História Chillin' Like a Villain - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Novos Titãs (Teen Titans)
Personagens Asa Noturna, Ciborgue, Estelar, Mutano, Personagens Originais, Ravena, Roy Harper (Arsenal), Timothy "Tim" Drake (Robin)
Tags Batman, Bbrae, Robstar, Supergirl
Visualizações 36
Palavras 1.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Drogas, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi , meus anjos!
Ansiosos para ouvirem a Rachel e saber quem é o presidente do Mercosul??


Vamos lá...

Capítulo 13 - Comissário...


(Rachel Roth )

Não sei onde eu estava com a cabeça de aceitar essa idéia maluca de "trabalho em equipe". Nunca odiei tanto o meu lado humano.

Mas já que estou aqui, tenho trabalho à fazer. O que seria meio difícil pois minha parceira de "quarto" é uma alienígena, social. Ela até tentou falar comigo mais cedo, mas eu nem dei trela. 

Enfim, finalmente teríamos a nossa primeira missão - ressalto que é bom voltar a quebrar uns pescoços -, a parte má é que o local onde iremos é na América do Sul. A viagem será longa, mas necessária, segundo Kara: " O Alfa tem o apoio da maioria dos blocos econômicos do mundo, um deles é o Mercosul e vocês vão para lá". Parece besteira, mas, se pensar bem são eles quem praticamente comandam seus continentes.

Pela primeira vez em minha vida eu pude dormir e foi dentro daquele pequeno avião. Viver com demônios de todos os tipos, pensamentos diferentes e um mais chato que o outro não é fácil,  ainda mais quando eles martelam a noite toda na sua cabeça. Vai ver é por isso que eu sou estressada. Existem tantas coisas que ninguém sabe da minha vida, como a existência deles em mim que eu acabei herdando após a batalha com meu pai. Mas isso não é assunto para agora.

Quando acordei, ou melhor fui acordada por aqueles dois panacas, já estávamos quase chegando. Notei algo estranho no ar, um clima diferente relacionado à paixão. Algo me diz que entre Kory e o morcego júnior, acontece algo.

Pra variar, briguei com ele. Aquele mauricinho acha que eu sei todas as línguas do mundo. Isso tudo porque a ruiva lá beija as pessoas pra saber seu idioma e acredito que ele estava com ciúmes por isso. Posso ser quieta, mas eu sinto as coisas no ar. E ele queria que eu desse um "bibidi-bobidi-bu!" para aprendermos o espanhol.

Logo entramos na tal sede do Mercosul e nos separamos, a Kory foi com o insuportável do Garfield e eu fiquei com os outros. Entramos numa sala que eu creio que comanda todo o dinheiro que entra e sai do país. Encontramos algo interessante. 

Ao que parece, o Mercosul - de alguma maneira- sabe do dinheiro que entra no Pentágono. Porque, desde que chegamos, a verba que vai para eles aumentou. Agora, o por quê deles terem isso computado me pegou desprevenida. Descobrimos também que uma certa cota de dinheiro ( e muito por sinal), está sendo enviada para uma organização secreta chamada "Projeto Alfa". Detalhe, quem os manda esse dinheiro são os países participantes do Mercosul: Argentina, Brasil, Venezuela,  Chile... E até mesmo o próprio Uruguai. 

- Acham que o Alfa planeja algo maior?-perguntou Victor, sentado à frente do computador.

Foi ele quem invadiu o sistema. 

- Olhando as provas, eu afirmo que sim.- respondeu Dick.- Veja, essa tal cota é enviada para a Europa,  mais precisamente Alemanha. - completou.

O que levaria Alfa a se sediar na Europa?

- Então, é lá a central. Alfa com certeza opera lá. - falei.

Eles me olharam e concordaram com o que falei. A vontade de ir diretamente à Europa falou alto, entretanto,  Alfa não sabe de nossa existência e tampouco que queremos derrotá-lo, atacar agora e com raiva levaria à nossa derrota.

- Tem como baixar essas informações no seu sistema,  Victor? - perguntou Dick. 

- Claro! Melhor termos as provas em mãos para a Kara. Só um minuto. - disse enquanto tirava de seu braço um cartão de memória. 

Precisamos muito disso, cada informação por menor que seja é importante. Após ele recolhê-las, fomos de encontro com os outros dois, que já tinham nocauteado alguns seguranças. Não vou negar que me senti incomodada em vê-los juntos, sorrindo... Enfim, nem sei porquê senti isso.

Precisávamos entrar na sala de reuniões, naquele mesmo andar, pois queríamos tentar tirar informações do presidente. Quando entramos, encontramos uma pessoa conhecida do filhote de morcego,  quem era eu nem faço idéia. E eu acho que a Kory também o conhecia. 

Na hora, senti uma forte corrente de ódio e rancor. Logo meu pai me avisou que vinha do homem, sentado à nossa frente. 

- Kory, quem é ele?-sussurrei. 

- É James Gordon. Ele era aliado do pai do Dick, me lembro pouco dele... O que deve ter acontecido? - respondeu também sussurrando.

Assim como eu fiquei sem entender nada, Garfield e Victor também não entenderam paçocas.

- Veja só, quem é vivo sempre aparece, né Passarinho?-falou ele se dirigindo à Dick.

- Cara, quem é esse velho? Você conhece o presidente do Mercosul? - perguntou Garfield,  tagarela como sempre. Mas dessa vez concordo com ele ser tagarela, também queria saber da história. 

- Ele, Garfield,  era um parceiro do meu pai, o comissário Gordon. 

Vi o cara verde fazer uma cara mais confusa ainda e o tal Gordon rir de forma irônica.

- Era, disse certo genro. Mas agora, eu sou parceiro de Alfa e estou disposto à dar minha vida por ele.- disse.

Mas espera, genro? Essa coisa velha e feia tem filha e namora o besta do morcego júnior? 

Automaticamente olhei para Kory, ela olhava assustada para o Dick. Se a gente não interferir a coisa vai esquentar. Dei um sinal para Victor e ele logo entendeu o meu recado. 

- Gordon, isso não é hora de discussão familiar. Queremos saber, por que você se aliou à ele? Por que não comunicou ao Pentágono que estava vivo? E o que faz regendo o Mercosul? - perguntou Victor, se aproximando dele.

- Simples, cara homem de lata, Batman e a Liga me tiraram o que era mais importante para mim, Bárbara. Ela foi morte por culpa daquele homem, que a formou como heroína. Ela nunca teve vocação para salvar vidas.- respondeu com ódio nos olhos:

- Quando jurei fidelidade ao Alfa, fui enviado até aqui após ele ter assassinado o ex-presidente. E quanto ao Pentágono...Haha... Desse eu quero distância.- completou.  

Então esse é o motivo daquela corrente de ódio que senti. Parece que o Dick se sentiu culpado por algo, pois na hora que o homem disse aquilo ele abaixou sua cabeça. 

- Isso é motivo para se aliar a um assassino?- perguntou Garfield, franzindo o cenho e cruzando os braços. 

- Deixe-me ver... Sim! Você não é pai, não entende nada!!- gritou se levantando da cadeira e se aproximando de Garfield. 

- Posso não ter filhos, mas eu sei bem o que é perder alguém especial. Eu sei melhor que você, o que é dormir sozinho, no frio. Sei também a falta que faz um abraço,  um " eu te amo", eu sei! Não me venha falar que é o único que sofre.- disse ele em tom de bronca.

O tal Gordon abriu a sua boca para lhe responder,  quando Dick lhe deu um soco e partiu pra cima dele.

- Fala o que aquele maldito Alfa quer fazer! Anda, Gordon! Quem é ele? !- gritou aos socos. 

O crápula riu e lhe disse:

- Alfa apenas quer dar à nós um mundo melhor, perfeito, sem dor. Onde pessoas como Bruce Wayne estejam mortas e não sejam lembradas. Ele quer PERFEIÇÃO. Mas para sua tristeza,  nunca vi seu rosto ou ouvi seu nome. - cuspiu sangue. 

Perfeição? Cara louco. Isso não existe, sempre vai haver morte e dor no mundo. Alguém sempre vai matar e  morrer! Mas, se bem que essa história de "perfeição" me lembra um homem, mas não consigo lembrar seu nome.

- Maluco!- falou Dick e lhe socou mais uma vez. Mas agora, o homem desfaleceu. 

- Meu Deus, cara!! Você matou ele.- gritou e esperneou Garfield. 

- Cala a boca! -bati nele- Esse mané só desmaiou e se continuar gritando quem vai morrer somos nós! 

- O que faremos? Não podemos tirar o Gordon daqui.- perguntou Victor. 

O pior é que ele estava certo, logo eles dariam falta de seu PRESIDENTE e ai estaríamos ferrados. Pra melhorar, o cabeça quente do filhote de morcego me desmaia o cara.

- Gente, - falou Kory- a Rachel é empata, ela pode fazer com que ele esqueça, não é? -me perguntou.

- Be-Bem, digamos que sim. Mas pode causar danos sérios à esse homem.- rebati.

Ele pode acabar não se lembrando de nada, nem mesmo que se aliou ao Alfa ou que teve uma filha. 

- Rachel, você consegue,  eu sei disso.- me falou Garfield, sorrindo. 

De alguma forma me senti bem em ter o apoio dele. 

- Tem certeza? -perguntou Dick desconfiado. 

- Com certeza eu tenho, porque eu sou a única opção e se dependessemos de você ele estava morto já. - respondi grossa.

Ele colocou o plano no buraco por problemas pessoais e põe a culpa em mim, achando que não sou capaz de ajudar. 

- Cara feia pra mim é fome.-falei para ele- Sai daí, eu tenho muito trabalho pela frente, morceguinho.

Me abaixei e coloquei minhas mãos em sua cabeça,  me concentrei e pude ler seus pensamentos e enxergar suas lembranças. Ele tinha uma mente extremamente perturbada, cheia de túneis e escuridão. O ódio habitava em seus pensamentos, a ira era dona de todas suas ações, o rancor já estava matando o que lhe havia de bom e percebi isso porque esses pecados, meu pai criou. Não tenho o poder necessário para expulsá-los, posso amenizar os problemas que eles causam, mas somente Trigon tem esse poder. E com certeza, ele não me ajudaria. A felicidade estava aprisionada em sua mente e me irritava nnão ser capaz de o ajudar.

Quando cheguei a suas lembranças, pude ver a sua filha, o Batman e até o Dick. Todos estavam felizes, sorridentes e dava gosto ver tudo aquilo. Mas andando mais um pouco, vi a trágica morte da Bárbara. O Batman permitiu mesmo que ela morresse... Contudo,  não era assunto meu. Logo encontrei suas memórias recentes e algo me chamou a atenção, Gordon realmente não sabia quem era Alfa pois, nunca se encontraram. Mas lá tinha uma data: 31/12/2034. Apaguei a memória recente e saí de lá. 

-Gente, Gordon não mente. Ele não sabe quem é Alfa. Mas, achei uma mensagem em sua memória, uma data, o último dia do ano.- falei assim que recobrei a consciência. 

- A virada do ano? - perguntou Kory. 

- Sim e se quisermos realmente salvar o mundo, é melhor acharmos tudo quanto for necessário sobre o Alfa e sobre essa data.- respondi. 

- Certo, agora vamos para casa... Esse negócio de Alfa tá fritando os meus neurônios. - brincou Garfield. 

- E você tem?-perguntei retóricamente saindo da sala. - Gente...Eu acho que temos companhina!









Notas Finais


Obrigada, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...