História Chess Pieces - Byun BaekHyun - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais
Tags Baekhyun, Exo
Visualizações 82
Palavras 1.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Nunca julgue um livro pela capa.



Enquanto eu e BaekHyun carregava as armas que usaríamos para lutar, ChanYeol e JunMyeon preparava o local para darmos início. 

Estava um completo silêncio, nenhum de nós ousava a quebrar o silêncio, talvez por vergonha ou sem interesse, ou ambos.

- Ãn... Você tem quantos anos ? - Desci tomar iniciatividade.

Baek: Por que quer saber ? - Okay, não foi bem o que eu esperava, acabo de perceber que ele é um tremendo de um idiota.

- A... Esquece. - Suspirei. Terminei de limpar o cano da minha arma, vendo ChanYeol fazer sinal para atirar em um dos alvos. Coloquei o óculos de proteção e mirei no centro da cabeça do boneco, assim atirando.

Zitao: Uou! - Gritou. - Certeira! - Falou passando os dedos entre o local atingido, na cabeça.

Jongdae: Boa, baixinha! - Bagunçou aos meus cabelos.

- Valeu. - Sorri ladino.

Baek: Grande coisa - Bufou. Retirou a arma de cima da bancada, mirando no boneco e atingindo ao seu peito, na região do tórax.

Jun: Baekhyun, precisa melhorar! - Gritou.

- É... - Engoli a seco me repreendendo de tet aberto a boca, sabendo que ele seria ignorante novamente comigo. 

Baek: Eu já sei, JunMyeon! - Pareceu irritado, pois estava sério. Guardou a sua arma e saiu andando para dentro, apenas me permitir observar-lo a andar. Suspirei fundo voltando a atirar.

(...)

Já estava a noite, todos dormiam profundamente, enquanto eu estava aqui, sentada de baixo de uma árvore no jardim. Raramente tinha insônia, o que dificultava a dormir.

Ouvi galhos se quebrarem atrás de mim, me fazendo virar rapidamente com a pequena faca entre as mãos, observando aquele local escuro.

- É apenas o vento. - Suspurei fundo voltando a minha atenção para frente, dando de cara com o peitoral de alguém. Retirei a faca outra vez, sendo bloqueada com as mãos do rapaz.

(...): Se acalma, sou eu o BaekHyun! - Resmungou.

- Desculpe, apenas avise da próxima vez! - Repreendi o rapaz. Sentei-me novamente no chão, encolhendo-me pelo frio que fazia. 

Olhava atentamente para as ruas desertas vendo os monstros gosmento perambulando pela cidade, ainda não acreditava que em uma cidade bela, se tornou apenas cinzas.

Baek: Inacreditável, não é ? - Virei meu rosto em sua direção o olhando confusa. - De uma hora para a outra, está cidade se tornou apenas um ninho de monstros. - Sorriu sem humor.

- É, realmente. - Suspirei. 

Baek: Desculpe por ter sido rude com você hoje mais cedo, estava sem paciência, e além do mais, achava que você era apenas uma menininha indefesa que daria encima de mim como TaeYeon. - Desta vez ele sorriu mostrando os dentes, e seu sorriso realmente era bonito de se ver.

- Nunca julgue um livro pela capa, assim como não julgue as pessoas pela aparência, senhor BaekHyun. - Continuava séria olhando para a estrada.

Baek: Você é marrenta, gosto assim. - Sussurrou a última frase, parecia ter feito isso para que eu não ouvisse, o que não deu certo obviamente. - Vamos recomeçar ? - Estendeu a mão para que eu o cumprimenta-se com um sorriso de lado. 

- Prazer, me  Park S/n. - Apertei a sua mão, sorrindo ladino.

Baek: Me chamo Byun BaekHyun, e o prazer é meu, madame. - Puxou a minha mão até o rumo de sua boca beijando as costas da mesma. Até parece um cavalheiro.

- Me diz mais sobre você, senhor Byun. - Sorri.

Baek: Minha vida não é lá essas coisas. Tenho vinte e três anos; tenho um irmão sete anos mais velho; perdi os meus pais quando pequeno e, conheci JunMyeon assim que perdi os meus pais, ele me deu abrigo aqui ainda quando era criança, e desde então estamos juntos.- Suspirou. - E você ?

- Acho que a minha vida não barra a sua, certeza. - Gargalhamos. - Bom, tenho vinte e dois anos, por dez anos foi apenas eu e meu irmão ChanYeol, mesmo tendo tios que possam nos dar abrigos, mas eles nunca foram presentes conosco.  Aprendemos a atirar com doze anos, para caso algo acontecer sabermos nos virar. Perdi meus pais de uma forma misteriosa, nem eu e nem ChanYeol soubemos como eles morreram. - Suspirei dando uma.pausa. - Viemos para cá pelo mistério de Hill of Souls, e cá estamos nós. - Ri fraco. - Minha única família foi o Chanie por longos doze anos da minha vida.

Baek: Uou, isso com certeza supera a minha história sem humor. - Gargalhou. - Você é diferente.

- Eu me destaco. - Me gabei. 

Baek: Con... - Ouvimos algo se quebrar e grunhidos vir de perto.Nos levantamos em um piscar de olhos olhando para os lados. 

Retirei minha pequena adaga do bolso ficando em posição vendo BaekHyun destravando a sua pistola.

- Droga! - Comentei vendo que aquelas coisas gosmenta haviam quebrado o arame de ferro que os impediam de passar.

Baek; Não saia de perto de mim, S/a. - O olhei surpresa por ter me chamado por um apelido. Apenas assenti segurando em sua mão, era um hábito.

- Desculpa, é um hábito eu segurar na mão de Chan. - Me desculpei envergonhada.

Baek: Tudo bem, não large a minha mão. - Sorri.pegando em sua mão e a entrelaçando. Começamos a caminhar em passos lentos para não atrair os monstros para nós, enquanto Baek ia me guiando já que eu olhava para trás por segurança.

Nosso abrigo estava um pouco longe, tínhamos que dar a volta para chegar na porta principal pra entrarmos pra dentro.

Baek: Corra sem soltar a minha mão quando eu mandar, certo ? - Assenti apertando mais a sua mão. Ele olhava para um dos monstros a sua frente que perambulava sem um rumo certo, esperando que ele passasse. - ! - Sussurrou puxando-me para correr. Ouvimos os grunhidos vir em nossa direção, provavelmente estavam atrás de nós.

Abrimos a porta rápido a fechando com um estava entre ela, para barrar a entrada deles. 

Ouvimos os barulhos alto deles tentando arrombar a porta, enquanto as luzes do estabelecimento eram ligadas revelando JunMyeon, meu irmão e alguns dos moradores daqui.

Jun: O que está acontecendo aqui ? - Correu para o andar de baixo ajudando a segurar a porta.

Chan: S/n! - Correu até a minha direção me puxando para perto assim me abraçando. Chan era bastante protetor.

- Estou bem, estou bem! -suspirei acalmando a minha respiração. Em poucos minutos não ouviamos mais os barulhos, pareciam ter ido embora.

Jun: O que houve aqui ? - Ditou ríspido. - BaekHyun, você sabe os riscos que temos e mesmo assim fica lá fora ? S/n poderia ter ae machucado, ou até mesmo sido pega por eles, que irresponsabilidade você teve, Byun!  - Olhei para Baekhyun que se mantia de cabeça baixa.

- JunMyeon, não coleque a culpa nele! - O repreendi. - A culpa não é dele, nunca foi, eu que tive a irresponsabilidade de ir la fora sozinha e de noite. Ele apenas me seguiu para me avisar sobre o risco, e me trouxe de volta. - Menti.

Jun: Certo. - Suspirou com a mão na cabeça. - Voltem todos para os seus dormitórios, amanhã iremos acordar cedo. - Comentou sem me olhar. Subi as escadas sem ao menos falar com alguém, apenas sendo seguida por ChanYeol, e entrei em meu quarto me jogando na cama.


Notas Finais


Me sigam nas redes sociais:❤

IG: @Pbyun__
TT: @Pbyun
WPP: (85) (9216)-(7290)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...