História Cherry Bomb - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: e MidnightLust


Notas do Autor


@ParkUnnie: Quem é vivo sempre aparece! ksksksks
Não desistimos da fanfic, okay? Então não desistam de nós, por favor! Aqui está o primeiro teaser, e logo iremos chegar com mais! Trouxemos também um novo prazo!
Então por favor! Mandem suas fichas, porque estou super ansiosa por elas! Até mais!
XOXO

@MidnightLust: Saudações de terras distantes!
Por quê eu comecei desse jeito? Também não sei. Acho que estou animada por finalmente trazer a surpresa que prometemos.
Sim! Teremos teasers dos nossos garotinhos para que vocês leitores e futuros aceitos possam conhecê-los melhor. Então, espero que gostem desse capítulo e dos que virão, assim como espero que isso compense nossa ausência nos últimos tempos.
Bom, como foi dito pela saeng, o prazo foi alterado para 13/03. Infelizmente não havíamos recebido muitas fichas e sabemos que, por serem dois pares, o trabalho é dobrado. Sendo assim, decidimos aumentar o prazo, então por favor façam essas duas garotinhas felizes com as fichas, sim?
Nos vemos no próximo teaser e nos comentários!

E como diz nosso Minie: You're nice, keep going! <3


Teaser 1 - Ƴσσηgι є Jєσηggυк

Capítulo 2 - 00. Teaser - Proposta, vermelho e encontros arranjados


Point of view |author|

O dia mal tinha começado e as notas suaves da melodia de Skinny love ressoavam pelos cômodos da residência, dando bom dia ao donos da mansão e também a seus funcionários que já estavam de pé desde cedo. Por mais melancólica que a melodia fosse, tal como o fato de quem a tocava com tamanha precisão não cantasse a letra a qual escrevera de forma tão apaixonada para a melodia, os acordes do piano por si só já deixavam claro todos os sentimentos que a música queria transpassar. 

Quando as últimas notas foram finalizadas, o silêncio que abrangeu toda a casa foi reconfortante e até mesmo nostálgico, mas para Min Yoongi, quem tocava com tamanha devoção mais uma de suas composições, a única coisa que ele sentia era paz. 

Como que trazendo o rapaz de volta à realidade, sua mãe lhe tocou de forma afável o ombro destro, beijando o topo de sua cabeça entre os fios escuros enquanto um sorriso lhe desenhava os lábios. 

— Tão cedo acordado, querido? Ao menos tomou café da manhã?

— Me senti inspirado, e quis vir tocar algo — respondeu de forma doce, deixando implícito a resposta para a segunda pergunta feita pela mais velha.  

Com um murmúrio de desacordo pela negligência de seu filho, a mulher de cabelos escuros sentou-se ao lado de Yoongi, ficando igualmente de frente para o luxuoso instrumento, o olhando com o costumeiro sorriso doce que exibia sempre que seus olhos encontravam os do garoto, por fim lhe acariciando a face gentilmente. 

— Eu imaginei, pedi para que preparassem sua refeição. Sabe que precisa se alimentar bem, meu filho.  

— Apenas a estava esperando para tomarmos o desjejum juntos, mamãe — resmungou enquanto formava um pequeno biquinho, o que apenas arrancou uma risada da mulher por todo o dengo do filho. 

— Mas é claro que estava — seu tom era de descrença, porém sentia que a tarefa de repreendê-lo se tornava impossível quando estava diante daquela expressão tão doce que sempre a vencia — Bom, que tal irmos então, querido?

— Claro, mamãe — sorriu se levantando e afastando-se de seu amado instrumento. 

Enquanto seguiam em direção a sala de jantar, o pai alfa de Yoongi descia as escadas, mas o mesmo apenas cumprimentou a esposa e seguiu em direção a cozinha, afirmando ter que conversar com a cozinheira sobre o jantar daquela noite. Yoongi apenas seguiu em silêncio a frente da ômega que olhava repreensiva para seu alfa, mas nenhum dos dois falou algo. O alfa mais velho não se juntou aos outros dois para tomar café, mas Yoongi não fazia nenhuma questão também. 

— Senhor Yoongi — a governanta entrou na sala de jantar, fazendo uma breve mesura — telefone para o senhor, e parece ser de grande importância. 

Sua mãe apenas acenou com a cabeça para que o rapaz fosse logo, afinal seria bom que Yoongi se distraísse com algo para que o clima tenso formado minutos atrás finalmente fosse esquecido, como em várias outras ocasiões fora. O único herdeiro dos Min seguiu até a sala de estar e pegou o sem fio, seguindo rapidamente em direção a varanda, onde poderia atender sem qualquer interrupção. 

— Senhor Min? Bom dia. Aqui quem fala é Kim Yang-Mi, espero não estar sendo inconveniente ligando agora. 

— Bom dia, senhorita Kim. Não é incômodo algum — respondeu educadamente, ainda que um tanto confuso pela ligação. 

— Oh, que bom! Sendo assim, gostaria de lhe fazer uma proposta. Recentemente, eu e minha equipe assumimos a frente de um novo drama que em breve será lançado. Enquanto diretora de produção, estou reunindo apenas os melhores profissionais para que alcancemos o máximo potencial do roteiro que nos foi entregue — após uma breve pausa, prosseguiu a mulher ao telefone. — Devo dizer que seus recentes trabalhos em muito me surpreenderam e acredito que não haveria alguém melhor para produzir a trilha sonora de 2moons, por isso estamos dispostos a pagar um valor que realmente seja digno da qualidade do seu trabalho. Se preferir, podemos agendar uma reunião para discutir melhor a proposta. 

Yoongi piscou algumas vezes um tanto quanto confuso, ele estava sendo chamado para produzir a trilha sonora de um dos dramas mais aguardados do ano?! Um sorriso incrédulo cresceu no rosto do mesmo, e ele demorou alguns segundos para se tocar que a mulher ainda aguardava uma resposta sua. 

— Eu adoraria, quando podemos marcar a reunião? — falou um tanto quanto afobado, mas tentava controlar a respiração.

— O quanto antes, Sr. Min. Inclusive, se desejar, estarei mandando agora mesmo as informações acerca do enredo, elenco e afins. Creio que isso lhe dará uma maior noção do que estamos procurando para a trilha sonora. Claro, faço a ressalva de que não precisa nos dar sua confirmação imediata, mas de qualquer forma gostaria de lhe apresentar mais do nosso trabalho para talvez lhe convencer de que esse projeto é, em muito, promissor. Tenho certeza de que será de grande proveito para o senhor também. 

— Podemos marcar a reunião para essa semana ainda, estou livre amanhã a tarde — continuou o Min tentando evitar soltar gritinhos de felicidade — eu agradeço, tenho certeza que tendo essas informações em mãos facilitará na minha decisão.

— Perfeito, estaremos aguardando o senhor amanhã a tarde no horário que lhe convir. Agradeço por sua atenção.

— Eu quem agradeço pela oportunidade. 

Após despedir-se, a mulher não tardou a encerrar a ligação. Alguns minutos depois, as informações mencionadas na ligação logo foram enviadas para o e-mail de Yoongi, conforme o combinado. O mesmo estava tão animado que correu para o quarto e pegou o notebook, retornando para a sala em seguida, se esquecendo totalmente de terminar seu café da manhã. Abriu o email com rapidez e passou a ler as informações que lhe foram enviadas. 

O gritinho que deixou seus lábios enquanto se jogava no sofá e tornava a ler, e ler novamente, o nome do elenco fazia com que seu coração disparasse e ele se sentisse simplesmente maravilhado e realizado, muito mais do que com a oferta. Ele realmente teria a chance de conhecer o ômega dos seus sonhos, ele faria uma música para o personagem que o ômega a qual sempre nutriu uma paixão platônica iria interpretar, aquilo era simplesmente um sonho. Seo Jahwan era a personificação de perfeição para o Min, era tudo que o alfa sempre desejou em seu coração e em meio a seus desejos mais íntimos também, e ele teria a chance de conhecê-lo, de conquistá-lo. Abrindo um sorriso ainda maior com tal certeza em sua mente, se ergueu apressadamente e retornou para o quarto.

— Preciso contar ao Gukkie. 

 

Em algum lugar no centro de Seul 

Jeon estava uma vez mais recluso em seu próprio mundo. Não sabia ao certo há quantas horas dedicava-se à sua mais nova obra, havia parado de contar depois das quatro primeiras. Àquele passo, sua única companhia era um chow chow preguiçoso de pelagem caramelo agora estirado sobre o chaise que recebera o nome Zen, um mestre na arte de sujar-se com as tintas e correr pelo duplex com os pincéis do dono entre os dentes.

A playlist favorita do alfa preenchia o ambiente com um R&B suave, ajudando-o de alguma forma a mergulhar na imagem da dama que cirandava por seus sonhos há algumas semanas. Era como se ela fosse a própria melodia, ou melhor, o ritmo que tomava conta da sala. Como se facilmente pudesse definir que canção ela seria, se fosse composta por acordes ao invés dos cabelos longos e olhar intenso. 

Jeongguk podia ditar cada detalhe de sua criação, da personalidade forte ao sorriso travesso que sempre surgia no canto dos seus lábios. Sabia que roupas ela usaria, que lugares frequentaria e como um bom vinho em frente à lareira seria um de seus passatempos favoritos. Ele a conhecia, literalmente, como a palma de sua mão. Ele era seu criador, amante e admirador.  

Porém, mesmo que conseguisse detalhar perfeitamente a estranha que por agora passeava em sua mente, não conseguiria reproduzir na tela os traços da face de sua criação. Não era a primeira vez, é claro. Todos as figuras que um dia trouxera à realidade jamais tiveram o rosto talhado no mármore, tampouco gravado pela infinidade dos tons do seu acervo de tintas. Logo, a dama de cabelos escarlate estava fadada a ter o mesmo destino.  

Jeon não sabia o motivo para essa peculiaridade e há muito tempo desistira de entender. Não é que não tivesse a capacidade para tal, apenas havia ali um empecilho que nem mesmo ele conhecia. 

Contudo, a mazela tornou-se sua assinatura. Com a fama e o nome sendo elevados entre os maiores críticos e colecionadores de artes, suas diversas reproduções da perfeição nas mais variadas formas bastaram para lhe render todo o reconhecimento que precisava e até mais. Então, os rostos — ou a ausência deles — deixaram de ser tão importantes, mesmo que no fundo tal fato ainda incomodasse o alfa.

Enquanto ressaltava em pinceladas suaves o contraste de luz e sombras presente em sua pintura, se perguntava que nome daria a ela. Definitivamente tinha repulsa à pressão de ter que criar seguindo prazos, porém mais uma de suas grandiosas exposições se aproximava e sua agente provavelmente o mataria se não entregasse a peça principal e, consequentemente, a mais aguardada pelos compradores. Logo, tinha total e plena concentração no trabalho de suas mãos. Além da música que ainda preenchia o ambiente, apenas escutava o farfalhar das pinceladas contra a tela e o silvo suave de sua própria respiração. Os olhos, precisos, moviam-se rapidamente pela imagem enquanto sentia que finalmente estava próximo de alcançar, uma vez mais, um espectro da perfeição ao finalizar sua criação.

Yoongi estava parado à porta do melhor amigo, e pesou na mão na hora de apertar a campainha do mesmo e continuou pressionando enquanto dava leves pulinhos sem sair do lugar, resmungando mentalmente pela demora do outro em lhe atender, além de reclamar consigo mesmo por ter perdido a chave do apartamento do amigo, também. 

Jeon, por sua vez, moveu o corpo abruptamente ao escutar o som estridente da campainha, derrubando o pincel que tinha em mãos enquanto amaldiçoava mentalmente quem quer que fosse o quase causador de quase um desastre. Por sorte, não havia manchado a pintura, sendo por esse motivo e apenas por isso que não expulsaria a visita antes mesmo de cruzar sua porta. 

Zen foi o primeiro a correr desajeitadamente até a entrada do apartamento, com passos afobados e quase desajeitados. O alfa, por sua vez, tomou em mãos um pequeno pano para enxugar a tinta antes de seguir o mesmo rumo tomado pelo companheiro. Enquanto descia as escadas, considerava as possíveis visitas e assim chegava à conclusão óbvia de que seria Yoongi, nem mesmo precisando sentir o cheiro do amigo para saber que era ele quem apertava tão incisivamente a campainha, o que fez com que o Jeon se apressasse antes do pequeno alfa quebrar objeto. 

Rapidamente abriu a porta e nem mesmo hesitou em dar um suave peteleco na testa do amigo antes que este pudesse ter qualquer reação para evitar o ato, encostando-se no batente da porta para então observar o Min com um sorriso de canto e braços cruzados como os calcanhares. 

— Você sabe que lhe dei uma chave do apartamento exatamente para conservar minha campainha, não sabe, hyung?

Jeongguk vestia apenas uma calça de moletom escura, leve e indevidamente justa na área de suas coxas e quadril. O tronco nu exibia algumas manchas de tinta, tal como o rosto do alfa, o que não era surpresa em virtude de ser levemente desastrado. Os cabelos levemente compridos, por sua vez, estavam acompanhados de um bandana que impedia os fios de cobrirem os olhos do rapaz. Era uma beleza desalinhada, descuidada e inegavelmente arrebatadora. 

— Mais respeito comigo, dongsaeng — resmungava o mais baixo entrando no apartamento do outro com um bico nos lábios pequenos. 

Bico este que logo se desfez ao recordar do motivo de estar ali, isso o fez tornar a sorrir de maneira grande enquanto os olhos gatíneos brilhavam em ansiedade e excitação em compartilhar com o outro o motivo de sua felicidade. Logo puxou o outro pela mão e se sentou no sofá, chamando Zen que logo correu para o colo do alfa menor.

— Adivinha quem vai fazer a trilha sonora do drama mais aguardado do ano? 

Jeon fingiu uma expressão de concentração enquanto passava a destra pelo queixo, como se pensasse profundamente em uma questão complexa, olhando para o amigo de canto enquanto sorria — Eu não sei. Você, talvez?

— Óbvio que sou eu, né —  revirava os olhos, ainda mantendo o sorriso nos lábios —  Mas você não sabe da melhor! O protagonista do drama, é o amor da minha vida! Eu vou conhecer ele, finalmente, Gukkie, tem noção disso? 

— Espera, você está falando do tal do Jihwa lá? — sabia bem que estava pronunciando o nome do tão adorado ômega de Yoongi de maneira errada, mas Jeon jurava de pés juntos que tal ato não era apenas implicância com o melhor amigo. 

— Jahwan, Jeon —  corrigiu o outro um tanto quanto sério —  E sim, é ele mesmo! Isso não é incrível?

Jeon gargalhou pela seriedade do alfa em corrigi-lo, posteriormente encostando-se no sofá de maneira mais descuidada, mantendo porém o olhar no amigo acompanhado de um genuíno sorriso de felicidade pelo pequeno passo em direção do que sabia ser o sonho de Yoongi. 

— É claro, hyung. Isso é realmente incrível. Fico feliz que esteja mais próximo do amor de sua vida. Mas me diz, já sabe como fará para conquistá-lo? Não subestimando seu charme, longe de mim — disse em tom de sarcasmo enquanto erguia as mãos para dar maior ênfase em suas palavras e claramente implicar um pouco mais com o amigo —; mas com a fama que esse ômega tem, imagino que seja ainda mais difícil se aproximar dele. 

— Não importa, eu sou o alfa perfeito. Ele vai ver isso, vai ver como esperei por ele e o quão ideal eu sou. Ele vai se apaixonar por mim, Gukkie!

Jeon não pôde deixar de passar a mão pela nuca enquanto ria e balançava a cabeça negativamente em reação às palavras do amigo. Yoongi era, de fato, um dentre os alfas mais cobiçados da alta sociedade. Sabia bem que qualquer ômega alvo dos seus amores seria um homem de sorte e, por certo, o apoiaria em qualquer coisa que o fizesse realmente feliz. Contudo, ainda assim preocupava-se com a possibilidade de um coração partido. 

Assim, pensando em facilitar de alguma forma a interação entre seu amigo e o ômega de seus sonhos, lembrou-se de algo que talvez ajudasse. Pôs-se de pé e rumou até um local específico da luxuosa sala de estar, voltando para o móvel com um envelope em mãos, o qual entregou ao alfa. 

— São ingressos para a exposição. Vou poder conhecer o amor da sua vida e, de quebra, você consegue um encontro com ele. O que acha?

Yoongi apenas gargalhou de alegria antes de se jogar em cima de Jungkook, o abraçando apertado. — Isso é perfeito, perfeito, Gukkie. Muito, muito obrigado!

O alfa então apertou o amigo entre os braços em resposta, sorrindo ao ver a felicidade de Yoongi com aquele pequeno ato. 

— Não precisa agradecer, hyung. Você sabe que é meu convidado de honra, nem precisa de ingresso. De qualquer forma, quero que me mantenha atualizado sobre sua situação com o ômega, certo? E já aviso de antemão que, como seu melhor amigo, ele vai ter que me impressionar se quiser algo com o alfa perfeito aí. 

Mesmo que não fosse o mais velho entre os dois, Jeon sentia-se na obrigação de às vezes agir como tal em defesa ao seu melhor amigo. Por isso, estava disposto a analisar meticulosamente Jahwan antes que ambos tivessem qualquer tipo de envolvimento. 

— Ótimo! Assim, quando eu e ele estivermos namorando, você vai ficar vela? —  se questionou olhando de forma chateada para o outro alfa — temos que te arranjar um, ou uma, ômega também. Já pensou que incrível, sairmos para encontros de casal juntos? —  apoiou as mãos no ombro do Jeon — Está decidido, irei te arranjar alguém também.

A expressão que surgiu no rosto do alfa mais novo era um misto de descrença com receio, quase um pavor crescente estampado em sua face ao ouvir que o melhor amigo iria tentar arranjar alguém para ele. Quantos anos tinha afinal? Doze? Quase se sentia de volta ao primário quando seus coleguinhas lhe empurravam para namoradas em potencial. 

— N-não precisa, hyung! Eu não pretendo me relacionar com alguém tão cedo, estou bem assim. Mas prometo arranjar alguém antes do seu casamento com o Johwan, tudo bem? — bagunçou os cabelos do alfa, rindo travesso ao saber que provavelmente conseguiria irritá-lo  uma vez mais com aquele pequeno ato. 

— Jahwan —  corrigiu dando um tapa no ombro do outro —  e nem tente mudar de assunto, vou te arranjar alguém e pronto. 

Com um suspiro, Jeon deu-se por vencido ao saber que o alfa não tiraria aquela ideia da cabeça enquanto não conseguisse realizá-la. Ao menos poderia fazer com que Yoongi se concentrasse em sua conquista primeiro, tempo suficiente para pensar em uma contra-estratégia para fugir dos encontros arranjados desastrosos que seu hyung promovia.


Notas Finais


𝐍𝐎𝐕𝐎 𝐏𝐑𝐀𝐙𝐎: 𝟏𝟑.𝟎𝟑 (𝐬𝐞𝐱𝐭𝐚-𝐟𝐞𝐢𝐫𝐚)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...