História CHB - Aventuras e Desventuras - Interativa - Capítulo 1


Escrita por: e Nanabi

Postado
Categorias Diabolik Lovers, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Christa, Cordelia, Demeter, Dionísio, Hades, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Íris, Jano, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Nêmesis, Niké (Nice), Perséfone, Personagens Originais, Poseidon, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tique, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami, Zeus
Visualizações 635
Palavras 567
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drabble, Ecchi, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem vindos a essa fanfic interativa, ela será baseada na série de CHB (Ou mais conhecidos como Percy Jackson), usando alguns princípios da mesma.

Nessa fanfic tem duas pessoas responsáveis, eu (Rinelenkagam) e a Co-autora (Nanabi), suas duvidas podem ser tiradas tanto comigo ou com ela. Ela também irá avaliar as fichas junto comigo!

Quero agradecer a ela por ter betado esse prólogo e por ter me ajudado a escreve-lo também. Deem todo amor para ela!

Capítulo 1 - Prólogo - Até um filho de Hebe


Fanfic / Fanfiction CHB - Aventuras e Desventuras - Interativa - Capítulo 1 - Prólogo - Até um filho de Hebe

O silêncio se apossou da sala ampla, carregado por uma tensão palpável — uma faca afiada poderia cortá-lo espontaneamente e sem muitos problemas. O diretor, homem de idade, encarava os jovens a sua frente friamente: seus olhos castanhos avaliavam os rostos e expressões alheias, com afinco, procurando qualquer resquício de nervosismo, hesitação e culpa. Porém, não era nada disto o que encontrava. Os filhos distintos mais pareciam insatisfeitos e aborrecidos com suas presenças no local;pareciam repudiar ser submetidos a situação em que estavam, mas não havia nada a ser feito quando, porventura, sua proximidade com Komori Yui os colocava em tal.

O homem grisalho continuava a examiná-los com as orbes ardentes, enquanto os demais esperavam sua primeira palavra com impaciência evidente. No entanto, o mais velho presente não detinha da intenção de iniciar a futura discussão. Seus pensamentos, na realidade, continuavam voltando sempre para o mesmo lugar; a mesma pessoa; o mesmo incidente. Komori Yui surpreendera a todos com sua audácia, quando roubara o acampamento, visando novamente que mesmo um filho de Hebe poderia cometer tal atrocidade.

— Quando pretende começar? 

Apressando-se, falou o filho de Zeus, batucando ansiosamente o pé no chão. Odiar pode ser uma palavra forte para expressar o sentimento do albino, porém a mais adequada — Subaru odiava reuniões, e previa o momento em que seria liberado da que estava.

— Já sei como isso terminará. Podemos ir embora, então? 

O menor entre os presentes se pronunciou, a voz soando entediada, culpa de seu desgosto por tais situações.

— Você não está sendo acusado de algo que não fez, ao menos.

Shu, mantendo seus olhos fechados, soltou.

— O que disse, bom pra' nada? 

O filho de Nêmesis retrucou com a voz firme, voltando seus olhos para o loiro.

— Até onde sei você estava responsável pela guarda fronteira.

— Não fiquem aí acusando um ao outro, não irá mudar o verdadeiro culpado.

Um dos ruivos disse, os braços cruzados e as íris verdes direcionadas ao diretor.

— Bom, eu apenas não sei o que faço aqui. Já dei meu depoimento. Como disse, estava fazendo entregas.

Laito disse e suspirou.

— Silêncio! Tem noção da seriedade do que aconteceu? Demonstrem alguma decência! — O diretor levantou-se pondo as mãos na mesa a sua frente, perdendo um pouco de seus princípios.

— Não me importo com isso, mas não quero ser acusado de algo que não fiz.

O loiro falou baixo e desinteressado a essa altura.

— Sr. Diretor, o oráculo acabará de fazer uma profecia nova para o acampamento.

Reiji arrumou os óculos no rosto.

— Quer discutir esse assunto agora?

— Não dará certo, reconsidere trazê-los para cá. Eles já estão velhos e possuem pouco treinamento.

Kanato encarou Reiji, levantando-se alarmado e com pressa.

— Cale a boca e se sente ai! Não me interessa nem um pouco suas previsões.

Subaru esbravejou rude e irritado.

— Se ponha em seu lugar, Subaru! Não ouse falar assim com ele!

Ayato intrometeu-se esfumaçante. Sequer importava-se mais de quem o albino era filho.

— Olhe só; não me implica em nada nenhum de vocês, e a profecia fez-se. De qualquer forma, estou atrasado com minhas entregas. Estou saindo.

Laito levantou, girou os calcanhares e se pôs a caminhar para fora da sala.

De fato, quando uma profecia era feita não havia nada a se fazer sobre, e o rapaz ruivo acatou sua consciência, evitando se envolver. Entretanto, pouco longe de si, esgueirou-se entre as árvores uma figura esguia.

— Isso vai ser tão divertido!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...