História Cheer Up - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Hopega, Sobi, Sope, Sugahope, Yoonseok
Visualizações 130
Palavras 2.530
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, voltei com mais um capítulo!
Espero que gostem. Boa leitura! ♡

Capítulo 6 - Aos sábados usamos uniforme


A apresentação dos grupinhos da escola fez o intervalo passar tão depressa que só me dei conta de que era hora de dizer adeus ao refeitório quando ouvi o sinal tocar e o burburinho aumentar. Momo entrou em um tipo de desespero porque ainda nem tinha acabado de comer todas as fritas com queijo e eu decidi que seria conveniente falar que ela podia me ajudar a comer meu lanche também, até porque eu não estava com o mínimo de fome. Não era como se isso fosse atrasá-la, porque ela já havia comido boa parte durante a conversa, e cá entre nós, Momo já havia provado que conseguia comer um prato inteiro daquele em menos de dois minutos.

Sana e as outras meninas foram na frente rumo à sala, até porque de alguma forma já tinham terminado o lanche e não era muito interessante atrasar Mina logo no primeiro dia. O refeitório sempre demorava um pouco pra esvaziar, de qualquer forma, então daria tempo de chegar na sala a tempo de assistir a aula.

Isso se eu não desviasse o caminho por qualquer motivo.

- A gente não vai demorar – Momo disse pras outras garotas, meio que de boca cheia, enquanto terminava de comer.

Aos poucos, os atletas foram saindo para o corredor junto com todo mundo. Os certinhos e os inteligentões já tinham sumido dali antes mesmo de o sinal tocar, mas por outro lado, quem costumava demorar mais pra voltar pra sala era o grupinho dos babacas, porque naturalmente eles não se importavam tanto assim em assistir aula.

Só que mesmo não sendo parte do grupo dos babacas, e mesmo que os atletas já tivessem tomado rumo, Jungkook continuou no refeitório. Perto da mesa onde antes estava sentado com os outros, e também como quem não queria nada, mas sem desculpa aparente para ainda estar por ali.

- Amigo, o Jungkook tá olhando pra cá – Momo disse enquanto terminava de comer a última batata.

- Eu sei – sussurrei. – Acho que ele quer falar comigo, não tenho certeza.

- Agora? – ela perguntou, juntando o lixo enquanto eu juntava as bandejas.

- Enquanto a gente conversava, ele tava meio que me chamando – dei de ombros, levantando junto com ela dos bancos. – Acho que vou ver o que ele quer, e...

Jungkook começou a andar devagar demais pra uma pessoa que precisa estar na aula naquele momento, mas que ainda está consideravelmente longe da sala. Olhando pra mim, claro, porque ele parecia não ter desistido da ideia de competir pra ver quem olha mais.

- Amigo, a gente tem aula – ela me lembrou. – Já era pra gente estar na sala, na verdade.

Olhei de Momo pra Jungkook, que ia caminhando lentamente em direção à quadra, e dele de volta pra Momo, que me encarava como se estivesse prestes a me dar o maior sermão da minha vida.

- Gigi – ela começou.

- Eu não demoro, tá? – falei. – Deve ser rápido. Quer dizer, ele não pode perder aula porque é atleta, e...

- Tá, tá bom – Momo rolou os olhos. – Mas vem logo.

Girei nos calcanhares pra ir na direção da quadra, mas ouvi mais um “Gigi” na voz de Momo. Virei de volta pra ela.

- Toma uma bala de menta – e jogou pra mim.

Minha melhor amiga foi na direção da sala, os babacas continuaram no refeitório como se a vida deles dependesse disso e eu corri pro lado da quadra. Não ficava longe, então assim que coloquei os pés no ginásio já deu pra ver um Jungkook que parecia não saber onde colocar as mãos enquanto claramente esperava alguém que devia ser eu.

- E aí – Jungkook disse. – Você veio...

- Não era pra eu vir? – Perguntei, confuso, assim que parei de frente pra ele. – Quer dizer, você tava me chamando lá no refeitório.

- Eu? – Ele perguntou.

- Vai se fazer agora, lindinho? – Arqueei uma sobrancelha.

Jungkook riu e eu cruzei os braços pra observar. O problema é que ele era bonito demais, então não dava pra eu me concentrar apenas em cruzar os braços e ficar com eles cruzados pra sempre. A verdade é que ele parecia ainda mais alto do que eu por causa da proximidade, e, vamos ser francos, muito mais gracinha também.

Se quer saber, se ele me falasse um “sente o abdômen” naquele momento, eu não pensaria duas vezes.

- Não vou – ele disse. – Mas você não deveria estar perdendo aula, né?

- Nem você – falei –, porque até onde eu me lembro você é atleta e precisa manter suas notas no mínimo razoáveis se quiser continuar no time...

Essa questão das notas me intrigava muito, mas vida que segue.

- Tem uma coisa mais importante que assistir aquela aula agora – ele disse, chegando um pouco mais perto. – Sabe...

Naquele momento, quem não soube o que fazer com as mãos fui eu. Cruzar os braços fazia ele ficar um pouco mais longe, coisa que não era exatamente o que eu queria, mas também não tinha em mente nenhuma posição pra elas que não fosse naqueles ombros, ou naqueles braços, ou naquela nuca.

Eu precisava me controlar, mas era impossível ficar calmo com aquele cara lindíssimo chegando cada vez mais perto de mim.

- Menta – ele soltou. – Então você tava esperando por isso?

Parei por dois segundos pra agradecer mentalmente à melhor amiga da vida inteira por ter jogado aquela bala pra mim. Foi um exemplo claro de timing perfeito.

- Não posso fazer nada se você é previsível – respondi.

É aquela coisa: não é porque Hoseok não me dá uns beijos que eu não vou dar uns beijos num cara legal que queira me dar uns beijos também. Não que estivesse nos meus planos dar uns beijos em Jungkook, ao menos não naquele dia, mas foi o que rolou.

Bem, dar uma passadinha na diretoria também não estava nos meus planos, mas também acabou rolando.

- Alunos fora da sala! – ouvi a voz do diretor ao longe.

Era quase como se desse pra perceber um quê de alegria na voz do homem. Dei um pulo com o susto, Jungkook também. Agora ele parecia querer competir comigo quem olhava mais assustado pro diretor que chegava perto.

- Já que gostam de passear pela escola durante a aula, acho que vão gostar de dar uma voltinha na diretoria – ele disse.

Ficar na sala daquele cara levando sermão era mais uma coisa que não estava nos meus planos, mas pelo que parecia, não ia dar pra ter um dia perfeito. Eu tinha acabado de dar uns beijos num dos caras mais gatos do time, e aquilo só ia melhorar se eu pudesse dar uns beijos em Hoseok logo em seguida, mas aparentemente, não ia rolar. Engoli em seco numa tentativa desesperada de formular na cabeça uma desculpa que parecesse convincente, mas Jungkook começou a falar antes de mim.

- Diretor, a gente tava só vendo se a quadra tá em condições de treinar logo mais, e – Jungkook tentou justificar.

Fiz que sim com a cabeça. Aquela era uma boa desculpa, e talvez eu arriscasse dizer que era a desculpa perfeita. Jungkook tinha mais neurônios do que eu pensava.

- É, e como tinha um pouco de lixo espalhado, a gente precisou tirar – tentei dar apoio. Agora, era Jungkook fazendo que sim. – Por isso demoramos, e...

- Bom, vocês tiveram o intervalo inteiro pra verificar as condições da quadra – o homem continuou, olhando o relógio. – Queiram me acompanhar, rapazes.

Já que não dava pra escolher, achamos melhor evitar o estresse e seguimos o diretor. O silêncio era tão constrangedor que tudo o que dava pra escutar era o barulho dos nossos sapatos no corredor.

Ao menos isso favorecia mais uma leitura labial em Jungkook, que agora me dizia “você podia ir lá em casa mais tarde”, ignorando por completo que muito possivelmente estávamos encrencados.

- Quero – sussurrei.

Ele deu uma risadinha.

Por outro lado, eu tive vontade de chorar assim que coloquei os pés na diretoria e me deparei com não só minhas meninas, mas Hoseok também.

- Que é isso? É confraternização, agora? – Jungkook perguntou.

- Muito engraçado, Jeon. Mas ainda falta o garoto Park – o diretor disse. – Alguém aí tem ideia onde ele pode ter se enfiado?

Silêncio.

- Tudo bem, eu vou procurar. E vocês não saiam daí, ou então... Ou então... Ah, tanto faz – e, depois isso, o diretor saiu da sala batendo a porta.

Olhei em volta tentando confirmar se aquilo era realmente verdade. Talvez eu fosse precisar me beliscar pra acreditar que Momo, Sana, Dawon e Nayeon estavam simplesmente sentadas de um lado como se estivessem muito acostumadas com aquela situação, com Hoseok do outro lado como se quisesse sumir daquele lugar o mais rápido possível.

E eu e Jungkook, plantados no mesmo lugar desde que botamos os pés ali, pra completar o time.

- Será que alguém pode me explicar o que tá acontecendo aqui? – perguntei. Eu não estava em condições de imaginar o que raios cada um ali tinha feito para estar na diretoria.

- Ai, amigo, a gente foi procurar você – Sana falou de uma vez só. – Quer dizer, a Momo falou que você já ia chegar, só que você tava demorando muito...

- O problema é que o diretor viu a gente andando em grupo. A gente deu mole, pra falar a verdade – Nayeon deu de ombros. – Aí eu tentei falar que a gente tava levando a Dawon na enfermaria, mas não deu muito certo...

As meninas começaram a discutir entre si como se aquela fosse a melhor hora para tentar descobrir qual parte do plano havia falhado. Eu estava tentando acompanhar o que tinha acontecido, e apesar de já ter entendido que elas estavam ali porque resolveram sair pra me procurar, ainda faltava uma peça no quebra-cabeça: Hoseok.

- E você tá fazendo o quê aqui, parceiro? – Jungkook decidiu perguntar pra ele, que no caso estava com cara de quem está tendo o pior momento da vida escolar naquela cadeira.

- Ouvi alguém falar que a Dawon tava passando mal e aí saí da sala pra ver o que tava rolando – Hoseok lamentou. – Deu nisso, irmão...

Naquela hora, eu só tinha a torcer pra Jungkook não expor que nós dois estávamos ali por termos sido pegos sozinhos na quadra dando uns beijos, ainda que eu acredite que o diretor não tenha visto essa última parte.

- E você? – Hoseok perguntou.

Foi aí que eu gelei inteirinho.

- Ah, também tava fora da sala – ele deu de ombros.

- A gente foi ver como tava a quadra – falei antes que ele dissesse algo que não deveria.

Hoseok piscou algumas vezes como quem tenta ligar os pontos.

- Você sabe, pro treino, porque a gente treina na quadra junto com vocês – frisei apontando pra mim e pras meninas e em seguida pra Hoseok e Jungkook, tentando ser o mais didático possível.

Eu tinha certeza de estar parecendo muito nervoso, mas, de todo jeito, pareceu ter funcionado no instante em que Hoseok fez que sim com a cabeça.

- Entendi – ele concluiu. – Mas e o Jimin, qual é a dele?

Ouvi Nayeon reclamando baixinho. Não era como se eu estivesse adorando a ideia de dividir a sala do diretor com ele, mas ela parecia ser a mais insatisfeita do rolé.

- Ah, não sei, o garoto vive aqui – dei de ombros. – Acho que é convidado especial pra nossa festa...

- Ué, amigo, vai ter festa? – Momo perguntou.

Hoseok olhou também, nitidamente interessado com a ideia.

- Não, meu amor, é só um modo de dizer que a gente tá reunido aqui – falei com calma.

Era claro que não ia ter festa nenhuma, mas isso ficou mais evidente ainda quando o diretor voltou, batendo outra vez a porta como se ela fosse a grande culpada de ele estar de mau humor. Ao menos, ele não estava acompanhado de Jimin.

- Não achei o garoto Park – bufou. – Mas não pensem que vocês estão livres da conversa...

E continuou a cuspir mais um bocado de palavras que me diziam que ele estava tendo um dia horrível. Pelo o que eu entendi, ele já estava farto há séculos das pegadinhas que o grupinho dos babacas andava aprontando, mas parecia que eles estavam, digamos, intensificando as coisas com a desculpa de ser o último ano.

- Tem confete nas minhas gavetas – ele reclamou, abrindo alguns arquivos. – O que esses garotos acham que estão fazendo...

- O Jimin foi embora na hora do intervalo – Jungkook sussurrou enquanto o homem reclamava de mais uma porção de coisas. – Mas não explana.

- Pois eu deveria – sussurrei de volta.

- Eu vou falar – Nayeon murmurou.

- Vocês querem que ele seja expulso do time? – Hoseok murmurando. – Qual é, a gente precisa dele.

Resolvi considerar. Não ia ser eu que ia atrapalhar o sonho do meu crush supremo de ser campeão mais um ano. No útlimo ano.

O diretor sentou. Daí olhou pra gente com cara de quem está só esperando pelo próximo motivo de falar mais um monte.

O motivo não veio, mas ele ia falar mais um monte assim mesmo.

- Eu não vou nem perguntar outra vez o que vocês estavam fazendo fora da aula – o diretor falou. – Todo mundo aqui é aluno do último ano, o que significa que todo mundo aqui sabe muito bem que horário de aula não é horário de passear pela escola...

Devia ser por isso que Jimin resolveu inovar e passear fora dela.

- Eu não tenho outra escolha a não ser deixar todos vocês na detenção...

- Diretor, a gente tem treino hoje à tarde – Jungkook se desesperou. – O senhor sabe, a gente faz parte do time e tem competição no fim do ano...

Silêncio de novo. Era claro que Jungkook tinha que lembrar aquilo, mas talvez não fosse a melhor hora.

- Não precisam se preocupar – ele anunciou parecendo mil vezes mais feliz, provavelmente por conta do que ainda ia dizer. – As detenções são aos sábados pela manhã, então eu espero todos vocês aqui no próximo sábado.

Não. Não podia ser verdade.

- Diretor, acho que o senhor se confundiu – Hoseok começou.

- É isso mesmo que você escutou, Jung – o diretor continuou. – Park poderia confirmar se estivesse aqui.

- Mas diretor – Nayeon tentou começar a falar.

- Essa medida foi tomada justamente para não atrapalhar as atividades semanais da escola – ele disse. – Mas se preferirem perder um dia de treino, podemos conversar.

Silêncio de novo. Com certeza a pessoa que sugeriu aquilo não tinha treinos pra uma competição e muito menos alguma últil para fazer aos sábados pela manhã.

Não que eu tivesse, mas era preferível não fazer nada em casa a passar a manhã inteira na escola.

- Agora vocês podem voltar para a aula – o diretor soltou, depressa. – Ainda dá pra aprender alguma coisa nessa uma hora que resta, suponho.

Nem preciso dizer que não tivemos outra escolha senão nos arrastar pelo corredor até a sala, mas, ao menos, ninguém tinha sido expulso dos times.

- Aos sábados usamos qual cor de roupa, meninas? – perguntei a elas.

Parecia que a semana ia ser bem longa para as cheerleaders. E pra mim, Hoseok e Jungkook, também.


Notas Finais


Mereço comentários? ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...