1. Spirit Fanfics >
  2. Chocolates e outras surpresas >
  3. Capítulo Único - Caçada de Ovos dos Jeon

História Chocolates e outras surpresas - Capítulo 1


Escrita por: e miyosin


Notas do Autor


Olá meus amores! Estão se cuidando?
Apesar da demora pela produção kkk estou com está fanfic fofinha num especial de páscoa <33 bem simples, mas feita com amor. Espero que gostem!

Boa Leitura

Capítulo 1 - Capítulo Único - Caçada de Ovos dos Jeon


Fanfic / Fanfiction Chocolates e outras surpresas - Capítulo 1 - Capítulo Único - Caçada de Ovos dos Jeon

Estava frio por aquela manhã e Jeon Park Jimin estava todo empacotado em roupas quentes enquanto prepara o café da manhã de seu marido. Com muito cuidado, deixava certo as torradas com a porção de ovos mexidos junto a uma boa xícara com café forte em cima da mesa. Era muito americano, gostava de pensar, mas era o preferido de Jeon Jungkook. Este que, no momento, terminava de se arrumar no quarto de casal.

Jungkook era muito organizado, apesar de um tanto distraído às vezes, então, mesmo que tivesse ficado mais dez minutos na cama mimando seu esposo, enchendo-o de beijinhos enquanto acariciava a grande barriga, arrumou-se rápido, já sabendo onde cada peça de roupa ou acessório estaria. Com a calça e a camisa social branca juntas à gravata bem alinhada, só terminou de calçar o sapato para descer com um pequeno sorriso nos lábios, sabendo que encontraria seu amante na cozinha. E ele se derretia pela imagem toda vez.

Ainda meio aéreo ao que acontecia ao redor, Jimin murmurava sozinho, preso em seus próprios pensamentos, enquanto permanecia sentado no banco de frente para a ilha que separava a mesa de jantar e — propriamente — a cozinha. Jungkook não conteve o sorriso apaixonado ao vê-lo tão fofo agasalhado com os pés inquietos balançando ao ar; parecia uma criança.

Aproximando-se discretamente, envolveu seu esposo em um abraço gostoso, já o surpreendendo também com um beijo demorado na bochecha.

— Bom dia — disse, como se não tivessem se cumprimentado assim que acordaram juntos, com direito a beijinhos espalhados pelo rosto.

— Bom dia — sorriu, após ter se recuperado do pequeno susto. — Seu café está pronto. 

— Sempre está — riu, beijando-o mais uma vez antes de se afastar.

Jungkook sentou-se de frente para a mesa começando a bebericar o café e comer as torradas, não negando a satisfação pelo alimento gostoso. Ainda sim, era um grande observador, sobretudo quando se tratava de Jimin, e não deixou passar despercebido o jeito inquieto de seu esposo.

— Aconteceu algo, Jimin-ssi? — perguntou. Mesmo que tivessem milhares de apelidos carinhosos um para com o outro e que, no início, tivesse sido apenas por provocação, chamá-lo de tal forma trazia um carinho e uma nostalgia que só os dois e seus amigos mais próximos conheciam.

Um tanto agitado, Jimin olhou para seu eterno coelhinho, indeciso se deveria externar sua preocupação. Eles criaram um relacionamento o mais honesto possível, cientes de que tudo poderia ser resolvido com o bom e velho diálogo, mas havia coisas que ainda pareciam incertas de valer a pena colocarem em pauta. Todavia, se tinha algo que Jimin gostava, era de falar, ainda mais com seu marido.

— É que — suspirou. — a Páscoa está perto e o evento do ano foi cancelado — suspirou mais uma vez. — Você sabe como nossos filhos gostam da comemoração e toda a fantasia, principalmente de correr atrás dos Ovos.

Entendendo a situação, Jungkook apenas assentiu antes de terminar de mastigar.

A Caçada aos Ovos de Busan era um dos eventos mais desejado pelas crianças da cidade, justamente por unir todas as famílias em um momento só, cheio de alegria e brincadeiras, que deveria ocorrer no final de semana, em outras palavras, iniciaria amanhã, no sábado. Contudo, imprevistos aconteceram. Todo o país estava em alerta devido ao novo vírus que assolava o mundo; uma pandemia. Quando todo cuidado se tornava pouco, todos os grandes eventos, especialmente aqueles que teriam aglomerações de pessoas, foram cancelados pensando no bem de cada cidadão. 

Jeon Jungkook entendia bem a necessidade, afinal, tendo dois filhos pequenos e um esposo grávido de nove meses, seu lado protetor tomou proporções quase paranóicas. Ainda tinha a necessidade de sair de vez em quando, bem pouco na verdade, mas agradecia por terem disponibilizado o teletrabalho para si, pois agora sentia que conseguia ter mais tempo para com sua família e estar mais atento. De toda forma, estava em constante limpeza, e agradecia muito pela empregada da família, também muito cuidadosa, ter se prontificado a continuar trabalhando para o casal no tempo de isolamento social, devido ao fato de Jimin não conseguir cuidar da limpeza da casa tão bem e também respeitando o período de trabalho de Jungkook. Este que, claro, não iria deixar passar tal gesto tão gentil e já havia preparado uma bonificação no final do mês para a mulher.

— Eu não sei — disse, por fim. — Não temos muito o que fazer, querendo ou não, as crianças não podem nem mesmo ir ao parque agora.

— Sim, mas a gente poderia pensar em algo, certo? — questionou. — Algo que pudesse animar o dia — concluiu. Jungkook assentiu, mas não conseguia pensar em nada naquele momento. — Poxa, Jungkookie, você tinha que ver a carinha do Seung vendo o noticiário comigo, ele ficou todo tristinho.

Seung era uma criança amável e inocente; puxando Jimin, como diria Jungkook. Ele tinha completado seus cinco anos há pouco tempo e sempre se mostrou muito inteligente, então, era de se esperar que entenderia sobre o isolamento e o motivo de cancelarem o evento de Páscoa muito antes de seu irmão, Yong, de apenas três anos de muita energia e bagunça.

— E você também está — observou Jungkook, afetado pela situação. Jimin fez bico.

— É que não quero que a Páscoa passe despercebida por eles — contou, mesmo que o outro soubesse. — Talvez pudéssemos criar algo aqui em casa mesmo e — fechou a boca. Seus olhos se arregalaram e num pulo já estava ao lado do marido, energético. — É isto! Vamos fazer a nossa caçada!

Jungkook ainda se admirava pela dualidade do esposo, tão rápido conseguindo mudar de humor, da mesma forma que tão rápido conseguia pensar nas situações.

— Ótimo — sorriu, virando-se e puxando o outro para seu colo. Era sempre satisfatório ter Jimin em seus braços. — Qual o plano?

 

Apesar da ideia impulsiva, Jungkook claramente apoiou cada detalhe, e o casal não podia ficar ainda mais satisfeito ao saber que Minji os ajudaria depois de também contarem para a mesma. Era óbvio que Minji não era apenas a empregada da família, era um membro. A mesma informou que não ficaria para a festa, pois gostaria de estar com seus próprios filhos, mas que não se importaria de ajudar e realmente o faria.

Jungkook ficou com a missão de comprar os ovos de Páscoa, pois, mesmo que Jimin gostasse de fazê-los, estava um pouco em cima da hora e deveriam ter a certeza de que teriam os chocolates prontos. Então, assim que terminasse seu dia no trabalho, iria ao mercado mais próximo com a lista do celular já pronta, para que não errasse na escolha, além disso, Minji também aproveitou para pedir os seus.

Por vez, Jimin e Minji tomaram o café da manhã enquanto já discutiam sobre como seria a caça, pensando nas pistas e no que mais poderiam fazer para deixar a brincadeira divertida. Tiveram um pouco mais de duas horas de tranquilidade antes das crianças acordarem e com isso, intercalaram o tempo para distrair as crianças enquanto já iniciavam a produção das pistas e da decoração.

À noite, foram rápidos em esconder os ovos enquanto Jungkook brincava mais um pouco com as crianças e as colocava para dormir, o que, inclusive, cooperou muito para que os outros dois adultos prosseguisse com a decoração. E, no dia seguinte, a produção dos últimos detalhes foi a todo vapor para que no fim da tarde, tudo estivesse pronto e pudessem finalmente descansar.

No domingo pela manhã, Jungkook e Minji se encarregaram de decorar toda a casa, enquanto Jimin espalhava as pistas. Era muito lindo ver os coelhinhos espalhados, a vegetação bem verdinha com algumas flores coloridas e as patinhas por todo o chão, tanto para ajudar quanto para confundir. Por fim, Jimin quase chorou pela emoção de ver tudo pronto para seus bebês.

Poucas horas depois, o casal ouviu passos correndo e risadas contidas; Seung e Yong acordaram. Logo, os dois estavam de frente para os pais na sala, depois de terem seguidos as patinhas de coelho.

— O que é isso papai? — apontou para as patinhas.

— Isso é só o início — Jungkook anunciou, criando um suspense que, claramente, prendeu a atenção dos filhos. — A Páscoa chegou e o Coelho anunciou que vocês, pequenos, têm uma missão.

Jungkook estendeu a cartinha amarela que, rapidamente, foi capturada por Yong, mas este só olhou para as figurinhas por ainda não saber ler, e, tão ansioso quanto o mais novo, Seung tomou das mãos do menor para que pudesse fazer seu papel de irmão mais velho.

— “É a vez de vocês” — começou, lendo devagar em voz alta devido ao irmão. — “Qual ovo terão? Para encontrar, terão que me caçar”.

Alguns segundos se prolongaram até Seung enfim entender a mensagem.

— É uma Caça aos Ovos! — exclamou. Yong gritou, animado com a percepção do irmão. — Mas não tem pistas.

— Bem — disse Jimin, sem conseguir esconder que era cúmplice, mas as crianças não notaram. — Por que não seguem aquelas patinhas? O Coelho foi para lá.

Não deu brecha. Animados, os dois irmãos passaram a correr pela casa bastante eufóricos com a brincadeira, precisando de uma ajudinha só para a leitura quando Seung sentiu dificuldade, que mesmo tendo ficado envergonhado logo esqueceu ao que continuou a brincar.

— Ah, meu Deus — suspirou, desta vez, satisfeito. — Não acredito que está dando certo, Jungkookie.

— É claro que daria, a ideia foi sua — retrucou. Logo beijando o amado de forma apaixonada, apertando-o com cuidado em seus braços.

— Papai! Papai! Appa! — gritos foram dados.

O casal riu pela cumplicidade enquanto se levantavam, prontos para ir até o pequeno jardim no quintal de trás da casa. Escondido perto das árvores, as crianças gritavam animadas com os ovos em mãos; Jungkook havia comprado cinco, mesmo precisando de apenas três, por não ter resistido.

Jungkook estava já a caminho para parabenizar seus filhos quando, por reflexo, parou junto ao seu esposo. Olhou para trás, confuso, e ficou ainda mais confuso ao ver o mesmo de olhos arregalados olhando para a calça de moletom.

— Você — começou a dizer, estranhando por ver a calça de seu esposo úmida, da mesma forma que acontecia ainda com Yong de vez em quando, até ele, finalmente, se dar conta que os motivos eram diferentes. — Meu Deus!

— Jungkook! Nosso filho vai nascer!

A corrida das crianças pela casa em busca das pistas de nada superou a corrida que Jeon Jungkook fez ao ligar para sua mãe, pegar a bolsa que ela havia preparado para esta ocasião e tomar Jimin nos braços, levando-o mais rápido possível para o hospital.

Jimin foi levado para a sala assim que pisou no hospital e anunciou seu estado. Jungkook, por vez, precisou ficar do lado de fora, pois seu nervosismo poderia atrapalhar o parto. Poucos minutos depois, a senhora Jeon apareceu ofegante ao lado do filho, já interpretando a situação.

— Mãe? — arregalou os olhos. — Achei que estava com as crianças.

— Deixei seu pai lá e vim te ver — explicou. — Também já liguei para Son-hee que disse estar a caminho também.

Park Son-hee era a mãe de Jimin e também um amor de pessoa, logo também ficando muito íntima de Jeon Chun-ja que, desde sempre, desejava a união das famílias.

— Estou nervoso.

— Você sempre está quando se trata do Jimin.

— Mas e se der errado?

— Já é o terceiro e ele é muito forte, não vai dar — confortou.

Cada minuto parecia uma eternidade, mas uma eternidade que valeu a pena esperar quando, mesmo estando fora da sala, o choro fino pode ser ouvido e Jungkook teve a certeza: tudo estava bem e continuaria bem.

Depois de duas semanas, Jungkook finalmente pode pegar sua licença paternidade e dedicar suas vinte e quatro horas para o esposo e o novo frutinho que se revelou uma menina, já muito bela, nomeada Sohui que significa luminosa e gloriosa. 

Em uma noite, após um banho relaxante merecido devido ao dia cansativo, Jungkook se jogou na cama e se enroscou no esposo enquanto este ria gostoso devido à manha do outro.

— Faz carinho — pediu.

Jimin sorriu, já afagando a cabeleira, brincando com os fios negros levemente ondulados da nuca alheia também.

— Eu te amo — sussurrou, deixando um beijo desajeitado no peito do outro devido à posição.

— Também te amo, Jungkookie — sussurrou de volta. Mas poucos segundos depois, não resistiu: — Mas bem que você podia me trazer meus chocolates.

Jungkook riu gostoso.

— Está comemorando a Páscoa um tanto tarde, bebê. — provocou.

— Nunca é tarde, ainda mais tratando-se de doces!

— Certo, certo — riu. — Vou alimentar meu amor — disse, levantando-se e se retirando do quarto.

— E traz o seu também! — gritou divertido.

 


Notas Finais


O que acharam? Mereço comentários?
Agradeço muito a @Jiminielogy e a @notthingblue pela disponibilidade e carinho de me ajudarem nesta fanfic <33 amei demais!!

Obrigada também quem leu e não deixem de comentar *-*
BEIJÃO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...