História Cheer up, baby! - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Menção Minjoon, Menção Yoonseok, Taekook, Vkook
Visualizações 618
Palavras 14.776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Two


Ser da equipe de torcida significava ser popular, e quando você era um cara que desfilava pelos corredores com uma saia curta e rodada, você automaticamente se tornava o centro das atenções; E Taehyung amava isso.

Tinha perdido a conta de quantos garotos se aproximaram de si naquela semana, tentando inutilmente lhe chamarem para sair. Alguns eram bem bonitos, mas Taehyung sempre recusava e sabia bem o motivo disso: não queria que qualquer um lhe chamasse, e sim o jogador de futebol.

Desde o dia do jogo podia notar os olhares do moreno sob si. Divertia-se com a atenção e o provocava hora ou outra, fazendo questão de rebolar ainda mais quando passava na sua frente enquanto caminhava pelos corredores. Sequer precisava encará-lo de volta para saber que ele estava babando, e ah! Taehyung amava ter esse poder sobre o jogador. Porém, durante aquela semana tudo o que o outro fez foi olhar e, claro, queria alguma atitude da sua parte. Por isso decidiu corresponder pela primeira vez o olhar do Jeon, que estava do outro lado do refeitório sentado na mesa com os companheiros de time e lhe fitava com atenção. Taehyung mirou os olhos felinos no rapaz e lhe deu um sorriso de canto, que estava longe de ser um amigável. Era mais como um desafiador que foi capaz de deixar Jungkook um tanto desconcertado embora tivesse se esforçado para não demonstrar. Após a breve — e intensa — troca de olhares, voltou sua atenção para Jihyo, que discutia sobre os horários de treino.

— O campeonato é no final do próximo mês e precisamos treinar bastante. Temos muito o que melhorar. — dizia a capitã com um tom de voz autoritário. — Hyungwon, você está péssimo na base e quase fez Dahyun cair. Deve melhorar nisso. — o garoto assentiu. — E Momo, embora você seja ótima dançarina, é evidente que nossa coreografia está básica demais. Precisamos criar novos passos e acrescentar mais acrobacias.

Todos ali assentiam e Taehyung notou novamente o quão todos ali levavam a sério a garota como capitã. Entendia bem o porquê daquilo já que Jihyo tinha um instinto de liderança. Porém, odiava o lado perfeccionista da mesma já que isso significava que podiam treinar durante horas que ainda assim ela não estaria satisfeita. Era complicado, mas Taehyung sabia que a equipe de torcida era exigente então não reclamava e sim tentava se adaptar.

— Taehyung. — a capitã virou em sua direção. — Hoje mesmo vamos começar o seu treinamento de flyer. Quero que até o campeonato nacional você esteja no mínimo decente, então se prepare para trabalhar duro.

Embora gostasse da confiança de Jihyo em si, era inevitável não se sentir inseguro ao pensar que, talvez, não conseguisse fazer um bom trabalho como flyer. Fazer acrobacias enquanto pessoas lhe jogavam para cima ainda parecia surreal para si e se questionava como as garotas da equipe faziam com tanta naturalidade que sequer parecia difícil. Podia sim ser flexível e bom na dança, mas ser flyer era algo de outro nível e tinha medo de não conseguir e acaba decepcionando Jihyo. Claro que não disse isso, afinal, precisava mostrar a equipe — que ainda estava com o pé atrás em relação a si — que era bom, que merecia aquela vaga e que não estava na equipe apenas para se divertir — ou fosse lá quais mais pensamentos negativos eles tinham sobre si.

Assim que o sinal tocou se despediu dos companheiros de equipe e caminhou até seu armário. Teve certa dificuldade em pegar os livros já que os pompons ocupavam grande parte do espaço e acabou derrubando alguns deles o chão. Murmurou um palavrão qualquer e fez menção de pegar, mas alguém foi mais rápido que si e recolheu os livros, lhe entregando com um sorriso ladino em seu rosto.

— Seus livros.

Sabia que seu olhar daria certo e a prova estava bem ali na sua frente: Jeon Jungkook finalmente tomando coragem para falar consigo.

— Ah, valeu.

Durante toda semana o Jeon ficou pensando em como se aproximar do Kim. Tinha visto o loiro dar diversos foras e, embora Jungkook fosse alguém confiante, sabia que naquele momento suas chances com ele eram zero. Por isso ficou mais na sua, apenas o observando de longe e esperando a hora certa de se aproximar. Após aquela breve troca de olhares no refeitório, decidiu que iria finalmente arriscar algo com o animador, e cá estava ele lhe encarando de perto com os olhos felinos que tanto lhe intimidava e instigava.

Após agradecer, o outro voltou novamente a sua atenção para o armário, ajeitando seus livros ali e Jungkook sorriu de modo simpático, tentando mostrar que estava bem e nem um pouco afetado por ter o rapaz tão perto de si.

— Mas e aí, como é ser da equipe de torcida?

Taehyung ergueu a sobrancelha de modo surpreso com a pergunta. Achava que o jogador iria direto ao ponto, que por acaso era chamá-lo para sair consigo, então a pergunta quase lhe pegou desprevenido. Quase, até porque Taehyung sempre tinha uma resposta na ponta da língua.

— Tirando a parte de ser arremessado para o alto, ter que sorrir o tempo todo e dar gritos de incentivo com uma voz fina e irritante, todo o resto é bem legal. — o moreno riu. — Mas por que o interesse? Quer fazer parte da equipe?

A pergunta tinha um tom sarcástico que não passou despercebido pelo Jeon. O mesmo negou, já começando a entrar naquele jogo.

— Acho que futebol é mais a minha cara. — apontou para o casaco do time que usava naquele dia. — Além disso, eu não ficaria tão bem nesse uniforme quanto você.

Mirou o corpo do loiro dos pés até a cabeça, o fazendo dar um sorriso ladino, parecendo satisfeito com o elogio.

— Bem, nisso eu tenho que concordar. — se apoiou no armário e colocou as mãos na cintura. — Então você é do time de futebol, é?

Era óbvio que Taehyung sabia disso, mas ver o olhar ofendido do outro quando disse aquilo foi cômico.

— Sou sim. E por acaso sou o artilheiro e capitão do time. — se gabou. — Mas acho que você já sabia disso, especialmente depois dos olhares que trocamos no último jogo.

Touché.

Esperou que o loiro cedesse ou parecesse afetado com suas palavras, mas ele apenas sorriu ainda mais após ouvir aquilo.

— Eu olho para muitas pessoas. Isso não é grande coisa.

— Mesmo? Porque você parece mais do tipo que atrai olhares, e não o contrário, Taehyung. — quem sorriu daquela vez foi o moreno.

— Já sabe até meu nome, é?

— Não foi tão difícil assim descobrir quando tudo o que se fala pelos corredores nesses últimos dias é seu nome.

E Taehyung sabia que aquilo era a mais pura verdade.

— E o que tanto falam sobre mim?

— Sobre como o garoto rebelde que só vestia roupa preta e de couro decidiu do nada entrar para a equipe de torcida e usar um uniforme rosa nada discreto.

— É, eu não esperava nada diferente. — riu.

— Uma parte acha ridículo e diz que você enlouqueceu. — continuou. — Já a outra só consegue babar cada vez que te vê andando pelos corredores. — aquilo atraiu a atenção do animador.— E é claro que eu me incluo nessa segunda parte.

Taehyung mordeu os lábios, fitando melhor o rapaz a frente. Como já sabia, Jungkook era bem bonito. Reparou nos cabelos perfeitamente ajeitados, nos olhos negros grandes e até na pintinha que ficava embaixo do seu lábio e que chamava sua atenção agora que o tinha tão perto. Sentia-se um tanto tentado, mas não iria se deixar levar por um elogio ou outro. Jungkook teria que fazer melhor do que isso se quisesse ter chance alguma consigo.

— E eu também não esperava nada diferente vindo de você. — debochou e apontou para um garoto que lhe encarava do outro lado do corredor. — Mas você realmente não é o único que me vê assim.

O jogador se virou, notando o olhar do tal garoto, que um tanto desconcertado, desviou o olhar, parecendo agradar o animador.

— Mas quantos desses caras tem chance com você, hum? — questionou e o outro pareceu pensativo. — Vi o tanto de fora que você deu nessa semana. Acho que você não sairia com nenhum deles.

— E o que te faz pensar que eu sairia justamente com você, Jeon?

Jeon. Ali confirmou novamente que Taehyung sabia bem quem ele era.

— Pelo visto não fui o único que tentou descobrir alguma coisa sobre o outro no decorrer dessa semana. — provocou. — Mas sei que sairia comigo só pelo jeito como você me olha, Taehyung. Sei que se sente atraído por mim tanto quanto eu me sinto por você. — o loiro mordeu os lábios, fazendo com que Jungkook parasse de falar por alguns segundos já que aquele piercing no lábio inferior lhe distraia até demais. — Só precisa admitir isso de uma vez.

— Não sei se você notou, mas eu não sou igual as outras líderes de torcida que até se ajoelham implorando pra sair com você.

— E acho que você já notou que eu odeio perder. — se aproximou um pouco mais do outro. — Sei que no final você vai acabar vindo atrás de mim.

— Ah, então você definitivamente não me conhece. — riu de modo irônico. — Vai precisar fazer melhor do que isso se quiser se aproveitar de tudo o que tem debaixo desse uniforme, Jeon. — murmurou em tom mais baixo. — Boa sorte com isso.

E se Taehyung achava que aquilo era o melhor que podia fazer, então ele também não lhe conhecia.

— Tenho que ir para aula. — se afastou e ajeitou a mochila em suas costas. — Te vejo por aí, Jeon.

Até o modo como o garoto murmurava seu nome era extremamente sexy e Jungkook confirmava novamente que ele lhe deixaria louco.

Por fim o rapaz saiu dali e, como sempre, fez questão de andar rebolando, fazendo com que seu olhar se perdesse no par de pernas longas e na saia rosada que balançava a cada passo.

Ainda que não o tivesse chamado para sair, já era um começo.

 

 

 

 

 

 

Seria um treino normal para Jungkook naquela quarta-feira caso Kim Taehyung não estivesse na arquibancada lhe observando.

Era normal que algumas líderes de torcida e outros alunos assistissem aos treinos, e no geral Jungkook nunca se importou e sempre focou no que estava fazendo, ignorando os gritos histéricos de algumas garotas quando marcava algum gol já que se tratava de um treino e não de um jogo de verdade. Porém, daquela vez era diferente porque justamente Taehyung estava ali. Queria impressionar o animador, mas era difícil focar na bola rodando pelo campo quando se tinha o loiro sentando na arquibancada com aquele belo par de pernas lhe distraindo.

Já Taehyung não entendia muito de futebol, mas Jimin entendia bastante e não hesitava em criticar o Jeon.

— Ele é mesmo o artilheiro?

— Foi o que ele me disse...

— Tae, ele não consegue acertar nem um passe direito, quanto mais o gol. — franziu o cenho.

— Foi ele quem fez o gol no último jogo. — retrucou, ainda fitando o rapaz que corria com a bola pelo campo.

— Vai ver tem algo distraindo ele... — comentou inocentemente, mas em seguida viu o tal jogador fitar a arquibancada - mais precisamente onde estavam - e entendeu tudo. — Ou melhor, alguém.

Taehyung riu, já que ter toda atenção de Jungkook para si não era novidade.

Jihyo conversava animadamente com Sana e Sooyoung. A capitã parecia conhecer todos daquele colégio e saber de todas as fofocas, o que antes Taehyung achava inútil, mas agora...

— Jihyo. — chamou a garota que estava sentada um degrau acima de si e ela lhe olhou como se dissesse um "o que foi?". — O que sabe sobre o Jeon?

Os olhos da garota já eram grandes, mas ao mencionar o nome do jogador eles pareceram ainda maiores. Na mesma hora ela desceu da escada juntamente com as duas garotas, se sentando ao seu lado.

— Não muito, mas o suficiente. O que quer saber exatamente?

— Sei lá, só me diz o que você sabe sobre ele.

— Capitão do time de futebol, é do segundo ano, tem poucos amigos e vive grudado no Jin e no Hoseok. — o loiro fitou os tais garotos, que também estavam em campo naquela hora. — Parece ser um tanto tímido e reservado, por isso a maior parte desse colégio que, mesmo o conhecendo, nunca trocou mais do que uma ou duas palavras com ele... Basicamente isso.

Aquilo pegou Taehyung de surpresa. Jungkook não parecia nada tímido quando falava consigo e, julgando por ele ter se gabado por ser o capitão do time, achou que ele era cercado de amigos e usufruía bem da sua popularidade, mas pelo visto não era esse o caso.

Hum, entendi. E você já o viu com alguma garota?

A capitã riu, negando.

— Nunca o vi com garota alguma, e nem com garotos. — encarou o loiro. — Mas julgando pelo jeito que ele te olha, acho que hétero ele com certeza não é.

— Se eu fosse você sairia logo com ele. — disse Jimin e as outras garotas concordaram.

— Quando alguém como Jeon Jungkook mostra interesse em você se fazer de difícil não é opção. — continuou Jihyo. — Dá uma chance pra ele, vai. Não é como se você estivesse fazendo um sacrifício.

Não respondeu mais nada e fingiu assistir ao jogo, fazendo com que as três garotas voltassem a conversar entre si. Alguns minutos depois o treinador apitou e viu os garotos irem para o canto do campo, bebendo água e parecendo finalmente terem um descanso. Taehyung viu quando Jungkook retirou a camisa suada e pegou a garrafa de água, inicialmente a bebendo e em seguida jogando líquido sobre o seu corpo. Mordeu os lábios ao ver o abdômen definido molhado, descendo o olhar até as coxas grossas que eram extremamente atraentes.

— Eu queria que ele me enforcasse com aquelas coxas.

O comentário repentino fez Jimin rir.

— Você não é o único. — disse o baixinho ao observar o outro. — Ele é muito gostoso, Tae. Não sei pra que você quer se fazer de difícil justamente pra ele.

— Se fazer de difícil?

— É. Você deu pro Bogum naquele banheiro sujo no meio da festa, mas fica de cu doce pra sair com o atleta bonitão. Vai entender...

E no fundo sabia que Jimin não estava errado. Mas provocar Jungkook era tão bom que ceder fácil seria tão... sem graça. Além disso, ainda tinha seu orgulho e jamais cederia fácil, principalmente quando se lembrava do lado convencido do moreno.

O jogador mexeu nos cabelos molhados e tomou mais um gole da água antes de se afastar de seus colegas. Inicialmente achou que ele iria para o vestiário, mas assim que o mesmo pousou o olhar em si, soube bem o que ele faria — e seus amigos também.

— Boa sorte com o jogador gostoso. — disse Jimin, segurando um riso e pegando sua mochila.

— Te vejo no treino amanhã, Tae. Tchau! — disse Sana, puxando as outras duas garotas enquanto saiam dali.

Mataria eles depois, mas por enquanto apenas tentaria fingir que a visão de um Jeon Jungkook sem camisa bem ali na sua frente não lhe afetava.

— Mas olha só quem decidiu vir assistir o treino. — foi o que o jogador disse, parando um degrau abaixo de si. — Eu sabia que viria atrás, mas não pensei que fosse tão rápido.

O loiro revirou os olhos, mantendo a expressão de desinteresse embora ainda estivesse afetado por ter o jogador daquele jeito perto de si e não poder tocá-lo.

— Só vim aqui porque Sooyoung insistiu para assistirmos o treino do seu time. Aparentemente ela tá afim do goleiro.

— Oh, ela tá afim do Seokjin? — assentiu e o moreno pareceu surpreso, rindo em seguida. — Imagina só quando ele descobrir isso...

— Se for pra contar sugiro que faça isso logo porque nem eu e muito menos Jihyo aguentamos mais ouvir o nome do seu amigo.

— Até onde eu sei o Jin também estava afim de uma novata chamada Sooyoung. — comentou e o mais velho ergueu a sobrancelha em surpresa. — Duvido que seja coincidência.

— Sooyoung vai morrer se saber disso. — murmurou e Jungkook sorriu.

— Pode deixar que assim que eu pisar no vestiário digo que as chances dele com a Sooyoung são reais e acabo com seu sofrimento. — brincou, e Taehyung se permitiu rir ainda que baixo. — Mas você devia facilitar o lado dos seus amigos também. — comentou e o outro franziu o cenho. — O quê? Acha que eu não sei que você está falando sobre mim com os seus amigos? Ah, Taehyung, eles não são nada discretos, e você muito menos. Quer dizer, você estava praticamente babando quando me viu sem camisa. — acusou, dando um sorriso arrogante. — Poderia pelo menos fingir melhor.

A resposta do Kim foi apenas se levantar e ficar com o rosto próximo o suficiente do moreno para sentir a respiração quente tocar seu rosto.

— Mas você é realmente gostoso, Jeon. Fiquei com vontade de marcar seu abdômen todinho e me perguntei se eu deveria te levar para o vestiário e cuidar de você ali mesmo. — murmurou sem vergonha alguma.  — E é difícil ficar perto de você assim sem poder te beijar e te tocar.

— E quem disse que você não pode? — disse quase em um sussurro, fitando os lábios rosados do animador, que sorriu após ouvir aquilo.

E foi após aquelas palavras do moreno que Taehyung se afastou, sorrindo largamente e deixando-o confuso.

— Agora eu fingi bem?

Jungkook riu sem humor algum. Aquele garoto amava lhe provocar, isso era um fato, mas não iria se contentar até que ele cedesse de vez.

— É um bom ator, Kim. Principalmente quando finge que não está nem um pouco atraído por mim.

Aquela foi a vez de Jungkook se aproximar. Sua vontade era de tocar a cintura magra e puxar o loiro para si, mas percebendo que ele tinha ficado tenso só com aquela aproximação, usou isso ao seu favor.

— Estou indo para vestiário e vou enrolar por lá. Se quiser, me procure ali quando todos já tiverem saído. — disse quase em um sussurro, sendo observado com atenção pelos olhos felinos do outro. — Ou continue fingindo... Você quem sabe.

Só pelo modo como o Kim mordeu os lábios percebeu que de fato ele estava tentado. Aquilo não foi surpresa para si, mas ainda se questionava se ele teria coragem mesmo de aparecer por ali.

Taehyung observou quando a figura musculosa saiu dali em direção ao vestiário. Os ombros e costas largas... Perguntou-se como deveria ser deixar toda aquela região arranhada enquanto o jogador lhe prensava na parede molhada do chuveiro do vestiário e lhe fodia ali mesmo; E não que isso fosse surpresa já que direto se pegava pensando em ser fodido pelo Jeon. E ah! Taehyung queria ver se na realidade era tão bom quanto nos seus pensamentos.

Talvez Jimin estivesse certo. De fato estava enrolando demais para ter algo com Jungkook, e embora amasse aquela sensação de ele lhe querer mas não poder ter, achava que estava na hora de tirar um pouquinho de proveito daquela situação. Ainda provocaria o Jeon, mas faria isso de forma diferente.

Deixou que o jogador ficasse plantado esperando por si no vestiário. Quem decidiria a hora exata de ceder seria ele, e com certeza não seria agora.

 

 

 

 

 

— Qual é, Minho. Nós usamos o campo todo dia da semana e isso sem contar os dias de jogos. Qual o problema de deixarmos a equipe de torcida usar ele só hoje?

Os outros garotos permaneciam quietos, visivelmente tensos com aquela discussão. Não era segredo para ninguém que o Jeon e o Choi não iam com a cara um do outro, mas ultimamente as provocações pareciam estar passando dos limites.

— Temos um campeonato inteiro pela frente e ainda assim somos obrigados a ceder nosso horário de treino para garotas mimadas e viadinhos ficarem dançando e dando piruetas? Isso é sério?

Jungkook respirou fundo, pensando em mil respostas para o comentário ignorante do garoto, mas sabendo que falar com ele era o mesmo que falar com uma porta, deixou pra lá. No final a equipe de torcida iria ensaiar no campo de qualquer jeito Minho gostasse disso ou não.

— O campeonato da equipe de torcida é no próximo mês e a diretora pediu para que cedessemos de qualquer jeito o campo. Na verdade, não foi um pedido, e sim uma ordem. Então a equipe fica com o campo e aproveitamos o nosso horário de treino na academia. — se virou para os outros garotos. — Alguém contra?

Ninguém ali pareceu ser contra, o que reforçou que o Choi só queria implicar consigo como sempre. Jungkook sorriu satisfeito, reconhecendo que o garoto arrogante tinha perdido a discussão.

Antes que pudesse sair do campo com o resto do time, viu a equipe de torcida chegar. Seu olhar logo se perdeu no rapaz loiro que, como sempre, estava lindo. O mesmo notou seu olhar e sorriu para si de modo cínico e Jungkook riu baixo. Não tinha superado o fato dele ter lhe deixado plantado no vestiário alguns dias atrás, mas também não se surpreendeu já que sabia desde o início que Kim Taehyung nunca cederia tão fácil a si.

Jihyo encarou os rapazes como se dissesse um “ainda estão aqui?” e na mesma hora alguns começaram a caminhar para sair dali, mas Minho tinha outros planos.

— Está feliz por conseguir atrapalhar nosso treino, Jihyo? — começou, e na mesma hora a garota lhe encarou com um ar de impaciência.

— Muito, Choi. Agora me faz um favor e saia logo daqui porque precisamos treinar.

Jungkook esperou que o outro a obedecesse e saísse dali assim como o resto do time ameaçava fazer, mas ele apenas riu alto e negou, fincando os pés no chão e encarando a capitã sem desviar o olhar.

— Isso tudo é porque Eunwoo te deu um fora e você tá querendo se vingar prejudicando o nosso time? — acusou, atraindo a atenção de todos ali. Achou que a garota iria se abalar, mas ela pareceu sequer se importar com a acusação.

— Acha mesmo que eu iria me doer por causa de um fora sendo que a maioria dos garotos desse colégio imploram pra sair comigo? — ela riu, e pelo canto do olho Jungkook pode ver Eunwoo parecer sem graça. — Eu não estou nem aí para o time de vocês. Só pedimos o campo hoje porque todo ensaio é importante para minha equipe já que nosso campeonato é no próximo mês. Não é culpa nossa que o time de basquete está usando o ginásio e precisamos de outro lugar para ensaiar.

— Nosso campeonato é importante também. — retrucou, com um tom de voz já um tanto elevado. — É injusto vocês roubarem nosso horário de treino!

Jihyo iria responder, mas na mesma hora Taehyung a interrompeu, caminhando até Minho e parando bem na sua frente.

— Justo ou não, o campo é nosso e estamos cansados de você tomando nosso tempo. Vaza logo, Minho.

— Como se ficar rebolando e dando saltos fosse grande coisa. — debochou. — Fala sério, Kim. Qual foi a aposta que você perdeu pra se sujeitar a isso? Porque nós sempre soubemos que você era gay, mas nunca pensamos que você chegaria ao ponto de virar uma bicha desse nível. — o jogador cuspia as palavras sem se importar, e Taehyung permanecia firme, o encarando sem expressão alguma. — Desfilando pelo colégio com uma saia rosa... Aposto que deve usar uma calcinha por debaixo dela.

Jungkook encarou com descrença Minho. Sabia que ele era um completo idiota, mas não pensou que ele seria baixo ao ponto de dizer coisas homofóbicas sobre o Kim bem na cara dele. Sua vontade naquele momento foi a de socar o garoto e cerrou os punhos, já se imaginando acertando-o. Porém, Taehyung demonstrava não se abalar e logo o respondeu:

— Então está pensando no que tem debaixo da minha saia, Minho? — tocou a mesma, a levantando um pouco. — Isso não é lá algo muito hétero. — e antes que o jogador retrucasse, prosseguiu: — O time inteiro parece bem com nossa equipe usando o campo por hoje. Por que você está tão afetado? Aliás, até onde eu saiba quem toma conta do time é o capitão. E ele não parece nem um pouco incomodado em ceder o horário de treino. — os olhares felinos pararam no Jeon. — Certo, capitão?

Taehyung já era intimidante por si só, e ainda lhe encarando daquela maneira... Jungkook só conseguiu assentir vagamente, um tanto hipnotizado pelo olhar do loiro.

— É claro que ele não vai discordar, até porque não é segredo pra ninguém que ele quer ficar com o viadinho da equipe de torcida, que por acaso é justamente você.

— Oh, então está com ciúmes, Minho? É esse seu problema? — prendeu o riso enquanto os outros o faziam sem se importar. — Mas entendo sua frustração em perder um treino. Com você sendo o pior jogador da equipe imagino que cada treino pra você seja muito necessário. — dizia de modo cínico. — Mas é só por hoje que vamos tomar seu horário de treino, viu? Amanhã mesmo você pode voltar a treinar e ver se consegue pelo menos uma vez na vida acertar alguma jogada.

Jungkook esperou alguma resposta do jogador, mas tudo o que mesmo fez foi murmurar um palavrão e sair dali com pressa e de modo raivoso. Todos ali riram e Taehyung sorriu, parecendo satisfeito em ter se livrado do Choi.

— Agora vão se aquecer e em cinco minutos começamos o treino! — ditou Jihyo.

Por fim todos os jogadores saíram, e Jungkook iria fazer o mesmo, mas sentiu alguém tocar seu pulso e se virou, se deparando com o Kim. Sorriu para o outro.

— Você acabou com o Minho.

— Não que isso seja algo pra se gabar já que não é tão difícil assim, mas... — deu de ombros e o jogador riu. — De todo jeito, obrigado por ter cedido o campo.

Não esperava um agradecimento pela parte de alguém, ainda mais de Taehyung, mas se sentiu feliz ao ouvi-lo, especialmente quando a voz do mesmo soou em um tom doce e não arrogante ou provocativo como de costume. Tinha gostado disso.

— Não precisa agradecer. Temos outros dias para treinar e sei que o campeonato da sua equipe está chegando e ele é importante.

Taehyung assentiu vagamente, quase como se estivesse dando um fim naquele breve diálogo e Jungkook ajeitou a mochila pesada em suas costas, se preparando para se despedir. Porém, assim que iria fazer menção de se virar para ir, o loiro se aproximou e deixou um beijo no canto de seus lábios. Não teve reação alguma já que estava extasiado com a atitude repentina, o que fez o animador sorrir.

— Obrigado novamente, Jeon.

E assim ele caminhou para o meio do campo, como se nada tivesse acontecido enquanto Jungkook se perguntava se era um garoto de doze anos por ter ficado afetado por um beijo na bochecha — ou nesse caso, no canto dos lábios.

Só saiu dali segundo depois com um sorriso bobo no rosto, pensando que, talvez, as coisas com o Kim passassem a se encaminhar a partir dali.

 

 

 

 

Era uma sexta-feira e Jungkook estava no vestiário com o resto do time se preparando para o jogo. Vestia as chuteiras e tentava se concentrar, se lembrando das críticas que o treinador tinha feito ao decorrer daquela semana. Embora já jogasse futebol fazia tempo, era natural que se sentisse apreensivo antes dos jogos mesmo que se esforçasse para não demonstrar. Os únicos que notaram seu nervosismo foram os dois amigos, que lhe conheciam muito bem ao contrário do resto do time.

— Você vai se sair bem, Jungkook. Não precisa ficar nervoso. — disse Hoseok, tocando seu ombro.

— Eles são o segundo melhor time do campeonato e isso o torna nosso maior rival. É impossível não ficar nervoso.

— Mas se esqueceu que o melhor time é o nosso, tanto que nós estamos em primeiro lugar. — retrucou Seokjin, também ajeitando suas chuteiras.

— E temos um campeonato inteiro pela frente. Mesmo se perdemos esse jogo continuamos em primeiro lugar porque temos uma diferença boa de pontos com os outros times. — completou o Jung, deixando o moreno um pouco menos apreensivo.

— Só espero não perder. Já viu a arquibancada? Está lotada. Perder na frente dos alunos do colégio para nosso maior rival seria humilhante.

— Mas não vamos perder. Relaxa, Kookie.

Ia responder Seokjin, mas logo Seungkwan apareceu ali dizendo que Han Sooyoung estava esperando o goleiro na entrada do vestiário. O mesmo sorriu e disse que já iria estar de volta, deixando os outros dois amigos ali.

— Ainda não acredito que a tal Sooyoung também estava afim dele.

— Ele é Kim Seokjin. Todas as garotas são afim dele. — comentou e Jungkook riu. — Mas e você? Quer dizer, já falou com Kim Taehyung depois daquele dia do treino?

Não falava com o Kim desde aquela cena no campo. E não porque não queria, mas sim por simplesmente não ter conseguido uma chance. Hora ou outra se esbarravam no corredor e o loiro sorria para si, uma mudança um tanto drástica já que até alguns dias atrás ele passava na sua frente e fingia não lhe conhecer. Viu aquilo como um avanço e é claro que não reclamou. Só queria tomar alguma atitude e falar de vez com Taehyung, afinal, agora o mesmo nem fingia que não estava afim de si e era a hora exata de tomar alguma atitude.

— Eu já volto.

Hoseok resmungou alguma coisa, mas foi ignorado. Jungkook apenas seguiu seu caminho até o vestiário da equipe de torcida, esperando encontrar Taehyung. E para sua sorte, o loiro saia dali já vestido com o uniforme rosa. Aproximou-se e ele finalmente lhe notou ali.

— Você por aqui? — comentou o loiro, lhe fitando dos pés até a cabeça. — Achei que devia estar no vestiário com o resto do seu time.

— E eu devia, mas quis passar aqui.

Antes que Taehyung pudesse questionar qualquer coisa, Dahyun lhe avisou que entrariam no campo em cinco minutos. Assentiu sem muito interesse e voltou a fitar a figura musculosa, procurando alguma pista do porquê dele estar ali.

— E por qual motivo?

— Eu te ajudei a conseguir o campo pra sua equipe, se lembra? — o loiro assentiu embora ainda não entendesse quais eram as intenções do mesmo. — Por que você não me ajuda também?

— Precisa de ajuda com o que, Jeon?

— Seria bom se você conseguisse me motivar mesmo que um pouco pra eu marcar algum gol e nós vencermos o jogo... — disse com um tom de voz um tanto mais baixo e o animador sorrir com suas palavras.

— Achei que marcaria um gol de qualquer jeito já que é o artilheiro do time, Jungkook. Não é disso que você tanto se gaba? — questionou, amando ver o outro frustrado.

— Taehyung... — murmurou. — Você já me torturou faz muito tempo. Por que não me recompensa logo, hum?

Não precisava perguntar como Jungkook queria ser recompensado. Desde a primeira vez que falou com o garoto sentiu a tensão sexual se formar, e agora ela parecia aumentar a cada dia mais. E não era como se Taehyung não quisesse ceder de vez e o beijar ali mesmo, especialmente quando se lembrou de como ele ficou quando lhe deu um beijo qualquer no canto dos lábios. Porém, seguia com o pensamento de que não daria nada fácil ao garoto, mas motivá-lo não seria algo ruim.

— Que tal fazermos um acordo... — começou e atraiu a atenção do garoto apreensivo. — Se você ganhar esse jogo, eu te recompenso. Mas não vou dizer como, Jeon. Digamos que vai ser surpresa. — sorriu e se aproximou, tocando o peitoral do mesmo e contornando com a ponta do dedo o símbolo do colégio que estava estampado na camisa. — Mas se você perder, eu quero que você passe um dia inteiro usando o uniforme feminino da torcida.

— Achei que já tínhamos falado sobre ele ficar melhor em você. — brincou, rindo um tanto nervoso.

— Já está admitindo a derrota? Uau...

Usar uma saia não era tão ruim assim embora soubesse que de forma alguma ficaria bonito assim como o rapaz a sua frente. Fora que, caso ganhasse, a vantagem era maior e seria burro de não aceitar o acordo, especialmente quando estava desesperado para conseguir algo com o Kim. Então assentiu, esperando que seu time ganhasse e Taehyung lhe recompensasse bem por isso.

— Então é bom já pensar em uma boa recompensa porque vou vencer esse jogo.

Taehyung sorriu largamente.

— É melhor eu já procurar algum uniforme do seu tamanho porque sei que vai perder. — provocou, amando ver a cara emburrada do jogador.

— Achei que você fosse me motivar, e não o contrário.

— Nosso acordo já é uma boa motivação, Jeon. — murmurou, daquela vez o fitando sem desviar o olhar. — Vença o jogo e eu sou seu.

Sou seu. Aquilo era o que Jungkook tanto queria ouvir desde que colocou os olhos na figura bronzeada. Prometeu a si mesmo que venceria aquele jogo de qualquer jeito, já que usar uma saia rodada e ficar sem Kim Taehyung não era uma opção.

 

 

 

 

 

Jungkook pode ouvir a gritaria da torcida assim que o time entrou em campo. Já estava acostumado e apenas foi se aquecer, tentando ao máximo focar no jogar e esquecer-se do garoto bonito que estava no canto do campo.

— Ei, Jeon... — viu Hoseok se aproximar. — Acho que não vou conseguir jogar. É melhor você chamar o Seungkwan pra jogar no meu lugar.

— Mas você é o melhor volante que temos. — murmurou, um tanto decepcionado. — Sua coxa está doendo tanto assim?

— Sim. — o garoto ficou cabisbaixo. — Se com o aquecimento já está doendo, quem dirá quando o jogo começar e eu tiver que correr durante quarenta e cinco minutos... — suspirou. — Me desculpe, mas acho que dessa vez é melhor eu ficar no banco.

Sabia que Hoseok era uma peça fundamental naquele time e não ter ele no jogo certamente dificultava as coisas, principalmente quando os jogadores do time rival eram bons e estavam em segundo lugar na competição, logo abaixo do seu time. Porém, não era como se tivesse outra opção. Se Hoseok realmente estava sentindo dor ao ponto de pedir para ficar no banco, teria que se virar com Seungkwan. Fez sinal para o rapaz alto vir até ali, anunciando que ele iria jogar e mandando-o ir se aquecer.

Se já estava inseguro antes, quanto mais agora...

Já Taehyung estava tranquilo, afinal, Jimin tinha lhe dito que o time do colégio era no momento o melhor do campeonato então sabia que a vitória era certa — assim como poder recompensar Jungkook.

Fitou o campo e viu o jogador se aquecendo. O mesmo não tinha olhado vez alguma em sua direção e estranhou inicialmente, mas ao se lembrar do que ele tinha dito quando foi assistir ao treino, entendeu: Jungkook não queria se distrair. Sorriu largamente com o pensamento. Só esperava que aquilo fosse o suficiente para o moreno conseguir marcar e ganhar o jogo.

Assim que o juiz apitou, os animadores deram gritos de incentivo e os jogadores passaram a correr atrás da bola.

O ataque do time adversário era bom, mas Jungkook sabia que a defesa de seu time era ainda melhor e se manteve tranquilo, tentando achar qualquer oportunidade para correr em direção ao gol. No entanto, era difícil quando Minho não parecia estar no seu melhor estado naquele jogo e errava direto os passes para si, fazendo com que a bola saísse do campo ou fosse direto para o pé dos jogadores adversários. As poucas chances que teve de gol acabou errando ou sofrendo falta. Ali confirmou novamente que Hoseok no banco era péssimo para o time já que quem geralmente lhe dava as melhores chances de gol era ele.

Quando acabou o primeiro tempo, sequer disse algo, apenas correu para o vestiário e o time fez o mesmo. Ouviram uma bronca do treinador e Jungkook passou a dar instruções ao time e até dizer palavras de incentivo, esperando que isso melhorasse o desempenho no segundo tempo.

Voltaram para o campo e Jungkook avistou Taehyung. O mesmo conversava de modo animado com Sana, sequer notando sua presença ali de imediato. Mas assim que o viu, o loiro se afastou da outra, caminhando até si com um sorriso debochado no rosto.

— É, o placar não está dos melhores pra você, Jeon.

— Você sabia que zero a zero é considerado empate e não derrota, certo?

— Mas não me lembro de termos falado coisa alguma sobre empate.

— Podemos fazer isso agora. — respondeu, tentando não se perder nos olhos escuros do rapaz à frente.

Hum, não sei não... Prefiro deixar o acordo como está, o que significa que se você empatar, não te recompenso e de bônus você se livra da saia. Nós dois saímos ganhando. — sorriu de modo cínico. — Mas se eu fosse você correria para marcar algum gol, porque o time adversário está muito bom e acho que você não quer desfilar de saia por aí.

Jungkook riu, afinal, Taehyung parecia tão certo da derrota de seu time que virar o jogo tornaria tudo ainda melhor.

— Vou marcar um gol, Kim. E se prepare porque não vou sair daqui só com a vitória do meu time, mas com você também.

— Você falando desse jeito arrogante nem parece que estava minutos atrás no vestiário pedindo um beijinho de boa sorte. — zombou, mas fez questão de se aproximar do jogador antes que ele pudesse responder e sussurrou em seu ouvido: — Mas é melhor você vencer. Não vou chupar um perdedor.

E era desse motivação que Jungkook precisava.

Taehyung saiu dali orgulhoso de si mesmo. Provocar o jogador já era quase um vício seu; Mas no fundo esperava que Jungkook ganhasse aquela partida.

Novamente o juiz apitou e Jungkook não hesitou em correr em direção a bola. Naquele momento já não contava mais com os passes de Minho e tentava se virar sozinho. O outro time até arriscava chutar a bola para o gol vez ou outra, mas felizmente Seokjin era um ótimo goleiro e a zaga afastava qualquer chance perigosa que eles conseguiam. Mas como sempre, o jogo não seria fácil e time adversário se tornou mais agressivo, fazendo faltas um tanto pesadas e levando cartão. Em uma delas Jungkook caiu com força no chão, sentindo o tornozelo doer. Apesar dos olhares preocupados do time, não era nada demais e logo se levantou para voltar a jogar — aliviando Taehyung, que às vezes se perdia na coreografia fazendo questão de se virar para acompanhar o jogo.

O jogo permanecia no zero a zero e mesmo com o esforço da equipe de torcida os gritos de incentivo ali se tornaram menores. Só tinham mais três minutos de acréscimo e logo o jogo acabaria com aquele placar vergonhoso. Jungkook se recusava a acabar aquele jogo com um empate, ainda mais se lembrando do acordo que fez com Taehyung. Então ainda que tivesse gerado olhar de confusão por parte de Minho ao roubar a bola do rival e fazer o caminho sozinho até a área, Jungkook seguiu com a jogada e respirou fundo ao finalmente chutar a bola com força para o gol. A cena toda passou em câmera lenta aos seus olhos, desde o chute até o goleiro tentando pegar a bola e ela finalmente balançando a rede.

Tinha marcado.

Os jogadores pularam em si para comemorar e Jungkook ainda estava um tanto desacreditado, pensando que aquilo significava que estavam vencendo e que teria o Kim para si. Tudo o que precisava fazer era não deixar o time adversário avançar de modo algum e cuidar bem da zaga naqueles poucos minutos.

Corria de maneira frenética pelo campo, roubando a bola dos jogadores do time adversário e arriscando mais alguns chutes. Não acertou algum, mas foi aplaudido diversas vezes pela torcida por sua tentativa até que enfim o juiz apitou, dando final ao jogo. Ignorou os amigos indo comemorar juntos para fitar Taehyung, que segurava os pompons, mas, ao contrário do resto da sua equipe, não dava pulos ou gritos de incentivo; Apenas lhe fitava com os olhos felinos e um sorriso no canto dos lábios. Jungkook se permitiu sorrir de modo arrogante daquela vez, sabendo que tinha vencido o acordo e que Taehyung era seu.

Correu para o vestiário e tomou seu banho um tanto apressado, com medo de Taehyung fugir, mas para sua surpresa ele lhe esperava em frente ao vestiário.

Inicialmente o loiro pensou que o outro iria enrolar no vestiário e aí assim poderia entrar para lhe recompensar sem ser pego, porém, com metade do time ali seria difícil. Por isso apenas puxou o jogador pela mão sem dizer nada, o arrastando até as arquibancadas que já se encontravam vazias.

— Agora sim eu vou te recompensar, Jeon.

Foi tudo o que disse antes de deslizar as mãos pelo abdômen malhado e por fim se ajoelhar. Abriu o zíper do jeans que o mesmo usava e abaixou sem pressa alguma a calça, contemplando as coxas grossas. Deixou que suas mãos acariciassem e apertassem as mesmas e até distribuiu beijos ali, em seguida abaixando levemente a cueca e beijando a virilha do mesmo. O jogador respirou fundo, internamente pedindo para que Taehyung fosse logo com isso, mas sabendo que ele amava lhe provocar, ficou quieto enquanto o assistia.

Taehyung tocou o membro do mesmo ainda por cima da cueca. Viu Jungkook morder os lábios e sorriu, tocando mais algumas vezes aquela área e deixando beijos ali antes de arrancá-la de vez. O membro do outro parecia ainda melhor do que tinha imaginado e sua vontade de chupá-lo se intensificou. Deixou então um beijo molhado na glande, ouvindo-o arfar.

— Eu me imaginei fazendo isso já faz tanto tempo, Jeon. Você não faz ideia de quantas vezes me imaginei bem assim... Ajoelhado e te chupando depois de um jogo. — murmurou, fazendo uma masturbação lenta no moreno. — Quero que gema meu nome sem hesitar assim como eu imaginei durante todo esse tempo. — o encarou, com um sorriso nada inocente nos lábios. — Faz isso pra mim, hum?

E por fim passou a chupar o jogador.

Jungkook gemeu baixo ao sentir o mesmo engolir seu membro. Ele lhe chupava de um modo lento e torturante, fazendo com que tocasse seus fios loiros em um pedido para que ele lhe chupasse direito. Só pela maneira como Taehyung lhe encarava sabia que ele estava fazendo aquilo de propósito e quis resmungar, mas assim que tentou, ele engoliu de vez todo seu membro e acelerou os movimentos. Daquela vez Jungkook não tentou gemer baixo de forma alguma e fez o que foi pedido: gemeu o nome de Taehyung.

Em todo momento fitou o animador, não querendo perder cada segundo daquela bela visão que era Taehyung de joelhos para si e lhe chupando. Ele parecia compartilhar do mesmo pensamento e não desviou o olhar de si enquanto lhe chupava, e aquilo excitava ainda mais Jungkook.

Quando sentiu que iria gozar, avisou o garoto, mas ele não pareceu se importar. Taehyung continuou o chupando até sentir o gozo do outro em sua boca enquanto ele apertava seus cabelos. Afastou-se minimamente, segurando o membro do jogador e engolindo o gozo, pouco se importando quando uma parte sujou sua bochecha. A visão pornográfica bem ali na sua frente era ainda melhor que nos seus sonhos e Jungkook tinha a certeza de que não esqueceria dela tão cedo.

Por fim o Kim se levantou, ajeitando a saia e tocando sua bochecha e canto dos lábios, limpando aquela região com o dedo e fazendo Jungkook chupar — o que o jogador fez sem pensar duas vezes. As mãos fortes seguraram a cintura magra, e antes que ele pudesse lhe beijar, desviou, o deixando confuso.

— Já te recompensei bem, Jeon. Você ainda quer mais?

Beijar os lábios rosados definitivamente era algo que Jungkook queria, ainda mais quando eles estavam tão pertos do seu — mas é claro que Taehyung não pensava do mesmo jeito.

— Já cumpri nosso acordo. — ele se afastou, com aquele típico sorriso arrogante no rosto. — Parabéns pela vitória, Jeon.

E assim ele saiu dali, sem mais e nem menos, como se não tivesse dado o melhor boquete de sua vida.

Jungkook respirou fundo, passando as mãos pelos cabelos e tendo a certeza de mais uma coisa: Kim Taehyung iria acabar com sua sanidade.

 

 

 

 

 

Taehyung descobriu que era péssimo em disfarçar quando recebeu um tapa de Jimin. O encarou um tanto confuso e o baixinho revirou os olhos.

— Tá todo mundo vendo você trocando olhares com Jungkook. — disse de uma vez. — Achei que depois do ocorrido com o Minho você seria mais discreto.

Desde que ouviu os xingamentos de Minho e até a provocação em relação à Jungkook prometeu a si mesmo que evitaria dar muito mole para o jogador em público. O que menos queria era o colégio comentando que tinha se agarrado com o garoto popular. Sabia que muitos se orgulhavam disso e definitivamente não daria esse gostinho ao Jeon.

— Mas ele está lindo hoje. — murmurou só para o amigo ouvir.

— Você diz isso todo dia, Tae. — o garoto tomou um gole do seu refrigerante. — Falou com ele desde o dia do jogo?

Era impossível esconder algo de Jimin. Naquele mesmo dia em que chupou Jungkook nas arquibancadas o baixinho pode notar que tinha aprontado algo só pelo sorrisinho que estava estampado em seu rosto. E como o bom curioso que era, Jimin quis detalhes — e Taehyung não se importou em contá-los.

— Não... E não porque eu não quis, mas porque não tive chance. — sua voz soou um tanto decepcionada. — Acha que eu devo ir falar com ele depois do treino da equipe dele?

— Não mesmo! Você já fez muito pagando um boquete pra ele. Até me pergunto pra onde foi toda aquela história de se fazer de difícil.

Deu um leve tapa nos ombros do baixinho. Sabia que ele tinha razão, mas Taehyung tinha começado a ignorar todas as regras que tinha colocado em sua cabeça já que tudo o que pensava nos últimos dias era em se agarrar com Jungkook.

— Um boquete não é grande coisa, Jimin. Sei bem que as intenções dele vão além disso.

— Só as dele? — provocou e Taehyung riu.

— Como se você também não fosse querer ir pra cama com um cara desses.

— Mas eu não quero mesmo. Já tenho Namjoon e isso me basta.

Revirou os olhos. O amigo falava daquela forma apaixonada sobre Namjoon, mas não tinha coragem de pedi-lo em namoro de uma vez por todas. Era patético.

Por fim se despediu do baixinho assim que o sinal tocou e voltou para a aula. Se fosse por vontade própria ficaria ali conversando com o amigo, mas sabendo que tinha que manter suas notas para continuar na equipe, desistiu da ideia. Aturar todos aqueles cálculos era um saco, mas o que lhe reconfortava era que daqui algumas horas teria ensaio da equipe de torcida. E mesmo que os ensaios fossem puxados, Taehyung amava cada vez mais fazer parte da equipe. Além disso, já tinha visto uma melhora em suas acrobacias e esperava estar bom o suficiente para se tornar um flyer até o campeonato do próximo mês.

Assim que as aulas se encerraram, encontrou Dahyun e foram juntos para o ensaio. Além de Jihyo, quem lhe ajudava com os treinos era ela. Por ser uma flyer fazia um bom tempo, a garota tinha experiência e não se importava em lhe ajudar, o que Taehyung agradecia já que assim podia sempre mostrar sua evolução para Jihyo e o resto da equipe.

— Olha só quem está ali...

Olhou na mesma hora para onde a amiga apontava, esperando ser quem tanto desejava ver, mas no final só se deparou com Kim Seokjin segurando Sooyoung pela cintura enquanto trocavam alguns beijos.

— Líder de torcida com o jogador de futebol... Tão clichê. — brincou a garota e Taehyung sorriu forçado. — Uma pena que garotas não sejam a praia da Sooyoung, se não...

Aquilo não foi surpresa para Taehyung já que tinha notado o jeito que a mais nova olhava para Sana. Porém, não arriscou dizer nada já que amava ver o modo como as duas garotas sorriam como bobas uma para a outra e sequer notavam o que aquilo significava. Só esperava que elas descobrissem logo o sentimento mútuo e ficassem juntas de uma vez.

Passaram a se aquecer e Jihyo pediu para Momo lhe mostrar a nova coreografia. Assim como o resto da equipe, Taehyung parou para assistir. A japonesa podia sim ser uma ótima dançarina, mas coreógrafa nem tanto. De fato ela tinha melhorado a anterior, mas ainda parecia básico demais e Jihyo pareceu pensar o mesmo que si.

— Precisamos de algo a mais... Acrobacias é algo que trabalhamos e ganhamos prática, mas uma coreografia perfeita e impactante é algo que precisa ser decidido com pressa e o campeonato é já no próximo mês e teremos que decorar até lá. — disse um tanto aflita. — Sua rotina é boa, Momo, mas precisamos mais do que isso.

Todos se mantiveram calados e a garota assentiu. Taehyung ainda se sentia descolado por ser um novato ali, e era por isso que tinha medo de levantar a mão e sugerir novos passos. Já conseguia imaginar toda a coreografia na sua mente e, ao contrário da que Momo tinha feito, sabia que aquela sim teria impacto.

No entanto, Jihyo era uma líder atenta e não deixava nada passar despercebido. Notou a inquietação do loiro e lhe fitou, tentando decifrar o que aquilo significava. Taehyung sorriu de modo forçado e desviou o olhar, mas já era tarde demais.

— Tem alguma sugestão Taehyung?

Todos os olhares se voltaram para si. Tentou ao máximo mostrar que estava tudo bem, mas era difícil.

— Não.

— Não? — repetiu a capitã. — Por que será que esse “não” não me pareceu convincente, hein? — brincou, atraindo risos. — Eu gosto de ouvir sugestões, Taehyung. Então se tiver alguma... Diga.

Se Taehyung queria que aquela equipe lhe aceitasse, tinha que mostrar comprometimento. Já fazia isso comparecendo aos treinos e jogos, porém, ajudar com a coreografia poderia mostrar isso ainda mais, então mesmo que de modo receoso, se levantou e o fez.

— Tive uma ideia para a coreografia.

Jihyo permitiu que mostrasse alguns passos e, um tanto nervoso, o fez. De início todos ficaram quietos e já considerou isso algo negativo, mas ao ver a capitã abrir um sorriso, suspirou aliviado.

— Espero que você tenha pensado em mais passos porque agora sim eu acho que nossa coreografia está indo para o caminho certo!

Taehyung sorriu, feliz com o elogio da líder e pelos aplausos que recebeu. Fitou Momo, esperando alguma reação negativa da mesma, mas ela também pareceu feliz por si. Aquilo só mostrou o quão unida aquela equipe era e o quão focados estavam naquele campeonato.

O resto do treino seguiu com o resto da equipe acrescentando alguns passos e por fim repassando a coreografia. O resultado final parecia ótimo e todos concordaram que agora sim a coreografia era a ideal e a usariam no campeonato. Todos ali lhe parabenizaram antes de irem embora e Taehyung se sentiu nas nuvens. Agora sim sentia que era mesmo um membro da equipe.

Estava ajudando Jihyo a arrumar o tablado quando notou a figura sentada na arquibancada. Achou que estava ficando louco, mas a garota ao seu lado confirmou que era mesmo ele ali.

— Jeon Jungkook no nosso treino? Isso sim é inédito.

Taehyung nada respondeu porque estava ocupado demais pensando no que ele fazia ali. O jogador acenou para si, quase como se o chamasse e sentiu Jihyo lhe dar um empurrãozinho.

— Vai lá falar com ele. Eu termino isso daqui rapidinho e já vou embora. — o loiro permaneceu receoso e ela revirou os olhos. — Eu sou a capitã e estou mandando você ir, então vai!

E, bem, Taehyung nunca iria contra as ordens da capitã.

O treino tinha acabado alguns minutos mais cedo e Jungkook não se importou em sair correndo até o outro lado do colégio onde ficava o ginásio. Já estava cansado de voltar à estaca zero com o Kim e só trocarem olhares, principalmente com o ocorrido no último jogo, então prometeu a si mesmo que iria se aproximar do garoto.

Antes do treino da torcida ser encerrado, pode ver Taehyung dançar juntamente ao resto da equipe. Mesmo com outras vinte pessoas ali só tinha olhar para o Kim. Ele se destacava e lhe deixava louco com seus movimentos, mexendo os quadris na saia rosada e fazendo expressões sexys que eram capazes de enlouquecer Jungkook. E com certeza Taehyung sabia do impacto que tinha em si, prova disso era como ele caminhava em passos lentos em sua direção com um sorriso convidativo nos lábios.

— Achei que o campo de futebol ficasse do outro lado do colégio.

— E fica. Mas o meu treino acabou e pensei que não seria nada mal assistir o treino da equipe de torcida.

— Só diz logo que veio aqui me ver, Jeon.

— Eu vim aqui te ver. — admitiu de uma vez e o loiro pareceu surpreso. — O quê? Diferente de você eu não preciso fingir ou fazer joguinhos, Taehyung. — comentou de modo ríspido, mas agradou o outro.

— Sei bem disso só pelo modo como você gemeu meu nome embaixo daquela arquibancada... — provocou, vendo o moreno morder os lábios, parecendo se lembrar da cena. — Mas hoje não vou fazer acordo algum com você, Jeon. Nem crie expectativas.

— Acordo... — debochou já que acordo não era uma palavra que definia bem o fato de Kim Taehyung ter decidido lhe pagar um boquete. — Mas só vim aqui conversar.

— Conversar? — questionou de modo descrente.

— Sim, só conversar. Mas não precisa ficar chateado por eu não corresponder as suas segundas intenções, Taehyung.

O loiro revirou os olhos. Mesmo com a provocação ainda achava que Jungkook tinha ido ali para tudo exceto ter uma conversa normal.

— E sobre o que quer falar?

Jungkook tocou as mãos delicadas do animador e o ajudou a subir. Ele se sentou ao seu lado e ambos observaram Jihyo arrumar o ginásio.

— Sobre você. — respondeu sem mais delongas, vendo o outro lhe fitar com curiosidade. — Sabe se lá como, eu só fui saber quem você era quando todo esse lance de você entrar pra equipe e usar o uniforme feminino aconteceu, mas o colégio todo já parecia conhecer você e entendi o choque quando te vi esses dias andando com seu amigo baixinho.

Taehyung torceu por Jimin não estar ali já que ele odiava ser chamado de baixinho.

— Ainda não entendi o porquê do choque.

— As roupas que você usava. — começou a explicar, tentando ser cauteloso com as palavras. — Jaqueta de couro, blusa de uma banda qualquer de rock, calças pretas e rasgadas, coturno nos pés... Você parecia ser um baterista de uma banda, e não um animador de torcida. E não que eu ache isso ruim porque você também fica lindo vestido daquele jeito, mas é um contraste muito grande com o uniforme rosa e delicado da equipe de torcida. — finalizou, notando o loiro ficar pensativo por alguns segundos.

— Eu gosto de usar roupas pretas e rasgadas, mas também gosto desse uniforme rosa e justamente de como ele é delicado. — franziu o cenho. — E isso ficou muito confuso, mas... Eu sempre quis fazer parte da equipe de torcida. E não só pelos uniformes ou para ser popular, mas por gostar de ginástica e de dançar, e a equipe de torcida junta os dois. — o moreno assentiu. — Quando fiz o teste a maioria achou que fosse uma piada e eu até entendo porque, como você mesmo disse, é estranho pensar que Kim Taehyung vulgo o cara mal encarado quer ficar dando saltos e gritos de incentivo com uma voz fina igual as outras garotas da equipe. Mas eu pensei muito antes de fazer o teste e achei que era besteira deixar de fazer algo que eu gostasse por medo da reação dos outros. Em partes foi por isso que durante muito tempo espalhei rumores absurdos sobre mim.

— O meu favorito é aquele que você atacou um garoto com uma garrafa de cerveja por ele ter derramado refrigerante na sua jaqueta. — Taehyung riu e negou.

— Eu nunca relei a mão em ninguém. Tudo isso foi para manter os babacas do colégio longe já que vi Jimin sofrer durante muito tempo nas mãos desses homofóbicos. — murmurou com raiva ao se lembrar dos xingamentos que o melhor amigo ouvia após ser flagrado com um garoto de sua série. — E funcionou bem. Até eu decidir usar esse uniforme, é claro. — tocou a saia rosada. — Mas eu já estava preparado para os xingamentos e eles realmente não me afetam. Quer dizer, no final do dia eu fico gostoso pra caralho nele então que se foda a opinião alheia.

Jungkook riu. Era evidente que Taehyung tinha muita confiança em si não só pelo modo como andava assim também como tinha enfrentado Minho sem se sentir abalado com os xingamentos. O Kim era incrível.

— Nisso eu tenho que concordar. — sorriu para o outro. — E quais são as dessas tatuagens? Achei que menores de idade não deviam se tatuar.

— Você pareceu meu pai falando isso. — fez uma careta.

— Fez escondido dele? Digo, do seu pai?

— Sim. Tenho um amigo tatuador e minha primeira tatuagem foi feita quando estava bêbado após perder uma aposta com Jimin. — riu ao se lembrar daquele dia. — Depois disso comecei a fazer mais tatuagens e sempre andava de camisa longa em casa por isso. Um dia fui descuidado e meu pai viu e quase me matou. Mas as tatuagens já estavam ali e não tinha como tirar, então... — deu de ombros.

O Jeon assentiu e se permitiu encarar melhor as tatuagens do Kim. Elas não eram pequenas ou discretas, mas também não eram tão chamativas assim. Tinha uma pequena frase em inglês ali que Jungkook sequer entendeu já que não sabia nada daquela língua. Também tinha uma caveira cercada de flores, que mostrava justamente aquele contraste que era Kim Taehyung. Já o resto se resumia somente a tipos diferentes de flores, o que lhe surpreendeu.

— Você realmente gosta de flores, não é?

Arrepiou-se levemente ao sentir os dedos gelados do jogador tocarem com delicadeza seu braço, contornando o desenho da tatuagem.

— É... Eu passava as férias na casa da minha avó quando era mais novo e ela tinha um jardim enorme e sempre me chamava para cuidar das flores. Ela também me explicava o significado de cada uma e assim fui tendo certo apego com elas. — explicou, e aquilo só encantou ainda mais o Jeon.

— Você tem mesmo um lado delicado... — comentou de maneira inocente e o loiro lhe bateu, achando que estava zombando de si. — Ei, eu quis dizer isso no bom sentido. — se defendeu, vendo o outro se acalmar.

Jihyo se aproximou, interrompendo a conversa e dizendo que estava indo embora. Ambos garotos se despediram, a vendo partir e por fim lhe deixando a sós. O clima mudou a partir dali. Mesmo que pouco, Taehyung se sentiu um tanto sem graça. Era a primeira vez que tinha uma conversa real com Jungkook e até tinha dado detalhes mais pessoais sobre si. O pior é que não tinha se arrependido já que o jogador lhe ouvia com atenção e parecia encantado com cada palavra sua. Achava até fofo a maneira como Jungkook lhe olhava.

— Então... — tentou quebrar o gelo, atraindo a atenção do moreno. — Me fale sobre você, Jeon. Juro que não sei muito mais do que você me contou naquele dia. — se referiu ao fato dele dizer de modo orgulhoso que era capitão do time de futebol. — Aliás, ninguém desse colégio parece saber muito sobre você.

— Eu só sou mais discreto, sabe? Sei que rumores se espalham fácil nesse colégio e existem pessoas cruéis como Minho, então sempre preferi ficar mais na minha pra terminar o colégio em paz. — o loiro assentiu. — E eu realmente não sei o que falar sobre mim... — disse um tanto sem graça, já que de fato não se achava alguém interessante.

— Sei lá... Fala sobre seus hobbies, time de futebol favorito, se prefere ketchup por cima da batata frita ou prefere mergulhar a batata no ketchup... — o moreno riu. — Coisas assim, sabe?

— Meus hobbies se resumem em jogar vídeo game o dia todo e desenhar de vez em quando. Meu time favorito é o Paris Saint Germain. E quanto as batatas e o ketchup, lamento te desapontar mas eu odeio batata frita.

— Odeia batata frita? Fala sério!

— Não sei quem teve a ideia de mergulhar uma batata fatiada no óleo quente, mas acho isso nojento.

— Por um momento eu esqueci que você é jogador e deve seguir uma dieta fitness completamente horrível. — fez uma careta. — Só falta me dizer que também odeia hambúrguer.

— Bem, na verdade...

— Ok, se você tinha alguma chance comigo ela oficialmente acabou agora. — disse de modo exagerado, fazendo menção de se levantar. — Foi bom te conhecer, Jeon.

O moreno apenas tocou sua cintura e lhe puxou de volta. Taehyung amou a sensação de ter as mãos musculosas em si e quase pediu para ele mantê-las ali.

— Qual é o seu tipo, afinal? — questionou repentinamente, surpreendendo Taehyung. — Vi você dando fora em vários caras e não é possível que nenhum deles faça seu tipo.

— Eu não tenho um tipo. — respondeu com sinceridade. — Só fico com quem eu achar interessante e atraente.

— Então isso significa que tenho chance com você?

O loiro riu, se divertindo com o sorriso ladino nos lábios do Jeon.

— Quando foi que eu disse que te acho interessante?

— Você quis descobrir mais sobre mim, Kim. Algum interesse você tem.

— Não te acho atraente.

Daquela vez Jungkook riu.

— Ah, não? Tem certeza, Kim? — e ele assentiu, o que foi o suficiente para Jungkook se aproximar e ficar perto demais do rosto alheio. — Nem um pouco?

— Nem um pouco. — afirmou, embora naquela altura seu olhar já estivesse nos lábios rosados que pareciam tão macios e convidativos.

— Por que será que eu não acredito em você, hein? — deixou que sua mão deslizasse de modo delicado pela bochecha alheia. — Iria se afastar se eu te beijasse?

Taehyung sentiu-se arrepiar com a fala dita em tom mais baixo. O jogador dizendo aquilo e lhe encarando daquele jeito era demais para si.

— Sim... — murmurou, mas sua voz já falhava e aquilo agradou o outro.

— Então se afaste, ou eu vou te beijar.

E Jungkook colocou as mãos na nuca alheia, aproximando o rosto cada vez mais esperando que ele lhe empurrasse, mas ele não o fez. Seus lábios roçaram de leve, tocando também a ponta do seu nariz com a do loiro. Ambas as respirações estavam pesadas e olhos fechados, como se estivessem se perdendo naquele momento. Jungkook então deu um primeiro selar de modo delicado, deixando em seguida que sua língua passasse no lábio alheio, tocando o piercing que tanto lhe chamava atenção. Naquela hora Taehyung não hesitou em abrir os lábios, fazendo com que por fim Jungkook colasse a boca na sua e lhe beijasse de uma vez.

Era irônico porque desde o início Jungkook só pensava em beijar o outro e diversas vezes se imaginou fazendo aquilo de modo selvagem e eufórico. Mas agora não tinha pressa ou urgência, só queria aproveitar bem aquele primeiro beijo com o Kim, e o beijo era calmo porém intenso, fazendo com que ambos sentissem que estavam no seu próprio universo, sem se preocuparem com ninguém ou com o tempo.

Cessaram o beijo segundos depois — ou minutos, sequer sabiam já que o tempo parecia ter voado — quando recuperar o fôlego se fez necessário. Não afastaram o rosto e os lábios continuavam se tocando, fazendo com que os dois dessem breves selares. Taehyung só se afastou quando decidiu procurar uma posição melhor e ajeitou suas pernas nas coxas grossas do Jeon — e esse não hesitou em deslizar suas mãos nas pernas bronzeadas antes de lhe beijar de novo. Daquela vez o beijo era um tanto mais agitado e necessitado, com direito a toques a mais e até um gemido baixo pela parte do Kim ao sentir o lábio inferior ser mordido e a coxa ser apertada pelo Jeon. Ficaram assim por mais algum tempo até Taehyung decidir que já tinham se beijado o suficiente. Jungkook esperou que acabasse por ali, afinal, o loiro amava lhe torturar, mas o mesmo se afastou e se levantou, ajeitando a saia e dando um sorriso convidativo para si.

— O quê? Eu não quero ser pego transando na arquibancada do ginásio, Jeon.

E assim ele saiu dali rindo de modo arteiro até o vestiário. Seguiu o Kim sem hesitar e o empurrou na parede do vestiário assim que pisaram ali e voltou a lhe beijar. Os toques agora eram mais agressivos e Taehyung puxava os frios negros enquanto o outro marcava seu pescoço sem pudor, deixando claro que ficaria uma marca feia ali no dia seguinte — e sequer se importou. Fez menção de arrancar a camisa que o jogador usava e ele lhe ajudou, arremessando em um canto qualquer do vestiário. Deslizou então as mãos pelo abdômen malhado, se deliciando com a vista antes de puxá-lo para si de novo pelo cós da calça.

Logo as mãos do Jeon já deslizavam para baixo da saia rosada e apertava a bunda alheia. Pode ouvir um gemido em aprovação e sorriu em meio ao beijo.

— Eu queria fazer isso já faz tempo... — murmurou, sentindo o Kim morder seu lábio inferior.

— Tem lubrificante e camisinha na minha bolsa. — comentou, já que o que mais queria era que Jungkook lhe fodesse logo.

Observou o Jeon pegar a mochila caída no canto do vestiário e procurar em meio a suas roupas o lubrificante a camisinha. O garoto fez aquilo bem rápido e voltou com ambos em mãos, puxando Taehyung para um último beijo antes de virá-lo de costas para si até a pia e se ajoelhar ali. As mãos grossas abaixaram o shorts apertado rosa escuro que o loiro usava debaixo da saia, abaixando também a cueca até ter a visão da bunda do Kim nua. O que lhe surpreendeu foi uma tatuagem escrito “kiss here” na nádega direita.

— Foi essa a tatuagem da aposta que você perdeu? — se lembrou do que ele tinha comentado alguns minutos atrás e o ouviu bufar.

A resposta do jogador foi morder aquela região.

— Aí esta dizendo pra beijar, e não morder. — resmungou e o Jeon riu.

Os lábios de Jungkook deixaram um beijo ali antes de por fim separar as nádegas do mesmo. Taehyung esperava sentir o dedo do mesmo repleto de lubrificante na sua entrada, mas recebeu algo bem mais prazeroso: Jungkook deslizando a língua naquela área. Apoiou-se na pia e soltou um gemido arrastado, o que pareceu ter agradado o outro já que ele continuou e acelerou os movimentos. Quando por fim o jogador se fez por satisfeito, deixou mais um beijo na bunda do mesmo antes de se levantar e introduzir o primeiro dedo. Puxou o rosto do outro pelo queixo e lhe beijou, tentando distraí-lo e fazê-lo relaxar enquanto se preparava para colocar o segundo dedo.

Quando Taehyung sentiu que estava pronto, avisou ao moreno, que prontamente tirou os dedos lambuzados dali e abaixou a calça e cueca, por fim colocando a camisinha no membro já duro. Tocou com delicadeza a cintura alheia, deixando um beijo em seu pescoço antes de colocar seu membro na entrada do Kim. Podia ver as reações do mesmo pelo espelho e isso só tornava tudo ainda mais excitante. Taehyung revirou os olhos de prazer e mordeu os lábios, segurando um gemido ao sentir todo o membro de Jungkook na sua entrada. O jogador sussurrou em seu ouvido:

— Agora eu quero ouvir de você, Kim... O que quer que eu faça, hum? — mordeu o lóbulo da sua orelha. — Quero ouvir você dizer.

— Jeon... — murmurou com raiva e o jogador se mexeu de modo lento, o fazendo arfar. — Vai logo.

— Já disse que quero ouvir você dizer.

E então Taehyung deixou todo seu orgulho pra trás e o fez, cansado daquele joguinho.

— Me fode, Jeon.

E Jungkook o fez. Acelerou os movimentos e viu o Kim se empinar para si, se apoiando na pia enquanto gemia seu nome sem hesitar. Agradeceu pelo ginásio estar vazio porque com certeza alguém ouviria os gemidos altos e manhosos que vinham do vestiário.

Jungkook observava as expressões do outro pelo reflexo do espelho e mordia os lábios, amando ver o Kim completamente entregue a si. O pegou pela cintura e lhe virou em sua direção, o colocando em cima da pia. As pernas longas e bronzeadas circularam sua cintura, o puxando para mais perto. Jungkook então beijou de modo eufórico o loiro, sentindo o mesmo arranhar suas costas sem pudor algum.

Taehyung já sentia suas pernas fracas enquanto Jungkook lhe estocava, o que significava que em breve gozaria. Gemeu de modo lento o nome do outro, que entendeu o recado e se afastou minimamente só para tocar seu membro enquanto continuava lhe estocando. Taehyung por fim gozou alguns segundos depois, lambuzando a mão do Jeon até ele finalmente atingir seu ápice e diminuir o ritmo das estocadas.

As respirações ofegantes tomavam conta do local. Os dois garotos se beijavam, ainda um tanto extasiados. Afastaram-se minimamente e sorriram um para o outro, se sentindo estúpidos por terem demorado tanto para fazerem aquilo.

Jungkook observou o pescoço alheio, que estava avermelhado devido aos seus chupões e sorriu, tocando aquela área.

— Boa sorte em esconder isso daí.

— Sorte a sua que eu não estou com forças pra levantar e chutar essa sua bunda, Jeon. — resmungou, ouvindo a risada do moreno. — E você não está muito diferente de mim. — mencionou e deslizou as mãos pelas costas alheias e ombros que estavam arranhados. — Se eu fosse você evitava tirar a camisa no vestiário amanhã.

Jungkook não achou aquilo ruim, pelo contrário, queria mais era que Taehyung lhe marcasse para se lembrar de cada detalhe que tinha acontecido naquela tarde.

Trocaram mais alguns beijos antes de se ajeitarem e saírem dali. Caminharam juntos até suas respectivas casas já que moravam perto um do outro e se despediram; Sem beijos daquela vez, mas com uma troca de olhares que dizia muita coisa.

 

 

 

 

Para Jungkook era impossível apagar a imagem de alguns dias atrás, onde fodia Kim Taehyung no vestiário do ginásio.

Desde aquele dia era normal os dois garotos se encontrarem escondido na troca de aulas ou após os treinos, trocando beijos quentes e tocando um ao outro. No entanto, Taehyung não dava sinal algum que pretendia transar consigo de novo, e não sabia se ele fazia isso simplesmente por não estar afim ou apenas para lhe provocar. Toda vez que ousava abaixar o shorts que ele usava debaixo da saia rodada, o mesmo ria e afastava, dando um sorriso provocativo dizendo que “era melhor parar por ali”. Começou a pensar no que tinha feito de errado já que naquele dia o loiro pareceu ter gostado e muito da transa que tiveram, então estava realmente confuso.

Naquele momento vestia suas roupas e se preparava para sair do vestiário. Seokjin comentava algo sobre Sooyoung e Hoseok resmungava sobre o quão frustrante era ser solteiro.

— E você, Jungkook? — questionou o Jung. — Desistiu de vez de tentar algo com o Kim?

Não tinha comentado sobre o que fizeram debaixo da arquibancada e muito menos dos encontros secretos. E não porque não confiava nos amigos, mas porque preferia manter tudo em segredo, já que sabia que Taehyung não queria que o tivessem fosse exposto para ninguém — sabe se lá o porquê disso.

— Não, mas decidi ficar na minha por um tempo. Já tem outros caras dando em cima dele e você sabe como é...

Os dois amigos riram.

— Quem diria que Jeon Jungkook iria se sentir afetado pela concorrência.

Ah, se eles soubessem...

Despediu-se dos garotos e seguiu até o ginásio. Esperou Taehyung na entrada, se sentindo um tanto ansioso cada vez que via alguém sair dali. Não sabia porque ficava assim em relação ao Kim, mas também preferia não descobrir. O loiro só apareceu ali alguns minutos depois, caminhando ao lado de Jihyo. Sorriu para o mesmo, que pareceu surpreso por vê-lo ali, afinal, o combinado era sempre de se encontrarem nos fundos do colégio onde ninguém poderia ver.

— Eu falo com você amanhã. — disse para Jihyo, ainda um tanto desconcertado ao notar o garoto ali no canto.

— Até amanhã então. — ela respondeu e se foi, aliviando Taehyung.

— Você demorou. — murmurou, puxando-o para um beijo rápido.

— Tive que ajudar Jihyo a arrumar as coisas... — respondeu, ainda com o cenho franzido. — E o que você faz aqui?

— Vim te ver. — falou como se fosse óbvio e riu.

— Eu quis dizer o que você faz justamente aqui. O trato era nos encontrarmos no fundo do colégio.

— Achei que não teria problema vir te buscar aqui hoje. — respondeu com sinceridade, já que de fato não pensou que era grande coisa. — E só Jihyo nos viu... Por que está tenso?

No geral Taehyung confiava na capitã da equipe, porém, também se lembrava que a garota parecia saber de todas as fofocas ali e seu maior medo era que ela notasse o que tinha com o Jeon e acabasse espalhando.

— Nada. — desconversou. — Mas podemos só ir para casa hoje? Estou morrendo de dor de tanto que Jihyo nos fez praticar e só quero deitar.

Mesmo que tivesse ido ali com outras expectativas, Jungkook entendeu o recado.

— Tudo bem. Mas se quiser uma massagem...

— Jeon. — murmurou, revirando os olhos mas rindo em seguida.

— Ok, ok. — pegou em suas mãos. — Vamos.

Andarem de mãos dadas também era novidade. Taehyung não entendeu a atitude do garoto, mas não era como se não tivesse gostado daquilo — por mais clichê que fosse. Embora o que tinha com o Jeon fosse algo completamente carnal e sem compromisso, gostava de quando ele tinha ações como aquela, que pareciam fofas e carinhosas.

E quis bater em si mesmo por pensar assim.

— Então, como foi o treino? Deve ter sido cansativo para você só querer ir para casa. — questionou e o loiro assentiu.

— Com o campeonato daqui duas semanas a Jihyo ficou ainda mais exigente e eu nem pensei que isso fosse possível. Ela nos fez repetir a coreografia centena de vezes e nem sinto mais minhas pernas. — reclamou, fazendo um biquinho que Jungkook achou fofo até. — Fora que teve uma discussão sobre o uniforme e foi um fiasco.

— Sobre o uniforme?

— É. Durante o campeonato precisamos de um uniforme novo e bonito, mas a maioria da equipe só dá sugestões péssimas de design. Acredita que Dahyun queria que fosse da cor laranja?!

Jungkook riu com a careta do outro e lhe puxou apenas para lhe dar um beijo na bochecha, colocando o braço sob seu ombro e sentindo o mesmo voltar a entrelaçar a mão com a sua.

— Laranja é uma cor péssima. Vocês podiam variar e usar uniforme vermelho. — sugeriu. — Quer dizer, a cor oficial do colégio é vermelho e nunca entendi porque vocês usam rosa.

— Porque uniformes rosas são bem mais bonitos. — argumentou. — Mas vermelho não parece uma má ideia...

— Você ficaria bem de vermelho. — o comentário fez Taehyung sorrir e lhe encarar.

— Só está dizendo isso porque é sua cor favorita.

— Porque é minha cor favorita e porque você ficaria lindo nela. — insistiu, vendo o loiro morder os lábios. — E já sabe até qual é minha cor favorita, Taehyung?

Talvez Taehyung realmente prestasse atenção em cada comentário do Jeon e gostasse de listar suas manias e gostos. Desde a conversa que tiveram no ginásio, notou que, sim, Jungkook era realmente alguém interessante e se sentia mais leve ao falar com ele.

— Não é tão difícil assim adivinhar quando a maioria das suas camisas são dessa cor, Jeon. — se defendeu, mas ainda assim não convenceu o moreno.

— Acho que nessa altura você já devia parar de me chamar pelo sobrenome, não acha?

O loiro deu de ombros, deixando a pergunta para lá enquanto caminhavam pelas ruas até suas casas.

— Dahyun disse que eu me sai bem no treino de hoje. — comentou após alguns segundos. — E geralmente ela me elogia pelo meu avanço, mas dessa vez senti que ela realmente quis dizer isso, sabe? Não só para me motivar ou algo assim.

— Eu disse que você seria um bom flyer caso treinasse mais. E aposto que você vai se sair bem no campeonato.

— Eu espero... Tenho treinado bastante nas últimas semanas e não quero que seja em vão. — sua voz soava um tanto aflita. — A Jihyo colocou Sana como minha substituta porque, segundo ela, se eu não estiver excepcional até o campeonato ela vai me assumir minha posição.

— Jihyo deve acreditar em você por te dar essa responsabilidade. Não acho que você deveria ficar inseguro ou achando que vai perder seu posto como flyer.

— Eu não sei... Quer dizer, Sana pode ter suas falhas, mas ela é bem carismática e é o que se espera de uma flyer. — deu um longo suspiro, fitando a rua e ignorando o olhar atento do jogador. — Jihyo disse que eu tenho uma técnica boa, mas que devo sorrir mais, parecer que estou me divertindo e ser carismático... Não me surpreenderia se ela decidisse colocar Sana no meu lugar.

— Ah, qual é, Taehyung. Você é carismático sim. Toda vez que assisto os ensaios ou as apresentações em dia de jogo você sempre se destaca no meio das outras líderes.

— É claro que sim, sou um cara usando uniforme feminino. — riu sem humor algum. — Seria difícil não me destacar, mas pena que é justamente pelo motivo que eu não quero.

Estava tão acostumado a ver Taehyung confiante que aquele lado vulnerável foi surpresa para si, por isso demorou alguns segundos para responder, procurando as palavras certas.

— Com ou sem uniforme você chama a atenção porque é incrível no que faz, Taehyung. O jeito que você dança, as acrobacias, o seu olhar... Você se destaca porque é bom e é confiante, seja com esse uniforme no corpo ou não.

As palavras do Jeon lhe surpreenderam. Não tinha dito aquilo esperando elogio algum, e sim porque queria desabafar. Nada além. Mas o garoto falava com tanta firmeza e lhe olhava daquele jeito com tão sincero com os olhos grandes que até fazia parecer ser verdade o que dizia. Taehyung tentou não demonstrar, mas tinha ficado feliz em ouvir aquilo.

— Queria que Jihyo pensasse como você. — disse em seguida, notando que já estava chegando próximo a rua onde se despediria do moreno. — Mas de todo jeito, acho que já contribui montando a coreografia. Mesmo que eu fique fora do campeonato vou sentir que ajudei, e é isso o que importa.

— Você vai sim pra esse campeonato e vai vencer. — pararam na esquina, com um Taehyung já preparado para se despedir, mas não o fez já que estava atento as suas palavras. — Além disso... — o jogador tocou a cintura magra. — Não vou beijar um perdedor. Então é bom que você vença esse campeonato, hum?

Lembrou-se de que o moreno fazia menção ao acordo que fizeram semanas atrás e riu, lhe puxando para um beijo, que foi longo e demorado e sem vontade alguma de ambas as partes de se afastarem. Quando o fizeram, Taehyung sorria. Jungkook tocou sua bochecha, deixando uma carícia ali. Já tinha visto o animador sorrir, mas nunca foi um sorriso sincero como o de agora. Só via o típico sorriso arrogante ou sugestivo nos lábios alheio, e aquele sorriso retangular e um tanto infantil era lindo. Novamente descobria mais um lado delicado do Kim, e amava isso.

— Mas, sabe... Talvez Jihyo tenha razão. — comentou repentinamente, deixando o loiro confuso. — Você devia sorrir mais. Tem um sorriso bonito.

Taehyung torceu para não ter corado ao ouvir aquelas palavras. Sentiu um típico friozinho na barriga e sorriu sem graça, puxando Jungkook para mais um beijo antes de questionar:

— Seus pais estão em casa?

Jungkook negou. Na mesma hora o Kim deu um sorriso ladino, unindo suas mãos e fazendo sinal para seguirem até a rua ao lado, que levava a casa do Jeon. Geralmente o loiro iria se despedir e viraria na direção oposta já que sua casa era para lá, mas decidiu mudar as coisas naquele dia. Estava com saudades dos toques do jogador e queria relembrar o que tinha acontecido semanas atrás naquele vestiário. Um tanto surpreso, Jungkook não reclamou e seguiu ao seu lado.

Assim que pisaram em sua casa e Jungkook tocou a maçaneta e retirou os sapatos, não teve tempo algum para pensar já que Taehyung lhe atacava com um beijo. Mesmo um tanto surpreso, retribuiu sem hesitar, já que assim como o Kim estava louco para lhe beijar.

O caminho até seu quarto foi repleto de beijos um tanto desastrados enquanto carregava a figura magra em seus braços. Taehyung circulava as pernas em sua cintura e puxava seus cabelos, aprofundando o beijo. O colocou de maneira delicada na cama e subiu em cima de si, voltando a lhe beijar de modo feroz. Roçava seu quadril no do outro e podia ouvi-lo gemer em aprovação. Se afastou apenas para arrancar a camisa, sentindo as mãos do Kim deslizarem ali antes de ele se erguer e deixar beijos por ali. Logo os lábios dele voltaram a tocar os seus, em um beijo intenso e molhado.

No dia em que transaram no ginásio não tirou o uniforme do Kim de seu corpo. O que queria agora era contempla-lo sem o top apertado e a saia rosada atrapalhando sua visão. Então moveu sua mão até o zíper que tinha no top, vendo Taehyung se afastar para que pudesse tirá-lo e deitou-se novamente na cama. Jungkook então notou a joia no mamilo e sorriu.

— Piercing no mamilo? Por essa eu não esperava...

E não hesitou em chupar aquela região, ouvindo Taehyung gemer arrastado já que era uma área sensível para si. Jungkook pareceu satisfeito e continuou ali até descer os beijos por toda a barriga do loiro. Por fim decidiu tirar a saia e shorts que ele usava, os abaixando sem muita pressa enquanto contemplava as pernas longas que tanto gostava. O membro do Kim já estava duro e implorava por atenção, o que Jungkook deu, tocando-o por cima de cueca enquanto o outro fechava os olhos e reprimia um gemido.

Taehyung se sentia nas nuvens com os toques do jogador. Sequer estava com pressa para ele lhe foder de vez, queria aproveitar cada toque seu. Sentiu então os lábios molhados distribuírem beijos em suas coxas e a cueca por fim ser retirada. A mão forte do Jeon agora lhe masturbava enquanto o próprio parecia se excitar vendo como revirava os olhos de prazer e mordia os lábios.

— Jungkook... — gemeu arrastado e de modo manhoso, agradando o garoto.

— Eu vou preparar você. — murmurou antes de lhe beijar e por fim pegar o lubrificante e camisinha que estavam na cômoda ao lado. Lambuzou os dedos com o líquido, ajeitando o garoto a sua frente. — Fica assim... — disse ao abrir as pernas do loiro, amando ter aquela visão.

Enfiou o primeiro dedo, acariciando as pernas do Kim e tentando deixá-lo o mais confortável possível. Logo colocou o segundo, o ouvindo gemer daquela vez e remexer os quadris, pedindo por mais.

Jungkook se afastou e ouviu um resmungo pela parte do animador, mas precisou tirar o jeans e cueca que usava. Taehyung então lhe puxou com as pernas assim que se ajoelhou na cama e o Jeon riu, voltando a lhe beijar.

— Sentiu tanta saudades assim do meu pau, Taehyung? — debochou, sentindo o mesmo morder seu lábio inferior.

— Só me fode uma vez, Jeon.

— Fica de quatro pra mim. — sussurrou em seu ouvido.

Taehyung se ajeitou na cama, ficando de quatro do jeitinho que Jungkook queria e o olhou por cima do ombro com um sorriso safado, sabendo que tinha agradado o Jeon. O jogador colocou a camisinha e segurou o quadril do loiro, por fim colocando seu membro na entrada alheia. Tombou a cabeça para trás e ouviu Taehyung gemer arrastado ao começa a lhe estocar. Começou com movimentos lentos e passou a acelerar, fazendo com que o Kim se empinasse ainda mais e enfiasse a cara no travesseiro.

Jungkook amava ter Taehyung entregue a si. O garoto gemia alto seu nome, querendo deixar claro o prazer que sentia e excitando ainda mais o Jeon.

O mais velho sentiu o outro lhe puxar e colar seu peitoral nas suas costas, de modo que pudesse lhe beijar e tocar seu membro enquanto lhe estocava. O outro gemia em meio ao beijo, também sussurrando safadezas em seu ouvido e fazendo com que o loiro já começasse as sentir as pernas enfraquecerem.

— Jungkook... — o chamou, sendo respondido com um “hum?” pela parte do outro. Nada disse, apenas fez menção para que ele se deitasse, e o garoto fez, o olhando com certa expectativa.

Taehyung sentou-se no colo alheio, beijando-o antes de colocar as pernas ao redor de sua cintura e se ajeitar, colocando sua entrada no membro duro. Jungkook gemeu em aprovação e Taehyung soltou um longo suspiro, se ajeitando ali antes de começar a se mover. As mãos do mais novo tocavam sua cintura, mostrando o ritmo que deveria seguir. Taehyung rebolava, gemia e subia e descia no pau de Jungkook. Aquela visão era demais para o jogador, que tinha certeza de que não se esqueceria dela tão fácil.

Quando por fim gozaram, o corpo magro caiu em cima do corpo musculoso. Ambas as respirações estavam ofegantes e os corpos suados. Taehyung distribuía beijos pelo peitoral do outro, ainda em êxtase, e o sentia fazer uma carícia nas suas costas, onde uma tatuagem de rosa estava tatuado em sua coluna. Ficaram assim por alguns minutos até a voz de Jungkook ecoar pelo local.

— É, eu não estava esperando por isso. — admitiu, vendo o loiro erguer o rosto em sua direção. — Pensei que só quisesse ir para casa descansar, Taehyung.

— Pare de agir como se você não tivesse gostado, Jeon.

— Eu não disse que não gostei. Só estou... Surpreso. Você fugiu de mim nesses últimos dias e até cogitei que você já estava se encontrando com alguém.

— Eu não estou saindo com ninguém. — franziu o cenho. — Só queria te torturar um pouquinho. — admitiu. — Gosto quando você implora.

— Engraçado porque eu só vi você implorando. — riu. — Me fode, Jungkook. — imitou as palavras do outro, recebendo um tapa.

— Então é bom que tenha aproveitado porque essa foi a última vez que eu fui pra cama com você.

Ameaçou se levantar e o mais novo riu, lhe puxando para si novamente.

— Você também disse que eu não tinha chance com você, que não me achava atraente... Mas olha onde estamos. — zombou. — Eu já disse que não precisa mais fingir ou fazer joguinhos, Taehyung. — tocou o queixo do outro, deslizando o polegar pelos lábios macios. — Você já tem poder suficiente sobre mim pra conseguir o que quer sem precisar de esforço.

O loiro analisou o outro. Não sabia como Jungkook conseguia falar aquelas coisas de modo tão descarado, mas gostava disso. Por isso o beijou, de repente não se sentindo mais tão satisfeito e querendo repetir a cena de alguns minutos atrás, mas com uma diferença.

— Quero tomar um banho antes de ir embora. — murmurou, erguendo os braços. — Me leva?

Jungkook riu e assentiu, pegando-o sem esforço algum e o levando para o banheiro. Sabia que Taehyung não queria só tomar um banho e logo o loiro já se ajoelhava e lhe chupava enquanto a água caia sob ambos os corpos. No final, transaram ali novamente antes de por fim o animador se arrumar para ir embora.

— Eu vou indo antes que seus pais cheguem. — pegou sua mochila. — Te vejo amanhã?

— Com certeza. — o puxou para um beijo.

— Te encontro no mesmo lugar de sempre?

Uhum. — respondeu e o analisou, vendo que ele sequer tinha um casaco e o tempo parecia ter esfriado. — Ei, leve isso. — pegou o seu casaco do time de futebol jogado no sofá.

— Ah, não precisa...

— Qual é, está frio lá fora e não quero que você congele antes de chegar em casa. — disse de modo exagerado e lhe estendeu novamente o casaco. — Vai, leva.

Um tanto tímido, Taehyung pegou o casaco que tinha o símbolo do colégio um número dez atrás e o vestiu, agradando o jogador.

— Você realmente fica lindo de vermelho. — elogiou, recebendo um beijo do Kim.

— Eu te entrego ele amanhã no colégio. — o outro assentiu. — Até amanhã, Jungkook.

E não ser chamado pelo sobrenome já era um avanço enorme. O beijo doce que lhe foi dado antes dele partir também provou que algo ali tinha mudado. E Jungkook amava aquela mudança.

Observou a figura loira sumir pela rua e entrou, ainda se sentindo extasiado com o que tinha acabado de acontecer. Somente Kim Taehyung podia causar aquele misto de sensações, e seja lá o que isso significasse, Jungkook não queria abrir mão de tudo o que ele lhe fazia sentir.

Achava que depois daquele final de tarde de fato tudo mudaria entre si e o Kim, mas isso porque jamais poderia prever o que aconteceria no dia seguinte.

 


Notas Finais


14k de palavras... Tô perdoada por ter demorado tanto pra atualizar depois dessa? Espero que sim hahaha
Alguém aí já tem um palpite pro que vai acontecer no próximo capítulo? Deixem aí nos comentários ;)
Até o próximo capítulo, amorzinhos ♡

https://twitter.com/hobipetit
https://curiouscat.me/ellenphant


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...