História Chocolatte - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shisui Uchiha, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Abo, Akai Ito, Drama, Gaanaru, Itadei, Kibaxshino, Naruto, Naruto Abo, Sasunaru
Visualizações 128
Palavras 2.413
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me perdoem por esse capítulo
(>.<)
Eu tinha escrito mas não achei legal então tentei melhorar e acho que não mudou nada. Realmente não faço idéia se está bom.
É meu primeiro lemon então peguem leve, onegai!

Capítulo 12 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Chocolatte - Capítulo 12 - Capítulo 12

Naruto

Se passou uma semana desde que falamos com o Madara e o ji-chan. O que eu entendi é que somos ligados por nossas almas, provavelmente a encarnação de duas pessoas do passado e que não podemos passar cios juntos porquê se Sasuke me marcar e nós terminarmos eu posso morrer ou ele pode morrer.

Por quê a minha vida não pode ser mais fácil? Sem contar que foi meio estranho ele chegar com essa de que me ama. Mas ele parecia tão sincero... e eu aceitei o pedido então eu acredito que ele me ama, né...?  

- Naruto? - Hinata me chamou. Hoje é sexta feira e estamos no refeitório do colégio durante o intervalo. - Você tá mais distraído que o normal. Aconteceu algo entre você e o Sasuke?

- Ahn... na verdade eu tenho pensado sobre a nossa relação. 

- Como assim?

- Ah... É que... sabe, ele fica dizendo que me ama e é todo carinhoso comigo, mas... - fiquei uns segundos sem falar.

- Mas...?

- Mas eu não sei se devo acreditar nele. Ele nunca me machucou como os outros mas ele sempre estava por perto e não fazia nada... fico pensando se ele não quer ter sua chance agora. Talvez... ele esteja só brincando comigo.

Ela me olhou espantada.

- Não acho que o Sasuke é esse tipo de pessoa, Naru. Ele parece bem sincero quanto aos sentimentos dele por você. Se não fosse assim ele não teria gritado pra todo mundo, aqui nesse refeitório que está namorando você. Ou teria enfrentado o Suigetsu que é amigo dele há anos porque ele te atacou. - dizia tudo com propriedade. Eu queria muito acreditar nela.

- Talvez, ele tenha feito uma aposta. - disse sem muita convicção.

Eu gosto do Sasuke quase desde que nos conhecemos, mas sempre que tentei me aproximar dele, ele me afastava. Se eu admitir em voz alta que amo ele e me entregar... e ele só estiver brincando comigo... vai doer demais sem essa de lenda do clã, imagina com isso envolvido.

- Me recuso a acreditar nisso. Você tem que esquecer essas coisas. Ele, mesmo morrendo de ciúmes do Gaara, se aproximou dele porque ele é seu amigo. - ela suspirou e afagou meus cabelos. - Não vejo você tão feliz desde que o Kurama-san se foi. Aproveita sua felicidade e deixa as coisas acontecerem.

**************************

O sábado chegou e estávamos na final enfrentando o Iwa High School, de Iwagakure. Todos estavam tensos, falta apenas 5 minutos para o jogo acabar e estamos empatados em 1X1.

Até que eles se mostraram adversários à altura. Porém, Konoha é melhor.

Shikamaru passou a bola para Sai, que driblou todos os jogadores, indo pela esquerda em direção a trave adversária. Quando quase perdeu a bola, decidiu passar para Gaara que ficou correndo com ela até encontrar Naruto livre em frente ao gol. Chutou a bola para ele e esperou.

Naruto sentiu o goleiro se aproximar e desviou para a direita se afastando um pouco da trave. Não teve tempo pra pensar muito, viu um lugar livre e chutou direto na gaveta. Então quando ouviu a torcida gritar e sentiu seu corpo ser levantado, soube que haviam vencido o campeonato.

**********************

Na quarta feira estava na casa do Sasuke, jogando video game, quando senti ele começar a lamber a minha orelha. Aquilo fez um arrepio percorrer meu corpo. Beijou minha bochecha chegando aos meus lábios e lambendo ali com a ponta da língua. 

Me irritei com aquela demora e o puxei pela camisa para um beijo. Sua língua acariciava a minha e suas mãos percorriam pelo meu corpo deixando em chamas os lugares que tocavam. Me deitou no chão ficando por cima de mim, entre minhas pernas. Chupou meu pescoço, me fazendo soltar um suspiro sôfrego, provavelmente deixando uma marca ali. Enfiou a mão direita dentro da minha camisa, tocando meu mamilo e apertando entre os dedos. Levou sua boca até ele e lambeu, sugou, mordeu. Só o que eu conseguia fazer era tapar minha boca com a mão esquerda para não chamar a atenção das outras pessoas na casa. Enquanto fazia a mesma coisa com o outro ouvimos um barulho na porta. 

- Otouto, almoço. A mãe tá chamando.

Na maior cara de pau levantou a cabeça e respondeu.

- Já estamos indo, vamos só terminar essa partida.

Tirou a mão que tapava minha boca.

- Ok, não demora. Sabe como ela é. 

- Tá. Tudo bem.

Voltou a me beijar. Seu gosto é tão bom, que eu poderia beijar ele pra sempre. Soltei um resmungo quando ele se afastou. 

Abriu minha bermuda e a puxou um pouco para baixo, junto da box preta que usava. 

- mhn - senti ele tocar meu membro já duro e fazer um leve movimento pra baixo. Sentei e comecei a abaixar a bermuda dele também, tocando em seu membro como fez comigo. Ficamos ali, batendo uma um pro outro, trocando beijos até sentir um líquido espirrar em ambas as mãos.

Nos limpamos e descemos pra comer.

Ao chegar na cozinha, todos já almoçavam, Mikoto e Fugaku conversavam com Itachi sobre o trabalho no hotel do centro. Quando Itachi nos viu soltou um sorriso malicioso em nossa direção. Parece que sabia o que estávamos fazendo. Senti um pouco de vergonha que foi logo dissipada quando tia Mikoto começou a conversar banalidades comigo. Sentei ao lado dela enquanto Sasuke sentava do outro lado perto de Itachi, que disse algo no ouvido dele, que o fez ficar mais vermelho que os tomates na cesta que havia no centro da mesa.

O dia correu bem e quando cheguei em casa não pude parar de pensar no que poderíamos ter feito se o Itachi não nos tivesse chamado para o almoço. Meu corpo inteiro esquentou com a possibilidade. Estávamos indo cada vez mais longe, o que me deixava ansioso e ao mesmo tempo apreensivo. Eu quero fazer algo assim com ele, mas não sei se devo.



Sakura

Estava namorando Sai há algum tempo e todos no grupinho da aberração já não me achavam tão ruim, quando Kakashi-sensei passou um trabalho em trio e eu pedi para fazer com a dupla monstro do colégio. 

Naruto ficou meio com pé atrás, aquela aberração idiota querendo melar meus planos, mas logo cedeu e Sasuke disse não se importar. "Tanto faz" foi o que ele disse, e eu dei pulos de satisfação por dentro ao ver que ele queria minha companhia. 

Combinamos de nos encontrar na casa do Sasuke à tarde.

Quando cheguei lá, ele e Naruto estavam sentados no sofá, assistindo TV. Sasuke abraçava Naruto pela cintura e deu um beijo na cabeça loira dele. Bleargh! Como ele pode conseguir ficar assim com essa aberração nojenta. Só de olhar pra ele me dá vontade de vomitar. Me fiz ser notada e logo Sasuke me mandou subir para o quarto dele. 

Ah! O quarto do Sasuke-kun!

Quando cheguei vi que Naruto não estava comigo, ótimo. Agora eu só preciso achar o lugar perfeito pra colocar essa coisinha.

Depois de achar um bom ângulo, me sentei no chão, tirei cadernos e livros da mochila e esperei os dois chegarem.

Nem acredito que estou tão perto de conseguir o Sasuke-kun só pra mim!

Senti meu rosto esquentar só de imaginar nós dois naquela cama. 

Ah...! ♥

- Sakura? Está tudo bem? - aquela ameba amarela realmente me perguntou isso?! Eu estou ótima! - Você tá vermelha, tá com febre?

- Não, estou bem, obrigada por perguntar. - Seus dias com o meu Sasuke-kun estão contados ameba loira. Dei um sorriso gentil. Ele fez uma cara desconfiada.

- Ok...

- Vamos começar logo com isso. - disse o meu Sasuke-kun.



Naruto

Hoje eu decidi passar no restaurante e ficar um tempo por lá ajudando com os doces.

- Yo pessoal. -disse quando entrei.

- Yo naruto.

- Como vai naruto?

- Senti sua falta moleque.

- Parabéns pelo campeonato!

Me cumprimentavam enquanto eu passava. Fui até o pâtissier.

- Oi Akasuna-sensei, tá todo mundo bem ocupado hoje.

- Sim, vamos ter um grande evento no hotel hoje. Se você puder, veste o uniforme e ajuda com a strawberry sauce?

- Sim senhor, vai ficar um delícia. Pode deixar.

- Obrigada. Sei que posso contar com você. - disse depois de colocar a última camada de três em um bolo, com a ajuda de outro confeiteiro. - Ah, antes ajuda o Gaara com os sashimis, tem muitos. 

- Ok.

Me vesti e fui procurar o Gaara. Encontrei ele de frente pra uma mesa grande e bem colorida.

- Oi - disse.

- Oi! - respondeu com um sorriso.

- O Akasuna-sensei disse para eu ajudar você. 

- Que bom, to precisando mesmo. 

Comecei a organizar os sashimis junto com ele.

- Você ta ansioso pro baile?

- Mais ou menos - respondi.

- Você vai com o Uchiha, né?

- Acho que sim. Ele ainda não pediu - ri.

- E se... ele não pedir?

- Aí vou ter que procurar outra pessoa, ou talvez eu não vá.

- hm - franziu o cenho. - Se ele não chamar você... gostaria de ir comigo?

Olhei pra ele que estava sério.

- Claro. - sorri.

Quando terminamos eu fui fazer o strawberry sauce.

Foi um dia divertido. A cozinha do restaurante estava em constante movimento. E foi bom pra esquecer a ansiedade que sentia ao pensar no Teme.

***********************

Aquilo estava se repetindo. E eu sentia toda a tensão sexual do quarto. Foi como um dejávu. 

Estávamos no quarto do Teme jogando vídeo game quando ele me beijou e logo eu estava na mesma posição da última vez. Deitado no chão, com ele por cima de mim estimulando entre lábios e dedos, meus mamilos. A partir daí foi diferente. Ele passou a beijar toda a extensão de pele que encontrava até chegar ao cós da minha bermuda. Tirou minha camisa por completo e me puxou pra cima. O beijo era eufórico, como se nunca mais fosse acontecer. Me senti afundar novamente quando deitamos na cama. Me movi mais pra cima, me apoiando nos travesseiros. O calor crescia a cada toque, a cada carícia. 

- mhn... ah... Sasuke - ele puxava de leve meu cabelo enquanto mordia meu pescoço. 

Tirou a própria blusa e pela primeira vez eu vi, aquele corpo pálido, com músculos bem definidos. Estendi o braço para tocar e me certificar de que não era algum tipo de sonho ou miragem. Tive minha mão agarrada pela dele que a levou até seu peito e me fez sentir seu coração acelerado.

-Entende? - seus olhos semicerrados porém firmes - ele só bate assim por você.  Eu te amo, Naruto. - Aquilo fez o meu próprio coração bater mais rápido.

Desabotoou minha bermuda e levantei um pouco os quadris para facilitar a passagem da roupa. Beijou todo o meu torso fazendo uma trilha até a box azul escura. Acariciou meu membro por cima dela o que me fez sentir tremores pelo corpo. Logo retirou aquela peça e o prazer que senti foi tanto que me fez arquear as costas e cobrir minha boca impedindo um gemido rouco de escapar.

- hmn... Não - era tão bom que pensei me desfazer ali mesmo, mas não queria terminar assim. Já sentia o líquido escorrer pela minha entrada - Sasuke... Não assim. Hmn, ah...

Prendi meus dedos em seus cabelos e o puxei pra mim num beijo lento, sentindo um pouco do meu próprio gosto em sua boca.

Comecei a tirar sua bermuda levando o tecido que havia por baixo junto, ele empurrou com os pés as roupas pra fora da cama e voltou a colar sua boca na minha, levando seus dedos até minha entrada parcialmente lubrificada. Senti um incômodo no início mas depois de alguns minutos apenas o prazer existia. Sasuke segurou minha bunda afastando uma das bandas ali e se posicionou, imediatamente investindo contra minha entrada. 

Rosnou.

- Tão quente. 

Me sentia cada vez mais preenchido por ele.

- Tão apertado. Ah... Tão... gostoso Dobe.

Sua voz, com essas palavras, sussurradas em meu ouvido. Seus olhos colados nos meus, enquanto nossos corpos se moviam num mesmo ritmo.

Cada vez mais e mais rápido e quente.

O que dizer de toda aquela paixão que me entregava? Como posso dizer que seu amor por mim é uma mentira? 

Cada vez mais fundo.

- Ou!... isso... bem aí. 

Não posso. Não posso negar, que eu também...

-... te amo. - disse, sem perceber, em voz alta.

Arregalou os olhos e parou.

- Mesmo?

- O quê? - perguntei, com olhos semi abertos, sem entender.

- Você também me ama?

- Parou só por causa disso? - ri bobo. - Sim. Também te amo seu Teme idiota. Agora se mexe. - falei e investi meu quadril contra o dele, que gemeu rouco.

- Desculpa. - voltou a se movimentar devagar, acertando todas as vezes naquele ponto que fazia meus olhos revirarem e meu corpo tremer. 

Ele levantou, me levando junto, se sentou na cama comigo por cima.

- Finalmente Teme. Pensei que fosse só abusar de mim sem deixar me divertir um pouco.

- Cala a boca. - disse com um sorriso debochado no rosto. - Quem precisa se mexer agora?

Não precisei ouvir mais. Me apoiei em seus ombros e comecei a me mexer. Nossos corpos naquela dança que pareciam conhecer muito bem. Naquela posição ele ia cada vez mais fundo em mim. Lambi uma gota que deslizava por seu rosto, enfiava minhas unhas em suas costas pelo prazer que transbordava em mim. Sentia suas mordidas em meus ombros, que me fazia querer mais daquilo. 

Continuamos num ritmo intenso. Ele tocava meu membro me fazendo delirar, procurando seus lábios desesperadamente, para conter os gritos de prazer que escapariam se não o beijasse.

Fechei os olhos, minha cabeça caiu pra trás, deixando o caminho livre para as carícias em meu pescoço que logo vieram, me fazendo chegar ao ápice sujando nossos abdômens, o apertando dentro de mim, o que o fez vir logo depois.

Esperamos nossas respirações se alcamarem, ele saiu de dentro de mim e nos deitamos do jeito que estávamos. 

- Teme.

- O quê? - disse sonolento.

- Nós não usamos camisinha.

- Ah... tudo bem.

- Eu sou ômega, esqueceu foi?

- Claro que não Dobe. Mas a gente não tá no cio.

- Teme, você é muito idiota mesmo. Não precisa estar no cio pra um ômega engravidar, as chances apenas triplicam. Baka. - disse já sem energia.

- Ah, tudo bem Dobe, a gente a resolve isso amanhã. Vamos dormir.

Acabamos dormindo e no dia seguinte nada foi resolvido. Na verdade, nem lembramos daquela conversa.

Depois disso foi como se estivéssemos no cio. Em qualquer lugar, na escola, na minha casa, na casa do teme, no vestiário. Se não tivesse ninguém por perto a gente acabava transando. Com camisinha, sem camisinha, a gente só deixou pra se preocupar se o cio chegasse. Mas ele não chegou, o baile sim. E o Teme ainda não tinha me convidado.


Notas Finais


É isso. Desculpa se não ficou bom. Tô chorando até agora porquê não ficou do jeito que eu queria.
Mas eu prometo que vou melhorar e na parte 2 vou trazer um lemon muito melhor.
Amos vocês.
Os que comentam, os que favoritam e os fantasminhas que só dão uma olhada e os que adicionam na lista de leitura. Os que mandam convites e me seguem também. Amos todos vocês.
To sentimental hoje. (♥.♡)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...