o riso.

Sandy – Pinto Artis (Referência a pinto artes)! Entendeu? Zoei o seu segundo nome.

Terry – Mike! Sandy!

Mike – Chegou!

Sandy – Ainda bem que eu tenho meu aviãozinho pra me proteger.

Terry – Onde está o Ryan?

Sandy – Ele fica magoado quando você não chama ele de papai.

Terry – Eu não ligo pros sentimentos dele, só quero me certificar de que eu vou ter alguma coisa pra comer hoje.

Sandy – Não parece mais estar alterada.

Mike – Voltou ao normal?

Terry – Às vezes preciso de um tempo pra me estabilizar. Algumas noites acabam sendo bem duras pra mim.

Sandy – Tudo bem. Aí Charlie! Quer brincar com o meu aviãozinho?

Charlie – Sim.

Sandy – Quer, mas eu não vou deixar. – Em uma voz mais de moleque.

Charlie – Argh! De novo.

Sandy – “E Meu aviãozinho, pelo céu ele vai voar! Subir! Subir! Subir! E pra sempre, rente em alto mar”.

Terry – Se você continuar cantando eu acho que não. – Sandy continua cantando com a boca fechada.

Sandy – ... – Terry olha para Kendall que está sentado perto dela.

Kendall – Que foi? – Terry acerta um soco na cara dele.

Terry – Foi mal! É que a minha mão escorregou.

Mike – Terry!

Charlie – O que você... – Charlie avança pra cima dela, mas Mike se intromete na frente.

Mike – Tudo bem! Pode deixar! Deixa que eu e a Sandy cuidamos disso!

Sandy – Terry...

Charlie – E aí cara?!

Kendall – Chega! Ela precisa ouvir. – Terry começa a se sentir meio mal.

Terry – Desculpa! É que eu...

Kendall – O que tá acontecendo? Isso é covardia demais! Até pra você. Por que não fez isso com aquela tal de Emily quando ela te atacou? Vai dizer que não bate em meninas.

Terry – Eu nunca faço isso. Desculpa! De verdade.

Kendall – Vai pro inferno! Acho que eu acredito no que você diz? Sou muito mais um objeto desanimado como esse que eu estou segurando. – Terry começa a se incomodar e aparentemente é de verdade! Sandy então aponta o seu avião para Kendall.

Sandy – Sem nenhuma palavra. Os dois!

Terry – Ele está certo, eu só faço destruir a vida dos outros. – Terry começa a olhar para Kendall e se sentir estranha.

Charlie – Terry... – “O que eu poderia fazer para ajudá-la?”

Ryan – O que eu posso fazer para ajuda-los? Por que não podem agir como crianças normais?

Charlie – Senhor Ryan?

Mike – Tudo bem com você Terry? – Ela balança a cabeça.

Sandy – O que estava fazendo? Sua filha estava morrendo de preocupação.

Charlie – Não tava não. Pelo menos foi o que ela disse. Eu vi tudinho!

Sandy – Ouvi.

Charlie – Ninguém te perguntou.

Sandy – E ninguém mandou você se incomodar também. Se eu quisesse ouvir a opinião dos outros viraria locutora de rádio.

Ryan – Isso é um problema! Mas não disse nada ainda do que queria, enfim. Tenho uma novidade.

Sandy – Vai mandar o Kendall de volta?

Ryan – Não, precisamos ter alguém pra ficar zoando.

Sandy – Então nesse caso a notícia não é tão boa como eu esperava.

Kendall – Quem mandou você criar expectativas tão altas. – Sandy faz um sorriso de “é mesmo” e Kendall retribui com um de “É sim”.

Ryan – Eu vou trazer alguém aqui pra casa amanhã. Uma mulher que eu conheci.

Sandy – Me passa logo as informações sobre ela pra eu já ir elaborando as piadas aqui.

Ryan – Que é isso? Isso não é importante.

Sandy – Tem razão! E quando é que você vai levá-la pro seu quarto?

Terry – Eu mereço.

Mike – Acho que alguém tem que parar de ficar jogando The Sims.

Sandy – a i e?

Ryan – Kendall! Mike! Depois eu preciso falar com vocês.

Sandy – E porque você não fala aqui. Eu sou super confiável, pode contar comigo!

Ryan – Mudança de planos meninos! Vamos conversar agora! – Ryan com eles na cozinha. – Vocês precisam me ajudar, a Sandy vai estragar o meu encontro. Preciso de sugestões.

Sandy – Sobre o que eles estão falando?

Terry – Vai saber.

Charlie – Sobre você que não é com certeza!

Sandy – Tem razão! Por que falariam de mim? Eu sou super gente boa e reajo de forma séria e convicta em todas as situações.

Charlie – É! É sim!

Terry – Claro! Com certeza!

Sandy – Ainda bem que vocês não são irônicos como o Mike e o Kendall.

Ryan – E aí, já pensaram.

Kendall – Podíamos amarrá-la e levar pro Iraque.

Ryan – É! Tem razão.

Mike – Não! Ela tem um aviãozinho mortalmente armado pra dar cabo da gente.

Ryan – Verdade! Lembrei que ela é minha preferida. – Mike e Kendall olham pra ele. – A gente manda pro Iraque? É só fazer isso quando ela tiver dormindo. – Kendall se alegra.

Mike – Tive uma ideia. – Kendall fica tristonho. – E que tal se disciplinarmos ela?

Kendall – Eu me livro do avião.

Mike – Eu penso em algo.

Ryan – Eu trago a Lorena.

Sandy – Quem é Lorena? – Eles passam a mão na cabeça e se assustam mais do que quando vem a Terry. Ao menos dessa vez.

Mike – Você escutou o que dissemos?

Sandy – Só escutei a parte do “Eu trago a Lorena.” Quem é essa?

Kendall – Minha nossa! A Terry passou a navalha em cima do Charlie.

Sandy – O quê? – ... – Meninos? Sumiram.

 

No outro dia, na escola.

 

Dawson – Muito bem, podem ir.

Sandy – E aí meninos! Quem é a Lorena?

Mike – Você eliminou o avião dela? – Mike para Kendall.

Kendall – Tá maluco! Aquele troço atira.

Mike – Não era você que dizia “grande coisa!”, não acredito que vai ter que ser eu mesmo pra fazer isso. – Eles vão embora.

Terry – Sra. Dawson. – Diz Terry.

Dawson – Sabia que viria. O que tem te incomodado dessa vez?

Terry – Não é nada, é só que eu só não sei mesmo.

Dawson – O que isso tem haver mesmo?

Terry – Com tudo. – Charlie as observa de trás da porta.

Emily – Não é lindo ver o quanto a senhoria Terry é frágil?

Charlie – Ah! Você?

Emily – Quem esperava? Você podia ajudá-la. Não é bom nisso?

Charlie – E porque se importa?

Emily – Você não vai acreditar por mais que eu diga mesmo.

Charlie – Não precisa dizer isso só pra tentar me impactar.

Emily – Só digo que você não sabe com o que está prestes a se envolver. Se precisar de uma amiga eu com certeza vou estar por aí.

Charlie – Eu não vou!

Emily – Vai sim! Talvez não hoje, mas um dia sim. – Emily beija seu rosto enquanto segura as duas mãos nele.

Charlie – ...

Dawson – Então? O que você precisa?

Emily – Acho que a partir daqui eu não preciso saber mais de nada. Adeus! – Charlie passa a mão em seu rosto e depois volta a ouvir.

Terry – É sobre as brincadeiras que eu fiz. Geralmente em não ligo pra isso, mas estou com medo de que isso afete o meu psicológico de alguma forma. Teve um garoto! Eu fiz algo com ele e depois eu bati apenas porque estava sentindo repulsa de mim mesma.

Dawson – O que você fez? – Terry conta no seu ouvido. A forma como ela faz é muito fofa, parecendo uma criança completamente indefesa.

Terry – Acochicochicochi...

Dawson – Você fez isso mesmo?

Terry – Cochi... Acha que isso é um problema?

Dawson – Você sabia do que se tratava?

Terry – Não. Ao menos não direito.

Dawson – Sendo sincera?

Terry – Poderia me explicar?

Dawson – Acho que você não vai querer saber sobre isso, vai?

Terry – Se você está dizendo é porque você sabe o que faz. Qual o impacto que isso pode desencadear?

Dawson – Acho que no momento não. Mas depois sim, lá pra adolescência. O que você tem que fazer agora é tirar essa má impressão de algum jeito. Tem que mostrar que aparentemente não era aquilo.

Terry – Entendi. O que eu preciso está atrás daquela porta.

Charlie - ... – “Ela me viu”.

Dawson – Ele saiu correndo.

Terry – Não se preocupa com isso. Eu vou atrás dele. – Charlie está correndo até que de repente ele bate na frágil e indefesa Terry. Terry está com um semblante escuro e com a cara daquele vilão boneco da Liga da Justiça, só que sem o sorriso. Sua boca está bem fechada e curta. – Precisamos conversar.

Charlie – ... Ãh... eu não entendi.

Terry – A Emily avisou pra você ir embora, não foi?

Charlie – Como conseguiu me pegar? Como fez isso?

Terry – Essa distância pra mim não é nada. Não importa o quanto corra, nunca vai conseguir fugir. Aparentemente você não é tão atlético como o seu amigo, não é? Acho que essa é uma diferença de criação, você sempre foi muito mimado.

Charlie – O que você é?

Terry – Eu sou forte e você é fraco. Pra eu te estraçalhar não seria nenhum problema, mas eu vou te dar uma chance. Apenas uma. Estava me bisbilhotando, não é mesmo?

Charlie – Acho que está só confundindo as coisas. – Terry o joga com tudo no armário.

Terry – Eu te fiz uma pergunta e só aceito sim ou não como resposta. Estava me bisbilhotando?

Charlie – Sim.

Terry – Se tivesse dito que não teria te deixado ir, não queria ter que recorrer a isso. – Charlie se defende pensando que ela vai fazer alguma coisa com ele. – Eu preciso que você seja meu namorado. Ao menos por hoje! Se disser que não eu vou perseguir você e todos que ama. Se ousar me irritar essa é a última coisa que fez na vida, as regras são minhas. Alguma objeção?

Charlie – Então é isso... – Charlie se levanta e os dois ficam se encarando. – Sabia que podia acontecer algo assim, só queria ter um tempo pra pensar em como negociar.

Terry – Não tem medo de mim?

Charlie – Sim, todos têm! Mas esperava poder vencer todos eles hoje.

Terry – Sua ingenuidade é impressionante. Isso nunca acaba! Mas enfim, que péssimo que finalmente chegamos a um acordo! – Terry deixa seu lado ameaçador e aparentemente se acalma. – Estou com fome, me leva pra casa!

Charlie – O quê?

Terry – Eu gasto muitas energias, preciso que me carregue.

Charlie – Você é muito folgada!

Terry – Então não vai me carregar? Tudo bem, eu chego lá primeiro que você mesmo. E a propósito, eu não gosto de você!

Charlie – E o que difere você da Emily?

Terry – Eu sou uma melhor companhia. – Terry cai em cima dos seus ombros e dorme.

Charlie – ... – “Por que ela está tão cansada?” – O que isso tem haver?

 

Terry em seus sonhos.

 

Terry (atual) – Sandy! Mike! Vocês estão aí?

Sandy – Oi! Eu sou a Sandy! Mas pode me chamar de Sandyuíche.

Theodora – Olá, eu sou a Theodora! Prazer em conhecê-la!

Terry (atual) – Terry dá mais imponência, eu acho.

Theodora – Seu irmão Michael falou muito sobre você. Não podia deixar você sozinha. Espero que sejamos boas amigas.

Terry (atual) – Então eu era assim?

Sandy – É, as melhores!

Theodora – Sim. Vamos brincar?

Sandy – Peguei seu nariz!

Theodora – Eí! Me devolve!

Sandy – Vem pegar!

Terry (atual) – Você sempre foi mais forte do que eu.

Theodora – Para com isso! Não tem graça fazer esse tipo de brincadeira.

Terry (atual) – Charlie! Não, eu era mais ingênua.

Sandy – Não tem graça quando é com você, né? Não esqueça disso.

Theodora – É errado brincar com os sentimentos dos outros.

Terry (atual) – Sim. Sandyuíche? Parecia apetitoso! Por que não me dá um pouco? Eu estou com muita fome! Vou precisar, acho que algo horrível vai acontecer. Queria que vocês estivessem aqui pra me dizer o que fazer.

 

Sra. Ryan – Ele é tão bonitinho! Espero que os dois cresçam fortes e se deem muito bem juntos. – Terry e Mike bebês.

Terry (atual) – Acho que depois que a minha mãe se foi você assumiu aquele papel que era dela. Afinal, você é a minha melhor amiga! Não é? Quero muito um pedaço de Sandyuíche. Michael! Sandy! Quero muito ver vocês!

 

Terry sai de seu sono e vai abrindo os olhos.

 

Terry – ...  – Ela se despreguiça. – Então chegamos?

Charlie – Não vou perguntar como você está.

Terry – Eu não quero que alguém faça isso. – Ela abraça ele.

Charlie – Por que está fazendo isso?

Terry – Quero me certificar de que não esteja armado.

Charlie – E porque eu estaria?

Terry – Por que não me jogou dentro do rio quando teve a chance? Podia ter me abandonado.

Charlie – Aí seria a Sandy que me jogaria dentro do rio.

Terry – Não fale sobre ela! Você não é capaz de entender.

Charlie – Até onde estaria disposta a ir por ela?

Terry – Até os confins da terra. Por isso que fui atrás de você daquela vez, não queria ver ela entristecida. Mas eu tenho que te agradecer, graças a você ela resolveu ficar.

Charlie – É por isso que você resolveu me ajudar! E o nosso jogo?

Terry – Esquece! Ao menos hoje.

Charlie – Então você finge que não gosta, quando aparentemente você se importa.

Terry – E que diferença isso faz? Onde estamos?

Charlie – Onde acha? – Na porta de um hospício. – Eu ia te internar lá, mas acabei desistindo. Você tem sérios problemas.

Terry – Vou acreditar que me trouxe aqui apenas porque esqueceu o caminho de casa. Podia ter me internado. Por que não fez isso?

Charlie – Não quero dar a mesma resposta que você. Já que estamos namorando, então dá pra me falar o motivo? Havia muitos outros pra isso.

Terry – Eu queria me sentir com... esquece! Só escolhi o cara mais pateta que eu conhecia. Eu te odeio!

Charlie – Por quê?

Terry – Porque algum dia você vai tirar ela de mim. E vai ser a segunda vez que isso acontece. Acho que a terceira.

Charlie – Abandonar, deixar e seguir a vida são as mesmas coisas pra você?

Terry – Deixe a minha Sandyuíche em paz! Vou fazer o que for preciso pra tirar ela de você.

Charlie – E essa é a primeira vez que isso acontece? Por que que a Emily é daquele jeito?

Terry – E isso interessa? Vamos! Sei um caminho pra gente chegar em casa e ninguém nos perceber. Meu pai vai ficar uma fera com nós.

Charlie – Pensei que não se importasse.

Terry – Cala a boca! Eu me importo com as coisas quando eu quero. De todo modo ainda não chegamos lá que é o objetivo.

 

Com os Ryan.

 

Ryan – Muito bem! Hoje é um dia importante.

Sandy – Pra não dizer histórico.

Ryan – Eu quero muito que se comportem hoje! E especialmente que não fiquem zoando a mulher que eu vou trazer aqui.

Sandy – Pode deixar! – Sandy põe a mão na testa.

Ryan – Isso é sério! Hoje quero que tudo realmente dê certo, por isso ao menos dessa vez eu quero que vocês sejam como a Terry e fiquem na de vocês.

Sandy – Eu taco fogo na casa.

Kendall – Eu quebro o aviãozinho da Sandy.

Mike – Eu afogo o Kendall na privada. – Ryan ri. – Foi mal, é que eu também queria dizer alguma coisa.

Sandy – Você que disse pra que agíssemos como a Terry.

Kendall – A Sandy puxou o bonde.

Sandy – Não puxei não, só fui mais rápida que vocês.

Ryan – E principalmente com você que eu tenho preocupação Sandy.

Sandy – Pode deixar Sr. Ryan! Eu vou fazer tudo que estiver ao meu alcance pra dar certo.

Ryan – Ah se vai.

Sandy – Mas depois você tem que atingi-la de jeito e levar pra sua caverna.

Ryan – Meninos! Está na hora! Vamos explicar a situação.

Sandy – Que situação?

Ryan – Sandy! Me diz o que você acha do meu cabelo.

Sandy – The Best!

Ryan – Assim é bom.

Sandy – The best feio é claro. – Ryan olha para eles. – Aí!

Ryan – Opa! Parece que estamos chegando a um acordo. Está vendo esses dois? Eles vão ficar colados em você à noite toda. Cada vez que tirar uma gracinha, eles vão te dar um beliscão e cada vez mais forte à medida que você for se exaltando. – Kendall e Mike riem. – Muito bem! Me diz o que acha do meu cabelo.

Sandy – Magnífico! A melhor coisa que eu já vi em toda a minha vida. – Ryan olha pra eles. – Aí! Por que fizeram isso?

Mike – Você estava sendo irônica.

Sandy – Então o que querem que eu faça pra ajudar?

Ryan – Absolutamente nada! Queremos que fique na sua e se comporte. Não faz essa cara, você não consegue ficar feia por mais que tente.

Sandy – Digo o mesmo pra você, só que ao contrário. Aí! Agora doeu de verdade.

Kendall – Bom saber, te falei que era no terceiro. Agora sabemos a força que precisamos usar. – Sandy no seu pensamento. “Não podem me excluir! Não é justo! É por causa de mim que isso tudo está acontecendo.”

Mike – Chegou! Por que não vai lá atender Sandy? A gente aproveita e vai com você pra não se sentir sozinha. – Pensamentos de Sandy “Vamos ver!”

Sandy – Vocês estão adorando isso, não é? Aí!

Kendall – Muito. Pretendemos aproveitar bastante esse momento.

Mike – Uma oportunidade assim só aparece uma vez na vida.

Ryan – Eu atendo!

 

Ding Dong!

 

??? – Oi! – Uma mulher bem bonita aparentemente aparece entre as sombras.

Ryan – Lorena! Seja muito bem vinda, a minha casa é sua também.

Lorena – Tudo bem, eu espero não incomodar muito. – Todos se pasmam.

Ryan – Esses são os meus protegidos. Mike, Kendall e a Sandy.

Lorena – Olá!

Kendall – Oi!

Mike – Ioi!

Ryan – Pode ir!

Sandy – Vem cá, como é que você se chama mesmo? É que a gente não conseguiu ouvir. Estava muito Longe.

Ryan – Sandy. – Em um tom mais fraco.

Lorena – Lorena meu bem.

Sandy – Então, você se chama Lorena e não é care... Aí! Aí! Aí! – Lorena olha enojada, enquanto Kendall não dá o beliscão por estar hipnotizado. Sandy consigo mesmo “Essa é a minha chance!"

Mike – É que foi sem querer.

Ryan – O que é aquilo? Será que a minha filha amada já chegou?

Lorena – Onde? – Lorena se vira e Ryan dá um cascudo em Sandy.

Sandy – Rititititititi!

Lorena – Hã? O que aconteceu?

Sandy – Nada, eu acho que o Kendall também fez sem querer.

Kendall – Eu não fiz nada. – Lorena o olha com um olhar de reprovação, então quando Lorena se vira para ir em direção ao local demarcado, Mike e Kendall dão ombradas em Sandy que está sorrindo.

Mike – Se comporte!

Lorena – Muito bem! Vamos lá Ryan!

Sandy – Oi! A gente poderia jantar junto com vocês em vez de separados?

Lorena – O quê?

Sandy – É que a gente quase não faz isso como família, seria muito especial para mim.

Mike – Não! Acho que seria melhor não fazer isso.

Kendall – É! A gente vai ficar bem aqui.

Lorena – É verdade. – Sandy astuta age.

Sandy – Tudo bem! Eles sempre fazem isso comigo mesmo. – Lorena com o coração atingido olha para Ryan.

Ryan – Tudo bem! Faz tempo que a gente não faz isso como uma família. – Eles vão passar e entrar pela porta da cozinha. Primeiro Ryan e Lorena, Sandy vai ficando mais atrás. Quando Mike e Kendall iam entrar, Sandy dá uma bundada em Kendall. Kendall cai próximo de Mike.

Sandy – Meninos! Dá pra pararem de brigar! Ao menos hoje, é uma ocasião muito importante para alguém. – Mike e Kendall se viram para Sandy com raiva, ela se abaixa e fica se protegendo com as mãos sobre a sua cabeça.

Lorena – Eí! Vai ficar tudo bem! Sandy, não precisa ficar acanhada por causa disso. Isso é coisa de garotos que não estão nem aí pra nada e só querem atazanar a vida dos outros.

Ryan – Mike! Kendall! Se comportem já! – Sandy se levanta.

Kendall – O quê? Ela é o inimigo. – Diz Kendall abaixadamente para Ryan enquanto aponta para Sandy.

Ryan – Eu sei. – Abaixadamente. Kendall  continua apontando para Sandy.

Lorena – ...

Kendall – Eu vou me sentar. – Eles se sentam.

Lorena – Então Ryan, como a gente estava falando da última vez. Eu acho muito impressionante o que esteja fazendo por eles. Principalmente o Charlie, ele é o mais talentoso.

Ryan – É! Eu sempre faço tudo pelas minhas crianças. São todos muito especiais.

Sandy – Então, como se conheceram? – Ryan cospe.

Ryan – Me desculpe! Eu acho que vou precisar de um breve momento.

Lorena – Eu acho que talvez ele prefira não falar.

Mike – É! Se ele quisesse já teria falado. Ahahahaha! – “Que droga! Estou agindo feito um idiota por causa da Sandy.”

Sandy – Aposto que ele veio de carruagem te buscar e ficou citando lindos versos pra você! Acompanhado a capela e uma linda orquestra preparada especialmente para a ocasião. Isso seria tão romântico! – Diz Sandy de uma forma apaixonada. Então Lorena dobra seus dois braços sobre a mesa juntando suas mãos, e coloca a cabeça sobre elas ao mesmo tempo que olha para Sandy. Sandy em seu pensamento “É muito fácil enganar essa perua”.

Lorena – Se você considera te perseguir todos os dias até você aceitar a sair, então acho que sim.

Sandy – Eu acho que sim.

Lorena – Esse seu olhar. Você tem alguém de quem você gosta muito?

Sandy – Sim! Acho que você já conhece. Ele se chama Charlie. Eu gosto muito dele.

Lorena – Mesmo?

Kendall – Ela está tomando o controle da situação.

Mike – Percebi.

Sandy – Lá na Holanda, quando marcamos uma viagem bem romântica, a gente tinha até uma árvore só nossa. Batizamos como canto dos desamorosos.

Lorena – Isso é muito lindo! Vocês estão namorando?

Ryan – Não!

Sandy – Sim, mas a gente prefere não contar pra ninguém. É tipo um lance secreto. – Charlie e Terry entram pela porta da cozinha.

Ryan – Terry!

Terry – Não temos tempo pra isso, preciso achar um lugar calmo pra ficar com o meu namorado.

Mike e Kendall – Oi! – Sandy pensa “Isso tá ficando muito bom”.

Ryan – O quê? Namorado?

Charlie – É, eu preciso levar esse bebê pra algum lugar. – Se referindo ao fato de ter carregado ela quase toda a viagem. – A casa na árvore. Já reformaram ela? Eu preciso achar um lugar bem calmo se não ela não vai querer se abrir pra mim.

Mike – É claro! Pode ir lá!

Terry – Vamos! Não quero perder nem mais um segundo.

Lorena – É o Charlie?

Ryan – Sim.

Lorena – Ele não era seu namorado minha flor?

Sandy – Ele vive me traindo. Parece que ele já deu umas evacuadas por aí. É o que o povo diz! Toda semana é uma diferente da outra.

Ryan – Sandy, o que você está fazendo?

Sandy – Só estou me expressando um pouco. É difícil ter que aguentar tudo o que eu passo aqui.

Lorena – Ah! Eu sinto muito, pode jogar pra fora!

Sandy – Eu acho que é só isso.

Ryan – Até que enfim!

Sandy – Uma vez ele tentou fazer algo comigo. Ele me pegou, levou pra cama dele, me virou de costas e quis fazer uma coisa estranha. Mas eu não deixei! Sinceramente eu não sei o que ele tentou fazer. – Kendall ri. – O amigo dele, o Kendall! Foi ele que bolou tudo pra que isso acontecesse. – Lorena olha Kendall com um olhar muito feio.

Lorena – Isso é muito escroto.

Sandy – Não diz isso. – Sandy agora faz uma cara triste. – Às vezes quando eu passo perto do quarto do Charlie eu sempre escuto “Não Charlie, você colocou no lugar errado!”.

Ryan – ... – “Mas que ***** ** ****!”

Lorena – Mas não tem ninguém aqui nessa casa pra te dá algum tipo de apoio ou suporte? – Sandy faz uma cara feliz.

Sandy – Toda vez que o Ryan sai, é comigo que ele conta pra tomar conta da casa. O meu irmão é extremamente imaturo e irresponsável. Eu faço o que posso pra ajudá-lo, mas ele vive me zoando. Todos nessa casa são muito mals, deveriam ser todos expulsos. Menos a Terry, ela é extremamente legal! – Michael e Kendall riem e já sabem o resultado.

Lorena – E porque ela está fazendo isso com você?

Sandy – O Charlie ameaçou ela, ele gosta de fazer essas coisas. O meu irmão Mike disse para eu não me intrometer porque eles fariam uma coisa muito maneira com ela no quarto do Charlie e do Kendall depois. Eu tento fazer o possível, mas às vezes é muito difícil porque ela é muito frágil e não consegue se defender sozinha. – Lorena já tá ficando traumatizada.

Lorena – Minha nossa, é difícil acreditar em algo assim.

Sandy – Mas é verdade. Olha? Tá vendo esse roxinho aqui? – Se referindo ao soco que ela pegou da Terry. – Foi o Mike que fez isso comigo. Com as ordens do Charlie! Mas o pior é o Kendall mesmo. Ele é o pior da facção! Todos vivem no meu pé e eu acabo virando o alvo das brincadeiras deles. – Lorena começa a se emocionar e ficar toda cheia de lágrimas.

Lorena – Isso é muito forte! Em todos esses anos eu nunca tinha presenciado algo assim. É impossível não se emocionar com isso. – Ryan está saindo do local.

Sandy – Não precisa chorar! A minha vida não é fácil, mas eu faço o que posso pra suportar ela. – Sandy fica olhando para Ryan.

 

Eles em off.

 

Terry e Charlie on.

 

Charlie – Desculpa pela forma dura com a qual eu te tratei hoje! Achei que você começaria a se abrir para mim se eu fizesse isso.

Terry – Por que realmente quer tanto saber quem eu sou? Já não te dei provas mais que suficientes?

Charlie – É, você faz isso. Quando achamos que vai dizer algo você se fecha ainda mais. Mas não parece ter obtidos os resultados que esperava, certo!

Terry – É difícil você fazer isso se toda vez está chorando ou se sentindo magoado com alguma besteira da vida. Acho que esse é o jeito de esconder a dureza que tem dentro de você.

Charlie – Não sou como você. Da outra vez é você que iria me carregar nas costas.

Terry – Se eu estendesse a minha mão você pegaria ela?

Charlie – Só se realmente fosse a sua mão. Se fizesse isso, eu com certeza te levaria para um lugar diferente. Um que não conhece ainda. – Terry sorri pra ele.

Terry – Você é muito panaca! E bobalhão! Mas não é tanto assim.

Charlie – É difícil essa relação que temos, nenhum de nós diz nada. Mas às vezes eu me sinto mais a vontade com você do que com os outros.

Terry – Não se ofende quando eu insulto você?

Charlie – Não, só o fato de estarmos namorando já deve ser um grande insulto pra você, então estamos kits.

Terry – Eu sei que a sua cor favorita é vermelho.

Charlie – E a sua também.

Terry – Faz mais o meu estilo.

Charlie – Eu amo os Beatles.

Terry – Qual sua música favorita?

Charlie – Strawberry Fields Forever.

Terry – Combina. Você viaja muito.

Charlie – Eu já estive em Liverpool uma vez.

Terry – Quando?

Charlie – Não interessa.

Terry – Repulsivo!

Charlie – O quê?

Terry – Você é repulsivo!

Charlie – E você também é repulsiva! – Os dois se agradam. – O que é o amor pra você?

Terry – Eu não sei.

Charlie – Diz. Não precisa ficar escondendo só porque acha muito bonitinho.

Terry – Tá bom! Mas cuidado, você pode se impressionar bastante.

Charlie – Por quê? É tão ruim? – Ela ri. Ele faz cara de idiota. – Vai! Eu quero te ouvir.

Terry – Não vai caçoar?

Charlie – Não.

Terry – O amor é como rosas e espinhos, quanto mais você quer mais você se machuca. Quanto menos você quer mais você deseja estar com a pessoa amada.

Charlie – Desse jeito que você fala parece que machuca.

Terry – Mas é verdade. Eu sempre estou certa!

Charlie – Você não é tão repulsiva assim.

Terry – Pra mim você continua sendo.

Charlie – A gente ainda continua falando sobre as mesmas coisas.

Terry – Não precisa, nós pegamos algo e acabamos estendendo além da conta. Vai por mim! Quem eu sou de verdade é terrível.

Charlie – Não ache que estamos ficando próximos. Não vamos ultrapassar os limites da linha imaginária. Eu só estou dizendo às coisas que estou dizendo por causa da situação.

Terry – Também acho. É melhor ficar de olho nos seus passos, eu posso acabar prevendo eles.

Charlie – Eu já previ isso.

 

Terry e Charlie off.

 

Ryan, Lorena on. Sandy on.

 

Ryan está rindo.

 

Ryan – Oi!.

Lorena – Oi!

Ryan – O que foi?

Lorena – A Sandy me falou a verdade.

Ryan – Ah é mesmo?

Lorena – É, eu achei isso super fofo! Não é? Ela me contou que você era o único a apoiar ela e que não sabia sobre as coisas que aconteciam. Ela disse que tudo que ela queria era falar a verdade e não ficar mais se sufocando por causa daquilo.

Ryan – É...

Lorena – Eu gostei. É realmente muito linda a história dessa cinderela que vivia sofrendo na mão dos seus irmãos mais velhos.

Ryan – É? Era exatamente isso, eu devia ter suspeitado desde o início. Como eu fui idiota de não perceber!

Lorena – Sair com você é uma loucura completamente insana. Sabe disso?

Ryan – É muito louco! Melhor nunca mais voltarmos a nos encontrar aqui.

Lorena – Leva a Sandy da próxima vez. – Lorena beija ele

Ryan – Sim, com certeza eu levo.

Lorena – Tchau! – Ela vai embora.

Sandy – Do que que você tá rindo?

Ryan – O que que foi aquilo lá?

Sandy – Ah não sei, inacreditável. Acho que nem as pessoas que estão lendo acreditam no que aconteceu. No mínimo ela deve ter uma mentalidade de criança pra ter acreditado numa menina de 8 anos.

Ryan – Isso foi muito bom! De verdade!

Sandy – É, com certeza foi.

Ryan – Louco!

Sandy – Ela só podia não bater muito bem da cabeça pra ter aceitado sair com você.

Ryan – A mãe da Terry fazia o mesmo, estragava todos os encontros que eu tinha. Nós sempre fomos chegados desde muito cedo. Mas deu certo no fim das contas. Eu só precisei sair com ela, era tão simples.

Sandy – Então não está com raiva?

Ryan – Quem sabe você tenha que estragar mais alguns encontros meus pra eu encontrar a pessoa certa. E também foi muito legal ver você sair daquela situação com os beliscões e fazer o que fez.

Sandy – Deve ter sido legal voltar a ter vivido outra vez. Mas nada mal! Como todo jogador que estava parado ainda vai precisar de alguns treinos pra recuperar o ritmo. Você está apenas no início da temporada, ânimo soldado! A vida é a que segue.

Ryan – Afinal eu sou ou não sou mó gatinho? Depois de hoje eu fiquei com dúvidas.

Sandy – Digo a verdade ou continuamos sendo amigos? Sabe, às vezes eu tenho que dizer algumas coisas pra levantar a moral dos meus amigos. Mas tem os olhos bonitinhos.

 

Sandy – Oi!

Charlie – Oi!

Terry – E aí?

Sandy – Se divertiram?

Terry – Não, eu tive que ficar carregando esse palerma nas minhas costas o dia inteiro.

Charlie – Basicamente isso, essa é toda a verdade.

Terry – Não está incomodada?

Sandy – Eu não. Por quê?

Charlie – Sabe?

Sandy – Queriam causar ciúmes em mim?

Charlie – Sim.

Terry – É!

Charlie – Mas parece que não deu muito certo.

Terry – Quando percebeu?

Sandy – Eu li o rosto de vocês. Sabia desde o princípio o que estavam aprontando.

Terry – Ah é?

Sandy – Sim. É que vocês não mudaram os rostos de vocês quando ficaram juntos. Quando você está com alguém que ama acaba mudando um pouco. O Charlie continuou com o mesmo jeito pateta de antes e a Terry a mesma menina rancorosa de sempre, mas parece que aconteceu algo.

Charlie – Preciso ir.

Terry – Eu tenho que pensar no que fiz. – Eles se retiram.

Mike – Pra que serem tão misteriosos?

Sandy – Não sei, mas eu acho que é a mesma coisa de sempre. A Terry parecia mais revigorada, antes disso não parecia estar mais com a mesma energia habitual de sempre.

Mike – É por isso que somos importantes pra ela.

Sandy – Não quer trocar um pouco? Revezar, sabe?

Mike – Não, o papel que exercemos pra ela é muito importante. Você cuida pra que ela se sinta bem e eu pra que ela continue de pé.

Sandy – É só que você não parece mais o mesmo de sempre. Eu sei como é, eu sou o coração e você é a mente dela. Ok!

Mike – Ela precisa de nós para manter o equilíbrio, o psicológico e o emocional são muito vitais pra que ela continue a seguir em frente.

Sandy – Pode ser, mas isso não muda o que eu penso. Somos os mais capacitados para isso.

Mike – Tem razão! Boa noite!

 

No outro dia.

 

Kendall – Oi!

Terry – Oi!

Kendall – E o que aconteceu ontem?

Terry – Eu não sei. Não ao certo.

Kendall – Eu sei, mas eu não sabia que pensava assim. É meio difícil saber como está se sentindo, ainda mais com as coisas estranhas que faz. Às vezes você assusta os outros.

Terry – Acho que não existe nada mais assustador do que eu. Eu sou a representação de tudo aquilo que as crianças não deveriam ser.

Kendall – Então está me chamando de criança?

Terry – Comparado comigo você é apenas um bebê que está em gestação.

Kendall – Então você se acha tão superior assim?

Terry – Sim, eu sou! Porque é desse modo que as coisas são. Nessa relação que temos eu sou a dominadora. Um mascote nunca vai ser superior ao seu mestre.

Kendall – É, espero que entenda o que diga. Tudo que diz é muito essencial para aquilo que as pessoas irão pensar de você.

Terry – Mas dessa vez, resolvi deixa as minhas ações de lado.

Kendall – Por quê?

Terry – Porque estou muito melhor! Acho que depois de ontem eu descobri quem eu sou.

Kendall – Então é isso mesmo que eu estou pensando?

Terry – É! Eu gosto do Charlie! Por isso queria deixar claro que algo entre nós nunca poderia acontecer, aquilo que aconteceu nunca mais vai voltar a se repetir.

Kendall – Sim! É isso! Então está apaixonada pelo Charlie?

Terry – Sim, estou. Dessa vez só resolvi não esconder, não queria mais esconder as minhas emoções. Eu acho que tudo o que eu fiz está fazendo muita diferença na minha vida, todas elas. Mas esses sentimentos não são muito importantes. Eu também tenho as minhas próprias razões e emoções.

Kendall – Fico feliz de ouvir isso, espero que aquilo fique pra sempre no passado.

Terry – Não, já faz parte de nós. Nunca vamos parar de pensar em nada do que aconteceu. Mas acho que se formos com cuidado, isso não vai acabar gerando um impacto em nossas vidas. Fico feliz que eu tenha deixado isso claro com relação aos meus sentimentos. A verdade é só uma, eu amo o Charlie! – Os dois sentem.

Kendall – E eu também. Mas no final eu fico feliz.

Terry – Por quê?

Kendall – Porque no fim das contas você acabou se apaixonando por um pateta.

Terry – Idiota!

Mike – Terry.

Kendall – Eu já tenho que ir.

Mike – Trouxe seu café. – Kendall sai de costas.

Terry – O que é?

Mike – Um Sandyuíche. – Terry sorri.

Terry – Oba!

Mike – Então está melhor agora?

Terry – Sim. Acho que com isso eliminei qualquer tipo de emoção que tenha dentro de mim, me sinto pronta mais uma vez. – Então um Mistério fica no ar.


Notas Finais


Capítulo 9 - R City


Sinopse: Sandy revê um velho amigo, 'Choe'.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...