História ChenSung, o show da noite - Capítulo 5


Escrita por: e bxdy

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Jisung
Tags Charada, Chenle, Chensung, Comedia, Fluffy, Jisung, Nct, Nct Dream, Park Jisung, Sungchen, Yaoi, Zhong Chenle
Visualizações 338
Palavras 2.620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, oie estrelinhas cadentes <3 Tudo bem com vocês?
Hoje sou eu a Mika\ELLEONOEL, eu vim postar hoje porque ja faz um tempinho que eu não venho aqui dar um "oi" para vocês.
Mas é até bom quando eu dou essa sumidinha, pois assim a Jamie vem aqui falar com vocês...
Cof, cof, cof.
Agora sem mais enrolação, espero que vocês aproveitem esse capítulo e que ele possa trazer boas gargalhadas a vocês.
This is show time!

Capítulo 5 - Quinta transmissão


— Já posso entrar, hyung? — Jisung já estava impaciente pela demora. Fazia quase meia hora que o de fios roxos havia se enfiado no quarto com a justificativa de que ia fazer ‘uma coisinha’ para eles. A ansiedade estava a mil, ainda mais por sua imaginação fértil lhe deixar várias imagens de diversos tipos de conteúdo.

— Ainda não — falou alto, com a voz abafada pela distância. — Seja paciente, Jisung!

— Você sabe quanto tempo faz desde que você se trancafiou nesse quarto? — Não obteve respostas, apenas um barulho de algo caindo no chão. — Tá tudo bem?

— Sim, mas eu sinto que vou ter que demorar mais um pouco — disse, ouvindo mil e uma reclamações do outro. Escancarou a porta, rindo alto. — Estou brincando, tá tudo pronto para nós.

Jisung quase que deixava o queixo cair. ChenLe havia montado caprichosamente uma cabana de lençóis decorados em frente à televisão de seu quarto, com várias almofadas no chão para que pudessem se sentar confortavelmente.

— Uou, Lele! Que barracona você armou!

— Hmm, vou ignorar o duplo sentido — murmurou. — Eu sei, ficou uma senhora barraca, não? É nela que a gente vai passar a noite. Nada de cama.

— Nada de cama? — Fez bico quando a resposta foi confirmada. — Mas eu gostei tanto de dormir na sua ontem… tão lindinho você deixando eu te abraçar…

— Pense positivo, Park, vamos dormir abraçadinhos nessa cabaninha linda. Quer dizer, se você se comportar — disse, mirando o outro com um olhar repreensivo. — Vamos assistir A Bela Adormecida.

— Quero assistir A Dama e o Vagabundo.

— Lady não era princesa e eu quero assistir algo de princesa.

— Mas o Tramp foi um príncipe para ela — Jisung comentou.

— E daí? Meu pai é o príncipe da minha mãe, sabia?

— Exato. Isso de príncipes e princesas é algo muito relativo.

— Sentido literal não é relativo — o Zhong rebateu, enquanto colocava o filme na tevê.

— Mas…

— Jisung-ah, se lembra o que eu disse sobre se comportar? — Perguntou, indo para perto do mais alto. Pôs as mãos em seus ombros, chegando próximo a orelha do outro e sussurrou: — Você assiste o filme comigo feliz e bem comportado, e depois o Lele deixa você dormir agarradinho com ele, ok?

— Lele dá beijinho também? — O Park perguntou, sorrindo de forma sugestiva.

— Hmm, vou pensar no seu caso — disse, se afastando para pegar o controle. — Vou dar play, ok?

Não podemos dizer que Jisung estava imensamente satisfeito com aquilo, mas estava feliz por saber que era só assistir ao filme numa boa que depois teria o menor para si. Preferiu pensar positivo: durante aquele tempo de A Bela Adormecida, poderia olhar para o lado e ver a feição encantada do outro.

Cada detalhe do rosto de ChenLe era perfeito aos olhos do coreano, o mais velho sempre cativou o Park de um jeito que nenhuma outra pessoa tinha feito e talvez fosse por isso que o garoto de cabelos azuis sempre se viu perdido em pensamentos clichês quando se tratava do Zhong.

Não era apenas uma uma simples amizade aquilo que eles tinham, ia muito mais além disso. ChenLe tinha por Jisung um consideração enorme e isso era um dos motivos pelo qual o chinês nunca teve coragem de tentar algo além das provocações com o melhor amigo, mas agora era diferente. Os dois haviam se beijado e ChenLe queria mais daquele ato, queria mais daquela sensação e daquela “magia”.

— Jisung, você deveria ver o filme comigo e não me assistir vendo o filme — resmungou o chinês, olhando para o melhor amigo com as bochechas infladas. Jisung não pode evitar de sorrir com a cena.

— Desculpe, mas é que você está tão lindo aí, concentradinho, e eu não posso evitar de te olhar.

ChenLe sentiu suas bochechas ficarem levemente coradas, Park Jisung tinha seu coração todinho e ele parecia saber bem disso.

— Ah… É, olha lá a Aurora.

Falou sem graça e voltou seu olhar para o filme, não sabia lidar com aqueles momentos fofos do coreano e isso resultava no garoto de cabelos roxos mudando de assunto ou até mesmo fugindo do mais alto.

Passaram-se alguns minutos desde que os dois estavam ali vendo o filme quando o mais velho se levantou do nada e correu para seu closet em busca de uma certa caixa. Jisung não entendo a atitude do Zhong tratou de começar a resmungar de forma manhosa para que o chinês voltasse para a barraquinha dos dois.

ChenLe voltou para o quarto com o objeto em mãos e um sorriso brilhante nos lábios, abriu a caixa e tirou de lá inicialmente duas coroas de plástico da cor dourada e, logo após, duas roupas da cor roxa e azul claro.

— Meu Deus, que caixa é essa? — Perguntou o mais alto já se levantando e indo até o melhor amigo a fim de espiar melhor o que tinha naquela caixinha.

— Essa é da era mediaeval — disse simplista enquanto tirava sua roupa e começava a colocar a fantasia. — Vista a sua também, quero que a gente inicie a nossa live de hoje como dois príncipes.

Jisung queria não estar tendo pensamentos impuros naqueles momentos, mas era meio que impossível para o mais novo desde que o Zhong passou a se despir ali na maior naturalidade do mundo. O Park balançou a cabeça para recuperar seus sentidos e então pegou a fantasia e colocou sobre a cama do mais velho, logo puxando o chinês pelo o pulso e o jogando sobre a cama, se colocou em cima do corpo do menor deixando apenas um pequeno espaços entre suas faces para que pudessem se encarar. Os olhos de ChenLe estavam em sinal de confusão, não estava entendo a atitude do coreano porém tinha a leve impressão de estar naquela situação era culpa sua.

— Hyung, você está brincando comigo? — Perguntou Jisung com a voz rouca, mantendo o contato visual com o de cabelos roxo  — Porque se não ficou claro para você que eu não respondo por mim quando se trata de ti, posso te beijar de novo para ficar bem claro.

— Jisung, o ChenLe ainda não entendeu muito bem, você pode explicar de novo para o Lele? — Falou num tom manhoso. Maldito seja, Zhong ChenLe! Pensou o Park, pois era só ouvir o mais velho que o coreano viu que o mesmo o tinha nas palmas das mãos.

— Quer saber? Eu quero a caixa do sexshop! Cadê essa porra?

ChenLe revirou os olhos e tratou de empurrar o amigo de cima de si, não estava acreditando que o amigo era tão idiota a ponto de quebrar um clima com aquele.

—Jisung, vai vestir a roupa que eu mandei — falou seco e pegou seu celular já  entrando no aplicativo e iniciando a live — Boa noite galerinha! Eu tenho uma noticia para vocês: Park Jisung é um tremendo de um vacilão e é isso — ajeitou a coroa em sua cabeça e voltou para sua barraquinha se sentando ali nas almofadas. — Eu não sei vocês, mas tô em busca de alguém para dormir aqui abraçadinho comigo.

— Ninguém vai tirar o meu cargo, ok? — Jisung protestou, aparecendo no enquadramento com a roupa toda torta, para o desgosto de ChenLe. — Estou aqui, em sacrifício, assistindo a tal da Aurora com essa roupa apertadinha de príncipe e é pra ganhar algo no fim, ora bolas.

— Poxa, Jisung, acho que um caracol deficiente vestiria essa roupa melhor que você. Tudo torto, eu, hein! — O chinês apoiou o celular em uma almofada para poder ajeitar a fantasia do outro. Quando terminou, pegou o aparelho de volta. — Este é o poder do Lele, pessoal! Vejam se não está outro príncipe!

— “Disney poderia contratá-los para o próximo live action”. Concordo — Jisung leu, pegando o celular da mão do outro. — Eu gostaria de ser o cavalo.

— Quê?! — ChenLe gargalhou diante a afirmação do mais novo. — Por quê?

— Você não seria o príncipe?

— Sim, mas o que isso tem a ver?

— O que os príncipes fazem com seus cavalos? — Jisung perguntou, segurando a risada.

— Ué, eles montam e cavalg… Jisung!! — interrompeu-se, rindo de nervoso. Ah, Jisung tinha cada uma… — Mas no caso, eu seria um príncipe diferentão e usaria a carruagem apenas. Nada de cavalgadas.

— Você seria um príncipe que não sabe desfrutar dos prazeres da vida, então.

— “Cavalgar, então, é um prazer em sua vida, Jisung hyung?” — ChenLe leu o comentário com um tom provocativo.

— Já foi revelado nas lives passadas quem é o passivo daqui, então não tenho nada a declarar.

— Jisung uke enrustido — ChenLe resmungou, voltando aos comentários. — “ChenSung estão muito quietinhos hoje… ChenLe manso demais… vocês casaram?”

— Deus me livre, mas quem me dera — Jisung respondeu rindo.

— Hmm, por mim é só o “Deus me livre” mesmo. Ai, gente, já imagino: eu que ia ter que lavar as cuecas desse bebezão que só sabe dormir, comer e me encher o saco. Não daria certo — disse, para tentar disfarçar o fato de estar aparentemente mais controlado.

— ChenLe! Não é bem assim, ok? Se você me ensinasse direitinho eu lavaria as minhas…

— “Algo aconteceu com os oppas, tenho certeza disso” — o Zhong leu, e um calafrio percorreu sua espinha quando viu os outros comentários:

“Vocês se lembram de como acabou a transmissão de ontem?”

“Será que finalmente rolou?”

“Estão parecendo o Mark e o Haechan depois do primeiro beijinho @NaJaemin”

““Pare de cuidar do relacionamento dos outros e volte para a cama, Renjun já está reclamando @LeeJaeNo Chensung, fighting!”

— Peço um momento para assembleia com Jisung — proclamou, largando o celular. Então se virou para o de fios azuis e sussurrou: — A gente conta? Porque se não contarmos, não vão parar de perguntar.

— Por que você está tão nervoso? — Jisung riu, achando fofinho.

— Eu não queria te expor assim…— ChenLe admitiu, de cabeça baixa.

— Você quer me proteger? — Perguntou, recebendo como resposta um sinal afirmativo. — De quê?

— Não sei, Ji, mas… eu tenho medo de…

— Pessoal, tenho algo para revelar para vocês — Jisung foi rápido em pegar o celular com uma mão. A outra segurou no maxilar de ChenLe, puxando seu rosto para mais perto. Selou seus lábios com os do outro, passando para o menor a ideia de que não se importava em se expor, pois sabia que os espectadores até gostavam daquele tipo de interação entre os dois. Aquele beijo durou pouco, mas foi o suficiente para que os comentários voassem pela tela de tão rápido que passavam. A maioria, como Jisung pode perceber, era em caps lock. O mais alto riu ao perceber que o amigo continuava estático, ainda com as bochechas enrubescidas. — A noite ontem foi louca — comentou, ainda rindo. — Fale algo, Lele. Diga que eu beijo bem.

— Eu beijo bem — disse, com o rosto um tanto inexpressivo pelo choque.

— Beija sim, bebê — Jisung sorriu. — Enfim, galera, acho que vocês já tiveram emoções demais por hoje, huh? Beijinhos, prometemos voltar a programação normal em breve, mas é que aqui na casa do Lele tá realmente uma loucura.

“Sei bem a loucura que deve estar sendo, Park Jisung @Haechan”.

O mais alto balançou a cabeça rindo do comentário e então se despediu mais uma vez de seus telespectadores e encerrou a live, logo bloqueando o celular de ChenLe o colocando em cima de uma das almofadas que havia ali. O Zhong ainda estava meio perdido em seus pensamentos, levou um tempo para ele se encontrar novamente e foi então que após dez segundos que esteve parado olhando para Jisung que os fatos vieram na mente do de cabelo roxo.

— Você… Jisung, você me beijou na frente de todo mundo! — Bradou alto, como se estivesse bravo.

O mais novo, assustado com o tom de seu hyung, apenas abaixou a cabeça e olhou para o chão, pois não era aquela a reação que estava esperando.

— Desculpe, hyung. Eu devia ter feito isso apenas com sua permissão, eu… Eu — então antes que pudesse terminar sua fala foi silenciado com os lábios de mais velho, o Zhong tinha o beijado e o Park não perdeu tempo, rodeou com os braços longos a cintura do menor e intensificou aquele beijo de maneira calorosa.

— Eu não fiquei bravo, estou contente — disse ChenLe, quando se afastou do corean. Sorriu para o mesmo e então passou a ir em direção ao banheiro para tomar seu banho e finalizar aquela noite agarradinho com Jisung.

O Park não era uma pessoa muito paciente, e como ele sabia que o melhor amigo tinha o hábito de demorar quase que um século para tomar um banho, decidiu explorar mais aquele quarto que já conhecia tão bem. Foi até o closet do chinês e passou a procurar por mais caixinhas e eles as achou, achou dúzias delas perto de onde ficavam guardados os ternos de ChenLe.

Jisung como o bom curioso que era, passou a mexer cada uma das caixinhas, que possuiam a mesma cor e tamanho, e foi quando estava abrindo a décima segunda caixa que avistou uma de tons diferente das outras, esta era vermelha e tinha um enorme “x”. O coreano pegou o utensílio e se levantou com ele nas mãos. Na mesma hora ChenLe saiu do banheiro e se deparou com aquela cena, era perceptível o pânico nos olhos do estrangeiro e foi em meio ao pânico que ele ignorou o fato de estar apenas com uma toalha em volta da cintura e correu até Jisung para tirar o pertecem das mãos do coreano.

— Jisung, pelo amor de Hyuna, me dá essa caixa!

— Por que ela é diferente das outras, hyung? — Jisung perguntou, cutucando o laço preto com a unha para tirar a tampa. Logo uma parte do laço afrouxou, mas a outra apenas se prendeu mais ao papelão fino da caixinha.

— Jisung, isso não é da sua conta! Vamos, deixa eu guarda logo essa coisa! — Disse de forma séria enquanto dava pulinhos para tentar pegar o objeto das mão do ser mais alto. Jisung, então, usou um pouco de sua ignorância na caixinha, forçando o laço a soltar-se. Foi no mesmo momento em que ChenLe saltou mais alto para pegar o pacote, e tudo aconteceu rápido demais: a caixa desmontou-se, e voou coisa pra todos os lados; o Zhong não se apoiou adequadamente no chão, caindo por cima de Jisung, que com o susto, acabou por cair também.

O baque fez barulho no chão, e ambos grunhiram de dor. Mas a careta no rosto do Park logo deu lugar a um sorriso sugestivo quando sua mão alcançou uma algema que havia caído no chão, próximo a si.

— Lele, por que não me contou que realmente tinha uma caixinha dessas?

O chinês nada disse, apenas enrubesceu mais ainda quando percebeu que a sua toalha havia desamarrado e estava esparramada sobre suas coxas. Para completar, estava ainda em cima de Jisung, que parecia também ter percebido aquilo, afinal, o sorriso em seus lábios mostrava o quanto estava maliciando aquela situação.

ChenLe, totalmente sem jeito diante a situação, tratou de se levantar e puxar consigo o pano que cobria seu íntimo, mas foi impedido pelo o mais novo que o puxou para cima de si novamente e selou seus lábios.

— Não perde tempo com isso, hyung. Vamos apenas brincar um pouco com essas coisinhas — disse com os lábios ainda próximos à boca do Zhong.


Notas Finais


Oie, oie de novo!! Agora vamos ao recadinho que a Jamie deixou <3

Primeiramente ela disse — "Queria primeiramente pedir para que as estrelinhas comentem oq acham q rola enquanto a gente escreve os capítulos".

SAOJDIUASJ essa é uma das curiosidades que nós andamos tendo, o que vocês acham que a gente faz quando está escrevendo CSN? Como vocês imaginam a gente escrevendo essa fanfic?

Segundo recadinho da Jamie — "Segundamente gostaria que refletissem sobre o seguinte comentário feito no bate-papo do capítulo: "IMAGINEI O MARK DE SAIA LONGA COM A BIBLIA NA MÃO".

Porque Mark Lee é a universal!

E por último a Jamie mandou um beijo na testa de cada um de vocês <3

Eu deixo para vocês aqueles beijinhos <3

Beijinhos dos oppas, unnies, hyung, noonas e dongsaengs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...