1. Spirit Fanfics >
  2. Chat Clubs >
  3. Oitavas de final - Ida

História Chat Clubs - Capítulo 5


Escrita por: avellaneda e truvao

Notas do Autor


Meu deus que bosta! Roubaram meu time na cara dura e até agora estou put* com isso! Mas tenho fé que iremos melhorar, ja passar de fase não sei! Comentem o que acham e dicas ou até coisas que eu nao vi no jogo! Beijos amores ❤ (Alias, a cada semana dos jogos sairá um capitulo e quem sabe saia outros antes como bonus para a história não ficar chata.)

Gente alias, se ficou meio estranho a maneira de como ficou a fic (Me refiro aos paragrafos estarem mtt na frente) é por conta do meu pc ok? Beijos Boa leitura ❤

Capítulo 5 - Oitavas de final - Ida


  - Fiquem a vontade! Quem for chegando pode indo pros quartos! - Atletico Mineiro, um garoto de cabelos castanhos e os olhos escuros deu um sorriso alinhado olhando pra garota alta dos cabelos azuis quando abriu a porta da concentração que ficava no Uruguai. O brasileiro ficou-a olhando, e com aquele vestido preto colado no corpo com o salto alto preto era impossível não querer olhar.

  - Eu achei que você era um garoto. - Atletico disse baixo olhando pra menina sumir de cena, ele logo caminhou pelo lugar e pode se surpreender. As paredes estampavam os quadros dos campeões da Libertadores, os quartos ficavam na parte de cima, a cozinha ficava em outra parte da casa, Atletico logo decidiu subir as escadas e foi em direção ao seu quarto, mas se surpreendeu quando escutou um "bu" vindo na direção de um dos quartos. 

   - Fala viado! - Fluminense era quem estava ali, um menino que tinha o cabelo pintado de vermelho, moreno dos olhos claros, vestia uma camiseta tricolor, short largo, meia até o joelho e chuteira de futsal. Atletico cumprimentou se assustando com o carioca.

    - Caraca não sabe nem pentear o cabelo. - Atletico cumprimentou ajeitando a mochila. - Onde é meu quarto. 

   - Nem sei, procura ai! - Fluminense ja ia entrando no quarto. - Depois volta aqui pra nós resenhar! 

   - Boca ja chegou?  - Atletico se virou antes de caminhar em direção do corredor, Fluminense negou. - Ainda bem.

***

   - yo no quiero hablar con vos, maricón. - Boca Juniors, um menino doce e alegre, mas que passava por uma das piores fases de sua vida, sentia-se mal por ter um garoto dos cabelos pretos que vivia em seu pé: River Plate.

   - Vos que sos un maricón, vives con los brazukas! - River, um menino dos olhos escuros com os cabelos pretos, que até usava a camisa especial de 2018, com um tenis branco e com um short preto, fala o olhando, cruzando so braços, e logo teve a confirmação quando percebeu um garoto moreno dos olhos escuros pulando nas costas do rival. Boca se assustou, e logo se virou com um sorriso no rosto em meio a tantas lágrimas que chorava, Flamengo, aquele  mesmo garoto animado de 2019, manteve a felicidade e a quis trazer um pouco para o amigo de anos. 

   - Senti sua falta! Tempão que não nos falamos! - Flamengo o cumprimentou após separar o abraço, River olhava tudo na sala de jogos da concentração dos times, Boca o olhou com um sorriso malicioso. - Esse seu amigo eu conheço muito bem! - Flamengo piscou um dos olhos pro outro argentino que mostrou o dedo do meio saindo dali puto da vida. 

   - Estoy muy feliz por vos estas aca - Boca o abraçou novamente, e no fundo podia ver outros times o olhando, e  o olhar de Atletico Mineiro era certeiro sobre o argentino. 

***

   - Bem vindos a Libertadores! - Todos ja estavam ali, exceto um time que estava na porta ansiosa para entrar. A conmebol chamou todos ali na sala para conversarem. Alguns ja se olhavam torto sabendo que iam se enfrentar. - Eu sou a CONMEBOL e ficarei responsável por vocês até o final do campeonato, as regras estão naquele livro. - Ela aponta pro livro no canto da sala que mais parecia uma bíblia. - E quero que todos saibam as principais que estão na primeira 5 paginas. 

  - Quem ja estava aqui antes precisa ler denovo? - Flamengo disse empolgado, passando os braços por cima dos ombros de Boca que o olhou confuso. 

   - Acho que alguns ja até decoraram! - Conmebol sorri. - Mas como alguns faz tempo que não estão aqui é bom relembrar! - Ela disse olhando em volta. - Alias quero dar um recado: Temos a Universidad Catolica, ela é a unica menina entre vocês e quero o respeito com ela assim como vocês tem comigo! - A menina entra na sala sorrindo meiga, todos os outros times a olham se encantando pela garota, apenas Palmeiras a ignora completamente. A menina dos olhos claros, dos cabelos castanhos cumpridos, com a camisa do clube e uma saia cheia de estrelas para representar a seleção cumprimenta com um tchauzinho pros outros "rivais". 

   - Enfim como ja sabem, quem perder ja vai direto pra casa! A porta da casa é logo ali! - Conmebol fala séria após olhar para cada time sentado no sofá, ou até no chão.

   - Virou big brother. - Fluminense cochicha com Atletico Mineiro que quase tira a tensão do ar com a risada que soltaria se não soubesse se controlar; 

  - Quando começamos? - Um dos clubes perguntou. 

   - Hoje a noite. Boca, Atletico, São Paulo, Racing, Cerro e Fluminense estejam preparados! 

***

 

BOCA JUNIOS 0X0 ATLETICO

   Os olhares atravessados, ambos se olhavam de vez em quando mortalmente, Boca concentrava, sentado na cadeira do lado de Atletico, com o controle em mãos. Atletico também estava concentrado, controlando muito bem. Conmebol, sentada na cama atrás, ja que havia colocado os meninos para jogar em um dos únicos quartos que tinha TV, colocando uma cadeira na frente das duas TV, estava quase dormindo com o jogo parado de ambos, estava até com uma taça de vinho em mãos. E logo pode participar quando percebeu Boca marcando um gol. 

   - DALE CARAJO! - Boca comemorou, e Conmebol havia visto que o brasileiro se destraiu no instante com algum barulho do lado de fora, e Boca a olhou indiginado quando a mesma anulou. - QUE TE PASA? - Boca perguntou bravo, jogando o controle na cama. 

   - Ele se destraiu! Não vale! - Atletico deu um sorriso olhando pra mulher, Boca bufou, sentando na cadeira. Os outros times estavam la fora, Fluminense x Cerro estava jogando em outro quarto, e antes que vocês estranhem: quando tinha jogos no mesmo horario, um assistente da menina Conmebol ficava olhando no lugar dela. 

   - Enfim! Prosseguimos! Pegue o controle Boca senão será pior! - Boca quase começou a chorar se não tivesse que continuar a partida, e quando terminaram, perceberam que Conmebol quase estava dormindo.

***

 

FLUMINENSE  2 X 0 CERRO PORTEÑO

   - Amém! - Fluminense sorriu curtindo a pressão dos ataques, Cerro Porteño estava olhando a tela sem expressão, com as mãos fixas no controle. O assistente da conmebol vigiava firmemente, e este jogo estava bem melhor que o jogo do outro brasileiro. Logo, em um lance de ataque do Cerro, o menino conseguiu marcar, comemorou, até o assistente aplaudiu, mas ficou chateado quando, no próprio video game, se marcava impedimento. 

   - QUE? - Cerro olhou pro tricolor que gargalhou gostoso, logo o paraguaio olhou pro assistente que deu de ombros, ele não podia fazer nada. 

   - Cala a boca e senta ai! - Fluminense tentou manter a pose que não tinha, e só viu um dedo do meio na cara. Ignorou, continuando o jogo, parece que Cerro ficou chateado pelo gol anulado e se destraiu, tomando dois gols do time brasileiro que comemorou ambos da mesma maneira que seus jogadores; 

   - Esta tudo bem? - Fluminense no final sorriu irônico, Cerro somente saiu da sala sem olhar pra ninguém, só foi para seu quarto e se trancou la dentro. Fluminense saiu todo felizinho, e foi até engraçado os outros mandando um fodase pra comemoração. Aliás, Cerro era um menino dos olhos pequenos e os cabelos cumpridos. Moreno, vestia a camisa do time, uma bermuda larga e um chinelo. Irmão de Olimpia, era paraguaio e adorava ficar sozinho, assim como seu irmão, e algo que ele detestava era ficar ouvindo outras pessoas falarem. Não tinha amigo naquele momento, tratava seu irmão da pior maneira possível, era sangue frio, quieto, tímido, e só pensava em uma coisa: na Copa Libertadores. 

***

 

SÃO PAULO 1X1 RACING

   Depois de outros jogos terem acontecido mais cedo, São Paulo e Racing estavam disputando o terceiro jogo do dia. O brasileiro inteligente e bem humorado, que tinha os cabelos pretos e que usava sua camisa e uma gravata, com uma calça social preta e o tênis com um branco bem forte estava empolgado, mas sentia o controle deslizando na mão pelo suor. Tinha as pernas cruzadas e um pouco trêmulas, fazia tempo que não sentia-se bem consigo mesmo pelo seu bom futebol que apresentava, sentia-se empolgado e feliz, e quando pensava no pior, se lembrava do campeonato paulista de 2021. 

   Por outro lado havia um Racing meio assustado, um menino baixo dos olhos claros, usava um short da seleção argentina e ficava feliz quando o olhava pois se lembrava da final da Copa America. Tinha os meiões até o joelho e usava chinelo, ja que não gostava muito de jogar de chuteira. O que destacava era a jaqueta do clube que usava, o menino que sorria malicioso o tempo inteiro na partida, estava jogando e acabou dando uma unica bobeira que fez com que o São Paulo abrisse o placar. 

  Conmebol, a menina que novamente se encontrava sentada na cama tomando água (desta vez) aplaudiu achando bonito o gol. Racing revirou os olhos, e começou a aguentar a zueira que  o brasileiro fazia na sua cabeça. E em um toque de mágica, no final do primeiro tempo, Racing sentiu uma força que poderia dizer "Fua el diego" que conseguiu chegar no ataque e marcar um gol de fora da área. 1x1.

   Pronto, começou as provocações. Conmebol ficou olhando ambos discutirem o tempo inteiro, um mandando indiretas pro outro, um em portugues e o outro em espanhol. A menina estava quase dormindo com aquela discussão de ambos que não parecia ter fim, e logo tomou uma atitude tanto quando... ousada.

   - Ambos pra fora agora! Pelo jeito deixemos isso pra próxima semana! 

***

   VELEZ 1x0 BARCELONA

   - Pessoas o próximo que vier jogar jogue direito! Não aguento mais jogos mortos! Parece campeonatos de segunda divisão! - O assistente da Conmebol deu um grito olhando pros meninos na sala, Flamengo se assustou e os outros viram Velez saindo comemorando a vitória pelo único gol que fizera no Barcelona. Velez, que era um menino loiro dos olhos claros, com a arrogância estampada no rosto, usava uma regata com o escudo do time, um short da Argentina, assim como Racing, e usava um tênis branco que também se destacava. O garoto que tinha tatuagens pelo braço (não que os outros também não tinham), sorria vitorioso olhando pros times ao redor, e subiu as escadas diretamente pro seu quarto. 

   Por outro lado, havia um Barcelona emburrado, um garoto moreno dos olhos escuros que somente observou Velez subir pelas escadas. Sentou-se ao lado de River revirando os olhos, usava uma camisa do próprio clube, usava uma chuteira (sim, uma chuteira de verdade com travinhas) e o que mais chamava a atenção: Um short do Barcelona da Europa, se achando o tal. Alguns ja o olharam torto somente por aquilo, ele ignorava, ja que o ego era bem maior que os olhares alheios. 

   - Próximo?

***

   UNIVERSIDAD 0x1 PALMEIRAS

   - La concha de tu hermana brasileño! - Universidad batia os pés com força no chão, a menina, (que ja contei como é) sentia uma pressão enorme de ser a unica representando a equipe, e se tinha algo que ela mais odiava era perder jogos. Continuou o jogo normalmente, Palmeiras, um cara com os cabelos na régua, como diria os brasileiros, os olhos escuros, que usava um óculos escuros nos olhos mas nos jogos colocava o mesmo na cabeça. A corrente no pescoço, os foninhos caídos pelo peito, a camisa do palmeiras de campeão da Libertadores com um short apertado e um tênis verde, sorria a todo momento com os ataques que criava. Esbanjava ostentação e arrogância, narcisista, como fala os rivais, e não era essa copa que mudaria esta postura. 

   - To bem na partida. - Disse pois amava provocar os rivais, mas a menina não cairia em suas brincadeiras. E novamente havia uma Conmebol atrás olhando a partida, mas agora se destraía no celular, mas mesmo assim estava prestando atenção na partida. 

   - y su mundial? - Palmeiras olhou pra menina seriamente, odiava ter que falar de mundial, e creio que era o que ele jamais queria falar. A olhou sério. 

   - Vai apelar filha da puta? - Conmebol olhou pra menina percebendo que a mesma mudou o humor. 

   - Va a quedar hablando así hijo de mil putas! - Começaram uma discussão aleatória em meio a partida, e Conmebol novamente olhou o celular, sem ao menos entender o que houve, somente depois levantou o olhar quando os gritos aumentaram o om, e percebeu a menina dando um leve soco no braço de Palmeiras, mas que foi suficiente pro paulista cair no chão forçando uma agressão. Universidad não entendeu nada, mas Conmebol rapidamente deu um penalti pro brasileiro. 

   Cobrou e marcou, comemorando como se fosse um gol "limpo". A menina entrou em choque, olhando pra mulher dos cabelos azuis ignorando completamente, voltando a atenção no celular. Um ódio se esbanjava nos olhos de Universidad, e juraria a seu Deus que se vingaria no próximo jogo. 

***

   RIVER 1X1 ARGENTINOS JUNIORS

   - "Você poderia me deixar ganhar?" - River mandou um beijinho pelos ares para o rival. O que eu podia falar dele? Argentinos Juniors, um menino dos cabelos castanhos, baixo, dos olhos castanhos, um menino sentimental e calmo, que poderia ser manipulado facilmente pela doçura e inocencia, mas ele dizia que Libertadores era outra historia.  Usava uma camisa do próprio clube, um short da  seleção Argentina, um meião com tênis rasgado na frente, humildade era estampado no garoto, mas poucos realmente conheciam sua postura. Tinha como melhor amigo o próprio Boca Juniors que  o apoiava, ele adorava mexer no celular e odiava ser perturbado quando estava fazendo alguma coisa. Ele tinha como principal rival nesta edição o próprio River. 

   - "E você poderia calar essa sua boca". - (colocando em aspas o que é em espanhol) O olhou mortal mandando aquela indireta, O assistente da Conmebol estava concentrado na partida, mas como os meninos estavam quase um do lado do outro, ele não escutava ambos conversando e muito menos o que conversavam. 

  - "Você paga pau pro Boca que é amiguinho de brasileiro e eu sou o idiota?" - falou direto, detestava o rival, mesmo que o amasse no fundo. 

   -"Você esta cheio de amizade com o Internacional e o Atletico Mineiro... quer falar o que dele?" - Jogou direto, o jogo estava 1x1, nem estavam querendo jogar, estavam mais mandando bola um no gol do outro para terminar aquela partida logo. 

   - "Eu não quero discutir com você." - River colocou sua mão na perna do menor que o olhou incrédulo.

   - "Mundial eu não posso te dar!" - o menino riu com o próprio comentário: River detestava falar de mundial, isso doía desde 2018. E obvio que o que ele mais gostava era infernizar a vida dos outros...

   - "Idiota." - aguardava o final da partida, ja ia acabando, mas tomou um susto quando Argentinos deu um chute bem perigoso. E quando terminou, o menor somente piscou um dos olhos para River, saindo do quarto sem dizer absolutamente nada.  River ficou parado, pensando em que fazer. 

***

   DEFENSA 0X1 FLAMENGO 

      Defensa: um menino dos olhos claros, com um sorriso fofo no rosto, tinha os cabelos brancos por conta da platina de campeão da sudamericana que ainda se fazia presente, usava uma camisa do Defensa e uma calça jeans apertada com umas meias, ja que não curtia andar de chinelo nem tênis. O menino ficou olhando pro Flamengo em quase toda a partida, lógico que também prestava atenção em seu jogo. Defensa gostava do São Paulo, fizeram uma amizade surreal e pediu conselhos para o paulista com o Flamengo, e conseguiu seguir os conselhos dando uma puta pressão no time carioca, mas que no final havia feito um gol com erro de Defensa e havia vencido o jogo. O que era engraçado em Defensa era que ele amava ler livros, era estranho mas era algo como, especial... odiava bagunça e barulho, exceto quando sentia-se campeão. 

   - Você jogou bem. - Flamengo, um menino moreno dos olhos escuros, que usava uma roupa típica de onde era: chinelo, bermuda e camisa do time com uma corrente no pescoço e um chapéu virado pra trás, com um sorriso falso no rosto olhou pro argentino que ainda estava sério. 

   - Gracias. - Defensa disse saindo dali rapidamente, sem graça, Flamengo não entendeu nada, mas saiu comemorando a vitória com a arminha de brinquedo em mãos, que ele dizia ser seu amuleto da sorte. Conmebol olhou aquilo e se assustou, mas sabia que aquilo era inofensível: bem, isso era ela quem julgava. 

   ***

  OLIMPIA 0X0 INTERNACIONAL

    "Se o próximo jogo for um lixo, eu termino ele ainda no primeiro tempo!" a frase ecoava na cabeça de Internacional, Um menino com os cabelos e os olhos claros, com um aparelho na boca todo vermelho. Vestia uma blusa de frio com o escudo do clube, uma calça jeans branca e um tênis de futsal da adidas. Amava tomar mate, no caso chimarrão, e compartilhava as vezes com os argentinos, principalmente com River, que era o time mais próximo dele ali no momento. Por outro lado tinha Olimpia, um menino baixo dos cabelos e olhos escuros, diziam que ele parecia comum proprio jogador do time chamado Derlis Gonzalez. O menino era irmão de Cerro Porteño mas odiava falar isso, vestia o uniforme tradicional do time com uma exceção: um tenis que brilhava no escuro. De cara todos acharam bizarro mas levaram em consideração. Não tinha melhor amigo, o que mais odiava era ter que falar em publico e quase moreu quando teve que se apresentar na frente de 15 equipes. E uma coisa que ele amava era ficar sozinho... 

   -  Chega! - Conmebol deu um grito ja nervosa, passando as mãos nos cabelos. Internacional e Olimpia se entreolharam com medo. - Desliga esta porcaria e saiam. - Nem ousaram debater se terminaram ou não o primeiro tempo, sairam ambos pela mesma porta, Conmebol bufou e a expressão de cansada era vista em seus olhos.

   - Eu só espero que os próximos sejam melhores!


Notas Finais


Qual jogo foi o pior na opinião de vocês? KKKKKKKKKKKKKKKKK e desculpem a demora pra fanfic dos guris do Renato, eu estava com alguns compromissos e não pude continuar esta semana!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...