História Chess Pieces - Byun BaekHyun - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais
Tags Baekhyun, Exo
Visualizações 87
Palavras 927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Vida ou morte.



[Uma semana depois]

Se passaram uma semana, desde a bronca que JunMyeon nos deu, BaekHyun não fala comigo, era como se eu não existisse para ele, como se nunca tivéssemos nos conhecido. 

Apenas deixei de lado, hoje seria o dia em que iríamos atrás de respostas do mistério.  Ainda não sabíamos qual seria nossas dulpas, pois estávamos bastante concentrados em ficar eficiente.

Coloquei a minha pistola no suporte em minha cintura, colocando cartucho do balas, tanto da sniper quando a da minha pistola, por segurança. 

Saí do dormitório dando de cara com Chan escorado na porta, com as mãos nos bolsos, já pronto.

- O que foi, Chan ? - Quebrei o silêncio.

Chan: Tô preocupado.  - Suspirou fundo. - Tem certeza de que quer ir ? - Alisou aos meus cabelos, me virando pra ficar de costas pro rapaz enquanto ele tirava a liga dos meus braços e amarrando o meu cabelo.

- Tenho, Chanie. -Suspirei. - Mas eu tenho medo ao mesmo tempo, tenho medo de algo acontecer a você. - Ele sorriu fraco.

Chan: Digo o mesmo. Prometi a mamãe que nunca a abandonariam, e pretendo cumprir está promessa até os meus últimos dias. - Sorriu mostrando as suas lindas covinhas.

- Te amo. - O abracei puxando seu aroma doce, e seu abraço confortante.

Chan: Também te amo, agora vamos só falta nós dois. - Assenti caminhando ao lado do mais alto  enquanto pensava nas probabilidade de acontecer algo. Avistei Jun sério até nos encarar e sorrir brevemente.

Jun: Bom, agora que estamos todos aqui, iremos saber quem ficará com quem, obviamente não colocarei par por amizade ou algo pessoal, irei colocar por potencial. - Suspirou olhando para os seus redores. - Porém teremos de ficar em dupla, pois Yixing se encontra mal desde a noita anterior. JongIn e KyungSoo; SeHun e LuHan; JongDae e MinSeok; eu e ChanYeol; BaekHyun e S/n. - Arregalei os olhos.

- Por que terei de ficar com ele ? Não pode ser o Kris não ? - Negou me fazendo bufar. BaekHyun rapidamente apareceu ao meu lado com um sorriso cínico de lado, enquanto as duplas se formavam.

Chan: Cuide bem dela, porque se ela chegar pela metade, ou se não chegar, eu irei fazer Bacon frito e dar pros monstros. - Olhou-nos seriamente. - Tchau, te amo, se cuide. - Sorriu como se nada tivesse acontecido, e saiu indo para o lado de Jun.

Jun: Cuidado, lembrem-se que nossas prioridades são manter nossos parceiros vivos. - Assentimos. - Boa sorte, irão precisar.  - Agradecemos e saímos pelo portão dos fundos, vendo mais de perto o colégio abandonado. 

Coloquei minha bolsa nas costas vendo todas as duplas irem por um caminho diferente, enquanto nós estava parado ainda.

Baek: Vamos. - Assenti indo logo atrás dele, olhando para os lado me certificando de não estar sendo seguida por algum monstro. A cada passo nosso, nossas respirações ficavam cada vez mais pesada, fumaça saía do chão, parecia não ser seguro ali.

- Cuidado Byun, parece não ser seguro. - Cementei ao pisar em um pedaço de asfalto que afundou em óleo preto. Voltamos a prosseguir silenciosamente, se aproximando aos poucos do colégio. 

Avistei de longe SeHun e LuHan um atrás do outro, atrás de um carro. Passamos reto dos dois sem chamar atenção para não sermos pegos. Era como o filme Jogos vorazes, onde tinham que passar despercebidos se não quisessem morrer, era vida ou morte.

Ouvimos barulhos de lata sendo jogada no chão, após nos virar pra trás havia um monstro basicamente bem maior que o ChanYeol, com uma eborme foice em mãos que era coberto por faixas, parecia uma múmia.

Baek: Droga! - Xingou e começou a correr sem se importar se eu ia morrer ou não, apenas correu. Senti um vulto em minhas costas, foi por pouco. Perdi aquele miserento de vista, so me restava me virar agora. 

Aquela coisa estava a me perseguir já fazia tempos, enquanto eu só desviava de seus ataques. Entrei em um pequeno "covil" vendo-o passar reto. 

Esperei alguns segundos e saí daquele lugar apertado e sujo, seguindo o rumo do colégio  sentia que algo iria acontecer.

Passei em um beco, vendo o mesmo monstro de antes levantando sua foice, enquanto um garoto tentava pular o muro. 

- Tsc! Ele quer morrer, só pode! - Marmurei após ver BaekHyun tentando sair de perto daquela coisa, o que era em vão. Retirei minha pistola da cintura, indo para detrás de lata de lixo, disparando uma bala em sua nuca.

 O mesmo se virou fazendo c que a sua foice passasse de raspão na cabeça do garoto, assim que se virou deu para ver que não tinha gostado nada disso.

Passei rente a lata de lixo, indo de vagar até o rapaz, vi aquela coisa voltar para trás, fazendo-o grunhir alto nos assustando. Levantou a sua foice na direção do rapaz, me fazendo pular puxando BaekHyun para o lado, antes que sua foice nos pegasse.

Puxei BaekHyun pelo pulso correndo para longe, entrando em uma loja de conveniência. Estávamos ofegantes por ter corrigo, nos jogando no chão.

- Você é louco ? - Perguntei ofegante. - Caralho Byun! - Suspirei irritada.

Baek: Cala a boca. - Foi a única coisa que disse.

- Me obrigue! - Bati a mão na testa irrotada com o rapaz, sentindo sua respiração a centímetros de meu rosto, me fazendo abrir os olhos assustada.

Baek: Tem certeza disso, Park ? - Encarou-me.

- S-sai de perto, Byun! - Tentei-o afastar pra longe, mas ele me presionava contra a estante. Engoli a seco sendo fitava pelo rapaz, que a todo custo encarava aos meus lábios avermelhados pelo frio.

Baek: Me obrigue, Park. -Sorriu cinicamente.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...