História Chicago - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Shawn Mendes
Visualizações 152
Palavras 2.977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI BANDO DE CUUUUUUUUUUUU

COMO ESTÃO?

CARALHO DEMOREI VIADOOOO, mas cá estou eu para atualizar essa boceta sem pelo, terminei esse capítulo hoje às 03:00 da madrugadinha, então me beijem ok?!

Muitos estão falando sobre o PR das meninas, o que acho super sem importância para mim, caguei para eles e se não derem importância será melhor ainda, vejo muitos FC falando sobre, mas gente...bora parar de dá atenção pra eles, eles querem isso.

COLOQUEM A MÚSICA ASSIM QUE FOR PEDIDO!

MÚSICA: SORRY - HALSEY

Enfim, boa leitura e erros arrumo depois!

Capítulo 12 - Antigas irmãs.


Fanfic / Fanfiction Chicago - Capítulo 12 - Antigas irmãs.

Camila Estrabão Point of View

Abrir os olhos lentamente, pisquei algumas vezes e olhei para o lado, Lauren ainda dormia e tinha um dos braços sobre a minha barriga. Suspirei e mordi o lábio antes de me afastar silenciosamente, peguei meu celular e tinha mais de 30 ligações dos meus irmãos. Olhei em volta e minhas roupas estavam sobre uma poltrona, peguei as mesmas e vestir, Lauren não se mexeu e agradeci por isso.

Peguei meu salto alto e minha bolsa, sair em silêncio e suspirei assim que fechei a porta, desci a escada e dei de cara com Ally, ela arregalou os olhos para logo rir que nem uma hiena, revirei os olhos.

— É sempre bom dormir com o seu inimigo né?! — Ela falou sarcástica e eu mostrei o dedo do meio pra ela, a abracei rapidamente.

— É só um jogo, não fale que me encontrou aqui e muito menos que me viu desse jeito. — Ela assentiu enquanto ria e me levou até a porta. — E pare de rir sua anãzinha.

— Sei que me ama, aliás, tenho notícias sobre aquela conta que me mandou. - Pegou o pequeno papel no bolso e me entregou. — Mexeram nela ontem, foi depositado mais de cem mil dólares. — Arquei a sobrancelha. — Foi bastante para quem diz está morto.

— Vou mandar Mani verificar pra mim, tenho que fazer uma visita a uma amiga.

— Deixa eu ver…— Tocou no queixo com o dedo indicador e sorriu. — Começa com Dinah e termina com Jane.

— É, irei tentar fazê-la abrir o bico. — Guardei o papelzinho na bolsa. — Mas antes irei enfrentar dois irmãos muito ciumentos. — Levantei o celular. — Tenho que ir. — Me abraçou. — Tome cuidado e qualquer coisa me ligue.

— Sim senhora, chefinha. — Acenei e fui para o elevador.

Entrei no elevador e apertei o botão para descer, olhei no espelho dali e tinha um chupão em minha clavícula, revirei os olhos e ajeitei o vestido. Ajeitei meu cabelo e assim que abriu a porta do elevador dei de cara com Lucy, ela arqueou a sobrancelha e revirei os olhos, foi o que a fez começa a rir.

— Ah, não…você também! — Ela riu enquanto segurava a porta do elevador.

— Caindo nos encantos da Jauregui? Achei que seria o contrário.

— Cala a boca. — Ela gargalhou. — Te vejo mais tarde? Vou ver a Dinah.

— Ah, sim! Passa lá em casa?

— Tá, só não demora aqui. — Assentiu. — E tem escutas e câmeras espalhadas pela casa.

— Espera! — Me virei para ela. — Vocês transaram com escutas e câmeras?

— Tenho certeza que meus irmãos não quiseram ver ou ouvir. — Ela riu mais ainda. — Até mais tarde Lucy.

— Sua safada! — Exclamou enquanto as portas iam fechando.

Acabei rindo e sair do prédio, Louis acenou do outro lado da rua, atravessei e entrei no carro. Louis fez piadinhas até chegar em casa, estava quase para dá na cara dele.

Assim que entrei em casa ouvir o barulho de algo quebrado e passos apressados subindo a escada, rapidamente fui até a sala e meus irmãos seguravam cada um uma espada de plástico. Franzir o cenho e joguei a bolsa encima do sofá.

— O que está acontecendo aqui? — Eles me encararam rapidamente.

— Camila! — Arquei a sobrancelha e logo eles emburraram a cara.

— Lá vem…- Sussurrei.

— Pedimos para você apenas colocar as escutas na casa e câmeras, não pedimos um filme pornô. — Jensen sussurrou enquanto se aproximavam de mim.

— Vocês pediram para mim deixar Lauren se aproximar! Agora estão com ciúmes?!

— Se aproximar, mas não tocar na nossa irmã! — Foi a vez de Jared sussurrar.

— E daí? Eu não sei porquê de vocês terem tanto ciúmes

— Você é a nossa irmã mais nova, acha que não é nojento a gente saber que você transa? Tivemos que desligar as câmeras e escutas, quase nem dormirmos. — Jensen sussurrou novamente e aquilo estava me irritando.

— Ah tanto faz! Agora porquê vocês estão falando assim? — Jared olhou para o topo da escada e meu coração aqueceu assim que olhei também.

Mutter.

Lauren Jauregui Point of View

Sorrir assim que sentir a mão fina tocar em meu rosto e segurei, mas franzir o cenho sentindo ela maior, abrir o olhos e arregalei assim que Harry sorriu para mim.

— Puta merda! — Me sentei e cocei os olhos, não era apenas Harry que estava alí, mas sim Ally e Lucy. Olhei em volta e não encontrei Camila, suspirei.

— Procurando a dona disto aqui? — Olhei para a mão de Lucy e a mesma segurava um colocar de pérolas.

— Bom…sim. — Eles riram.

— Finalmente a senhora Jauregui transou! — Harry gritou comemorando junto a minhas amigas.

— Quem foi a safada que te deixou assim? — Ally apontou para o meu pescoço, olhei pelo espelho da cama e acabei sorrindo. — Hum…parece que vocês se divertiram muito.

— Seu sorriso está dando voltas! — Lucy exclamou.

— Parem com isso! — Revirei os olhos. — É…não lembro o nome. - Mentir olhando para Ally que prendeu o riso.

— Ok, "não lembro o nome" — Fez aspas com os dedos.

— Bom, o que estão fazendo aqui?

— Não podemos mais te visitar? — Harry perguntou fingindo está triste.

— O que realmente vocês querem? — Eles bufaram.

— Sua ajuda. — Lucy sorriu.

— Com o que?

— Preciso de uma casa. — Lucy falou alegremente.

— Espera…você e Vero…— Ela suspirou e negou. — Ah…então por que quer uma casa?

— Vou trazer minha irmã para Chicago! — Sorrir e a abracei.

— Isso é ótimo, Lu! Então quer que eu faça isso?

— Sim! Bem grande, quero dá todo conforto para ela.

— Irei fazer isso, você não vai se arrepender.

— Obrigada! — Beijou meu rosto.

— E vocês? — Olhei para Ally e Harry.

— Iremos passar o dia com você. -l— Harry deu de ombros e eu assentir.

Meus amigos me deram espaço para tomar banho e me arrumar, Lucy teve que resolver algo, então não ficaria, depois que desci observei Ally verificando as flores que tinham alí, ela sempre fazia isso.

— Por acaso, você estava tão bêbada noite passada que acabou dando bebiba para as flores? — Ela cheirou as flores e depois fez uma careta, acabei rindo. Camila…

— Acho que sim. — Ela assentiu. — Pode joga-las, odeio essas flores.

— Eu sei, até porque não tem como cuidar delas, estão mortas. — Revirou os olhos e seguiu para a cozinha, fui atrás dela e Harry mechia algo na panela.

— O que está fazendo? — Olhei rapidamente e sorrir.

— Molho para o macarrão. Quantos dias faz que você não come comida de verdade?

— A última vez foi no meu primeiro dia de trabalho. — Beijei seu rosto. — Onde está Louis?

— Está trabalhando, segundo ele, a patroa não dá descanso. — Arquei a sobrancelha querendo saber mais. — Ela só vive saindo, e nem me pergunte na madrugada. Ela liga para Louis e o meu namorado tem que ir correndo.

— Isso é sempre?

— Quase todas as madrugadas. — Bufou.

— O que será…

— Camila faz o que quer, deixe ela, aliás, Louis é o motorista particular dela. — Ally interrompeu, suspirei.

— Tem razão.

— Eu sempre tenho. — Piscou. — Agora porque você não contrata alguém para arrumar sua casa? Está uma bagunça!

— Eu vou arrumar, não preciso de ninguém. — Ally deu de ombros.

— Então tá. — Ela passou por mim e bateu na minha cabeça.

— Você soube o que aconteceu no banco na noite passada? — Franzir o cenho e neguei. — Um grupo invadiu o banco e roubaram quase todo o dinheiro, acredite, esse foi um dos assaltos mais famosos dá década! — Ele riu. — Seu irmão está trabalhando no caso e parece que não está nada fácil para achar os culpadas, não tem nada nas câmeras de seguranças.

— Isso é impossível.

— Não para um hacker super inteligente! — Ally falou entrando na cozinha. — Falei com Chris hoje de manhã, ele contou que não tem como pegar os culpados, eles foram inteligentes.

— Complicado...— Assentiram. — Mas tarde irei visitar Dinah, querem ir?

— Não vai dar, vou ajudar Mani com uma coisinha. — Ally deu de ombros e eu suspirei, encarei Harry.

— Tenho que ir visitar meus pais. Sinto muito. — Sorriu, assentir.

— Parece que irei sozinha, solitária e infeliz. — Resmunguei fazendo os dois rirem.

Ajudei Harry e Ally com o almoço, depois de almoçarmos juntos e falar bastante da vida dos outros, meus amigos e eu ficamos na sala assistido filme.

Depois de um bom tempo juntos eles foram embora, ainda fiquei por um tempo alí terminando de assistir o filme e quando terminou me levantei e fui tomar banho, espero que Dinah tenha comida na casa dela.

Assim que cheguei em frente a casa dela estacionei o carro atrás do carro de Dinah, pelo visto estava apenas ela em casa. Sair e tranquei o carro, caminhei para a varanda onde apertei a campainha várias vezes até ela abrir um pouco e me encarar, ela parecia assustada e estava suada, franzir o cenho.

— Dj... Você está bem?

— Sim. Eu apenas estou ocupada, o que você quer? — Ela falou rapidamente e eu fiquei mais ainda confusa.

— Te ver? Por que está assim? Você está bem?

— Agora não dá. — Engoliu em seco, percebi pelo jeito que franziu o cenho. — Eu te ligo…só vai embora.

— Dinah…

— Vai embora! - Falou antes de fechar a porta na minha cara. Olhei em volta sem entender e bufei.

— Era só falar que não me queria aqui! — Falei alto e voltei para o meu carro. Logo estava na estrada novamente, meu celular tocou e eu franzir o cenho, era Tyrone. Suspirei e atendi colocando no VivaVoz.

Lauren.

— Seja rápido, estou dirigindo.

Ok, mandei um envelope para a sua casa, lá tem algumas coisas sobre as empresas dos Estrabão.

— Falei que queria saber sobre Camila e não as empresas dela e dos irmãos. — Revirei os olhos.

Mas para saber tudo sobre ela, você tem que começar do começo e o começo é o que realmente aconteceu na noite em que os pais dela faliram.

— Espero não perder tempo com isso.

Não vai, aliás, preciso da sua ajuda com uma coisinha.

— Com o que?

Tente pegar um fio de cabelo da Camila.

Franzir o cenho, ou ele é doido ou é um psicopata. Quem vai querer um fio de cabelo?

— Por que quer um fio de cabelo dela?

Vou explicar quando você me entregar, só pegue o fio de cabelo, Laur.

Fiz uma careta e assentir, mesmo ele não podendo ver.

— Deixa comigo.

Dinah Jane Point of View

Fechei a porta rapidamente e encarei Camila, ela sorriu enquanto caminhava até o meu sofá, havia acabado de bater a porta na cara da minha melhor amiga.

Olhei para o homem branco super alto, ele é careca e tem uma enorme barba, ele segura uma arma em sua mão direita e agora a mesma está apontada em minha direção, moveu a arma apontando para a poltrona em frente a Camila, praticamente corri e me sentei alí.

Camila apareceu em minha casa alguns minutos antes de Lauren aparacer, claro que tentei fechar a porta rapidamente, mas o homem segurou e empurrou fazendo com que eu fosse para trás dando passagem para eles passarem, assim que peguei meu celular para ligar pra alguém ele puxou a arma e Camila pediu silêncio. Eles me mandaram sentar e assim estou até agora.

— Sempre que meus pais me davam uma bronca ou estavam quase para fazer isso, eu ficava suando que nem você. — Ela cruzou as pernas e sorriu. — No final eu não tinha feito nada de errado, eles apenas queria me ensinar a ouvir.

— O-O que você quer? — Perguntei trincando o maxilar e ela riu, mas me ignorou completamente.

— Esse é um dos meus seguranças, Luther, na verdade ele só é meu segurança quando vou resolver coisas como essa. — Ela sorriu para o homem. — Onde está? — Ele abriu a maleta que estava encima da mesinha de centro e entregou algumas fotos para Camila. — Eu recebi essas fotos alguns dias, porém elas são de três anos atrás. — Colocou sobre as minhas pernas, peguei e engoli o seco.

— Não sei do que-

Parei de falar assim que Camila me acertou um tapa, fechei os olhos com a dor e olhei novamente para ela que tinha a respiração pesada.

— Eu quero saber de tudo! Saber desde o começo, Dinah! É você em cada uma dessas fotos! E eu quero saber o motivo!

Engoli o seco, olhei novamente para as fotos. Na primeira estava eu em frente ao orfanato onde Camila morava antes de ser adotada por Rick e Penélope. Na segunda estava conversando com a primeira pessoa que recebeu Camila em Chicago, na terceira estava em Havana e na quarta eu tirava o capacete preto da cabeça.

Camila escondeu e ainda esconde muitas coisas, eu descobrir quase tudo sobre ela e os irmãos, os segredos deles são obscuros e perigosos, fui muito idiota de ter sido curiosa e ir atrás. Olhei para Camila que fez um sinal para o homem apontar a arma em minha cabeça, engoli o seco.

— Está bem! Eu falo tudo o que você quiser! — Ela assentiu para o homem que guardou a arma e se afastou.

— Então comece primeiro falando o porquê de você ir atrás do meu passado.

— Porque sua morte não teve contexto algum! — Exclamei e ela franziu o cenho. — Quando você e sua família se envolveram naquele acidente eu fiquei desesperada, você não poderia ter morrido, eu me sentir um lixo por ter falado aquilo pra você e iria pedir perdão naquela noite. — Ela soltou uma risada.

— Perdão? Você é uma vadia mesmo…— Negou com a cabeça. — Você lembra do que me falou quando disse que estava falida.

Fechei os olhos…era como se aquele dia voltasse como um tapa.

PLAY NA MÚSICA!

Seis anos atrás...

Lauren gargalhou chamando a atenção praticamente de toda a escola. Camila chorava e estava tão indefesa, os irmãos dela não estavam diferentes e chegavam a soluçar.

— China…— Camila sussurrou me encarando, as meninas me encararam esperando minha atitude.

— Não me fale que está com pena desses pobretões! — Lauren gritou fazendo a escola toda rir.

— Claro que não! — Claro que eu estava. — Camila é uma vadia, agora eles são pobres, sujos e inúteis! — Camila soluçou. Eu fui a última a falar algo antes dela correr junto com os irmãos para fora da escola.

Meu peito doía muito, queria chorar e correr para abraça-la e pedir perdão, fui dura com ela e os irmãos dela. Eu estava machuca, e não era só eu, todas nós estávamos.

— Acha mesmo que eu iria esquecer? — Se aproximou de mim. — Você era a minha melhor amiga sua vadia! — Gritou e me acertou um soco. Não revidei, eu merecia, não apenas um soco, eu merecia o ódio dela.

Sentir o sangue escorrer por meu nariz, ela acertou mais um me fazendo cair do sofá, agora sentia o sangue em minha boca.

— Eu tinha você como uma irmã! — Ela gritava. — E você me tirou isso! Quebrou o meu coração e me fez cicatrizes! Eu te amava Dinah! — A encarei e a mesma tinha o rosto banhado a lágrimas, eu também estava do mesmo jeito, talvez pior.

— Eu…s-sinto muito. — Ela negou e se aproximou de mim, ainda em pé ela limpou as lágrimas e me encarou.

— Engraçado né?! A seis anos atrás eu me sentia no chão, bem aos pés de vocês…— Sorriu amarga. — Agora veja só...você está como eu estava a anos atrás, você está na platéia me vendo estrear o meu mais novo show…— Se abaixou e segurou meu rosto. — Eu deveria acabar com você, mas eu não consigo, não com você Dinah. Fique longe do meu passado e do meu futuro, para o seu bem.

Engoli o seco mais uma vez naquela noite, ela levantou e pegou as fotos, devolveu dentro da maleta e fechou para logo segurar a mesma, me encostei no sofá e ela me encarou.

— Sinto muito por ter que ser assim.

Então ela foi embora com o segurança dela, assim que a porta bateu deixei o choro sair. Puxei minhas pernas e as abracei contra o meu peito, apoiei minha cabeça em meus joelhos e chorei, chorei alto, meu soluço não dava folga e minhas lágrimas desciam sem pena.

Eu a machuquei, comete um erro muito grande, machucar Camila não era certo e isso era a pior coisa que um ser humano poderia fazer. Machucar quem você ama para ser melhor para outras pessoas é o pior erro. E Camila não merecia isso.

Há oito anos atrás...

Camila pulou em minha costa gargalhando e me fazendo fazer o mesmo, segurei suas pernas a dando equilíbrio, abraçou meu pescoço e beijou minha bochecha.

— Você é a melhor amiga que eu poderia ter! — Sorrir.

— Você é a minha irmã Mila, não apenas uma amiga. — Ela sorriu alegremente.

— Promete que nunca deixaremos de nos amar? Que iremos ficar juntas para sempre e não iremos deixar nada afetar a nossa amizade? Jura de dedinho? — Colocou seu dedo mindinho na frente do meu rosto, rir e entrelacei o meu no dela.

— Prometo nunca deixar de te amar, prometo que iremos ficar juntas para sempre e nunca iremos deixar nada afetar a nossa amizade. — Ela sorriu.

— Eu te amo, Dinah.

— Eu te amo, Camila.

Me arrastei até a gaveta do racke onde ficava a televisão e abrir a mesma, lá tinha um porta retrato onde eu estava abraçada a Camila. Foi a nossa última foto juntas, ainda a guardo assim como as várias outras que tenho, Camila sempre será a minha irmãzinha.

— Eu falhei com você…sinto muito. — Sussurrei abraçando o porta retrato contra o meu peito. - Eu sinto muito…


Notas Finais


EITA PORRA!

O QUE ESTÃO ACHANDO?

ENTÃO, SE A FIC DESAPARECER DAQUI OLHEM NESSE INSTAGRAM: @camren_ilha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...