1. Spirit Fanfics >
  2. CHB e Deuses lendo Percy Jackson-Livro 3 >
  3. Grover arranja uma Lamborghini-parte 1

História CHB e Deuses lendo Percy Jackson-Livro 3 - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


O que estão a achar deste livro até agora? :)

Capítulo 23 - Grover arranja uma Lamborghini-parte 1


Nós estávamos cruzando o Rio Potomac quando avistamos o helicóptero. Era um modelo militar preto e lustroso, como o que vimos no Westover Hall. E estava vindo diretamente para nós.
"Eles conhecem a van," falei. "Temos que despistá-los."

Quiron começou a leitura, com todos os olhos postos em si.

Zoe desviou para a pista rápida. O helicóptero estava nos alcançando.
"Talvez os militares atirem neles," Grover disse esperançoso.

Dionisio soltou um riso ironico.

"Os militares provavelmente acham que é um deles," eu disse. "Em todo caso, como o General pode usar mortais?"
"Mercenários," Zoe disse, amargurada. "É desagradável, mas muitos mortais lutam por qualquer causa desde que sejam pagos."
"Mas esses mortais não veem para quem estão trabalhando?" perguntei. "Não percebem todos os monstros ao seu redor?"
Zoe balançou a cabeça.
"Não sei o quanto eles veem através da Névoa. Duvido que se importariam se soubessem a verdade. Às vezes mortais podem ser mais horríveis que monstros."

Murmurios de concordancia foram ouvidos aqui e ali.

O helicóptero continuava vindo, tendo um momento bem melhor que o nosso pelo meio do trânsito de Washington D.C.
Thalia fechou os olhos e rezou firme.
"Ei, Pai. Um relâmpago seria bom agora. Por favor?"
Mas o céu continuou cinza e com neve. Nem sinal de uma trovoada de ajuda.
"Ali!" disse Bianca. "Aquele estacionamento!"
"Seremos encurralados," Zoe disse.
"Acredite em mim," falou Bianca.

Hades deixou um sorrisinho escapar, mas rapidamente se compos, rezande, bem, a si mesmo????? Que ninguém tivesse reparado. Quiron tinha os olhos no lovro, no entanto, um outro par de olhos, cinzentos, emoldurados por cabelos dourados captaram o subtil movimento do deus.

Zoe disparou através de duas pistas de trânsito e para dentro do estacionamento de um shopping na margem sul do rio. Nós deixamos a van e seguimos Bianca descendo alguns degraus.
"Entrada do metrô," Bianca disse. "Vamos para o sul. Alexandria."
"Qualquer coisa," Thalia concordou.
Compramos passagens e passamos pelas catracas, olhando para trás por algum sinal de perseguição.
Alguns minutos depois nós estávamos seguros a bordo de um vagão em direção ao sul, indo para longe de Washington D.C. Quando nosso trem veio para superfície, pudemos ver o helicóptero rodeando o estacionamento, mas ele não veio atrás de nós.
Grover soltou um suspiro. "Bom trabalho, Bianca, pensando no metrô."
Bianca parecia satisfeita. "Sim, bem. Vi essa estação quando eu e Nico passamos por aqui no verão passado. Eu me lembro de ter ficado bastante surpresa em vê-la, porque não estava lá quando nós moramos na capital."
Grover franziu as sobrancelhas. "Nova? Mas aquela estação parecia bem velha."

Percy do presente arqueou as sobrancelhas, bem como muitos dos presentes. Athena começou a formar uma teoria, mas nao era uma que gostava muito.

"Eu acho," Bianca disse. "Mas confiem em mim, no tempo em que moramos aqui quando criancinhas, não havia metrô."
Thalia ajeitou-se para frente. "Espere um minuto. Nada de metrô?"
Bianca assentiu.

Athena bufou, Lotus, só podia ser, mas quem era o deus que deixava os filhos no Lotus por não sei quntos anos... a não ser que...
Encarou Hades, afinal, o que estava o deus ali a fazer? 

Agora, eu não sabia nada sobre D.C., mas não via como todo o seu sistema de metrô poderia ter menos de doze anos. Acho que todos estavam pensando a mesma coisa, porque eles pareciam bem confusos.
"Bianca," disse Zoe. "Há quanto tempo atrás..." A voz dela esmoreceu. O barulho do helicóptero estava ficando mais alto de novo.

Poseidon e Zeus teocaram olhares preocupados e em seguida encararam o irmao de forma subtil.

"Precisamos trocar de trem," eu disse. "Próxima estação."
Durante a próxima meia hora, tudo no que pensávamos era escapar em segurança. Trocamos de trem duas vezes. Eu não tinha idéia para onde estávamos indo, mas depois de um tempo despistamos o helicóptero.
Infelizmente, quando finalmente saímos do trem nos encontrávamos no fim da linha, em uma área industrial com nada além de armazéns e trilhos de ferrovias. E neve. Muita neve.
Aparentava estar mais frio aqui. Eu estava contente pelo meu novo casaco de pele de leão.
Vagamos pelo pátio da ferrovia, pensando que poderia haver outro trem de viagem em algum lugar, mas havia apenas fileiras e fileiras de carros de carregamento, a maioria coberta de neve, como se não tivessem se mexido em anos.
Um sem-teto estava junto a uma fogueira acesa em uma lata de lixo. Nós devemos ter parecido bem patéticos, porque ele nos deu um sorriso banguela e disse, "Tão precisando se aquecer? Venham pra cá!"
Nós nos amontoamos ao redor da fogueira dele, Thalia estava batendo os dentes. Ela disse, "Bem, isso é ó-ó-ótimo."
"Meus cascos estão congelados," Grover se lamentou.
"Pés," eu corrigi, por causa do sem-teto.
"Talvez devêssemos comunicar o acampamento," Bianca disse. "Quíron —"
"Não," disse Zoe. "Eles não podem mais nos ajudar. Nós devemos terminar a missão." Fixei o olhar miseravelmente no pátio da ferrovia. Em algum lugar, no extremo oeste, Annabeth estava em perigo. Ártemis estava acorrentada. Um monstro do juízo final estava solto. E nós estávamos presos nas periferias da capital, dividindo a fogueira com um sem-teto.
"Sabe," o sem-teto disse, "você nunca está completamente sem amigos." Seu rosto estava encardido e sua barba emaranhada, mas sua expressão parecia amigável. "Vocês crianças precisam de um trem que vai para oeste?"
"Sim, senhor," eu disse. "Você sabe de algum?"
Ele apontou uma mão sebosa.
De repente percebi um trem de carregamento, brilhando e sem neve.

Hermes franziu o sobrolho, o silencio pairava.

Era um daqueles trens que carregam automóveis, com cortinas de malha de aço e três andares de carros dentro. Ao lado do trem de carga dizia LINHAS SOL OESTE.
"Isso é... conveniente," disse Thalia. "Obrigado, hã..."

- Ah não, algo está errado- disse Apolo

- De novo- completou a sua irmã

Ela se virou para o homem sem-teto, mas ele tinha sumido. A lata de lixo à nossa frente estava fria e vazia, como se ele tivesse levado as chamas consigo.

Grover do presente gemeu no seu ligar.

Uma hora depois estávamos nos deslocando ruidosamente para oeste. Não houve problema sobre quem iria dirigir agora, porque todos nós pegamos nossos próprios carros de luxo. Zoe e Bianca estavam esparramadas em um Lexus no andar de cima. Grover estava brincando de piloto de corrida atrás do volante de uma Lamborghini. E Thalia tinha feito ligação direta no rádio de uma Mercedes SLK preta para poder escutar as estações de rádio de rock alternativo da capital.
"Posso me juntar a você?" perguntei a ela.

Ela deu de ombros, então subi no assento do carona.
O rádio estava tocando White Stripes. Eu conhecia a música porque era um dos únicos CDs que eu tinha que minha mãe gostava. Ela falava que lembrava o Led Zeppelin. Pensar na minha mãe me deixou triste, porque não parecia que eu estaria em casa para o Natal. Talvez eu não vivesse tanto assim.
"Casaco legal," Thalia me disse.
Puxei o casacão para me cobrir, agradecido pelo aquecimento. "É, mas o Leão da Neméia não era o monstro que estávamos procurando."
"Nem chegou perto. Temos um longo caminho a percorrer."
"O que quer que seja esse misterioso monstro, o General disse que virá atrás de você. Queriam isolar você do grupo. Aí o monstro apareceria e lutaria com você no mano a mano."

Ártemis suspirou.

"Ele falou isso?"
"Bem, alguma coisa assim. É."
"Isso é ótimo. Amo ser usada como isca."
"Nenhuma idéia do que o monstro pode ser?"
Ela balançou a cabeça sombriamente. "Mas você sabe para onde estamos indo, não sabe? São Francisco. Era para lá que Ártemis estava indo."
Lembrei de algo que Annabeth havia falado durante a dança: como seu pai estava se mudando para São Francisco e não tinha como ela ir. Meio-sangues não podiam viver lá.

- Lá isso é verdade- Héstia murmurou encarando o fogo pensativa.

"Por quê?" perguntei. "O que tem de tão ruim em São Francisco?"
"A Névoa é realmente densa lá, pois é muito perto da Montanha do Desespero. Magia dos Titãs — o que restou dela — ainda resiste. Monstros são atraídos para aquela área de um jeito inacreditável."
"O que é a Montanha do Desespero?"
Thalia levantou uma sobrancelha. "Você realmente não sabe? Pergunte para a estúpida da Zoe. Ela é a especialista."
Ela olhou fixamente através do pára-brisa. Queria perguntar sobre o que ela estava falando, mas também não queria soar como um idiota. Odiava a sensação de que Thalia sabia mais do que eu, então fiquei de boca fechada.
O sol da tarde brilhou através da malha de aço da lateral do vagão de carga, fazendo uma sombra no rosto de Thalia. Pensei no quanto ela era diferente de Zoe — Zoe toda formal e indiferente como uma princesa, Thalia com suas roupas maltrapilhas e comportamento rebelde. Mas havia algo similar entre elas, também. O mesmo tipo de tenacidade. Nesse momento, sentada nas sombras com uma expressão carregada, Thalia parecia uma das Caçadoras.

Zeus deixou um barulho estranho escapar da sua boca, mas rapidamente disfarcou, no entanto, bem, toda a gente ouviu, aoenas nao perceberam. Já Annabeth deu um pequeno sorriso.

Então, de repente, eu me dei conta. "É por isso que você não se entende com Zoe." Thalia franziu a testa. "O quê?"
"As Caçadoras tentaram recrutar você," eu presumi.

Ártemis espetou a mão na cara.

- Nunca conheci ninguém tão direto e que fala sem pensar.

- Prazer, Poseidon- o deus di mar sorriu brincalhão e estendeu lhe a mão piscando para Percy do presente

Ártemis revirou os olhos mas soltou um ameaco de sorriso.

- Realmente tinha de sair a alguém- desdenhou Ares.

Seus olhos ficaram perigosamente brilhantes. Achei que ela ia me atirar para fora da Mercedes, mas ela apenas suspirou. "Eu quase me juntei a elas," ela admitiu. "Luke, Annabeth e eu encontramos com elas uma vez, e Zoe tentou me convencer. Ela quase conseguiu, mas..."
"Mas?"
Os dedos de Thalia agarraram o volante. "Eu teria que abandonar Luke."
"Ah."

Percy do presente, mesmo sem perceber,baixou o olhar, até mesmo depois de Luke os trair, ele nunca seria bom o suficiente para a filha de Atena. Não que quisesse ser, alias, bem, bom o suficiente para ser amigo dela, era isso....Certo?

"Zoe e eu começamos uma briga. Ela disse que eu estava sendo estúpida. Afirmou que eu iria me arrepender da minha escolha. Disse que Luke ia me desapontar algum dia."

"Golpe baixo" pensou Luke, mas limitou se a fitar o chão, o seu novo hobbie favorito por sinal.


Notas Finais


Eu sei que nunca escrevo Athena só de uma maneira mas às vezes esqueço-me se leva h ou não em cada linguagem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...