História Chess Pieces - Byun BaekHyun - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais
Tags Baekhyun, Exo
Visualizações 91
Palavras 693
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Miolos



• Park ChanYeol☁

Ouvi os barulhos se estenderem a cada passo, vendo um vulto passar no corredor em que S/n estava, e foi aí que bateu o desespero.

 Corri rapidamente até o corredor em que ela estava, vendo um rapaz loiro com um arma apontada para a minha irmã, me fazendo entrar em pânico.

Retirei minha arma da cintura, andando em passos lentos ate o loiro a minha frente, colocando a arma rente a sua nuca, destravando o revólver.

- Abaixe a arma. -Pedi cautelosamente, vendo-o virar seu rosto um pouco para ver o intruso atrás de si.

(...): Por que eu faria isso ? - Sorriu em deboche.

- A escolha é sua: Ou solta a arma, ou tenha seus miolos esparramados pelo chão. Você que sabe. - Sorri colocando o cano da arma em sua nuca.

(...): Era so o que me faltava mesmo, duas crianças. - Rodou os olhos. - Acho melhor não fazer isso. 

- Por que eu obedeceria ?

(...)²: Se nao quiser morrer. - Ouvi o som do gatilho sendo destravado, e o cano gélido do revólver se colidir com a minha nuca, fazendo-me desmaiar.

(...)

Abri os olhos lentamente, pegando impulso para me levantar do chão sujo e gélido, mas era em vão, minhas mãos estavam amarradas. 

Virei o pescoço para o lado, vendo minha irmã de cabeça baixa, com sangue escorrendo de sua testa 

- Oh céus! - Exclamei em um sussurro. - S/n, acorde. - Chamava-a. - S/a, vamos, acorde! - Vi a garota se encolher pelo frio, resmundando palavras inaudível, enquanto abria seus olhos.

S/n: Minha cabeça dói. - Resmungou. - Onde estamos ? - Olhou-me espantada.

- Não... - Fui interrompido pelo barulho da porta enferrujada sendo aberta, revelando os dois filhas das putas que nos amarraram. - Filha da puta!

(...): Acalme-se, amiguinho. - O loiro sorriu irônico.

(...)²:Quem são vocês ? - O baixinho perguntou, recebendo um mero silêncio como resposta. - Oh droga, só queremos ajudar! - Ri em deboche. - Mas parece que teremos de apelar, não é ? - Engoli a seco vendo o rapaz retirar canivetes de uma pequena mala velha, e se aproximou.

(...)²: Como se chama, docinho ? - Agachou em frente a S/n.

S/n: Satanás. - Riu.

(...)²: Resposta errada, amor. - Ouvi o gemido de dor de minha irmã, vendo a faca que antes estava limpa, cheia de sangue. 

Me remexia tentando cortar a corta, mas o filha da puta o amarrou bem. - Vamos, qual é o seu nome ?

(...): Entendido. - Cruzou os braços, encostado na parede.

S/n: Vá fazer algo útil, e nos deixe, canalha. - Bufou irritada.

(...)²: Querida, seus pais não lhe ensinar que quando alguém pergunta seu nome, deve-lhe responder ? - Riu.

S/n: E seus pais não lhe ensinaram que é errado falar com estranhos ? - Rebateu.

(...): Vadia. - O rapaz que antes estava escorado na parede, se aproximou. - Vamos, digam os seus nomes, não é tão difícil, é ?  - Silêncio. - Me chamo JongDae, este é MinSeok. - Apresentou-se.

- Como podemos saber que não estão mentindo ?

Minseok: Idiota. - Sussurrou retirando uma carteira de seus bolsos, me.mostrando suas identidade. Verdadeiras. - Como se chamam ?

S/n: Park S/n. - Aprimorou-se.

- Park ChanYeol. - Suspirei.

JongDae: Como sabemos se é verdade ? - Retrucou.

S/n: Se não quiserem ressucitar nossa mãe, ache nossas certidões de nascimento, abestado. - Soltei um riso nasal, sempre afrontosa.

Minseok: Você e insuportável, garota.

S/n: E você um idiota maníaco que sai cortando todo mundo, babaca.

Minseok: Você sabe que posso te matar agora mesmo, não é ? - Riu brincando com a faca.

- Você sabe que nunca mais poderá reproduzir filho, não é ? - Sorri irônico, vendo-o engolir a seco. Odiava quem afrontasse a minha irmã.

JongDae: Idiotas. - Pegou uma faca, aproximando-se de nós, e cortou as cordas. - Venha, tem alguém que queira falar com vocês.

- Quem disse que vamos ?

Jongdae: Obedeça se não quiser perder o amiguinho. - Apontou para o meu.membro, me fazendo arrepiar. Idiota.

S/n: Agora vem ver quem é a vadia, desgraçado. - Enfaixou o braço cortado,olhando mortalmente ao mais baixo. - Filha da puta.

Minseok: Eu ouvi!

S/n: Eu ouvi! - Gritou.

S/n: É óbvio que ouviu, idiota, tem ouvidos pra que ? Pra enfeite ?. - Esbravejou.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...